VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Idilio Grimaldi: Com apoio da mídia, Paraguai inaugura o “golpe transgênico”


23/06/2012 - 21h12

Monsanto golpeia no Paraguai: Os mortos de Curuguaty e o juízo político de Lugo

por Idilio Méndez Grimaldi (*)

publicado no site de Atilio Boron

Quem está por trás desta trama tão sinistra? Os promotores de uma ideologia que busca o máximo benefício econômico a qualquer preço e quanto mais, melhor, agora e no futuro.

Na quinta-feira, 15 de junho de 2012, um grupo policial que cumpriria ordem de despejo no estado de Canindeyú, na fronteira com o Brasil, foi emboscado por franco-atiradores, misturados a camponeses que reclamavam terras para sobreviver. A ordem foi dada por um juiz e uma promotora para proteger um latifundiário. Como resultado houve 17 mortes; 6 policiais e 11 camponeses, além de dezenas de feridos graves. As consequências: o governo fraco e temeroso de Fernando Lugo ficou com debilidade crescente e extrema, apesar de cada vez mais direitista, a ponto de ser levado a juízo político por um Congresso dominado pela direita; um duro revés para a esquerda, as organizações sociais e camponesas, acusadas pela oligarquia latifundiária de instigar os camponeses; avanço do agronegócio extrativista nas mãos de multinacionais como a Monsanto, através da perseguição e tomada de terras dos camponeses, e finalmente, a instalação de uma cômoda plateia para os partidos de direita, para seu retorno triunfal nas eleições do Executivo em 2013.

No dia 21 de outubro de 2011, o Ministério de Agricultura e Pecuária, dirigido pelo liberal Enzo Cardozo, liberou ilegalmente o plantio de algodão transgênico Bollgard BT, da companhia norte-americana de biotecnologia Monsanto, para uso comercial no Paraguai. Os protestos de camponeses e de organizações ambientalistas não se fizeram esperar. O gene deste algodão é misturado com o gene da Bacillus Thurigensis, uma bactéria tóxica que mata algumas pragas do algodão, como as larvas do pulgão, que bota ovos no casulo do têxtil. O Serviço Nacional de Qualidade, Saúde Vegetal e de Sementes, SENAVE, outra instituição do estado paraguaio, dirigido por Miguel Lovera, não registrou dita semente transgênica nos registros de cultivares, por carecer de análise do Ministério da Saúde e da Secretaria de Meio Ambiente, como exige a legislação.

Campanha midiática

Durante os meses posteriores, a Monsanto, através da União de Grêmios de Produção, UGP, estreitamente ligada ao Grupo Zuccolillo, que publica o diario ABC Color [o jornal mais importante do Paraguai], arremeteu contra o SENAVE e seu presidente por não inscrever a semente transgênica da Monsanto para uso comercial em todo o país.

A contagem regressiva decisiva se deu com uma nova denúncia por parte da pseudosindicalista do SENAVE, de nome Silvia Martínez, que acusou Lovera, em 7 de junho passado, de corrupção e nepotismo na instituição que dirige, através do ABC Color. Martínez é esposa de Roberto Cáceres, representante técnico de várias empresas agrícolas, entre elas a Agrosán, recentemente adquirida por 120 milhões de dólares pela Syngenta, outra multinacional, ambas sócias da UGP.

No dia seguinte, sexta-feira 8 de junho, a UGP publicou no [diário] ABC, em seis colunas: “12 razões para destituir Lovera”. Estes supostos argumentos foram apresentados ao vice-presidente da República, correligionário do ministro da Agricultura, o liberal Federico Franco, que neste momento desempenhava o papel de presidente do Paraguai, na ausência de Lugo, que viajava pela Ásia.

Na quinta-feira 15 do mês corrente, por ocasião de uma exposição anual organizada pelo Ministério da Agricultura e da Pecuária, o ministro Enzo Cardoso deixou escapar um comentário diante da imprensa sobre um suposto grupo de investidores da Índia, do setor de agroquímicos, que teria cancelado um projeto de investimento no Paraguai por suposta corrupção no SENAVE. Nunca esclareceu do que se tratava. Nessas horas daquele dia se registravam os acontecimentos trágicos de Curuguaty.

No marco da exposição preparada pelo citado ministério, a multinacional Monsanto apresentou outra variedade de algodão, duplamente transgênico: BT e RR, ou resistente ao Roundup, o herbicida fabricado e patenteado pela Monsanto. A pretensão da multinacional norte-americana era a inscrição no Paraguai de dita semente transgênica, assim como aconteceu na Argentina e em outros países do mundo.

Previamente a estes fatos, o diário ABC Color denunciou sistematicamente os supostos atos de corrupção da ministra da Saúde, Esperanza Martínez, e do ministro do Meio Ambiente, Oscar Rivas, dois funcionários que não deram decisões favoráveis à Monsanto.

A Monsanto faturou no ano passado 30 milhões de dólares, livre de impostos (porque não declara parte de sua renda) somente com os royalties pelo uso de sementes transgênicas de soja no Paraguai. A Monsanto também fatura com a venda de sementes transgênicas, de forma independente. Toda a soja cultivada no Paraguai é transgênica, numa extensão de cerca de 3 milhões de hectares, com uma produção em torno de 7 milhões de toneladas em 2010.

Por outro lado, a Câmara dos Deputados já aprovou o projeto de Lei da Biossegurança, que contempla criar uma agência de biossegurança no Ministério da Agricultura, com amplo poder para a aprovação do cultivo comercial de todas as sementes transgênicas, sejam de arroz, mandioca, algodão e algumas hortaliças. Este projeto de lei contempla a eliminação da atual Comissão de Biossegurança, que é um ente colegiado de funcionários técnicos do Estado paraguaio.

Enquanto transcorriam estes acontecimentos, a UGP vinha preparando um ato de protesto nacional contra o governo de Fernando Lugo no dia 25 de junho próximo. Trata-se de uma manifestação com máquinas agrícolas, fechando estradas em distintos pontos do país. Uma das reivindicações do denominado “tratoraço” era a destituição de Miguel Lovera do SENAVE, assim como a liberação de todas as sementes transgênicas para seu cultivo comercial.

As conexões

A UGP é dirigida por Héctor Cristaldo, apoiado por outros apóstolos como Ramón Sánchez — que tem negócios no setor de agroquímicos –, entre outros agentes multinacionais do agronegócio. Cristaldo integra a equipe de várias empresas do Grupo Zuccolillo, cujo principal acionista é Aldo Zuccolillo, diretor proprietário do diário ABC Color desde sua fundação, sob o regime de Stroessner, em 1967. Zuccolillo é dirigente da Sociedade Interamericana de Imprensa, SIP. O Grupo Zuccolillo é o principal sócio no Paraguai da Cargill, uma das maiores multinacionais de agronegócio do mundo. A sociedade construiu um dos mais importantes portos graneleiros do Paraguai, denominado Porto União, a 500 metros da tomada de água da empresa de distribuição de água do estado paraguaio, no rio Paraguai, sem qualquer restrição.

