VIOMUNDO

Diário da Resistência


Com 50% em enquete, apoiadores de Requião sugerem a ele aderir ao PT para disputar governo do Paraná em 2022
Entrevistas YouTube

Com 50% em enquete, apoiadores de Requião sugerem a ele aderir ao PT para disputar governo do Paraná em 2022


03/08/2021 - 08h53

Da Redação

Apesar dos 80 anos de idade, o ex-governador do Paraná e ex-senador Roberto Requião é um homem do seu tempo.

Depois de não ter sido reeleito em 2018, uma surpresa, ele se mantém ativo nas redes sociais.

Deixou o PMDB depois de ser derrotado na disputa pelo controle do diretório estadual do Paraná.

Segundo ele, o “MDB velho de guerra”, também conhecido no passado, durante a ditadura militar, como “autêntico”, cometeu suicídio aderindo em boa parte às prebendas do bolsonarismo.

O atual governador do Estado, Ratinho Jr., do PSD, teria ajudado a tramar a derrota interna de Requião, com o objetivo de colocar o PMDB claramente em sua órbita para a tentativa de reeleição em 2022.

O senador diz que ainda não sabe o seu destino. No tweeter, com mais de 35 mil votos em uma enquete, o PT liderava com mais de 50% das preferências de seus seguidores, contra pouco mais de 30% do PDT.

Requião elogia o projeto econômico de Ciro Gomes, mas critica o pedetista pela linguagem ácida contra outros candidatos do mesmo campo.

Deputado estadual, prefeito de Curitiba, duas vezes senador e três vezes governador, ele afirma que o Paraná não é necessariamente um estado direitista, apesar de a República de Curitiba ter associado o Paraná ao neoliberalismo ativista do judiciário.

Requião destaca que tem uma excelente relação com a presidenta do PT, Gleise Hoffmann, que também é paranaense e poderia interferir numa filiação para manter seu espaço político.

Uma conversa entre o ex-governador e o ex-presidente Lula deve acontecer em breve.

Para Requião, o essencial é integrar um projeto político nacional que resulte no resgate da soberania nacional, contra a “milicada ignorante” e a “boçalidade bolsonarista”.

Ele diz que não haverá golpe militar e que Bolsonaro não governa mais, mas sim o “primeiro-ministro” Ciro Nogueira (PP-PI).

Sobre sua disposição de disputar o Palácio Iguaçu, Requião diz que fez um check up recentemente e os médicos deram a ele mais “40 anos de vida pública”, após os quais ele afirma que se aposentará para jogar bocha “com os velhinhos”.

O ex-presidente Lula tem costurado alianças regionais através das quais o PT abre mão de candidatos ao governo do Estado em troca de votos para eleger deputados e senadores.

Deve ser assim com Marcelo Freixo, no Rio de Janeiro, pelo PSB.

Talvez se repita com Requião no Paraná, pelo PT ou partido aliado.

Está claro que o ex-senador pretende atacar frontalmente o liberalismo de Ratinho Jr. na campanha de 2022.

Segundo Requião, Ratinho está no cargo apenas para “fazer negócios” — que enfraquecem empresas estaduais como a Companhia Paranaense de Energia (Copel) e a Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) para beneficiar aliados.

Portanto, a campanha de 2022 no Paraná deverá ser cristalina, do ponto-de-vista ideológico.

Vale a pena ver a entrevista:





2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Francisco

03 de agosto de 2021 às 18h17

Um dos maiores nomes da política brasileira. Nunca entendi o que ainda fazia no MDB. Que bom que resolveu sair. Ainda pode dar uma grande contribuição ao País.

Responder

Zé Maria

03 de agosto de 2021 às 16h56

Sugere-se ao Governador e Senador Requião
que verifique a favor de quem e contra quem
votaram os Parlamentares Paranaenses – dos
Respectivos Partidos Políticos Propostos – nas Câmaras de Vereadores, em especial de Curitiba,
na Assembléia Legislativa do Paraná e no
Congresso Nacional.

Responder

Deixe uma resposta para Zé Maria

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding