VIOMUNDO

Diário da Resistência


Paes debocha, secretário de Cabral ameaça e mídia manipula
Denúncias

Paes debocha, secretário de Cabral ameaça e mídia manipula


17/08/2013 - 23h55

Adilson Filho: A política neoliberal de Cabral e Paes está acabando com a Educação no Rio de Janeiro e levando os profissionais ao limite

por Conceição Lemes

O que acontece neste momento no Rio de Janeiro é duplamente histórico para a categoria. Há mais de 20 anos os professores do Município não entram em greve. E, pela primeira vez, essa greve é unificada com a dos professores do Estado.

“A política neoliberal do governador Sérgio Cabral e do prefeito Eduardo Paes [ambos do PMDB] está acabando com a Educação no Rio de Janeiro e levando os profissionais ao limite.  Clima de pânico e desconfiança geral se instaurou por aqui”, critica Adilson Filho, professor da Rede Estadual do Rio de Janeiro. “A reação do governo à greve é a pior possível. Enquanto o prefeito debocha da população com declarações estapafúrdias, o secretário estadual de Educação, de forma ditatorial, ameaça demitir os servidores.”

Uma das declarações estapafúrdias de Paes a que Adilson se refere foi em entrevista nessa sexta-feira 16  ao jornalista Ricardo Boechat, na rádio Bandnews. Perguntado se matricularia seus filhos numa escola da rede municipal, o prefeito afirmou :”por ter dinheiro para pagar uma escola particular não matricularia seus filhos numa escola pública municipal”.

Em nota o Sindicato Estadual de Profissionais do Rio de Janeiro (Sepe-RJ)  repudiou a declaração de  Paes e comunicou que a próxima assembleia será realizada na terça-feira 20, às 10, no Clube Municipal.

O Sepe repudia com vigor as declarações do prefeito Eduardo Paes. A categoria questiona tal tipo de afirmação já que o prefeito, ao dizer uma coisa dessas, na verdade, deixa transparecer que a escola pública municipal se destina apenas às parcelas menos favorecidas da população.

Para o sindicato, a resposta do prefeito é uma confirmação da parte do próprio governo às denúncias que a categoria, em greve desde o dia 8 de agosto, vem fazendo sobre as precárias condições de trabalho nas escolas e sobre a desvalorização profissional a que a categoria vem sendo submetida nos últimos anos.

Outro ponto que a categoria questiona são os ataques desferidos por Paes durante a entrevista ao Sepe, desqualificando a direção do sindicato acusando-a de partidária. O sindicato, ao contrário do que o prefeito diz é uma entidade democrática, plural e sua diretoria tem amplo domínio da pauta e das necessidades da categoria.

Os ataques contra o sindicato não passam de uma cortina de fumaça do governo municipal para encobrir os verdadeiros motivos da greve nas escolas. O prefeito também não disse o que a categoria quer saber: para onde vai o dinheiro da educação?

Na entrevista, o prefeito não soube responder por que existem funcionários na rede recebendo vencimentos abaixo do salário mínimo. Ele também não respondeu quando o âncora questionou o porquê de um município grande como o Rio de Janeiro pagar salários para os professores menores do que o de muitos municípios, como Duque de Caxias, Nova Iguaçu, e Itaboraí. Quando um professor enviou uma pergunta sobre o desvio de função, com profissionais lecionando disciplinas que não a sua, o prefeito Eduardo Paes condenou a prática da Secretaria Municipal de Educação (SME).

O Sepe também lamenta que, em pleno processo de negociação, o prefeito anuncie o corte do ponto, sem qualquer decisão judicial sobre a greve da rede municipal. A prefeitura não apresentou qualquer proposta de reajuste que não fosse a anunciada pela Casa Civil para todo o funcionalismo, que é de 6,75%.

O Sepe reafirma que a assembleia da categoria é quem avalia o resultado das negociações e quem define o final da greve. A próxima assembleia será realizada na terça feira (dia 20 de agosto), no Clube Municipal, às 10h, na qual serão discutidos os rumos da greve.

Já o secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, ameça exonerar os professores e concursados em estágio probatório, entre outras intimidações. Ao que tudo indica ele “quer apagar fogo com gasolina”, diz o Sepe/RJ em nota de repúdio aos ataques de Risolia:

É lamentável que, em pleno contexto de busca de democracia, com a população nas ruas, exigindo e clamando por seus direitos, o secretário se faz de surdo e de forma absolutamente autoritária, e diz que vai demitir os grevistas!

