VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Eliara Santana: Pão e fé, Jair, Damares, as rádios e o papagaio doutrinado
Desnudando a mídia

Eliara Santana: Pão e fé, Jair, Damares, as rádios e o papagaio doutrinado


02/10/2020 - 12h23

Por Eliara Santana*

1.Assista ao vídeo que está no topo.

De tanto ouvir o rádio da vizinha, o dia inteiro, esse picitacídeo aprendeu a louvar direitinho. Como todo bom papagaio.

2. Denúncia do jornal Folha de S. Paulo de 01/10 revela que R$ 7,5 milhões doados ao governo Bolsonaro pela empresa Marfrig para o combate à Covid-19 foram repassados para o programa Pátria Solidária, da primeira-dama Michelle.

O programa repassou a verba para o projeto Arrecadação Solidária que, por sua vez, repassou dinheiro, sem concorrência, para instituições missionárias evangélicas aliadas da ministra Damares Alves para a compra e distribuição de cestas básicas.

3.Reportagem do jornal O Globo, no dia 22/09, mostra, a partir de mensagens via WhatsApp, que empresários bolsonaristas articulavam a compra de uma estação de rádio, mantendo um veículo próprio de apoio às pautas do governo.

O que esses três tópicos têm em comum?

Aparentemente, nada. Mas, numa olhada mais detida, há muito mais em comum do que imaginam.

Esses três tópicos deixam a descoberto estratégias que serão essenciais, em 2022, à campanha de reeleição de Jair Bolsonaro

Colocam em cena um personagem importante e um modus operandi.

O personagem é a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves.

E o modus operandi é o binômio pão e fé, tendo o rádio e a evangelização como catalisadores de uma lavagem cerebral sem precedentes na história do Brasil.

Prova disso é o lôro do vídeo acima. Ninguém o ensinou. Ele aprendeu sozinho, de tanto ouvir o rádio com os louvores.

Vamos começar pela personagem importante nessa história.

Advogada, professora e pastora, Damares é, atualmente, um dos nomes mais bem avaliados no Ministério bolsonarista. Projeta-se como uma espécie de “reserva moral” da proposta de Jair.

Ex-assessora do senador Magno Malta e consultora jurídica da Frente Evangélica, ela assume com destreza e controla a pauta moral do governo.

Trabalho que começou bem antes de assumir qualquer cargo, quando ela pregava sobre os horrores do “kit gay”, Brasil afora, apresentando nas igrejas até slides denunciando a proposta do governo de “erotizar” crianças ou transformá-las em gays. Fala bem e cuida da evangelização, além da caridade.

Quando relatou o sofrimento com o episódio do Jesus vislumbrado na goiabeira (quando disse que sofreu abusos na infância), Damares construiu tão bem o discurso que houve um grande movimento de sororidade a ela nas redes sociais.

Na reunião ministerial do dia 22 de abril, a tal mencionada por Moro como grande triunfo, ela mostrou total desenvoltura falando sobre reação a governadores.

Relegada a um segundo plano pela mídia, Damares aparecia pouco, e geralmente tinha evidência em declarações e ações aparentemente estapafúrdias. Mas articula e impõe sua marca em assuntos sérios como ninguém.

Como no caso da menina estuprada que engravidou e teve o aborto autorizado, em que a ministra mostrou uma enorme capacidade de articulação e de mobilização.

Sem aparecer muito, Damares estava totalmente por dentro do assunto e tomando as rédeas da situação para defender seus pontos de vista e os interesses das famílias “de bem”, ou seja, contra a o aborto, mantendo a pauta moral bolsonarista.

Enviou emissários ao Espirito Santo que estiveram em vários locais-chave, como Secretaria de Assistência Social, delegacia, Conselho Tutelar e até na casa da menina.

As reações à ministra transitam do pedido de sororidade em redes sociais (como se fosse ela uma pessoa frágil e desamparada) às zoações e piadas sobre o estilo e o modo de vida dela (como se ela fosse uma pessoa maluca).

Mas Damares não precisa de sororidade. E está pouco se lixando para o pensam sobre ela.

Damares tem uma pauta, um projeto, atua nesse sentido e sabe muito bem fazer o corpo a corpo.

A pauta moral tem força no bolsonarismo, rende votos e representa uma cruzada para a ministra e pastora. E, não tenho dúvida, será um aspecto-chave para a tentativa de reeleição de Bolsonaro.

As rádios e a evangelização

A rádio é uma potência em termos de comunicação, sobretudo no interior do Brasil. Todo mundo ouve rádio. O dia inteiro.

