VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Reforma da previdência de Doria/Covas: 33 vereadores dão presente de grego a professores e demais servidores; nesta quarta, às 10h, 2ª votação
Denúncias

Reforma da previdência de Doria/Covas: 33 vereadores dão presente de grego a professores e demais servidores; nesta quarta, às 10h, 2ª votação


24/12/2018 - 11h13

 

 

Fernando Cardozo/Sinpeem

Câmara aprova aumento de 11% para 14% ao Iprem

Sinpeem – Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de São Paulo

Mesmo com milhares de servidores ocupando mais uma vez a frente da Câmara Municipal de São Paulo, e mais de uma centena que participou da Audiência Pública iniciada a partir das 14 horas e, ocupou a galeria durante todo o dia até a votação de madrugada, 33 vereadores aprovaram o substitutivo de autoria do governo Covas ao PL 621/16.

Votaram contra 16 vereadores

Com este resultado o PL 621/16 que aumenta a alíquota de contribuição de 11% para 14% para os servidores ativos e sobre o que excede R$ 5.645,18 para os aposentados e pensionistas, foi considerado aprovado em primeira votação.

Para que seja considerado aprovado em definitivo e encaminhado para a sanção do Prefeito o PL 621/16, precisa ainda ser submetido a uma segunda votação.

VEJA COMO VOTARAM OS VEREADORES

Fernando Cardozo/Sinpeem

Sessão para a segunda votação foi convocada para 26/12

O Governo Covas está decidido a dar um presente de grego para os profissionais de educação e demais servidores públicos neste final de ano.

Conseguiu o apoio de 33 vereadores para a aprovação do confisco de 3% dos salários dos servidores às vésperas do Natal e de madrugada.

Além de aumentar a contribuição para 14% o projeto aprovado cria o Regime de Previdência Complementar para quem ingressar no serviço público municipal após a aprovação do PL 621/16 e, institui o teto de aposentadoria do INSS também para quem ingressar após a aprovação da lei.

Não satisfeito com a tortura já causada com o processo de votação ocorrido na sexta-feira, o prefeito Bruno Covas quer finalizar sua maldade realizando a votação que falta para a aprovação definitiva, um dia após o Natal.

A sessão extraordinária está marcada para ser realizada a partir das 10h do dia 26/12.

Mesmo tendo conseguido o apoio de 33 vereadores para esta primeira votação, não vamos deixar de pressionar e lutar contra este confisco.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Neusa

04 de janeiro de 2019 às 22h31

Decepção, o vereador em quem votei esta na lista dos 33 vereadores que votaram neste absurdo, isso me faz pensar , perdeu o eleitor, em 2020 não votarei mais nesse candidato se o mesmo se candidatar ,

Responder

Sônia Bulhões

26 de dezembro de 2018 às 12h18

Meu consolo é que nenhum deles é do PT.

Responder

C N morais

26 de dezembro de 2018 às 11h15

Estou sempre com os sevidores, principalmente os professores, nunca vi uma elite de merda chutar tanto um classe profissional de tamanha importância, é quase um pogrom que os servidores e trabalhadores de estatais estão passando na mão dos neoliberais. Mas estamos falando aqui de matemática pura. É preferível um desconto maior em folha para evitar futuros desastres, quando se fala em fundos de pensão, ou os servidores paulistanos correm o mesmo risco de sofrerem lá na frente, como foi com os fundos de pensão da Varig, Cosipa, Vale, Petrobras… Agora, a reportagem não tocou em fundamentos que poderiam realmente colocar em xeque a lisura desses veradores: o que eles estão votando é constitucional? Estão cortando a contrapartida da Prefeitura? As contas são individuais, com extratos claros e honestos? Está sendo levado em conta o princípio do direito adquirido, no sentido que a lei está proibida de retroagir para prejudicar oelo mais fraco? Um servidor de 25 anos de carreira não pode refazer as suas contas no final da vida profissional pura e simplesmente porque todo o planejamento que ele fez foi baseado em premissas assumidas décadas atrás; a prefeitura sobreviverá se tiver que fazer um aporte para cumprir o acordado lá atrás, já ao servidor é impossível conseguir verba extra, se a nova lei exigir que ele “se vire”. Tudo isso tem que ser mostrado ao leitor deste blog, para que possamos ter uma visão realista desse ataque ao cidadão. No mais, um abraço a todos que seguem na luta!

Responder

Zé Maria

24 de dezembro de 2018 às 21h23 Responder

claudio

24 de dezembro de 2018 às 14h57

Espero que os professores saibam quem são os parlamentares municipais que deram o “PRESENTÃO DE NATAL”. É bom irem acostumando, pois se calarem, virá mais presente nos próximos meses.

Responder

Arnon Vaz

24 de dezembro de 2018 às 12h02

É isso que dá votar no PSDB.
Quem votou no Doria/Covas não pode reclamar.
O mesmo vale para quem votou nesse meliante para governador. Ele fará o mesmo no governo do Estado de SP. O comedor, digo, governador.
É isso aí vota no psdb. Não ficaria nem um pouco surpreso se políticos de direita rasgarem a lei do concurso público e contratarem terceirizados igual o motorista e os servidores laranjas do gabinete dos Bolsonauros rex. Paga 3 mil reais e o servidor devolve 2 mil. Tá na cara que é isso que querem os ladroliticos.
Vê se os secretários e o prefeito irão contribuir com + 3% sem ter um poupudo aumento segundo o novo teto do supremo.

Responder

Deixe uma resposta para Sônia Bulhões

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.