As multinacionais do agronegócio do Paraguai praticamente não pagam impostos, mediante a proteção férrea que conseguem no Congresso, dominado pela direita. A carga tributária do Paraguai é de apenas 13% do PIB. Sessenta por cento do imposto arrecadado pelo estado paraguaio é o IVA, Imposto sobre Valor Agregado. Os latifundiários não pagam impostos. O imposto imobiliário representa apenas 0,04% da arrecadação tributária, cerca de 5 milhões de dólares, segundo um estudo do Banco Mundial, ainda que o agronegócio produza cerca de 30% do PIB, que representam cerca de 6 bilhões de dólares anuais. O Paraguai é um dos países mais desiguais do mundo. Oitenta e cinco por cento das terras, cerca de 30 milhões de hectares, estão nas mãos de 2% dos proprietários, que se dedicam à produção meramemnte extrativista ou, no pior dos casos, à especulação com a terra.

A maioria destes oligarcas possui mansões em Punta del Este ou Miami e tem relações estreitas com as multinacionais do setor financeiro, que guardam seus bens ilegais em paraísos fiscais ou facilitam investimento no estrangeiro. Todos eles, de alguma maneira, estão ligados ao agronegócio e dominam o espectro político nacional, com ampla influência sobre o poder do estado. Ali reina a UGP, apoiada pela multinacionais do setor financeiro e do agronegócio.

Os fatos de Curuguaty

Curuguaty é uma cidade que fica na região oriental do Paraguai, a 200 quilômetros de Assunção, capital do país. A alguns quilômetros de Curuguaty se encontra a fazenda Morombí, propriedade de Blas Riquelme, que tem mais de 70 mil hectares na região. Riquelme vem das entranhas da ditadura Stroessner (1954-1989), sob cujo regime juntou uma imensa fortuna, aliado ao general Andrés Rodríguez, que executou o golpe de estado que derrubou o ditador. Riquelme, que foi presidente do Partido Colorado por muitos anos e senador da República, dono de vários supermercados e frigoríficos, se apropriou usando subterfúgios legais de uma área de 2 mil hectares que pertence ao estado paraguaio.

Esta área foi ocupada por camponeses sem terra que vinham solicitando ao governo de Fernando Lugo sua distribuição. Um juiz e uma promotora ordenaram o desalojamento dos camponeses, através do Grupo Especial de Operações, GEO, da Polícia Nacional, cujos membros de elite foram, em sua maioria, treinados na Colômbia, durante o governo Uribe, para a luta contrainsurgente.

Apenas uma sabotagem interna, dentro dos quadros de inteligência da polícia, com cumplicidade da Promotoria, explica a emboscada na qual morreram 6 policiais. Não se compreende como policiais altamente treinados, no marco do Plano Colômbia, puderam cair tão facilmente numa emboscada de camponeses, como quer fazer crer a imprensa dominada por oligarcas. Os colegas dos mortos reagiram e atacaram os camponeses, matando 11, com outros 50 feridos. Entre os policiais mortos estava o chefe do GEO, comissário Erven Lovera, irmão do tenente-coronel Alcides Lovera, chefe de segurança do presidente Lugo.

O plano consiste em criminalizar, promover o ódio extremo contra todas as organizações de camponeses, para empurrá-los a deixar o campo exclusivamente para o agronegócio. É um processo lento, doloroso, de retirada do campo paraguaio, que atenta diretamente contra a soberania alimentar, a cultura alimentar do povo paraguaio, por serem os camponeses os produtores e recriadores ancestrais de toda a cultura guaraní.

Tanto a Promotoria quanto o Ministério Público, o Poder Judiciário e a Polícia Nacional, assim como diversos organismos do estado paraguaio, estão sob controle externo através de convênios de cooperação com a USAID, a agência de cooperação dos Estados Unidos.

O assassinato do irmão do chefe de segurança do presidente da República foi uma mensagem direta a Fernando Lugo, cuja cabeça seria o próximo objetivo, provavelmente através de um juízo político, que em resposta endireitou ainda mais seu governo, tentando acalmar os oligarcas.  O que aconteceu em Curuguaty derrubou o ministro do Interior Carlos Filizzola, sendo nomeado Rubén Candia Amarilla, proveniente do partido opositor Colorado, ao qual Lugo derrotou nas urnas em 2008 depois de 60 anos de ditadura, que incluiram a tirania de Alfredo Stroessner.

Candia foi ministro da Justiça do governo colorado de Nicanor Duarte (2003-2008) e desempenhou o papel de procurador-geral do Estado até o ano passado, quando foi substituído por outro colorado, Javier Díaz Verón, decisão do próprio Lugo.

Candia é acusado de ter promovido a repressão a dirigentes de organizações camponesas e movimentos populares. Sua nomeação para a Procuradoria Geral do Estado em 2005 foi aprovada pelo então embaixador dos Estados Unidos, John F. Keen. Candia foi responsável por um controle maior da USAID sobre o Ministério Público e foi acusado no início do governo Lugo de conspirar para afastar o presidente do poder.

Depois de assumir como ministro político de Lugo, o primeiro ato de Candia foi anunciar a eliminação do protocolo de diálogo com os camponeses que invadem propriedades. A mensagem é de que não haverá conversações, simplesmente a aplicação da lei, o que significa empregar a força policial repressiva sem contemplação.

Dois dias depois de Candia Amarilla assumir, os membros da UGP, encabeçados por Héctor Cristaldo, visitaram o ministro do Interior, a quem solicitaram garantias para a realização do chamado tratoraço. Na ocasião, Cristaldo disse que a manifestação poderia ser suspensa em caso de novos sinais favoráveis à UGP (leia-se a liberação das sementes transgênicas da Monsanto, a destituição de Lovera e de outros ministros, entre outras vantagens para o grande capital e os oligarcas), endireitando ainda mais o governo Lugo.

Cristaldo é pré-candidato a deputado nas eleições de 2013 por um movimento interno do Partido Colorado, liderado por Horacio Cartes, um empresário investigado em passado recente pelos Estados Unidos por lavagem de dinheiro e narcotráfico, segundo o próprio jornal ABC Color, que publicou vários telegramas do Departamento de Estado, divulgados pelo WikiLeaks, entre eles um que aludia diretamente a Cartes, em 15 de novembro de 2011.

Julgamento político de Lugo

Nas últimas horas, enquanto eu redigia esta crônica, a UGP, alguns integrantes do Partido Colorado e os próprios integrantes do Partido Liberal Radical Autêntico, PLRA, dirigido pelo senador Blas Llano e aliado do governo, ameaçavam com um julgamento político de Fernando Lugo para destituí-lo da presidência da República do Paraguai.