Não é a primeira vez que esse secretário age como se estivesse em pleno regime de exceção, numa ditadura militar! O secretário quer negar um direito de garantido na constituição a todo trabalhador, que é o direito de greve. O secretário também desconsidera e desconhece o Poder Judiciário e assume o papel de juiz ao afirmar que a greve é ilegal, sem que essa tenha sido julgada.

A greve é pública e foi reconhecida pelo próprio governo, na medida em que o vice-governador e o subsecretário de Educação chamaram o sindicato para uma audiência no dia seguinte a sua deflagração.

Esclarecemos que a SEEDUC [Secretaria Estadual de Educação] foi avisada, através de ofício, da paralisação e assembleia geral da categoria realizada no dia 8 de agosto, quando a greve foi votada. Assim como a rede estava em estado de greve desde abril.

O secretário de Educação não cumpriu sequer o que foi acordado na mesa de conciliação no Tribunal de Justiça. Não houve audiência no mês de julho e descontou os dias da greve de advertência, mesmo tendo sido votado o abono pela Assembleia Legislativa, bem como manteve o código 30 (falta não justificada).

Ao ameaçar de exoneração os professores e concursados em estágio probatório, o secretário desconhece a decisão acerca do assunto que diz:

“1. A simples circunstância de o servidor público estar em estágio probatório não é justificativa para a demissão com fundamento na sua participação em movimento grevista por período superior a trinta dias.

2. A ausência de regulamentação do direito de greve não transforma os dias de paralisação em movimento grevista e faltas injustificadas.” (RE 226966)

Queremos declarar que esse tipo de atitude autoritária não ajuda e aposta numa radicalização do movimento grevista! O secretário, ao que tudo indica, quer apagar fogo com gasolina.

Queremos deixar claro para os profissionais de educação que o Departamento Jurídico do Sepe/RJ está a postos e já entrará com ação preventiva para que não haja desconto e hoje, entrará com uma ação a partir do que saiu publicado na Imprensa, hoje (dia 16 de agosto), com ameaças do secretário de Educação.

Vamos juntos continuar a lutar pelo nossos direitos . Vamos juntos continuar a defender uma escola pública de qualidade. Nossa pauta não é apenas por reajuste salarial. É, principalmente, em defesa de uma escola pública que garanta aos nossos alunos uma formação plena!

Para piorar, os profissionais da educação ainda têm de enfrentar a mídia.

“Parte cooptada pelos governos do município e/ou Estado e outra parte, como O Globo, que tenta jogar a sociedade contra os profissionais da educação”, acusa Adilson.” Deixam, assim, em segundo plano, as nossas legítimas reivindicações e  destacam, como de costume, a piora do trânsito na cidade.”

Nessa sexta-feira 16, o jornal Extra, das Organizações Globo, se superou. E na capa:“Paes dá 35% de aumento para professores, mas eles rejeitam”.

Manchete totalmente inverídica. A necessidade de desqualificar o movimento da Educação é tamanha que o jornal comeu bola. Fez papel ridículo. Os professores, na verdade, pleiteiam 19!!!

A reação foi tamanha que o Extra foi forçado a publicar — como manchete na capa! — a correção na edição desse sábado.

Ou seja, os profissionais de Educação do Rio têm três frentes de batalha: Cabral, Paes e a mídia.

“Gostaríamos que a sociedade entendesse  que a nossa luta  não é só salarial”, arremata Adilson. “Mas contra essa política  que transformou salas de aula em linhas de produção, desumaniza a educação e promove  clima de competição que só prejudica os jovens alunos.”

[Gostou deste conteúdo? Ajude-nos a produzir mais, assinando o Viomundo]

Leia também:

Quem integrava a “quadrilha” que a polícia do Cabral arranjou

Paulo Moreira Leite: Os ministros do STF vão se render ao medo?

