VIOMUNDO

Diário da Resistência


Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não
Denúncias

Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não


30/08/2013 - 20h35

Rogério Perillo gosta de tirar fotos com políticos e postar em sua página no Facebook. Acima, ele com o prefeito de Trindade, Jânio Darrot, e outra com o primo em segundo grau, o governador Marconi Perillo

por Conceição Lemes

Os médicos cubanos são o bode expiatório da hora.

Na segunda-feira 26, o médico Rogério Perillo postou na sua página no Facebook:

Ao lado da mensagem, o comentário do amigo Jeremias Araújo (imagem no alto da página), colocando a demissão de Rogério na conta dos médicos cubanos.

Rogério mora em Goiânia, tem 32 anos, formado há seis, cursou a Faculdade de Medicina de Marília, interior de São Paulo. É primo em segundo grau do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB).

Em 2 de agosto deste ano, começou a trabalhar no PSF (Programa de Saúde da Família) 307 Valter Correa, em Trindade, município a 18 quilômetros de Goiânia. Na última segunda-feira, 26, foi demitido após briga com uma enfermeira.

“Os médicos cubanos já estão tirando vagas de brasileiros. A minha demissão não foi à toa. Não foi por causa de uma briga com uma enfermeira”, considera Rogério. “Como é que pode: está tudo correndo bem, aí tem uma briga com uma enfermeira e eu sou demitido? Trindade é o local que vai receber mais médicos estrangeiros não só de Goiás, mas do País. Trindade foi contemplado com seis médicos.”

Rogério alega também ter sido boicotado pelo  programa Mais Médicos.

“Eu tentei fazer a minha inscrição de todas as formas. Primeiro, foi dado como inválido o meu CRM. Tenho dois. O de São Paulo e, mais recente, o de Goiás. Foi negado”, conta. “Depois tentei fazer a inscrição com meu CPF. Disseram  que o meu CPF não batia com o da Receita Federal. Por isso, eu digo que fui boicotado pelo Mais Médicos.”

Divaldo Rodrigues, chefe do PSF de Trindade, afirma que a demissão de Rogério não tem nada a ver com os médicos cubanos.

“Ele brigou com duas enfermeiras. A Amanda, que trabalha só há um mês no PSF, e com a Cida, que estava ensinando a Amanda.  Elas vieram aqui para me contar. Elas xingaram ele, ele xingou elas. E o Zezinho chegou à conclusão de que ele não havia se adaptado”, diz Divaldo. “Mas  demissão dele não tem nada a ver com os médicos cubanos. Nós estamos precisando de médicos. Temos nove vagas. Os médicos que vierem serão bem-vindos, sejam cubanos ou não.”

Consultei o Ministério da Saúde para saber quantos médicos do programa irão para Trindade. A previsão é  que receberá 12 médicos do Mais Médicos e Goiânia, capital do Estado, 40.

Rogério foi readmitido na mesma segunda-feira à noite. Mas não para trabalhar no PSF 307 Valter Correa. Foi remanejado para outro PSF.

Segue a íntegra da entrevista que fiz com Rogério Perillo.

Viomundo – O que realmente aconteceu?

Rogério Perillo — Nas duas primeiras semanas, me trataram muito bem. Na terceira, comecei a ter uns probleminhas. Foi a partir do dia em que pedi à recepcionista que fizesse um novo prontuário dos pacientes. Os já existentes têm ácaros. E  me negaram.

Viomundo – Por favor, explique melhor.

Rogério Perillo – Eu sou muito alérgico. E os ácaros dos prontuários antigos me dão muita alergia. O que eu queria era só anexar uma folha nova ao prontuário antigo. No final do dia, você vai lá e grampeia. E o prontuário fica completinho. Não havia motivo para briga. Mas, a partir daí, começaram a me perseguir, a me tratar mal. Os agentes de saúde fizeram a mesma coisa, como se fosse uma máfia mesmo.

Viomundo – E depois?

Rogério Perillo — Na última segunda-feira, a enfermeira Amanda, que é prima do ex-prefeito Ricardo Fortunatti, do PMDB, estourou comigo na frente dos pacientes.

Ela queria que eu passasse um paciente na frente dos outros. Eu disse que não dava. Os outros chegaram antes – tem paciente que chega lá às 5 da manhã para pegar senha! – e a pessoa ia ter de aguardar.