Lugo depende do humor dos colorados para seguir como presidente da República, assim como de seus aliados liberais, que agora o ameaçam com julgamento político, com certeza buscando mais espaço no poder (dinheiro) em troca de paz. O Partido Colorado, aliado a outros partidos minoritários da oposição, tem a maioria necessária para destituir o presidente de suas funções.

Talvez esperem pelos “sinais favoráveis” de Lugo à UGP — em nome da Monsanto, da pátria financeira e dos oligarcas. Caso contrário, passariam à fase seguinte dos planos de controle deste governo, que nasceu progressista e lentamente terminou conservador, controlado por poderes de fato.

Entre alguns de seus feitos, Lugo é responsável pela aprovação da Lei Antiterrorista, promovida pelos Estados Unidos em todo o mundo depois do 11 de setembro. Autorizou a implementação da Iniciativa Zona Norte, que consiste na instalação e deslocamento de tropas e civis norte-americanos no norte da Região Oriental — no nariz do Brasil — supostamente para desenvolver atividades em favor de comunidades camponesas.

A Frente Guazú, coalizão de esquerda que apoia Lugo, não conseguiu unificar seu discurso e seus integrantes perderam a capacidade de análise do poder real, caindo em jogos eleitorais imediatistas. Infiltrados pela USAID, muitos integrantes da Frente Guazú participam da administração do Estado e sucumbem ante o canto de sereia do consumismo galopante, do neoliberalismo. Corrompem-se até o tutano e na prática se convertem em copiadores vaidosos dos novos ricos que integravam recentes governos do direitista Partido Colorado.

Curuguaty também encerra uma mensagem para a região, especialmente para o Brasil, em cuja fronteira se produziram os fatos sangrentos, claramente dirigidos pelos senhores da guerra, cujos teatros de operação se pode observar no Iraque, Líbia, Afeganistão e agora na Síria. O Brasil está construindo hegemonia mundial junto com a Rússia, Índia e China, denominados conjuntamente de BRICs. No entanto, os Estados Unidos não cedem seu poder de persuasão ao gigante da América do Sul. Já está em marcha o novo eixo comercial integrado por México, Panamá, Colômbia, Peru e Chile. É um muro de contenção aos desejos expansionistas do Brasil em direção ao Pacífico.

Enquanto isso, Washington segue sua ofensiva diplomática em Brasília, tratando de convencer o governo de Dilma Rousseff a estreitar vínculos comerciais, tecnológicos e militares. Entretanto, a Quarta Frota dos Estados Unidos, reativada há alguns anos depois de ficar fora de serviço depois da Segunda Guerra Mundial, vigia todo o Atlântico Sul, representando outro cerco ao Brasil, se o país não aceitar a persuasão diplomática.

O Paraguai está em disputa entre ambos países hegemônicos, dominado amplamente agora pelos Estados Unidos. Por isso, Curuguaty é também um pequeno sinal para o Brasil, no sentido de que o Paraguai pode se converter em um estopim que pode comprometer o desenvolvimento do sudoeste do Brasil.

Mas, acima de tudo, os mortos de Curuguaty são vítimas do capital, do grande capital, do extrativismo espoliador, que assola o Planeta e destrói a vida em todos os rincões da Terra em nome da civilização e do desenvolvimento. Por sorte, os povos do mundo também vão dando respostas a estes sinais de morte, com sinais de resistência, de dignidade e de respeito a todas as formas de vida do Planeta.

(*) Jornalista, investigador e analista. Membro da Sociedade de Economia Política do Paraguai, SEPPY. Autor do livro Os Herdeiros de Stroessner.

Veja também:

Stédile: Agronegócio tem mais poder econômico que o governo federal brasileiro

Gilberto Maringoni: Só Washington não vacilou com o golpe paraguaio



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


65 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Algodão transgênico é liberado com base em relatório da Monsanto « Viomundo – O que você não vê na mídia

17 de agosto de 2012 às 16h35

[…] Idilio Grimaldi: Com apoio da mídia, Paraguai inaugura o “golpe transgênico” […]

Responder

Golpe que derrubou Lugo leva MERCOSUL E UNASUL a suspenderem o Paraguai | Blog do Marcelo Sereno

25 de junho de 2012 às 15h36

[…] Leiam na seção Clipping, aqui no blog, a íntegra da nota do presidente de El Salvador, Maurício Funes. Para entender melhor as raízes do golpismo paraguaio, sugiro a leitura do texto de Idilio Grimaldi: Com apoio da mídia, Paraguai inaugura o “golpe transgênico” . […]

Responder

O que os Estados Unidos podem ganhar com o golpe no Paraguai

25 de junho de 2012 às 12h04

[…] Idilio Grimaldi: Um golpe transgênico […]

Responder

Dr. Rosinha: Paraguai, golpe parlamentar orquestrado « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de junho de 2012 às 22h55

[…] Idilio Grimaldi: Com apoio da mídia, Paraguai inaugura o “golpe transgênico” […]

Responder

Beto Lima

24 de junho de 2012 às 22h29

Azenha: neste site um material interessante:
http://blog.kanitz.com.br/
O que o FHC não fez, escrito por um dos mais respeitados administradores deste país.

Abrç

Responder

Walter Cesar

24 de junho de 2012 às 21h54

E o Paraguai contribuindo com o Brasil no julgamento do “Mensalão”, sem execução sumária. Com provas, né? No tempo correto, né?

Responder

Mancini

24 de junho de 2012 às 21h37

Azenha, estamos de plantão com a cobertura sobre o golpe no Paraguai desde 19/06. Uma dos últimos links postados é a convocação por parte de Lugo de seu gabinete para amanhã. Resistira! http://refazenda2010.blogspot.com . Muito obrigado!

Responder

marcosomag

24 de junho de 2012 às 21h14

Acho que a Dilma está muita cautelosa. O que deveria estar fazendo é “azeitando a máquina” do Exército e da Polícia Federal para garantir o sucesso de um muito necessário fechamento de fronteiras conjunto de Brasil, Argentina e Bolívia ao Paraguai. Deve dar atenção especial ao Paraná, pois este é governado por um político de direita, Beto Richa, que certamente tem simpatia pelos golpistas. Inclusive, os três governantes democráticos que fazem fronteiras com o Paraguai devem tornar seus países “zonas de exclusão aérea” para aeronaves saindo ou com destino ao Paraguai. Excetuando a intervenção militar, a reação dos governos democratas da região ao Golpe paraguaio deve ser dura e exemplar!