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



55 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jornal EXTRA "esconde" delação contra Eduardo Paes - BLOG DO LEO

07 de outubro de 2018 às 17h26

[…] Paes debocha, secretário de Cabral ameaça e mídia manipula […]

Responder

Alex

18 de outubro de 2013 às 10h04

Vocês já perceberam que absurdo a globo sempre que mostra os “salários” dos professores do rio mostra somente o salário do professor com “pós doutorado”.
Cara, se o sujeito tem pos doc, ele NÃO VAI DAR AULA NA REDE PÚBLICA DO RIO! vai dar aula em uma universidade!!!
Eles mostram este valor para dizer que um professor ganha uma fortuna… quero ver mostrar quanto ganha um professor com graduação , que é 90% dos professores!

Responder

Guilherme de Alcantara: Resposta a O Globo sobre greve no Rio - Viomundo - O que você não vê na mídia

04 de setembro de 2013 às 18h47

[…] Paes debocha, secretário de Cabral ameaça e mídia manipula […]

Responder

vera lucia

04 de setembro de 2013 às 13h10

O governador e seu capataz Risolia, não estão preocupados com a educação. O que eles querem é aparecer, utilizando essa forma ditadora, suja e desonesta. Para isso, oprime o professor tirando-lhe a liberdade e a alegria de ensinar verdadeiramente. Como também, ameaça de exoneração os diretores que discordam da políticalha nojenta que ele implantou nas escolas. A todo momento, o capataz Risolia manda que a direção da escola envie professores para assistirem falsas palestras que na realidade, são “lições” passadas pelos “soldados”das coordenadorias. As ameaças implícitas fazem parte das “Palestras”.

Responder

vera lucia

04 de setembro de 2013 às 12h56

Cabral e Paes são pessoas malignas, ditadoras e manipuladoras. Estão sempre copiando um do outro, as formas nojentas de perverter a Educação.
Cabral utiliza o seu “capataz” Risolia, para “esmagar” os professores de todas as formas. Assim, eles tiram a liberdade e a autenticidade do ensino e manipulam as escolas e os diretores com “Projetos” politiqueiros e inúteis, que não auxiliam o aluno em nada e ainda, atrapalham as aulas.
As direções das escolas perderam a autonomia e se discordares desses ditadores, são exoneradas.
Os canalhas estão sempre obrigando os diretores a mandarem professores para “palestras” feitas com “paus mandados” das coordenadorias, para que os professores “aprendam a “rezar pela cartilha perversa do governador e de seu “capataz” Risolia.

Responder

sonia brito

20 de agosto de 2013 às 22h56

Professor serve até para alfabetizar corruptos como Sérgio Cabral

Responder

sonia brito

20 de agosto de 2013 às 22h55

O pior é que esses políticos corruptos foram alfabetizados por nós professores. Será que esses bichos esqueceram disso???

Responder

Gilberto Silva

20 de agosto de 2013 às 18h12

Sugestão :
Porque o viomundo não encabeça um abaixo assinado pedindo uma lei que :
Obriga todo politico em exercicio de mandato , tenha que obrigatoriamente matricular seus filhos em escolas publicas e não possa ter plano de saude particular.
Que tal um tema como este para os manifestantes trabalharem no 7 de setembro.

Responder

Eduardo

20 de agosto de 2013 às 11h09

O Eduardo Paes é velho conhecido! Já foi caixa de ressonância da Globo! É amigo e comparsa de Demostenes Tôrres com quem fêz dobradinha contra o PT. É da cozinha e pupilo de FHC! Nasceu, cresceu e se formou no neoliberalismo protagonizado pelo PSDB. Não é confiável! Tem personalidade péssima amplamente manifestada! É politico da pior espécie! Compara-se com Demóstenes Tôrres, Marconi Perilo, Eduardo Azeredo,José Roberto Arruda e outras especies que sobrevivem do submundo da hipocrisia, dos cofres públicos e da desavergonhada submissão a organizações que exploram o humilde povo brasileiro! Merece não ser esquecido pela historia e pelo povo como ser inútil! Agora o povo do Rio de Janeiro tem que resolver isso no voto! Não serve! Põe pra fora!

Responder

Freixo: O Rio como cidade-laboratório da rebeldia - Viomundo - O que você não vê na mídia

20 de agosto de 2013 às 05h50

[…] Greve de professores no Rio de Janeiro: Paes debocha, secretário de Cabral ameaça, mídia manipula […]

Responder

RIcardo Munhoz

19 de agosto de 2013 às 22h45

Se um gestor público, mais precisamente um Prefeito faz uma afirmação como esta, o que significa isto? Prevaricação. Daí como gestor público ineficaz e incompetente para com a educação, improbidade administrativa, consequentemente impossibilitado de continuar à frente do executivo municipal, ou seja impeachment, pensem nisso….