O paciente estava com cólica nefrética [cólica renal], mas estava bem. Não estava em fase de dor. Ele adentrou no consultório com a mãe, que estava mais alardeada, querendo passar na frente

Aí, eu disse: “Olha, a senhora vai me desculpar. Se realmente acha que o seu filho precisa de cuidado neste instante, a senhora vai levá-lo a um hospital de urgência/emergência, pronto-socorro, porque lá a senhora vai ter o respaldo para quem está realmente com dor”.

A Amanda começou a gritar comigo na frente de todos os pacientes. Disse que eu não quis atender o paciente, que a família dela tem nome na cidade… Eu tive uma discussão rápida com ela e logo encerrei. Continuei, dando atendimento aos pacientes. Nisso, ela ligou para o Zezinho.

Viomundo – Quem é o Zezinho? Qual o nome dele?

Rogério Perillo – Todo mundo na cidade conhece ele por Zezinho. É um subsecretário da Saúde de Trindade.

No mesmo dia, quando terminei as consultas, o Zezinho já estava lá para me demitir. Ele é do PSD, oriundo do PMDB, que é adversário político nosso, aqui no estado de Goiás. Ele tem o poder de contratar médicos, mas quem demite é só o prefeito.

Viomundo  — O que ele alegou para te demitir?

Rogério Perillo – Que eu não me adaptei ao contrato. Mesmo assim, pedi para ele me deixar trabalhar, que eu estava fazendo um bom trabalho, que os pacientes gostavam de mim…

Não adiantou.  Falei pra ele então: Você não vai me demitir assim, não. Eu sou amigo do prefeito [Jânio Darrot, PSDB] e vou querer falar pessoalmente com ele. Eu disse ainda que ia fazer todo o possível pra derrotá-lo, destruí-lo, mostrar para todo mundo o que ele está fazendo comigo. O Zezinho foi o maior carrasco dessa história toda

Mas como tem uma hierarquia, eu tinha que falar primeiro com o secretário de Saúde, depois com o prefeito. Pedi ao Zezinho para conseguir a audiência para mim com o secretário. Ele disse que eu tinha que conseguir sozinho.

O pessoal acha que, porque eu sou parente do governador, é só ligar pra ele, não é bem assim. O governador tem os compromissos políticos dele e não pode ficar interferindo na vida de primo ou de quem quer que seja. Isso atrapalha, tira voto dele. Eu já sou bem grandinho para resolver os meus problemas.

Viomundo – E, aí?

Rogério Perillo — Fui então ao bar em frente e comecei a explicar aos pacientes o que estava acontecendo, a mulher queria colher assinaturas, fazer abaixo-assinado.

A enfermeira chamou a polícia. Vieram quatro viaturas. Acharam que eu estava perturbando a ordem. Eu mostrei pra eles o que realmente estava acontecendo. Expliquei que os médicos cubanos estão chegando.

Eu fiz um estardalhaço e realmente surtiu efeito. A mídia começou a ligar pra lá. À noite o meu telefone tocou. Era o secretário da Saúde dizendo que a minha demissão tinha sido um grande equívoco, que o Zezinho tinha passado por cima da hierarquia do prefeito. Encheu a minha bola e disse que eu seria readmitido.

[O Viomundo corre atrás. Quer saber o que as pessoas pensam. Ajude-nos com nosso conteúdo exclusivo, assinando]

Viomundo – Você disse também que foi  boicotado no Mais Médicos. 

Rogério Perillo — Eu tentei fazer a minha inscrição de todas as formas. Primeiro, foi dado como inválido o meu CRM. Tenho dois. O de São Paulo e mais recentemente de Goiás. Foi negado. Depois tentei fazer com meu CPF. Disseram  que o meu CPF não batia com o da Receita Federal. Por isso, eu digo que fui boicotado no Mais Médicos.

Viomundo — Você teme mesmo que os médicos cubanos possam tirar vagas de brasileiros?

Rogério Perillo – Podem, não. Eles já estão fazendo isso. Não foi à toa que houve essa demissão. A minha demissão não foi por causa de uma briga. Com certeza foi porque eles já estão aguardando os médicos cubanos. Trindade é o local que vai receber mais médicos estrangeiros não só de Goiás, mas do País. Trindade foi contemplado com seis médicos.