Não é à toa que os empresários bolsonaristas querem uma estação pra chamar de sua (apesar de já terem vários meios aliados).

É um meio essencial ao projeto evangelizador neopentecostal. Há muitas e muitas rádios evangélicas. Que ficam ligadas o dia inteiro nas casas dos cidadãos de bem. Reproduzindo louvores e glórias, falando bem do governo e mal dos maconheiros e gays pecadores, prometendo o pão e a salvação se você não pecar e se Jair continuar presidente.

E Damares, claro, transita muito bem pelos vários programas de rádios evangélicas. Tem horário cativo em muitos deles (estou começando a acompanhar, depois de uma conversa com uma amiga que me mostrou os programas e a audiência), conversa com as donas de casa, os trabalhadores, os idosos.

O Brasil, como disse, é um país que ouve rádio. Apesar de que, às vezes, muitos de nós nos esquecemos desse detalhe, pensando que a internet suplantou tudo e enterrou todos os outros meios.

Pois bem, é por meio desse veículo também que a ministra dialoga com seu público. E fala bem de Jair. E faz louvores e glórias.

E aqui voltamos ao lôro fiel.

Ele é uma prova de que a estratégia funciona.

*Eliara Santané jornalista e doutora em Estudos Linguísticos pela PUC Minas/Capes



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


13 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Henrique Martins

03 de outubro de 2020 às 09h49

Complementando comentário anterior:

Aliás, eu perguntaria na tora se ele foi nomeado eventualmente para ser advogado de defesa do presidente no STF, nos assuntos que envolvem o seu clã naquela corte.

Responder

Henrique Martins

03 de outubro de 2020 às 09h42

https://noticias.uol.com.br/colunas/josias-de-souza/2020/10/02/novo-ministro-do-supremo-sera-fiel-a-bolsonaro.htm

Esperemos que haja alguém no Senado com perspicácia o bastante para perguntar para ele quantas vezes já tomou tubaína com o presidente e se é tão próximo a ele como o próprio presidente disse.

Responder

Henrique Martins

02 de outubro de 2020 às 22h01

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/10/escolha-de-kassio-prestigia-ala-do-stf-e-firma-mudanca-de-paradigma-de-bolsonaro.shtml

Em outras palavras: se ele durar no cargo até lá ???? não tem terrivelmente evangélico no STF coisissima nenhuma. Ele vai precisar da segunda vaga para apagar incêndio. Assim como precisou da primeira para proteger sua família.

Responder

Henrique Martins

02 de outubro de 2020 às 21h36

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2020/10/vacinacao-em-sp-tera-pela-primeira-vez-imunizacao-contra-meningite-grave.shtml

Parabéns a todas as pessoas envolvidas nesta iniciativa. O caminho é esse e São Paulo vai agradecer num futuro bem próximo.

Responder

Henrique Martins

02 de outubro de 2020 às 18h03

Mais vale as mãos que ajudam e acolhem do que as que se juntam para rezar.
O país precisa agora da ação dos verdadeiros cristãos.
Não é possível aceitar passivamente que em nome de Deus e usando a Bíblia se possa perverter os ensinamentos mais sagrados de Cristo.
Nunca que Cristo discriminaria ou perseguiria seres humanos seja por qual motivo fosse. Nunca que ele seria racista, homofóbico, ou desprezaria os mais pobres. Nunca que ele deixaria os idosos perecerem numa pandemia por causa de dinheiro. Nunca que ele defenderia o direito de um ter mais que o outro.
Nunca que Cristo disseminaria o ódio.
Aquele que não concorda comigo, gentileza rasgar sua Bíblia, porque não conhece nada do que ela contém.
Não podemos deixar falsos cristãos falarem em nome de Cristo.
É preciso que os verdadeiros cristãos se exponham mais e deixem as posições cômodas dos braços cruzados, pretensamente atuando através de orações. É hora de partir para uma atitude mais decidida e mais vibrante junto à população. A política do Cristo era estruturada na ética, e não na moral religiosa.
Os bons cristãos são tímidos. Mais o Brasil não será salvo das forças demoníacas que o governam neste momento se eles não entrarem na luta, a fim de fazer prevalecer as idéias renovadas, os direitos sociais, a democracia, a preservação do meio ambiente, o estado laico, a distribuição de renda, a lisura na política, e impedir todo e qualquer retrocesso. Sem a defesa do amor ao próximo estamos fadados ao fracasso em todas as dimensões de nossas vidas.
Na verdade, a covardia se esconde sob o manto da resignação e da humildade. Cristo não cruzou os braços nem mesmo quando morreu sobre o madeiro. Muito pelo contrário. Ele se abriu para a causa do bem e amor ao próximo que ele defendia.
Digo que será necessária muita dedicação a fim de reconstruir o Brasil sobre bases mais transparentes, sólidas, honestas e fraternas. Isso não ocorrerá sem luta, e jamais virá esse tempo apenas com discursos calcados em religiosidade. Consideremos que Cristo soube mostrar a feição amorosa e misericordiosa e ao mesmo tempo foi capaz de empregar duras palavras em discursos públicos denunciando os abusos cometidos pelos soberanos de então.
Então caros amigos e verdadeiros cristãos de qualquer religião: venho conclama-los a se pronunciarem, a se exporem o máximo possível, a fim de impedir a escalada de retrocessos em todos os sentidos que se instalou no Brasil.

