VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Narciso Fernandes: “É mentira que estamos participando da investigação do acidente do Metrô”


16/05/2012 - 20h22

por Conceição Lemes

Nessa manhã, por volta das 9h50 dois trens do Metrô de São Paulo colidiram na Linha Vermelha, entre as estações Penha e Carrão. Segundo o Corpo de Bombeiros, o acidente deixou 49 pessoas feridas, duas delas em estado grave.

O técnico em Comunicações Cleyton Vitor Lima, 28 anos, estava no trem que bateu. Ele mora em São Miguel Paulista, Zona Leste da capital. Como faz todos os dias, subiu na estação Arthur Alvim com destino Marechal Deodoro, no centro.

“Desde Arthur Alvin eles já estavam informando que o metrô estava com velocidade reduzida devido a uma falha entre as estações Tatuapé e Carrão”, conta-nos Cleyton, já em casa, pois perdeu o dia de trabalho. “Normalmente, eu faço o trajeto Arthur Alvin-Marechal Deodoro entre 40 minutos. Hoje, entre Arthur Alvim e a Penha/Carrão levei mais de 40 minutos.”

“Na hora em que bateu, deu um tranco. Fomos arremessados pra frente, depois para trás. Como as portas não abriram, muitos entraram em desespero. Algumas pessoas acabaram pisoteadas”, continua Cleyton, que não se feriu. “Aparentemente, o trem da frente estava parado. Por que o meu não parou antes do choque?”

“Na verdade, houve uma falha no sistema automático de sinalização do metrô”, afirma Narciso Fernandes Soares, diretor do Sindicato dos Metroviários de São Paulo. “Em vez de parar, acelerou.”

Narciso explica. O sistema de sinalização comunica qual a distância entre os trens. O limite seguro entre eles é 150 metros. Quando se aproxima dos 150 metros, automaticamente o metrô começa a andar mais devagar. Caso atinja os 150 metros, ele para.

Hoje, especificamente, aconteceu exatamente o contrário. Em vez de a composição zerar a velocidade, acelerou, indo para cima do que estava parado à frente. Aí, o motorneiro  acionou o freio manual de emergência, provocando o solavanco que jogou muita gente no chão, contra os ferros.

“Se não houvesse operador de trem, certamente o acidente teria bem mais grave, pois não teria ninguém para acionar o sistema de emergência”, avisa Narciso. “A Linha 4, Amarela, circula sem operadores.”

O trem que levou a batida estava vazio, parado, na altura do viaduto da rua Antonio de Barros, quase chegando na estação Carrão. Não tinha passageiros, porque estava transitando do pátio Itaquera para a Linha Azul, Norte-Sul, que era o seu destino.

“Como havia outro trem na frente, na estação Carrão, ele parou”, explica Narciso. “Só que o sistema de sinalização falhou, e o que vinha atrás, colidiu.”

Mas essa falha aconteceu por que, já que é um sistema automatizado?

Esta é uma pergunta para a qual o Sindicato dos Metroviários de São Paulo ainda não tem resposta e está cobrando da empresa.

“O Secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo [Jurandir Fernandes] deu entrevistas hoje  à imprensa, dizendo que nós estamos participando da perícia e das investigações sobre o acidente. É mentira! Nós não estamos participando nem fomos chamados. A empresa não deixa a gente participar. A gente fica sabendo do que está acontecendo apenas através de funcionários .”

Contatamos a assessoria de imprensa do Metrô duas vezes por telefone e uma por e-mail, para saber se o Sindicato irá ou não participar. Até a publicação desta matéria, não obtivemos retorno.

PS do Viomundo:  A participação do Sindicato é fundamental para garantir transparência à investigação. Afinal, o Metrô de São Paulo padece de sério sucateamento. Faltam investimentos, manutenção.

Leia também:

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Simão Pedro: Será que os tucanos vão pagar para ver outra tragédia? « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de maio de 2012 às 17h08

[…] Narciso Fernandes: “É mentira que estamos participando da investigação do acidente do Metrô” […]

Responder

Carlos Zarattini: Mais metrô, menos embromação « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de maio de 2012 às 17h52

[…] Narciso Fernandes: “É mentira que estamos participando da investigação do acidente do Metrô” […]

Responder

Julio Silveira

17 de maio de 2012 às 17h26

Não se diz nenhuma novidade. São Paulo está sendo dirigida por um grupo de pessoas das mais ardilosas que se tem noticia. Mas paulista, pelo menos os que decidem, gostiaaaa.

Responder

Luz

17 de maio de 2012 às 12h16

Uma coisa que me intriga: vi hoje, no site da Câmara, a lista de
requerimentos que vai ser votada para convocação de pessoas
a serem ouvidas pela CPI.

Sabe quem foi o único parlamentar que convocou Poli?
Fernando Collor de Mello.

Cadê o pessoal do PT?