Responder

Lando Carlos

19 de agosto de 2013 às 14h14

Logo no início deste texto percebemos numa única palavra a razão de ser do Poder Público, fazer políticas públicas que favoreçam ao melhor funcionamento para todos, do conjunto da sociedade. Ou seja é a política que determina as transformações em todos os meios – ao menos no Estado de Direito. Quem não faz ou constrói políticas públicas, procurando melhorar as áreas de atuação do Estado, está deixando de cumprir sua obrigação. Não conheço a real situação da educação no Estado e na cidade do Rio de Janeiro, mas não vejo nenhum desrespeito por parte do prefeito Eduardo Paes em declarar que não colocaria seus filhos nas escolas públicas, foi apenas sincero, poucos com condições de pagar fariam diferente. Quanto aos professores, são também responsáveis por essa situação na qual se encontra a educação. A falta de engajamento na defesa da função de professor é uma das responsáveis pelo desmonte da escola pública e do desprestígio desta tão importante profissão – que não tem sido aviltada “nos últimos anos” apenas -, mas ao longo de décadas. Pais e mães quando não se importam com a educação de seus filhos e não lutam pela melhoria da qualidade da educação, cobrando isso do Poder Público, contribuem para a destruição do futuro de seus filhos e de seus direitos. Ninguém dá nada a ninguém; é lutando que se conquista junto ao Poder Público o cumprimento dos seus direitos.

Responder

henrique de oliveira

19 de agosto de 2013 às 10h12

Em São Paulo a coisa é bem pior , só que a midia é tucana e não fala nada.

Responder

ted tarantula

19 de agosto de 2013 às 08h15

educação??? que educação??? para que?? para formar os médicos que odeiam o povo??? para formar advogados que esfolam o povo??? jornalistas que mentem e manipulam????? para que educação?????

Responder

    Valente

    19 de agosto de 2013 às 19h50

    Sem mudar completamente a estrutura econômica e legal brasileira não se muda nada. De nada adinata a tentativa de mudança pontual.

    Não existe o pontual em termos de status de um país civilizaado.OU é ou não é.

    Somos neo-coloniais. É a mesma estrutura dos tempos antigos. Os representantes do império estão em cada governo, seja federal ou estadual.Nomes de partidos nada significam. Leiam Caio Prado e outros e comparem. Exatamente igual.

    Quem são os representantes?
    Por que houve a privataria? Quem colaborou? O que aconteceu com uma promissora economia? Onde estamos agora?
    Há esperança para os trabalhadores?
    Qual a função do Congresso nisso tudo?
    O que faremos? O que devemos fazer? Por onde?

Pedro

19 de agosto de 2013 às 04h54

Educação não é prioridade no Brasil, e não será mesmo com os recursos dos royalties do pré-sal. A prioridade, no nosso país, é atender ao serviço da dívida publica: quase 50% do orçamento da União tem essa função. Sem falar das privatizações; daqui a pouco até o ar privatizam. E pobres dos reles mortais, que muito provavelmente perfazem mais 90% da população brasileira.

Responder

Nigro

18 de agosto de 2013 às 22h26

Triste reportagem. A manchete diz tudo. Que péssimo! Só resta lamentar.

Responder

Julio Silveira

18 de agosto de 2013 às 20h32

Essa pode ser a armação perfeita. Uma forma bem articulada, e pouco perceptível, de corrupção, em que os favores são vendidos, e pagos. A moeda de troca? os benefícios que um poderoso do poder publico pode conceder a um poderoso privado. A paga vai com recursos públicos, podendo ser também bem publico. Exemplos fervilham, a cidadania passa ao largo. Aos moldes do que já aconteceu em São Paulo, como aquele terreno que a Globo levou da prefeitura paulista as custas da cidadania paulista. Negócios privados, com a força do poder publico. Basta adotar o cara certo, o de ética duvidosa.

Responder

nadja

18 de agosto de 2013 às 20h18

Não estão nem ai para a educação do povo, o mais importante são os donos do capital, ou seja, as escolas particulares.Um dos estados mais rico, com arrecadação record, uma vez que o turismo do Rio é o maior do país,a educação básica, a ferramenta mais importante de uma nação é tratada como na época colonial. A resposta à altura será nas urnas.