Responder

mfs

24 de junho de 2012 às 21h09

O artigo é bastante informativo. Dá detalhes factuais além do tradicional da cansativa fórmula “a burguesia, o imperialismo e setores reacionários” etc.
Mas tem algo que não fecha, que não parece explicado realmente.
Por que diabos elegeram Lugo e, ao mesmo tempo, votaram num Congresso de maioria tsunâmica de direita?
Aqui não vai nenhuma ironia, posto que também estou furioso com o golpe.
Mas aguardo melhores explicações políticas, haja vista minha ignorância a esse respeito.
No Brasil, também não tem sido tão diferente assim no quesito eleitoral.
O PT ganhou 3 eleições presidenciais seguidas mas não ocupa nem 20% do Congresso Nacional. Nem ganhou nos três estados de maior PIB do país.
De novo, não é ironia, posto que sou eleitor do PT de longa data.

Responder

    Étore

    24 de junho de 2012 às 21h51

    No Paraguai eu não sei o porque da discrepância entre as representações mas no Brasil quem ganhou as últimas 3 eleições foi o Lula, não o PT nem a Dilma.
    Os votos no legislativo para o PT foram os mesmos para o executivo, a diferença foi o restante que votou no Lula, não no PT.

    mfs

    25 de junho de 2012 às 00h07

    É, pois é, mas isso não é exatamente uma explicação mas a constatação de um fato.
    Para não ficarmos no raciocínio circular: por que diabos as pessoas votaram em Lula e ao mesmo tempo votaram em opositores a Lula no Congresso e nos governos estaduais?
    Claro que isso não é novo. No passado, não votaram também Jan-Jan?

    xacal

    25 de junho de 2012 às 08h34

    Aí está o risco de comparar ameixas(Paraguai) com melancias(Brasil).

    Por mais que reconheçamos que Lula, e agora a Dilma, sejam muito maiores que o PT(aliás, um traço da política latino-americana, e não só nosso), é preciso entender que o PT, ainda que distante de sua estrutura orgânico-ideológica inicial(talvez por isto, mais “confiável” e “estável” para ser o partido que chegou ao poder, com as alianças necessárias)é um dos maiores partidos do mundo, com milhares de filiados, 500 prefeitos, e nem sem quantos vereadores, deputados estaduais e uma forte representação no parlamento.

    O Paraguai, por sua vez, como já foi muito bem escrito por aqui, em outro post, carrega uma herança de um bipartidarismo que revezava a elite no poder, com histórico autoritário bem mais amplo e arraigado que o nosso, pouca ou nenhuma maturidade institucional e um estamento jurídico que só reforça a anemia do Estado frente aos donos deste poder econômico. Sem mencionarmos a fragilidade e divisão da sociedade civil organizada.

    Por isto a identidade popular com Lugo não se reflete nas votações parlamentares, até porque sabemos bem que neste ambiente, a impotência estatal para fazer frente ao assédio clientelista das forças conservadoras é fator preponderante para o resultado das eleições.

    Quando Lula foi eleito, o PT já era uma das três forças parlamentares, e nunca deixou de ampliar este tamanho desde 1982.

lucas

24 de junho de 2012 às 20h24 Responder

    Nelson

    27 de junho de 2012 às 11h21

    Para sermos mais exatos: em 2009, os EUA já arquitetavam o golpe.

Regina Braga

24 de junho de 2012 às 20h06

Na verdade o golpe do Paraguai foi um golpe contra a Unasul…que deve ser respondido pelo bloco.Mas a resistência já está acontecendo.Grupos simpatizantes do Lugo, tomaram um rede de TV.A Cia vai ter de se esforçar mais.Brasil tbém chama embaixador.

Responder

Elias

24 de junho de 2012 às 19h52

Desde ontem e até este momento a TV Pública Paraguay transmite, ininterruptamente, Micrófono Abierto, programa de TV anti-golpe de estado ocorrido em Assunção. Cidadãs e cidadãos comuns soltam suas vozes do fundo coração, um verdadeiro espetáculo de indignação de um povo que não aceita o afastamento de seu presidente legítimo Fenando Lugo. “Lugo, Amigo! O povo está contigo!”, “Ditadura nunca mais!” ouve-se a cada final de um discurso.

http://www.desdeparaguay.com/tvpublica

Responder

Gerson Carneiro

24 de junho de 2012 às 18h20

O PIG tá trabalhando dobrado para plantar a legalidade do golpe do Paraguai.

Responder

    lulipe

    24 de junho de 2012 às 19h46

    A legalidade já está prevista na Constituição do país!!!

    marcosomag

    24 de junho de 2012 às 21h08

    Constituição democrática deve prever amplo Direito de defesa. Senão, ela própria é inválida. O que houve no Paraguai foi um Golpe de Estado com “coreografia”, a chicana jurídica dos golpistas. O que os paraguaios devem fazer é ignorar quaisquer atos do governo golpista. Desobediência civil, até que os golpistas caiam!

    RicardãoCarioca

    25 de junho de 2012 às 11h47

    lulipe, até a Míriam Leitão, talvez a sua formadora de opinião (a minha, sou eu quem a formo, obrigado) concordou hoje que leis não são garantia de democracia se elas não forem justas. Sem o devido processo legal, sem a ampla defesa e sem presuncão de inocência, é golpe. Gostaria de ter 2 horas para se defender de um crime que não cometeu, com todos os acusadores e juíz já pré-determinados a te prender nas próximas
    horas? Seja conservador, que é direito seu, mas não fuja da realidade apenas para referendar as barbárias que os grupos políticos, dos quais você admira, cometem.

Jamilo Junior

24 de junho de 2012 às 18h04

Enquanto isso… aqui no Brasil apressam o julgamento do tal “mensalão”… sei não, isso tá com cara de ser a porta do golpe por aqui!!!!
Todo cuidado é pouco!!!!

Responder

    lulipe

    24 de junho de 2012 às 18h48

    o mensalão é a porta da cadeia para os mensaleiros!!!

    Geysa Guimarães

    24 de junho de 2012 às 23h57

    E a privataria para os privateiros. Esqueceu?

    xacal

    25 de junho de 2012 às 09h24

    Incluindo aí o Eduardinho Azeredo das alterosas?

ODEMAR LEOTTI

24 de junho de 2012 às 17h22

VEJAM video sobre a verdadeira história da tragégia ce Curuguaty Paraguai
http://youtu.be/t1aVAG5U0XA
La historia no oficial de la matanza en Curuguaty

Responder

Yarus

24 de junho de 2012 às 17h19

Chávez botando pra lascar nos golpistas.

“Chávez corta provisión de petróleo

El primer mandatario, Hugo Chávez, informó que ordenó el retiro del embajador de Venezuela en Paraguay, José Francisco Javier Arrué, tras la destitución de Fernando Lugo, también anunció que suspendió el envío de petróleo al país…”
http://www.ultimahora.com/notas/539652-Chavez-corta-provision-de-petroleo

Responder

Acadêmicos denunciam ajuda dos Estados Unidos à repressão em Honduras « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de junho de 2012 às 16h17

[…] Idilio Grimaldi: No Paraguai, um golpe “transgênico” […]

Responder

assalariado.