Leia também:

Médico brasileiro: Que os médicos cubanos ajudem no “resgate do raciocínio clínico”

Gerson Carneiro: Em Fortaleza, a estupidez nota 1000!

Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de socorro

Médico que duvida de estrangeiros tem filhos “importados” de Cuba

Mílton de Arruda Martins: “Elitização brutal” ajudou a concentrar médicos

O mau jornalismo da Folha no caso dos médicos “desistentes”

Juan Carlos Raxach: Carta de um médico cubano

Cebes: O SUS precisa de mais médicos. E muito mais!

Dr. Rosinha: Médicos estrangeiros são bem-vindos

Fátima Oliveira: Quem deve lavar as louças sujas são os governos

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



53 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Pedro Brandão: Valente desmascara Caiado sobre "escravos" cubanos - Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de setembro de 2013 às 22h09

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

O depoimento de Vitor, que perdeu a visão por estilhaço de granada - Viomundo - O que você não vê na mídia

09 de setembro de 2013 às 22h00

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

Leitores falam sobre o fracasso do "maior protesto da História" no 7 de setembro. A Copa do Mundo vem aí - Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de setembro de 2013 às 17h40

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

Arthur Chioro: "Vamos fazer o melhor para que depois os médicos fiquem como funcionários" - Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de setembro de 2013 às 10h38

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

André Singer: A esquerda ganhou a primeira partida - Viomundo - O que você não vê na mídia

07 de setembro de 2013 às 21h40

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

Laura Greenhalgh: Doutor Preto teria algo a dizer aos médicos brasileiros - Viomundo - O que você não vê na mídia

02 de setembro de 2013 às 12h58

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

Ricardo

01 de setembro de 2013 às 17h31

Pra mim está bem claro! O rapaz que gosta de trabalhar caiu de pára-quedas em um ambiente de cabide eleitoral e politicagem. Logo as “apadrinhadas” ficaram revoltadas em ter que trabalhar. Queriam ficar só de bate papo e privilegiando seus “pacientes-amigos”. A única coisa que ele fez de errado foi ter um surto esquizofrênico paranoico e transformar o ocorrido em uma conspiração política. Só tem doido.

Responder

carlos

01 de setembro de 2013 às 14h40

trash.

Responder

Rafael

31 de agosto de 2013 às 21h42

Esse cara é um boçal com CRM como milhares que estão por este Brasil, principalmente nos centros mais urbanizados, onde a vida é mais confortável. Tentem entrar na página de Feicibuque dele e naveguem em centenas de fotos e comentários de fanáticos partidarizados demotucanos (https://www.facebook.com/rogerio.perillo) com ódio visceral dos políticos do PMDB e do PT. Tem-se a impressão de que ele quer seguir é a carreira política, é cabo eleitoral de tipo virulento contra qualquer proposta progressista da sociedade. Se for sobre o PT, então, ele baba de louco sem parar, com as maiores mentiras e desinformações que rolam na internet daqueles inconformados com os governos da base governista. É amigo pessoal do Prefeito Janio Darrot e do Governador e primo Marconi Perillo.
Quanto àquele que reproduziu essa “propaganda mentirosa” em provável cumplicidade com fins eleitorais próprios (as eleições de 2014 estão aí), entrem na página de Feicibuque dele e vejam a escancarada capa de propaganda eleitoral do Aécio Neves (https://www.facebook.com/jeremys.araujo.50).

Responder

Jovens protestam SP, RJ, RS, BA, PA: Devolvemos à Globo o lixo que ela joga no povo brasileiro - Viomundo - O que você não vê na mídia

31 de agosto de 2013 às 17h24

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

FrancoAtirador

31 de agosto de 2013 às 17h05

.
.
A partir da implantação do programa ‘Mais Médicos’ pelo Governo Federal,

todo médico crápula que é demitido do PSF, em qualquer Município do País,

acusa a vinda dos médicos de família cubanos, como motivo para a demissão.

E a Mídia Bandida reverbera as acusações para tirar lasquinha ideológica.

Chega a dar um desânimo este atraso cultural em que se encontra o Brasil.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    31 de agosto de 2013 às 17h29

    .
    .
    A médica da Folha e a semana de 128 horas

    É difícil saber se essa polêmica do Mais Médicos está fazendo mais estragos na reputação dos médicos ou na dos jornalões brasileiros.