Responder

Fernando Garcia

18 de agosto de 2013 às 19h15

Honestamente não conheço a situação atual dos professores da rede municipal do Rio. Me parece claro, no entanto, que problemas graves devem existir e um movimento grevista pode conquistar pontos interessantes à causa.
Me chama atenção, de todo modo, que a declaração do prefeito tenha sido considerada desrespeitosa. Me parece que ele, pelo contrário, foi sincero. Alguém aqui, de fato, caso tivesse recursos suficientes para optar por uma boa escola da rede privada, matricularia seus filhos na rede municipal de educação do local onde mora? Se a resposta for sim, gostaria de saber que cidade é esta. E, sinceramente, não digo isso por deboche, mas por sinceridade.

Responder

Daniel Faria

18 de agosto de 2013 às 18h43

Cabral e Paes nunca deixaram de ser tucanos. É difícil apoiar eles e se dizer de esquerda.

Responder

Fabio Passos

18 de agosto de 2013 às 18h41

filhotinhos da ditadura, que fizeram fortuna explorando um bem público, sonegando impostos e afrontando a constituição do Brasil, usam seu aparato midiático para atacar professores que dedicam a vida para educar a população enquanto recebem baixos salários…

O que merecem estes bilionários almofadinhas, que enriqueceram mamando nas tetas do Estado e ainda tem a pachorra de difamar os professores do Rio de Janeiro?

Responder

    Mário SF Alves

    18 de agosto de 2013 às 18h51

    E por falar nisso, mais um Criança Esperança vem aí. Bonzinhos eles, não?

    _____________________________________
    Espertos! Espertos demais. Isso, sim.

    Fabio Passos

    19 de agosto de 2013 às 00h18

    Estas oligarquias midiáticas são o que há de mais atrasado e corrupto no Brasil.

nigro

18 de agosto de 2013 às 18h18

Perguntem para Lula eDilma se eles se internariam no hospital publico de São Luis-MA, ao invés do Sirio. Hipocrisia criticar o governador-que apesar de ser mesmo arrogante e de relações suspeitas- desta vez falou pura e simplesmente a verdade.

Responder

    Mário SF Alves

    18 de agosto de 2013 às 18h55

    Verdade?!! Qual verdade, prezado Nigro?

    ccbregamim

    18 de agosto de 2013 às 19h56

    a verdade?
    que ele não investe em educação porque é para pobres?
    (e não para ele)
    e você aplaudindo..

    Nigro

    18 de agosto de 2013 às 22h29

    A verdade. ele tem dinheiro e nao precisa colocar o sfilhos lá, PORQUE É RUIM. Não sejamos hipócritas. Mesmo em muitos paises ricos e desenvolvidos, que te ótimos serviços públicos de educação, as escolas privadas são melhores.

Valcir Barsanulfo

18 de agosto de 2013 às 16h05

Não há nada mais anti povo do que os neo liberais.

Responder

lulipe

18 de agosto de 2013 às 15h52

Eles não são aliados do PT e da presidente Dilma????

Responder

    Marcio H Silva

    18 de agosto de 2013 às 17h55

    Todo governo tem sua P-36, lulipe…..

    Mário SF Alves

    18 de agosto de 2013 às 19h08

    E o que é pior, prezado Marcio, em se tratando de BraZil não tinha como ser diferente.
    _____________________________________
    E por falar nisso, a questão que se coloca é:

    Por que o PT, após mais de uma década à frente do GF, ainda não substituiu o moral, administrativa e politicamente FALIDO PSDB no papel de lacaio partidário predileto da pior elite do mundo? Enfim, qual a birra e qual a bronca da pior elite do mundo e seus representantes midiáticos em relação ao PT? Digo isso porque aos olhos de muitos dos que aqui se manifestam o PT já era; aos olhos de muitos dos que aqui se manifestam o PT pouco se difere do PSDB. Então, e aí? Substituirá ou não substituirá? Eis a questão.