24 de junho de 2012 às 16h11

Depois de ler este post do Idílio Grimaldi, os comentários no geral em qual destaco, o do ZéPovinho, chego a conclusão que, ou a esquerda se volta para a suas bases sociais para conscientizar e organiza- la politicamente ou seremos eternamente laboratórios, bodes expiatórios do capital para sucessivos golpes de Estado por partes dos imperialismo capitalista, sob a regência do G7. O Estado burgues, seu braço ideológico dentro de nossos lares, também conhecido como PIG (Partido da Imprensa Golpista), são o centro irradiador das propagandas necessárias para plantar nos cérebros das massas o pensamento único para colher o senso comum, para golpear mais facilmente a democracia pretendida pelos de esquerda. Digo, a Sociedade Socialista.

As elites do capital, por sua vez, não querem em hipótese nenhuma que a ‘democracia’ burguesa vá para além dos portões ideológicos do capital. Ou seja, as colonias -(são e serão)-, eternamente prisioneiros da ditadura do capital imperialista e suas cercas, econômicas e jurídicas. Sim, neste post do Idílio observaram: Os agentes políticos e os golpistas sempre são os mesmos, os de dinheiro, que são os donos do capital, da cidade e do campo. É por isso que sempre pergunto: Afinal de contas quem corrompe a sociedade, são os ricos ou são os pobres?

Abraços Fraternos.

Responder

valdo

24 de junho de 2012 às 15h50

A gente reage enquanto é tempo. Depois dos vizinhos pisoteados, as flores arrancadas o cachorro morto, nao se pode mais contar com ninguem. Espero que a Presidenta Dilma, nao se acossada pelo medo. Medo é palavra que nao pode ser conjugada por nenhum do alto escalão. É necessario se assim for, fechar as fronteiras, seguir argentina, venezuela uruguais, e liquidar com as pretensões entreguistas e corruptas de elite paraguaia.E mais precisamos armar o nosso país , para proteger as riquezas nossas e dos vizinhos que assim precisarem. Nao dá para de novo aceitar a morte de lideres latinos, como foram varios e varios. De Getulio a Jango, passando por outros como Rosas no Paraguaia, a mando da Inglaterra a imperialista da época. Precisamos de uma TV publica, e de educação para salvar a America dos colonizadores. E a direita corrupta, inconpetente e entreguista tem que ser vigiada de perto.

Responder

Isidoro Guedes

24 de junho de 2012 às 15h27

Faltou pouco para o cineasta fracassado e colonista do do Jornal da Globo tecer loas ao golpe de Estado no Paraguai. Mas ficou claro que ele não considera o Brasil (de Lula e Dilma), a A Argentina (do casal Kirchner), o Equador (de Correa), a Bolívia (de Morales) e (principalmente) a Venezuela (de Chavez) como países democráticos. Considera-os governados por “populistas” (jargão da direita para desqualificar líderes de esquerda) e tiranetes. Talvez o cineasta fracassado esteja com saudade de grandes democratas, como Emílio Médici e os outros gorilas de 1964 que prendiam e arrebentavam para “preservar a democracia” e os direitos (de torturar, matar e trogloditar). Viva o Brasil (e também o Paraguay)? Viva nuestra Latinoamérica e seus ridículos tiranos cantados por Caetano, “o dúbio” (vixe!!!)

Responder

Jair Orichio Junior

24 de junho de 2012 às 15h15

Vamos difundir esse link, para ajudar os rebeldes Paraguaios. http://www.desdeparaguay.com/tvpublica.
Eles estão em vigília permanente

Responder

Paulo

24 de junho de 2012 às 14h33

Whisky do Paraguai; ACM do Paraguai; Conde Drácula da Paraguai; Golpe de Estado do Paraguai. É muita bagagem para tão pequenina republiqueta.

Responder

    Nelson

    24 de junho de 2012 às 23h01

    “Pequenina republiqueta”, meu caro Paulo?

    Infelizmente, numa ação vergonhosa, ignominiosa, nosso país ajudou a transformar a nação latino americana mais próspera do século 19 em uma “republiqueta”. Ajudamos, juntamente com argentinos e uruguaios, a serviço da potência dominante à época, a Grã-Bretanha, a destruir os sonhos de um povo que ousou iniciar a dura construção de seu caminho próprio.

    No magnífico livro “A Guerra do Paraguai-A grande tragédia rioplatense”, o historiador argentinos, Leon Pomer, escreve o seguinte, sobre a liberdade dos escravos no Paraguai sob a presidência de Francia, e nos dá idéia do avanço do país em relação aos direitos humanos, comparativamente a seus vizinhos:

    “Todo escravo, pelo simples fato de pisar em terra guarani, torna-se homem livre. Isto é realmente inquietante para os vizinhos escravagistas!”

    E o avanço quanto à educação é contado assim, por Pomer:

    “E, quanto à instrução pública, são eloqüentes as palavras que o sábio francês Gransir escreve de Itapuá, a Humboldt, no dia 10 de setembro de 1824: ‘quase todos os habitantes sabem ler e escrever ‘”.

    Fatos como esses que aponta León Pomer, nos dão uma mostra do tamanho do crime que cometemos no passado.

Nex

24 de junho de 2012 às 14h11

Agora, uma coisa é certa, se nosso governo parar com esse medo idiota dos outros paises acharem o Brasil um país imperialista e realmente falar e fazer o que pensa saindo assim de cima do muro, teriamos como evitar completamente este acesso dos EUA ao Paraguai, tendo em vista que o mesmo faz fornteira com Brasil, Argentina e Bolivia. Ou seja, se estes tres governos tiverem uma posição firme ( principalmente o Brasil, que dos 3 foi o mais moderado, poderia-se isolar completamente este país do resto do mundo, e pressionar para que o poder seja devolvido a Lugo, ou que pelo menos convocassem uma eleição…

Responder

    Bonifa

    24 de junho de 2012 às 18h40

    Esta bobagem está sendo espalhada pela imprensa entreguista do continente, com o fim precípuo de minar a influência benéfica do Brasil sobre as nações menores. Este foi o glope dos sonhos para interesses internacionais e para as elites antinacionais. Um golpe ao estilo Brzezinski, ou seja, quanto menos barulho, melhor. Quanto menos violência na usurpação do poder, melhor. Na verdade, o poder foi arrancado delicadamenhte das mãos do povo e devolvido ao patrimônio das famílias tradicionais. E o Paraguay sai da faixa da esperança para retomar seu velho e lúgubre destino.