    Nesta sexta (30), dois jornalões (Folha e O Globo) dão destaque à triste história da Dra. Junice Maria Moreira, médica do programa Saúde da Família, que teria sido demitida para “dar lugar a um cubano” em Murici, interior da Bahia.
    Para azar dos jornalões, uma repórter seguiu o princípio básico de dar voz ao outro lado.

    Por André Borges Lopes, na Carta Maior

    É difícil saber se essa polêmica do Mais Médicos está fazendo mais estragos na reputação dos médicos ou na dos jornalões brasileiros.

    Hoje (30) – não por coincidência – dois jornalões (Folha e O Globo) dão destaque à triste história da Dra. Junice Maria Moreira, médica do programa Saúde da Família, que estaria sendo sumariamente demitida para “dar lugar a um cubano” em Murici, povoado da cidade de Sapeaçu, BA. A denúncia foi plantada na imprensa pelo CRM da Bahia.

    Os links:

    Folha: “Disseram que eu tinha que dar lugar a um cubano”

    O Globo: Prefeituras substituem médicos por profissionais do programa do governo.

    Muito bem. Aí a gente acessa o serviço CNESNet da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde e pede uma busca pelo nome da doutora Junice Maria Moreira .

    Descobre-se que a essa médica tem quatro vínculos empregatícios ativos, dois deles de 40 horas no Programa de Saúde da Família e mais dois de 24 horas cada como médico clínico (tela anexa). Total de 128 horas semanais (improváveis 18 horas e meia por dia, de segunda a segunda). Com um detalhe: os vínculos públicos são com prefeituras de três cidades diferentes (Murici, Queimadas e Jiquiriçá no interior baiano) distantes 357 km entre si, 4h40 de viagem segundo o Google Maps.

    Com essa carga de trabalho insana e atendendo em três municípios distantes é de se supor que a Dra. Junice encontrasse dificuldades para cumprir seus horários contatados. Pois foi exatamente isso que constatou a repórter Louise Lobato do jornal Correio ao seguir o princípio básico de dar voz ao outro lado (relegado ao mero registro de um desmentido formal nas matérias da Folha e d’O Globo).

    Da matéria da Louise:

    “O secretário de Saúde da cidade, Raul Molina, desmentiu as alegações. ‘Ela disse que está sendo substituída por um médico estrangeiro, mas isso não é verdade. A demissão aconteceu não para economizar recursos da prefeitura, e sim porque esta médica não está cumprindo o contrato. Ela se recusa a cumprir a carga horária determinada, de 40 horas, e ao invés disto, trabalha somente durante um turno, duas vezes na semana. Ou seja, apenas 12 horas’, afirmou. ‘Há três meses, nós comunicamos para a cooperativa que ela não estava cumprindo a carga horária, e pedindo a substituição. Contudo, a cooperativa disse que não tinha nenhum outro médico disponível para substituí-la. Por causa disso, demos entrada no pedido para participar do Mais Médicos’, relata o secretário Molina.”

    Bem, se a Dra. Junice é uma amostra do tipo de profissional da saúde pública que está sendo trocado pelos médicos cubanos, continuo achando que o Brasil está fazendo um excelente negócio em trazer los hermanos.

    (*) André Borges Lopes é professor universitário e produtor gráfico.
    Texto publicado originalmente na página do Facebook do autor.


    J Souza

    31 de agosto de 2013 às 18h47

    Você e a pessoa que escreveu isso devem confiar muito nos gestores dos hospitais para acreditar que eles atualizam o CNESNet…
    Pode até ser que a médica acumule cargos públicos além do permitido, mas seria melhor confirmar se ela realmente ainda tem esses contratos.

    FrancoAtirador

    31 de agosto de 2013 às 22h05

    .
    .
    Prefiro acreditar no André Borges Lopes e no CNESNet

    do que no Otavio Frias Filho e na Folha de S.Paulo.

    Questão de credibilidade.
    .
    .

Seabra

31 de agosto de 2013 às 14h51

Primo em segundo grau do ditador regional, compadre do cachoeira…esse pode ficar despreocupado e vir até médicos suíços e escandinavos que não fica desempregado: no Goiás, há meritocracia para os amigos do rei!!!