Assim, não acho que o Policarpo vai ser chamado…

Confira aqui:
http://www.senado.gov.br/comissoes/documentos/SSCEPI/ReqVg_a_Apreciar.pdf

Responder

    Alexandro Rodrigues

    17 de maio de 2012 às 12h41

    Segundo o PHA Luz, a culpa é do PSOL. O PT está “fazendo a sua parte”…kkkk

Vinicius Garcia

17 de maio de 2012 às 12h06

Você acha que tudo se resolve com ação de greve? Principalmente em um sistema de transporte tão fundamental como o Metrô? A Greve é uma medida radical, que não deve ser constantemente usada, para não refletir CONTRA a categoria que busca defender. Principalmente quando temos um PIG que, nesses casos, buscam jogar a população contra os trabalhadores grevistas.

Responder

Delano

17 de maio de 2012 às 10h33

Agora na cpmi do Cachoeira , vão votar a convocação da VEJA.
Assistam ao vivo > Clique em TV Internet – CPI mista do Cachoeira

http://www.senado.gov.br/noticias/tv/

Responder

Rasec

17 de maio de 2012 às 10h16

Queria saber o q acontece com esse sindicato dos metroviários de sp! Reclamam, reclamam, mas nunca fizeram greve. Por que será?

Responder

João Bravo

17 de maio de 2012 às 08h35

Azenha,tenho uma divida de gratidão com seu site.Poucos sabem,mas estive muito doente durante dois anos,mas neste tempo não fui esquecido por vocês.
A Conceição Lemes,esta mulher espetacular,sem pensar duas vezes,pega o número de meu telefone e liga para saber oque havia acontecido comigo.
Lembro-me de estar no hospital quase morto,quando entra a minha mulher,uma gaúcha guerreira e já vem me intimando:
-Conheces uma tal de Conceição…
-Oque tem a conceição.
-Seu descarado,até doente não para de namorar.
-Mas bem…
-Que bem coisa nenhuma,quero ver se ela vai te cuidar como eu te cuido,velho safado!
-Amor,deixa eu explicar…
-Explicar oque,quero ver se ela faz o feijão que eu faço,se ela vai te dar tudo nas mãozinha!
-Mas querida…
-Querida a puta que te pariu,te falta alguma coisa,até sexo faço contigo, e olha que já não é mais aquele,já tá entrando dobrado,seu cachorro.
-Posso explicar…
-Explicar oque?… e este tal de azenha tá fazendo o meio de campo é, outro cachaceiro teu amigo?
-Vai me deixar explicar…
-Explicar oque,que arranjou uma amante,,oque tu disse pra ela,que é rico,tem mercedes e Ferrari,que é bom de cama?
-Não é isso benzinho…eu entro no blog dela e…
-Meu deus,você já entrou no blog dela?…safado cafajeste,bem que dizia a minha mãe,começa errado termina errado.
-E diz pra esse tal de azenha que tu é casado,tem dois filhos e uma neta e se eu pegar ele aqui em casa vai ter…
-E mais,sabe quando eu gemia quando nós fazíamos sexo?…pois é era tudo mentira,tu é bom de cama porque deita e dorme,seu veado.

Responder

    Gersier

    17 de maio de 2012 às 11h40

    Quer me matar de tanto rir?
    “Querida é a puta que te pariu”…
    “E diz pra esse tal de azenha que tu é casado,tem dois filhos e uma neta e se eu pegar ele aqui em casa vai ter…”
    Me fez lembrar o ator Orlando Drummond do personagem “seu peru” quando o Chico virava pra ele e soltava “e dizer que é sujeito é avô”
    Tadinha da sogra.
    Coitado do Azenha,arriscado levar uns tebefes sem saber o porque de estar apanhando.
    Ô mulherzinha brava sô.

Hamilton

17 de maio de 2012 às 07h27

O PSDB inova, mudou de “choque de gestão” para COLISÃO DE GESTÃO.

Responder

ricardo silveira

17 de maio de 2012 às 02h10

Indícios de mau governo em São Paulo não faltam, seja no Estado, seja na Capital. Coisas absurdas acontecem na saúde, na educação, na segurança pública, nos transportes, nas licitações de obras e nada acontece aos governantes. No metrô, mesmo, já desabou estação em construção, já houve suspensão de licitação por suspeita (?) de fraude que depois parece ter sido ignorada, já houve denúncia de fadiga de peças de trens como causa de paralisações, mas não se vê nenhum questionamento sério, nenhuma responsabilização de quem quer que seja, parece que estão à espera de uma catástrofe para que o ministério público ou alguém de direito faça alguma coisa. No tempo da Erundina, quando caía um muro na periferia a mídia safada descia o cassete na Prefeita. Agora, mal noticiam que houve colisão de trens.