Fabio

24 de junho de 2012 às 13h54

A Dilma não tem cacife e nem perfil de liderença nem nacional e nem mundial.
Isso explica o golpe praticamente no quintal brasileiro e a nossa incompetente rede de embaixadores não terem visto isso.
A falta de firmeza da sra Dilma em não vir publicamente e se por contra o golpe ja mostra isso, o medo que ela tem de enfrentar a direita golpista.

Responder

    João Heleno

    24 de junho de 2012 às 14h58

    Assino em baixo. Os EUA reconheceram o golpe depois de 45 minutos do ocorrido, da mesma forma, os países Sul Americanos deveriam ter dado uma resposta firme e imediata, no mesmo espaço de tempo. Agora é tarde, o fato já está consumado.
    Olha se os EUA tem coragem de tentar tirar o osso da boca do urso (tirar a Síria da influencia da Rússia), o que dizer da América Latina ?? Por outro lado, a conversa de quem não tem coragem é: vamos fazer uma comissão… vamos fazer uma reunião…

    Apavorado por Vírus e Bactérias

    24 de junho de 2012 às 18h40

    Grandes espertos políticos, o Paraguai é país soberano. Ninguém, a não ser através de guerra, intromete-se na vida daquele País. O que Dilma fizesse ou deixasse de fazer naquele momento não mudaria nada. O depois é o que importa. Não venham com falácias idiotas.

Bonifa

24 de junho de 2012 às 13h17

É óbvio que o Brasil negligenciou suas atribuições de liderança continental e seus deveres de interação constante e profunda com seus vizinhos. Deveríamos ter mantido os olhos fixos no que acontece nas vizinhanças nossas. Não faltaram alertas. Aqui mesmo no Viomundo por diversas vezes se avisou de que a diplomacia brasileira estava se afastando perigosamente de seus vizinhos. Ficaram a namorar Clintons e Merkels, quando a atenção maior deveria estar centrada no nosso Continente Sulamericano, nas vizinhanças do nosso país. Não temos o direito de negligenciar agora o perigo que tal golpe representa para os destinos continentais, suas aspirações democráticas em contraste com a brutalidade tradicional das forças oligárquicas, suas aspirações de independência em contraste com o tacão sugador das potências ocidentais. Agora não adianta chorar. Vamos em busca de cobrar o prejuízo com firmeza e inteligência.

Responder

    João Heleno

    24 de junho de 2012 às 14h35

    Concordo totalmente. Olha Bonifa, eu já perdi minhas esperanças. América Latina o ELDORADO do mundo… nunca chegamos a usufruir desse ELDORADO… Portugal/Espanha, Inglaterra, EUA… eles são os donos e nós somos apenas seus empregados, entramos com o trabalho e eles ficam com o lucro.

    Fiquei sabendo agora que a esposa do Ministro das Relações Exteriores é americana.
    Não é pelo fato de ser americana; poderia ser russa, chinesa, francesa, japonesa… num litígio envolvendo seu país e o país da sua mulher, seu coração vai ficar dividido, é óbvio !!!
    Foi escolher logo ele ? Não tinha mais ninguém ? É por conta de descuidos semelhantes a este, que o Mercosul perdeu o Paraguai e sua saída para o Oceano Pacífico.

Geysa Guimarães

24 de junho de 2012 às 12h34

Marcos:
Obrigada pela correção, comentar quando o sono já está chegando dá nisso.
Fast golpe, ou Fast impeachment, com certeza.

Responder

Julio Silveira

24 de junho de 2012 às 12h14

A Monsanto, de novo. Esse grupo foi o instigador do agricultores nacionais, quando em pleno governo Lula estimulou o contrabando de suas sementes pelo Rio Grande do Sul, vindas da Argentina. Fez do estado a porta de entrada para seus venenos no Brasil. Criaram um fato consumado, uso do produto indiscriminadamente sem uma base cientifica consolidada, apenas a versão da empresa, lucrativa, e do lucro mais imediato de seus cúmplices agricultores contrabandistas. Isso obrigou o governo Lula e consequentemente sua Ministra, Marina Silva, a terem que arcar com o ônus do desgaste em buscar uma legislação que acochambra-se a situação para não punir os parceiros do “Agronegócio”. Acho, em minha visão utópica e irrealista, que esse grupo deveria ser banido de países democráticos do hemisfério, pelo papel desestruturador que tem desempenhado ao estimular ilícitos constitucionais.

Responder

Henri

24 de junho de 2012 às 11h29

A diplomacia de Amorim era mais eficiente do que a de Patriota, aliás casado com uma estadunidense. Claro que isso não necessariamente quer dizer muito, porque a responsável é a presidente DILMA. Não reconhecer o governo significa romper com o Paraguai, e então deixá-lo nas mãos dos EUA, nossos inimigos genéticos. É melhor uma negociação diplomática com contrapartidas, ou daqui a pouco haverá uma base militar estadunidense na tríplice fronteira, espalhando terrorismo e guerra por aqui. E ainda tem brasileiro que vai comprar besteira em Miami, torrando o nosso dinheiro. Como os índios que trocavam pau-brasil por espelhinhos. PS: A Monsanto não foi a empresa que vendeu o agente laranja para jogar nos civis do Vietnam? Aqui em casa não entra transgênico, se a embalagem disser que é.

Responder

Bruno

24 de junho de 2012 às 11h26

Azenha, se correr o bicho pega se ficar o bicho come. Infelizmente os países latino americanos não tem unidade política. Os EUA finalmente conseguiram cortar a saida do Mercosul para o Pacífico. O lugar mais viável era pelo Paraguai até o Chile. O Mercosul bobeou, agora o Paraguai e o Chile estão sendo comandados pelos EUA.

Responder

Luís CPPrudente

24 de junho de 2012 às 10h55

E a nossa Ley de Medios, por onde andará?

É necessário fortalecer as instituições democráticas e regulamentar as ações dos órgãos de imprensa, para que estes sirvam à democracia e ao país e não aos interesses privados de mafiosos como as famiglia Marinho, famiglia Frias, famiglia Civita e outros mafiosos.

A nossa imprensa do PIG sempre foi vendida e traidora dos sentimentos nacionais, essa imprensa vendida do PIG sempre vai agir dessa forma, pois está nas suas características agir como bandidos e subalternos de interesses estrangeiros. Por isto a necessidade mais que urgente de regulamentar as ações da imprensa em geral.

Responder

Rogério Perdigão

24 de junho de 2012 às 10h48

Se não tivermos a BOMBA ATÔMICA, e uma grande integração com a Argentina, país que devemos considerar como irmão, e não ficar repetindo os bordões idiotas do Galvão Bueno, não se iludam:
não teremos respeito de ninguém, e ainda vamos ver muitas gerações engolindo esses golpes na América do Sul!
E se em 2014, um demotucano voltar, vai ser o caos nessa região toda, com a
direita partindo com TUDO (TUDO MESMO) pra cima dos argentinos.