Responder

edir

31 de agosto de 2013 às 14h28

Näo sei porque lendo esta entrevista do Perillinho, me fez lembrar este video.

Responder

Mauricio Dias: Dilma continua em viés de alta - Viomundo - O que você não vê na mídia

31 de agosto de 2013 às 13h28

[…] Médico de Goiás acha que foi demitido por causa de cubanos; chefe diz que não […]

Responder

Ana Cruzzeli

31 de agosto de 2013 às 13h27

Essa desculpa de ser alérgico a ácaro foi muito fraquinha, afinal o que mais tem são ácaros em prontuários e por outro lado era só a criatura levar pote de alcool para as mãos que resolvia o problema. Se era respiratorio tem muito anti-alergico no mercado.

Pelo que ele mesmo aponta TODO MUNDO lá na clinica estava contra o rapaz. Segundo Nelson Rodrigues, toda unanimidade é burra, mas nesse caso parece que não vale, então ficamos esperando tal abaixo-assinado que o doutor diz que seus ex-paciente estão fazendo para seu retorno triunfante ao cargo que lhe pertence por direito.

Responder

Urbano

31 de agosto de 2013 às 12h41

A foto abaixo e da direita é um livro de seiscentas páginas bem escritas…

Responder

Ed.Lima

31 de agosto de 2013 às 12h30

Não é digno de comentários,Azenha tá dando pérolas à PORCOS.Literalmente.

Responder

Ivan Cordeiro

31 de agosto de 2013 às 12h19

É babaquinha sem limites

Responder

Helenita

31 de agosto de 2013 às 12h17

… Fui para o bar em frente, explicando aos pacientes que os cubanos estão chegando, fiz o maior estardalhaço, e a enfermeira chamou a polícia, dizendo que eu estava causando perturbação”… Meu Deus, que santinho! Então não havia pacientes para atender, não é? Não poderia mesmo ter atendido o doente com cólica renal, pois estava assoberbado de serviço, não é? Meu Deus, o povo de Trindade merece coisa melhor, não acham?

Responder

Geraldo

31 de agosto de 2013 às 12h16

Podem esperar. Coisas como essa vão pipocar Brasil afora. Aqueles que vaiaram no aeroporto e outros que não estavam lá mas não concordam com a vinda dos estrangeiros vão dar um jeito, vão aprontar, tudo com toda a cobertura da mídia. Manchetes e mais manchetes no jn. Aguardem !!!

Responder

Luciano Prado

31 de agosto de 2013 às 11h23

O sujeito é doente, não médico.

Responder

Isabela

31 de agosto de 2013 às 11h14

Que cara mais babaca!!

Responder

oscar rissieri paniz

31 de agosto de 2013 às 09h46

A entrevista é uma preciosidade, revelando principalmente como é deplorável a vida das pessoas que dependem de profissionais com esta formação e este”nivel”. O que mais se tem a lamentar é este rabo preso que uma boa parcelas dos profissionais passam a ter, vinculando-se a padrinhos politicos, partidos, trafego de influência. A Saúde tem de ser uma Politica de Estado, conduzida por profissionais, mas a tradição oligárquica de nosso Brasil, o servilismo, tem retardado nosso avanço social.

Responder

Heitor

31 de agosto de 2013 às 09h29

No seu próprio comentário, afirma que “o Zezinho é um adversário político nosso, aqui em Goiás”. Quem está dando a entrevista, o Médico ou o político?
Chega de perder tempo com este indivíduo. É um picareta.

Responder

J Souza

31 de agosto de 2013 às 09h29

É só uma das muitas “justas causas” que vão aparecer…

Responder

Marat

31 de agosto de 2013 às 08h59

Esse rapaz não expressa as coisas de maneira clara.