Maria do Carmo freitas

18 de agosto de 2013 às 15h44

Barcarena não está nenhum pouco distante desta realidade e digo até que está bem pior. Aqui, o povo tão esperançoso e ansioso por mudança depositou mais de 63.000 votos em um candidato ( Antônio Carlos Vilaça) que prometeu fazer em bem pouco tempo um município modelo em todas as áreas, pois segundo ele, “Barcarena era um município riquíssimo que teria dinheiro até para emprestar a outros que precisassem”. Nota: Em apenas seis meses, hoje já há 7 meses ele diz que os cofres do município estão vazios, sem condiçoes de reajustar o salário de todos os professores, reajustou no mês passado apenas dos professores com formação no Ens.médio, os demais não tem direito. E ainda ameaça acabar com o nosso PCCR. E as nossas escolas em situação de abandono total.

Responder

    Mário SF Alves

    18 de agosto de 2013 às 19h13

    Mais um pro rol dos estelionatários eleitorais. A propósito, veja lá quantos empresários bancaram a candidatura milionária dele e/ou dos vereadores que compõem a Câmara local.
    ______________________
    Plutocracia. Isso sim.

m.a.p

18 de agosto de 2013 às 15h31

Caro jornalista
Quando a midia noticiou a ida da famigerada Cláudia Costin para ser a gestora da educação no Rio de Janeiro já senti que a cuíca ia roncar pois a figura é uma neoliberal de carteirinha.
Temo que oRio assista o mesmo desmonte sofrido pela gestão dos tucanos em Sampa.

Responder

markus

18 de agosto de 2013 às 14h12

apoio a greve……não sou professor………mas apoio, e esse papel que a mídia está fazendo é vergonhoso…por isso não compro mais jornal e vejo muito pouco o que passa na TV….e gente para de ficar com medo de fazer greve……..

Responder

Geraldo Azevedo

18 de agosto de 2013 às 13h47

Infelizmente, nada vai mudar.
Esperar o que desse pessoal que
“fugiu” do PSDB mas que continua
a rezar na mesma cartilha ??
Cabral e Paes, pertencem ao
mesmo “saco”.

Responder

    Mário SF Alves

    18 de agosto de 2013 às 19h16

    É o hábito do cachimbo. Dizem… põe a boca torta.

Cego

18 de agosto de 2013 às 13h12

A cada real investido na educação economiza-se vários reais na saúde, vários reais na segurança, vários reais no trânsito…
Qual o porquê do Cabral e do Paes em manter a população sem investimentos na educação? E depois reclamam que há vândalos.

Responder

Urbano

18 de agosto de 2013 às 13h07

A única coisa que se pode deduzir disso é que os três mosqueteiros se reagruparam. E com o crescimento socioeconômico dos últimos dez anos, estão bem mais fortalecidos.

Responder

renato

18 de agosto de 2013 às 13h01

Uma só observação, Sou Governador e no momento o meu governo tem recebido ataques até próximo a minha casa.
Alguem em sã consciência colocaria um filho na escola pública, algo livre por natureza.
Ele teria por pressuposto que colocar seguranças do estado nesta escola, daí a mídia reclamaria, centro da escola publica não há interesses de grupos por pessoas especiais.
Dentro de uma escola particular a segurança é responsabilidade da Escola.
Eu nesta situação não colocaria, meus filhos em risco, denotaria uma má gestão na minha própria família, não mereceria ser Governador.
E olha que eu sou de ESquerda… mas não sou burro.

Responder

    leprechaun

    18 de agosto de 2013 às 18h33

    tem certeza que vc é de esquerda?

    abolicionista

    19 de agosto de 2013 às 09h58

    Você está imaginando ser o Cabral ou apenas tentando inventar uma desculpa para justificar as atrocidades dele? Quando ele falou em segurança?

Emanuel Cancella

18 de agosto de 2013 às 12h21

PAES DECRETA GUERRA AOS PROFESSORES
Enquanto as agências reguladoras dão anuência de aumentos de produtos e serviços, sempre bem acima da inflação, para luz, transporte, pedágios, telefonia gás, etc, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, solta essa perola: “Prefeitura diz que chance de reajuste de professores é praticamente nenhuma.” Vale lembrar que os professores estão em greve e fazendo passeatas gigantes na zona sul do Rio. E a educação deveria ser prioridade de todos os governantes! Vale lembrar que os aumentos acima da inflação de produtos e serviços são concedidos por força de contratos, sem greve sem passeatas. E deplorável nessa história que o prefeito do Rio de Janeiro corrobore com esse tratamento dado aos professores! E o Rio é o tambor político do país, aliás, os movimentos de rua afloram isso, e contraditoriamente, o carioca elege um prefeito com essa sensibilidade politica. Parece que Paes segue os caminhos do amigo e parceiro Sérgio Cabral que, segundo a opinião pública, não se elege mais nem para sindico de prédio.
Fonte: Jornal o Dia de 16/8.