Responder

Supimpa

24 de junho de 2012 às 08h34

Se o Lugo tivesse qualquer apoio popular, não teria apanhado de 74 a 1 e 34 a 4.
Judiciário promulgou a decisão.

Ruas vazias, nenhuma manifestação, ao que parece o povo aprovou.

Colocar a culpa na Monsanto é tão hilário como dizer que Cuba sofre com Bloqueio. Nada mais que velhos bordões populistas.

Os países com governos ditos “populares” estão se borrando de medo que algo assim possa ocorrer em seus países.

Imagina no Brasil o povo não mais dar a mínima pelota para populistas como Lula e seus aloprados.

Veja os acontecimentos na Bolívia com o levante da força policial.

Será culpa da Monsanto??

Ah não, pode-se usar bordões até mais antigos.

A culpa é do Capital. Haja santa paciência. Que coisa mais velhaca, que coisa mais Fidel Castro, decrépito e débil mental.

Responder

    Almir

    24 de junho de 2012 às 11h33

    O amigo por acaso já sabe acender um fogão a lenha? Pois trate de aprender, viu?

    Logo logo os neocolonizados daqui vão dar o golpe, e entregar todas as
    nossas reservas energéticas de mão beijada pros americanos.

    Não vão poupar nem o gás de cozinha.

    walter araujo

    24 de junho de 2012 às 11h48

    Supimpa, voce deve sofrer de idiotia aguda.
    Ou coisa pior.
    Vá se tratar e depois volte.

    Fabio

    24 de junho de 2012 às 13h55

    Amigo, sua ignorancia nos faz ficar em silencio ok

Fabio SP

24 de junho de 2012 às 08h28

Vão acabar jogando o Paraguai no colo dos americanos e da ALCA de vez…

Responder

Jose Mario HRP

24 de junho de 2012 às 08h26

A CIA está mais do que atuante aqui.
O povo que votou em Lula e Dilma deve se mobilizar pois o estragema do congreso paraguaio deve ser usado aqui caso a esquerda não se mobilize.
No post do saul Leblon fui acusado de ser um cara que ve muitos filmes de ação, ao dizer que a CIA e nossa midia fascista estão tramando o mesmo que tramaram no Paraguai!
Lá logo logo começa a construção de uma gigantesca base militar americana que receberá os F18,F22,F35, C130 e Galaxy C5!
Nosso território a feição dos piratas do Tio Sam!
Um bom conselho a Dilma, comprar armas na Rússia e principalmente SAMs, e aviões de interceptação!
Ou arrear logo a calça pros americans!

Responder

Gerson Carneiro

24 de junho de 2012 às 06h49

O PIG é o PIG em qualquer canto.

Aqui no Brasil temos todos os ingredientes dessa receita aí.

Responder

Yarus

24 de junho de 2012 às 01h34

NOTÍCIAS – Mercosul- Geral

25/9/2005 – Presença dos EUA no Paraguai é profunda

País, que pode ter base dos EUA, já é encrave militar dos americanos, que treinam forças paraguaias.
http://www.sindlab.org/noticia02.asp?noticia=1526

Responder

Jair Orichio Junior

24 de junho de 2012 às 01h33

Azenha, o povo tomou a TV Pública do Paraguai. Link aqui http://www.desdeparaguay.com/tvpublica e já passa de 01h29min e até o Lugo já falou na rua.

Responder

Maristela

24 de junho de 2012 às 00h42

Ao vivo, os protestos transmitidos pela TV pública do Paraguai, num programa especial de microfone aberto. Vale a pena ver.
http://www.desdeparaguay.com/tvpublica

Responder

O que os Estados Unidos podem ganhar com o golpe no Paraguai « Viomundo – O que você não vê na mídia

24 de junho de 2012 às 00h24

[…] Idilio Grimaldi: Um golpe transgênico […]

Responder

Paciente

23 de junho de 2012 às 22h25

Se o Mercosul e a Unasul não suspenderem o Paraguay de seus quadros pelo menos até a próxima eleição, é melhor dissolver esses organismos.

Detalhe: Lugo era o presidente rotativo da Unasul…

Só uma anta acredita que esse golpe não foi meticulosamente planejado!

Responder

    Geysa Guimarães

    24 de junho de 2012 às 00h27

    Meticulosamente planejado mas instantaneamente executado.
    Vi um comentário ótimo: depois do fast food, os EUA inventaram o golpe food.

    Marcos

    24 de junho de 2012 às 07h40

    Fast golpe.

    xacal

    24 de junho de 2012 às 10h35

    Infelizmente, caro Paciente, a conta não é simples assim…Lembremo-nos de nosso interesse estratégico em Itaipu.

    Boa parte da energia que move o sudeste do país(onde está a maioria das indústrias e da população)depende deste “acerto” bi-nacional.

    Logo, é bem mais fácil para Venezuela, Equador e até para Argentina adotarem uma suposta coerência enquanto deixam o “pepino” na nossa conta.

    O assédio do poder econômico sobre as agendas políticas das sociedades é um fato, quer seja no afundamento da Europa pelos mercados, quer seja na instalação de golpes em países menos maduros institucionalmente(AL e África), quer seja com alterações sensíveis na estrutura de direitos civis e garantias dentro dos países ricos, como o Patriotic Act e outras leis de exceção, editadas pelos países “campeões de democracia”.

    Não nos enganemos. Tais “exceções” não se destinam apenas a dar vazão ao medo do inimigo, mas antes a criar um consenso político ultra-conservador, que, principalmente, privilegia as soluções privadas em detrimento do Estado.

    A guerra do Iraque foi quase toda “terceirizada” pela Blackwater, Kellogs, Halliburton, etc.

    Naquele momento, a agenda corporativa importava bem mais que as decisões estratégicas em tempo de guerra ou dentro do país. Fato inédito até entre eles.

    ………………………………………..

    Este episódio grave é um bom ensinamento:

    Para o nosso governo Dilma, que não deve subestimar as chances de enquadrar e regular o poder do capital e da mídia sobre nosso processo democrático.

    Para os setores chamados “mais à esquerda”, uma vez que o isolamento, ou melhor, o afastamento destes setores dos governos eleitos democraticamente(e com agenda minimamente progressista)acende a possibilidade de fortalecimento das forças reacionárias.

    No Brasil, a nossa sorte(?)é que o espectro construído por Lula criou um “centro político” tão amplo que isolou os extremos(cripto-estalinistas de esquerda e os criptofascistas demo-tucanos, que estranhamente por aqui, ficaram reduzidos a cantilena “neo-udenista”).

    Mas há neste amplo “centro”, que é heterogêneo, um conjunto de forças importantes, aqui eu destaco boa parte da blogosfera dita “responsável”, e o que sobrou da sociedade civil(feministas, alguns sindicatos e movimentos de luta pela terra, dentre outros), uma tentação a empurrar o governo para mudanças mais traumáticas daquelas permitidas pela “realidade”, e quando não há recepção destas demandas, tendem a expor de forma mais agressiva que a própria oposição, como se o tempo histórico pudesse ser confundido com certeza histórica.