Responder

maria do carmo

31 de agosto de 2013 às 08h34

Mentiroso contumaz, se enrreda nas mentiras, cada hora e uma historia, brigou com duas enfermeiras destratou paciente, doutorzinho encrenqueiro, so quer vantagens, quem quer ser atendido por medico mentiroso e descontrolado? Esta desesperado acabou a mordomia, vem ai os medicos humanitarios CUBANOS, medicos vocaciionados, mercenario quer ir para o mais medicos a qualquer custo. QUE CURRICULO! Cresca e apareca!
MOLEQUE mimado! O povo esta sem medicos, saude e coisa seria, esta denigrindo a classe, felizmente tem medicos brasileiros abnegados e responsaveis. Mais medicos e coisa seria o povo esta farto de vagabundos de dedo de silicone, medicos que nao exercem a profissao apenas correm pra e pra ca de carro, para assinar ponto e receber. Ministerio publico precIsaMOS DOS SENHORES! CHEGA DA MAFIA DO JALECO! QUE VERGONHA O MUNDO ESTA VENDO

Responder

LEANDRO

31 de agosto de 2013 às 08h11

E o plano de acabar com as favelas de sampa continua. O pt segue o mesmo plano do psdb, queimar os pobres…
“30/08/2013 – 23h39
Incêndio de grandes proporções atinge favela na Grande São Paulo”

Responder

    FrancoAtirador

    31 de agosto de 2013 às 17h18

    .
    .
    Só porque o PT assumiu este ano a Prefeitura Municipal de São Paulo,

    não significa que os Grupos de Extermínio do Esquadrão da Morte Paulista,

    incendiários assassinos da Extrema-Direita infiltrados nas Corporações Militares,

    tenham se transferido para cometer estes crimes em outro lugar do País.
    .
    .

Paulo

31 de agosto de 2013 às 07h39

Primo do mandatário mor criando polêmica? Esta matéria serve bem a outro propósito: mostrar como em Goiás ainda impera o nepotismo e o coronelismo.

Responder

edir

31 de agosto de 2013 às 06h34

Pelo que ele diz na entrevista, ele faz é política, e política rasteira. Que horror, um paciente cair nas mäo deste sujeito que se diz médico. O Brasil está mesmo precisando de médicos e näo de politiqueiros vestindo jalecos branco. QUe vergonha ! Tipo como esse estäo espalhado pelos postos de saúde e hospitais públicos por esse Brasil afora. Acho que deveria haver um teste de bom carater e afinidade para a profissäo. Ser aplicado nos estudantes antes da matrícula na faculdade de medicina/engenharia/advocacia e outros cursos .

Responder

Gerson Carneiro

31 de agosto de 2013 às 04h56

“Dotôra diz que vai ser demitda pra dar vaga a um cubano. Três vínculos profissionais num total de 128 horas semanais. Isso é que é escravidão.” Lux Rei, no facebook.

https://fbcdn-sphotos-c-a.akamaihd.net/hphotos-ak-prn2/1185964_554962677903478_995749967_n.jpg

Responder

O certo

31 de agosto de 2013 às 04h53

Não é de todo falso que os funcionário público em geral são péssimos, especialmente em hospitais e postos. Por isso, deve mesmo se fazer também um +Funcionário. Mesmo que não seja pelo alegado, não é justo tirar dinheiro da prefeitura que faz tanta falta em outras coisas quando já vai receber 6 médicos pagos pelo governo federal.

Responder

Gerson Carneiro

31 de agosto de 2013 às 04h12

Em suma: playboyzinho mimado dando chilique porque é amigo do prefeito e primo do governador.

Responder

Gerson Carneiro

31 de agosto de 2013 às 04h07

“…comecei a ter uns probleminhas.”

Huummmm… quando admite isso… dá pra imaginar quais são os “probleminhas” e porquê. Mas não vamos nos precipitar. Prossigamos.

“O que eu queria era só anexar uma folha nova ao prontuário antigo. No final do dia, você vai lá e grampeia.”

É não dava para ele mesmo fazer isso? Quando o negócio é muito simples, muito fácil, eu mesmo faço. Esse foi o motivo da “briguinha à toa” que teve que chamar até polícia?

“Ele é do PSD, oriundo do PMDB, que é adversário político nosso, aqui no estado de Goiás. Ele tem o poder de contratar médicos, mas quem demite é só o prefeito.”

Primeiro, tá sabendo mais de Política do que de Medicina. Segundo, o tal Zezinho é adversário político. Tem o poder de contratar médicos. E contratou o adversário político Rogério Perillo? Ah, tá mal explicado isso. E confessou que o caso trata-se de puro lenga-lenga político.

“Eu sou amigo do prefeito [Jânio Darrot, PSDB] e vou querer falar pessoalmente com ele”.

É com esse argumento que ele quer garantir o emprego?