Responder

Henrique Martins

02 de outubro de 2020 às 16h17 Responder

Henrique Martins

02 de outubro de 2020 às 16h13

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/campanha-exdruxula-queassocia-bolsonaro-ao-pt-tem-a-digital-de-moro-um-dos-pais-do-bolsonarismo-por-joaquim-de-carvalho/

Eis aí uma típica luta entre uma víbora e um escorpião.
Depois de Bolsonaro ter sido eleito com o trabalho sujo de Moro na Lavajato, ter usado o prestígio dele para garantir a força do seu governo e depois te-lo descartado e humilhado publicamente, alguém esperava outra reação de Moro que até cargo de juiz federal perdeu por uma vaga no STF?
A víbora perdeu 22 anos de contribuição previdenciária para se aposentar como juiz.
Sim. Porque escorpião é Bolsonaro que não consegue refrear sua natureza e uma hora pica os que estão a sua volta.
Eles que se engulam!

Responder

Henrique Martins

02 de outubro de 2020 às 15h21

https://www.brasil247.com/brasil/ainda-diz-que-tem-deus-no-coracao-diz-bolsonaro-sobre-criticas-de-malafaia-a-indicado-para-vaga-no-stf

Surpresa nenhuma.
Ele usa todo mundo. Obviamente, os evangélicos só vão prestar para ele enquanto limparem o chão sujo que o seu clã pisa.
Confesso que tenho muita pena dos evangélicos que são conduzidos como gado pelos pastores.
São eles que os levam a limpar o chão para um homem como Bolsonaro passar.

Responder

Zé Maria

02 de outubro de 2020 às 14h22

Entre escolher um ministro terrivelmente evangélico
ou outro que vai ferrar o Lula no STF,
BolsoAsno escolheu a segunda opção.

É o fardo que pesa sobre os ombros de Lula,
por ser o ex-Presidente Mais Popular do Brasil
e por ter sido o Verdadeiro Chefe de Estado
que sempre defendeu a Soberania do País
e a Dignidade e a Altivez do seu próprio Povo.

Responder

    marcio gaúcho

    02 de outubro de 2020 às 14h43

    É isso, Zé Maria! A passada de perna é essa mesmo! Garantindo Lula fora da corrida presidencial, os horizontes da turma do Bozo são largos, muito largos! Ele pode ser um ogro, mas burro ele não é, apesar de dar coices para todo o lado!

    Zé Maria

    02 de outubro de 2020 às 17h00

    Pois é, Tchê! É a “Caquistocracia” roendo o osso do Poder.

    https://www.viomundo.com.br/voce-escreve/joelma-pires-caquistocracia-o-governo-dos-inescrupulosos.html

    Zé Maria

    02 de outubro de 2020 às 17h29

    Pior mesmo, é ouvir os Servos Voluntários
    dos Herdeiros Bilionários do Roberto Marinho
    tergiversarem dizendo que é um Juiz ‘Garantista,
    que defende os réus’ [SIC!!!], como se fosse um
    Advogado de Defesa e não um legalista.

    E, na realidade, não é uma coisa nem outra, mas sim
    um defensor da ‘Tese Jurídica Absurda’ – ‘Teratológica’,
    (eles gostam desse juridiquês) – porque Inconstitucional,
    do ‘Trânsito em Julgado em 2ª Instância’.

    Aliás, este é um alerta aos petistas desavisados:
    se o Gilmar não pautar imediatamente o HC do Lula
    na 2ª Turma do STF, toda a luta até aqui justa pela inocência do ex-Presidente terá sido em vão.


Deixe uma resposta para Henrique Martins

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!