    Tenho dúvidas se a presidenta Dilma vai deixar de reconhecer o “novo” governo paraguaio.

    Tenho certeza, porém, que as medidas estratégicas que o governo vai adotar são bem mais significativas e muito menos visíveis que gostaríamos.

    Esse golpe paraguaio vai provocar uma mudança radical na agenda militar brasileira e um aprofundamento nos investimentos alternativos de geração energética, ganhando corpo a alternativa atômica, que atende a estas duas necessidades.

pperez

23 de junho de 2012 às 22h01

Já estou achando esquisito esta demora do Brasil em emitir sua opinião a respeito deste governo Paraguaio Golpista.
Samek,Patriota,Amorim e Lobão se reuniram a algumas horas em Brasilia para definir a posição do governo em especial quanto a energia gerada de Itaipu.
Espero que não afinem!

Responder

ZePovinho

23 de junho de 2012 às 21h39

http://opensanti.blogspot.com.br/2012/06/cia-e-mossad-unem-grupos-sionistas.html

18/06/2012
CIA e MOSSAD unem grupos sionistas, anticastristas, neonazistas e de extrema direita para realizarem manifestações na Rio+20 contra Ahmednejad e líderes progressistas da América Latina
Por ZÓBIA SKARTINNI e KATHARINA GARCIA. ANCOL
INTERPRESS: RJ\SP\ BR Em 146\12-p\ZS e JC: Reunião realizada um mês atrás em São Paulo, entre membros da comunidade judaica do Brasil, Argentina e EUA, além de agentes do MOSSAD (Serviço Secreto de Israel) e da CIA (organismo de Inteligência estadunidense) decidiram organizar protestos contra a presença do Presidente Ahmednejad, do Irã, durante a realização do evento, além de apoiar outros grupos que queiram organizar protestos contra a presença de lideres cubanos, venezuelanos, bolivianos, equatorianos, nicaraguenses e outros de esquerda aliados da causa palestina.
Este mesmo grupo, segundo foi descoberto, estaria encarregado, além de organizar protestos contra o líder iraniano, incentivar, através das redes sociais e com o apoio da mídia televisiva, jornais e revistas de grande circulação nacional, manifestações de protestos contra a presença também de líderes como Raul Castro, Rafael Correa, Cristina Fernandez Kristner, Evo Morales, Daniel Ortega e principalmente Hugo Chávez, se este decidir comparecer a Rio+20.
O principal grupo brasileiro que deve aparecer como coordenador dessas atividades de protestos contra Ahmednejad é o Centro Wiesenthal, organização judaica ortodoxa de direita e ainda os braços religioso e cultural de Israel no Brasil, no caso, a Confederação Israelita do Brasil (CONIB) e a Federação Israelita do Estado de São Paulo, além de grupos de extrema direita com fortes ligações com os serviços secreto de Israel e dos Estados Unidos.
Segundo informações obtidas por organizações populares, através de militantes que sem saber as razões das reuniões realizadas foram convidados, compareceram e tomaram conhecimento de alguns detalhes, depois passando ás suas direções, e alguns órgãos de segurança responsáveis pela Rio+20, já chegou ao conhecimento das autoridades que a CIA e o MOSSAD estariam por trás dessas ações, e que as mesmas estariam sendo financiadas pela Agência Central de Inteligência (EUA) e provavelmente a Embaixada dos Estados Unidos em Brasília e pelo MOSSAD, órgão da inteligência israelense, que é quem coordenará as ações através de seus agentes infiltrados e que ocupam cargos de direção nas entidades e ONGs que são criadas para este fim desenvolverem tais ações.
Uma das organizações recém-criada e que age através de agentes da CIA e do MOSSAD especificamente para estes casos e se infiltrarem nos movimentos sociais brasileiros simpáticos a causa palestina principalmente, é uma tal Frente pela Liberdade do Irã, composta apenas por sete pessoas, dentre eles dois agentes do MOSSAD, dois a serviço da CIA e três das entidades judaicas, sendo uma do Brasil, um dos EUA e outra representando as entidades do restante da América Latina.
Na reunião que decidiu pela “criação” da FLI, Frente de Libertação do Irã, ficou decidido que uma manifestação deve acontecer, domingo próximo, 17 de junho, as 11h, na Praça dos Arcos (final da Av. Angélica), Ato Público contra a presença de Mahmoud Ahmadinejad na Rio + 20.
Com um orçamento de quase hum milhão de reais, supostamente liberados pela CIA para esse tipo de manifestação, os grupos de extrema direita tentam envolver organizações e grupos populares assim como membros dos movimentos negro, dos homossexuais, professores universitários, advogados, mulheres, além das comunidades Bahai e evangélica, militantes de direitos humanos e ambientalistas dentre outras, buscando dá certa legitimidade popular, sem que tais grupos sociais venham a saber, que estão agindo a serviço da CIA e do MOSSAD.
Da mesma forma setores da direita, presentes a Rio +20 e ligados a grupos empresariais de direita, numa aliança “estratégica” com o movimento sionista brasileiro promoverá outra passeata na Praia de Ipanema, no posto 8 ( em frente à Rua Rainha Elizabeth), em direção ao Jardim de Alá, também dia 17, domingo.
Vários grupos de extrema-direita no mundo, financiados pelos Estados Unidos através do Departamento de Estado, do Pentágono e da CIA, ou as vezes diretamente pela Casa Branca, como o Grupo de Miami, que financiam o terrorismo contra Cuba, e outros com estreitas ligações com a oposição venezuelana do candidato oposicionista a Hugo Chávez, também estão se articulando na Rio+20 para agirem contra os setores progressista que devem ser hegemônicos na Cúpula dos Povos e dominarem os debates políticos.
Os recursos liberados pelos Estados Unidos para financiar tais operações será para cobrir despesas com transporte, hospedagem, alimentação e até diárias para pessoas contratadas exclusivamente para os referidos atos. Suspeita-se que até uma empresa de modelo e manequins, com homens e mulheres “ de bôa aparência e bonitos” foi contratada para fazer número e segurar faixas e cartazes nas manifestações.
Fonte: MIDIA SEM FRONTEIRAS – INTERPRESS – AGNOTMUNDO IMPDIPLOMACIA – ZS\KG – RJ\\SP-13062012.

Responder

Renato M

23 de junho de 2012 às 21h32

Obrigado Azenha pelo ótimo artigo, que por certo não aparecerá na mídia tradicional.O Brasil não pode reconher o Governo golpista paraguaio. Vamos seguir o exemplo da Argentina, Venezuela, Bolívia e Equador.

Responder

Deixe uma resposta para Bruno

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!