“Eu disse ainda que ia fazer todo o possível pra derrotá-lo, destruí-lo, mostrar para todo mundo o que ele está fazendo comigo.”

Hahahaha… não falei?! Puro lenga-lenga politiqueiro.

“O Zezinho foi o maior carrasco dessa história toda.”

Ai que dó do mediquinho amigo do prefeito, e primo do governador, injustiçado pelo Zezinho.

“Eu já sou bem grandinho para resolver os meus problemas.”

Hahaha… Conceição, você é do departamento de reportagens sérias do Viomundo. Não pode interferir assim na área de Humor. Quero uma audiência para mim com o Azenha.

“Fui então ao bar em frente e comecei a explicar aos pacientes o que estava acontecendo”

Eita médico ocupado!
Primeiro “brigou” para não haver fura-fira no atendimento. Em seguida largou o atendimento e foi ao bar.

“A enfermeira chamou a polícia. Vieram quatro viaturas.”

Hahaha… o ômi é valente.

“Eu mostrei pra eles o que realmente estava acontecendo. Expliquei que os médicos cubanos estão chegando.”

Chamem o exército! Os cubanos estão chegando. Quatro viaturas não serão suficientes.

“À noite o meu telefone tocou. Era o secretário da Saúde… Encheu a minha bola…”

Noofffa! Abafa o caso. Poderia ter pulado esses detalhes.

“Trindade é o local que vai receber mais médicos estrangeiros não só de Goiás”

Os outros médicos estrangeiros são de onde?

Conclusão: o cara é barraqueiro. E está ocioso. Deixou transparecer que lá está com o intuito de arrumar confusão. Arrumou briga com duas enfermeiras, com policiais de quatro viaturas, e com o Zezinho. Ou seja, todos estão errados, apenas ele está certo. “Todo mundo odeia o Rogério Perillo”.

Com certeza nenhum médico cubano terá tempo para brigar com todos no posto de saúde e ainda ir ao bar, tudo no mesmo plantão.

O próprio relato do Rogério Perillo, e a forma como se comporta (descrita por ele mesmo) o denuncia como um desses mediquinhos riquinhos que estão (disse estão) médicos não por vocação, mas porque papai teve dinheiro para mantê-lo na Faculdade de Medicina. “Meu filho estuda Medicina”.

Imaginem o que esse carinha deve teve aprontado na faculdade.

Acho que ele deveria ligar para o Padilha e dizer que é amigo do prefeito e primo do governador.

Responder

ccbregamim

31 de agosto de 2013 às 00h48

quem é:

“Eu sou muito alérgico.”

“Você não vai me demitir assim, não. Eu sou amigo do prefeito”

“Eu disse ainda que ia fazer todo o possível pra derrotá-lo, destruí-lo,”

“Eu fiz um estardalhaço e realmente surtiu efeito. A mídia começou a ligar pra lá.”

“Eu já sou bem grandinho para resolver os meus problemas.”

Responder

    ccbregamim

    31 de agosto de 2013 às 00h49

    “eu sou parente do governador”

CID.

31 de agosto de 2013 às 00h34

Mais um coxinha querendo fazer mídia em cima do programa mais médicos.
O que ocorre é que a maioria dos médicos acham que podem pintar e bordar e nunca serem demitidos, como ocorria antes da vinda dos médicos cubanos.
Estão acostumados a receber uma nota preta pra trabalhar 8h por dia, e ainda assim, chegam no hospital/posto de saúde as 10h da manhã e saem as 11h recebendo pelo dia todo. PERGUNTO: E se qualquer outro funcionário fizer isso no setor privado, o que acontece? JUSTA CAUSA! Simples assim.
Mas os médicos brasileiros não… esses são melhores do que nós, meros mortais, que não nascemos em uma família abastada que pudesse bancar as melhores escolas e cursinhos, pra passarmos em um vestibular pra medicina na federal (roubando a vaga de quem realmente precisa).
Claro que existem exceções a regra, mas essas são raras de se ver por aí.
CORPORATIVISMO BARATO E RESERVA DE MERCADO, A GENTE VÊ POR AQUI!