Responder

Messias Franca de Macedo

18 de agosto de 2013 às 11h41

AINDA SOBRE MANIPULAÇÃO MIDIÁTICA!

… Num desses programas de “debates” do PIG, a âncora tangenciou o TRENSALÃO do PSDB simplesmente afirmando: “Essas denúncias têm viés de politização!” Para em seguida a mesma jornalista do PIG reforçar a tese do Joaquim Barbosa: a de que o ministro Ricardo Lewandovski recorre a chicanas!: “o meu cafezinho é de que o julgamento do mensalão vai dar o que falar! Mesmo porque o ministro Ricardo Lewandovski não está defendendo o Bispo e sim o [José] Dirceu!”…

… Ah! Esse PIG!…

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

anac

18 de agosto de 2013 às 11h36

Deve ser salaria também. Pois os melhores valores tem que ser incentivados a permanecerem no oficio. Uma coisa Dilma tem razão. Ou se investe em educação ou estaremos fadados a permanecer no terceiro mundo. Saúde e Educação devem ser prioridade e os recursos do PRE-SAL deve ir integralmente para essas áreas. Os parlamentares principalmente do PMDB e alguns do PT são contra e conspiram contra no Congresso. O plebiscito é a forma do povo mostrar por vias legitimas e pacifica o que quer. Deixar bem claro. Manifestação e´importante mas se corre o risco e o perigo da manipulação por aqueles que não querem que NADA mude.

Responder

Fabio Passos

18 de agosto de 2013 às 11h20

A globo é asquerosa. Mentiu descaradamente para jogar a população contra os professores.
O Rio de Janeiro merece um governo que respeite os trabalhadores.

O PiG é inimigo do povo… e assim deve ser tratado.

Responder

Horacio V. Duarte

18 de agosto de 2013 às 11h20

Não entendo, para onde vão os tais royalties do petróleo? Não há qualquer diferença significativa entre o nivel de salários e eficiência da máquina pública no Rio e a de outros estados.

Horacio V. Duarte

Responder

von Narr

18 de agosto de 2013 às 10h42

Não é querer do vício virtude, mas cá para nós, qual jornalzão que é capaz de botar manchete corrigindo o erro?

Responder

    Mário SF Alves

    18 de agosto de 2013 às 19h22

    Em tais circunstâncias, prezado von Narr, diria que até o do Papa.

Euler

18 de agosto de 2013 às 10h41

Além da mídia e dos desgovernos Cabral e Paes, os educadores provavelmente terão que enfrentar também a “justiça” do estado do Rio, tal como aconteceu em Minas Gerais. Infelizmente, todos os poderes constituídos se unem para atacar os direitos dos professores, já que a Educação pública não é prioridade no Brasil, em nenhum estado. Na greve dos educadores de Minas em 2011, que durou 112 dias, tivemos o corte de salário durante meses seguidos, com os profissionais vivendo em estado de penúria. A mídia foi totalmente conivente com o governo do estado; a justiça, nem se fala; e finalmente, os deputados estaduais, carneirinhos do governo, votaram uma lei que burlava a Lei do Piso, destruindo a nossa carreira e congelando os nossos salários até 2016. Portanto, nossa solidariedade aos colegas do Rio de Janeiro, e que eles tenham força para envolver a sociedade e forçar os governos a tratarem a Educação e os educadores com respeito. Estes governos, que têm verba para a Copa e para obras faraônicas, mas nunca têm dinheiro para pagar um salário digno para os profissionais da Educação.

Responder

Fabio Nogueira

18 de agosto de 2013 às 10h03

“Ah, pelo amor de deus! Vocês estão sendo manipulados pela imprensa derrotista! Derrubar Cabral e Paes é um balão de ensaio para a derrubar a Presidenta Dilma!”