Responder

pedro paulo

17 de maio de 2012 às 00h55

Os sistemas automatizados das novas linhas do metrô sofreram sérias críticas por nunca terem sido testados e avaliados, ficaram muito tempo sobre suspeição, praticamente usando a população como cobaias, daí o motivo da intermitência e curto período de funcionamento iniciais. Os engenheiros e técnico sérios da companhia se recusaram a avalisar o sistema sem maiores testes e melhor conhecimento sobre o funcionamento. A isso dá-se o nome de responsabilidade.

Responder

Alexandro Rodrigues

17 de maio de 2012 às 00h22

Soninha Francine, a Kátia Abreu que fuma beck!

Eu não concordo com aqueles petistas e lulistas mais fundamentalistas que, devido a ordem do chefe, soltam o verbo contra àquela parte da esquerda que não se submete a hegemonia do PT. “Fazem o jogo da direita”; “A esquerda que o PIG gosta”; “Raivosos, massa de manobra dos demotucanos”, etc, etc. Essas são algumas das “argumentações complexas” que muitos usam para atacar aqueles que, tanto quanto Lula, ajudaram a melhorar o Brasil.

Qualquer um tem o direito de se decepcionar com os caminhos seguidos pelo PT desde sua adesão ao jogo político, aderindo as práticas que condenava no passado, e se tornando nada mais do que uma poderosa e influente máquina partidária. Não é o que pensam o Tea Party do PT sobre Heloísa Helena, Marina Silva, Cristovam Buarque, entre outros.

O direito de seguir seu caminho e lutar pelo que acredita é admirável. Mas uma coisa é trocar de partido. Uma coisa é acreditar que os métodos utilizados por aqueles com quem antes comungavamos não são os adequados. O contrário é, de uma hora para outra, se aliar àqueles que antes combatiamos, aderir aos valores com os quais outrora não acreditava e as práticas que antes, na sua velha casa, eram ruins e agora, na cobertura triplex do complexo PIGDEMOTUCANO, são práticas necessárias para combater os vermelhos, os petralhas.

Ao contrário do que dizem de Heloísa, de Marina ou Cristovam, Soninha Francine encarna o perfeito exemplo de alguém capaz de passar uma borracha em tudo que acreditava em nome de… em do quê mesmo? Ela queria ser prefeita. Acreditava que poderia ser a sucessora da Marta pelo PT. Mas diante de sua insignificância, bradou em nome de uma tal independência de posições e se aliou não a um partido de oposição ao PT, mas a um grupo político que opõe a tudo que, momentos antes, ela acreditava.

Soninha Francine emprega a filhota numa sub-secretaria qualquer, da sub-secretaria criada por Kassab (aquele que o Lula queria do lado do Haddad…) para ser sua recompensa pelos serviços prestados na camapanha de 2010. Soninha Francine, àquela que desde a época da MTV militava pelos direitos humanos e pela igualdade social, se aliou ao homem responsável por introduzir na disputa política brasileira o ódio e o fundamentalismo religioso, a homofobia, o proconceito social (vide Mayra Petruso) e a subserviência aos interesses estrangeiros nos destinos do país (esse claro, uma bandeira de longa data da nossa maravilhosa elite política e economômica).

Por tudo isso, considero Soninha uma pessoa de sucesso. Ela conseguiu! Conseguiu virar a musa que os descolados dos Jardins, Higienópolis e adjacências tanto queriam. Acidente no metrô? Ahh, foi na zona leste, lá só mora gentalha. Aqui, nas linhas “brancas, loiras e de olhos azuis” tá tudo sussa! Ela conseguiu ser o perfeito exemplo de traíra que o Tea Party do PT tanto queria. Conseguiu até virar musa do Tio Rei! Se transformou na Kátia Abreu que fuma beck.

Responder

Roberto Locatelli

16 de maio de 2012 às 22h37

O sucateamento dos serviços públicos em São Paulo não é resultado de nenhum “descaso”. É política de governo. Sucatear para depois vender aos amigo$$. E, se não for possível vender, pelo menos eles querem economizar, já que os demotucanos são a favor de estado mínimo e serviços mais mínimos ainda.

Responder

Gil Rocha

16 de maio de 2012 às 21h38

Mas não é lei a presença de
representante do sindicato?
Se é lei não tem discussão.
Se não é a coisa fica difícil.

Responder

Cibele

16 de maio de 2012 às 21h33

Conceição, o que foi feito do blog da saúde? Gostava muito. Abs.

Responder

Serrote

16 de maio de 2012 às 20h38

Transparência na investigação? Se não conhecesse vocês e soubesse como é sério o assunto, diria que é piada.

Responder

    eunice

    17 de maio de 2012 às 10h42

    A doutrina partidária está sendo seguida à risca pelo PSDB. Igual ao que foi feito pacientemente no Banespa. Sucatear e doar.Sucateado, qualquer mínima melhoria vai deixar a gentalha contente. É a lei do bode. Sou testemunha.


Deixe uma resposta para Delano