Responder

João Carlos Rizolli

31 de agosto de 2013 às 00h30

O sujeito é um PERILLO:Todo cheio de não-me-toques (imagine, pegar em prontuários “cheios de ácaros”, eu hein, tô fora!!!). Um PIRRALHO, na verdade!! E metido a boommmmm: primo do Governador, o grande espião (ver CartaCapital), amigão do “Charles Waterfalls”, este, sim, o verdadeiro dono de Goiás (sem ofensa aos bons Goianos).

Que sorte tiveram os possíveis pacientes; não perderam nada. Ou melhor, não perderam ainda mais, com um sujeitinho desses incrustrado no SUS.

Que venham os Cubanos. Humildes, humanos e com muito mais experiência em prevençâo para nos oferecer (como reconhecem os Médicos americanos, aliás).

O “Mais Médicos”, depois do SUS, implantado na Constituição de 1988, é a grande atitude governamental na área da saúde no Brasil. Grande resposta do Governo Dilma. Grande sacada do Ministro Padilha.

Há um medo de que isso dê certo (e vai dar!!): dos planos de saúde (que ganham com o sucateamento do sistema público); e os grandes laboratórios (que vêem em boa parte dos médicos, seus agentes, para “empurrar” suas fórmulas químicas).

J. Rizolli, Advogado, Mirandópolis, SP.

Responder

André

31 de agosto de 2013 às 00h17

Esse “DR” foi um grande oportunista, foi demitido pelos atritos pessoais e políticos e quis usar argumentos contra o programa Mais Médicos. Que feio heim Rogério Perillo. Tentando manipular tanta gente e se deu mal.

Responder

J Souza

30 de agosto de 2013 às 23h44

‘Se possível, botaríamos todos pelo Mais Médicos’, diz secretário
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1334275-se-possivel-botariamos-todos-pelo-mais-medicos-diz-secretario.shtml

Prefeituras vão demitir médicos para receber equipes do governo
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1334262-prefeituras-vao-demitir-medicos-para-receber-equipes-do-governo.shtml

Município que trocar profissional será excluído do Mais Médicos, diz Ministério da Saúde
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/08/1334406-municipio-que-trocar-profissional-sera-excluido-do-mais-medicos-diz-ministerio-da-saude.shtml

A gente vai fingir que acredita nas fiscalizações do ministério, assim como nas supervisões dos dos médicos do programa…

Responder

Luís CPPrudente

30 de agosto de 2013 às 23h44

Será que a carga horária desse médico mal informado (e intencionado) não é igual a da doutora Junice Maria Moreira (a que foi defendida pelo jornal da famiglia Frias).

A tal da doutora Junice Maria Moreira trabalha em três municípios baianos e tem carga horária de 128 horas semanais.

Responder

Scan

30 de agosto de 2013 às 23h35

Hummmm…a me non me piace il ragazzo.
Conta uma estória e depois já começa a desancar o Mais Médicos.
Não conseguiu se cadastrar, é? Quem sabe se não estava tentando usar um CRM falso, hein?
Sei, sei…
Vá chorar na cama que é lugar quente.

Responder

roberto amorim

30 de agosto de 2013 às 23h23

Esse é mais um desorientado que confunde serviço público com patrimônio familiar e político: “Eu sou médico do prefeito”, “eles são adversários nosso”, etc. Um incompetente, oportunista, que se vale de uma situação de início de transformação do atendimento à saúde para angariar proveito próprio. Um cretino.

Responder

Ozzy Gasosa

30 de agosto de 2013 às 22h06

O sobrenome fraudulento fala por si só.
É mais um coxinha querendo chamar a atenção das câmeras.

Responder

Luís Carlos

30 de agosto de 2013 às 21h59

E então? O que tem com isso os médicos cubanos? Ele está fazendo politicagem rasteira tentando justificar toda a confusão criada com os médicos cubanos. Pior, mente afirmando que o município onde trabalha é o que mais receberá médicos estrangeiros. Outras cidades receberão mais que 6 médicos formados fora do Brasil. Na fronteira do Brasil com Argentina, cidades gaúchas como Uruguaiana recebrão mais que isso, e o governo é do PSDB, porém o prefeito apóia o Mais Médicos e quer esses médicos na cidade.

Responder

Panino Manino

30 de agosto de 2013 às 20h43

Ele conta uma história, e depois dá uma conclusão que é totalmente desmentida pela própria história que contou.
Não dá para entender.

Responder

Deixe uma resposta para Paulo

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.