Pois é, alguém que vive fazendo burburinho no twitter não para de repetir isso! KKK… Tudo bem ouvir isso dele, que é um resquício do velho MR-8 e chamava Orestes Quércia de “O Grande Timoneiro” (como chamavam a Mao Tse Tung, na China). Mas ouvir isso dos petistas é uma coisa horrível!

Se há oposição forte ao PMDB no Rio, encabeçada por partidos da oposição, isso não quer dizer que devemos silenciar as manifestações classistas de trabalhadores, que devemos manda-los calar a boca porque podem “atrapalhar a governabilidade federal”.

Não se trata de ingenuidade. Sim, é preciso fazer uma análise refinada da conjuntura. Muitos dos que criticam a totalidade das manifestações não conseguem entender a realidade para além da “caixinha”. Para estes, toda a manifestação é orquestrada por coxinhas, fascistas, marinistas e psolistas, e todos os que discordam dessa opinião o fazem porque acham que todas as manifestações são lindas, libertárias e progressistas. Esses “críticos” não entendem a diversidade nas manifestações (com madames, nova classe c, coxinhas e MST, tudo junto), e não entendem que os trabalhadores não podem abrir mão de seus direitos em nome de alianças e pactos governistas.

Um “aviso de perigo” se acende quando militantes e algumas lideranças do maior partido político de esquerda do mundo se opõem a manifestações de insatisfação das massas e a reivindicações de trabalhadores.

Responder

    leprechaun

    18 de agosto de 2013 às 18h39

    os petistas são contrários a todas manifestações; mas eles não tem coragem de assumir publicamente, alguns artigos foram postados nesse site com esse viés. eles querem a sociedade pacífica, calma e tranquila pq para eles garante a tal governabilidade e assim eles poderão, por cima, mudar o país, por dentro da institucionalidade burguesa.
    eles só esquecem que já estão no poder há mais de 10 anos e não mexeram uma palha nas estruturas desse país em todo esse período de marasmo paz e tranquilidade
    miopia, estupidez e oportunismo têm limites

jõao

18 de agosto de 2013 às 09h58

http://ajusticeiradeesquerda.blogspot.com.br/2013/08/como-globo-manipula-gente-simples-para.html
Como a Globo manipula gente simples para defender sua visão predadora de impostos
DIARIO DO CENTRO DO MUNDO 15 DE AGOSTO DE 2013
http://www.diariodocentrodomundo.com.br/como-a-globo-manipula-gente-simples-para-defender-sua-visao-predadora-de-impostos/
O JN falando da carga fiscal é de um cinismo impressionante.
A quem a Globos e amigos do Millenium enganam?
Uma reportagem do Jornal Nacional que está no canal do Millenium no YouTube é um clássico, desde já, do cinismo jornalístico.
O tema é impostos.
Brasileiros simples são usados pela Globo para provar uma mentira: que os impostos no Brasil são elevados.
Comparativamente, observada a carga tributária de outros países, não são. Estamos – lamentavelmente – mais para o México, nisto, do que para a Escandinávia.
Na Escandinávia, a carga tributária é de cerca de 50% do PIB. No Brasil, gira em torno de 35%. No México, o número é pouco acima de 20%. Queremos ser o que, Escandinávia ou México?
A verdadeira tragédia fiscal, no Brasil, é que grandes empresas como a Globo simplesmente levaram ao estado da arte a sonegação.
Ao mesmo tempo em que repórteres da emissora armavam a reportagem acima, corria na Receita um caso sonegação e trapaça da Globo que, em outros países, geraria vergonha pública e prisão.

Responder

Gilson Teixeira

18 de agosto de 2013 às 09h48

Tanto o prefeito quanto o governador, se acham, mas parece que agora encontraram as formas dos sapatos deles. É esperar pra ver.

Responder

Deixe uma resposta para Nigro

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Últimas matérias
Luiz Antonio Simas e o assassinato de Agatha: O problema das polícias militares não é ter dado errado, é ter dado certo

Quase 30% da renda do Brasil está nas mãos de apenas 1% dos habitantes do país, a maior concentração do tipo no mundo. É o que indica a Pesquisa Desigualdade Mundial 2018, coordenada, entre outros, pelo economista francês Thomas Piketty. Notícia do El Pais de 14.12.2017 Um terço dos moradores do Rio estão nas comunidades, […]

Ler matéria