VIOMUNDO

Diário da Resistência


Blog da Saúde

Mães e pais, atenção: Pasta com flúor, só após os 5 anos de idade


30/11/2012 - 22h15

por Conceição Lemes

Que imagens veem à sua cabeça quando o assunto é higiene bucal da criança?  Nós apostamos. Quase certamente uma delas é aquela do menininho ou menininha se esforçando para alcançar a pia do banheiro para escovar os dentes. Acertamos?

“Só que a higiene bucal deve ser feita desde o nascimento”, alerta o cirurgião-dentista Marcelo Fava, diretor do Departamento de Odontologia do Instituto da Criança da Faculdade de Medicina da USP. “Deve ser iniciada antes mesmo de aparecerem os dentinhos.”

Com a ponta da fralda ou gaze umedecida, higienize a boca do bebê após cada mamada ou refeição. É para tirar os resíduos de leite e alimentos que, em contato com as bactérias locais, causam cáries.  Limpe gengiva, língua, céu da boca, parte interna das bochechas e dentes, se houver.

Blog da Saúde — Por que fazer a higiene bucal desde o nascimento se os dentinhos só aparecem aos 6 meses de idade?

Marcelo Fava — É para a mãe já ir se acostumando, a fazer a limpeza. Também para evitar a replicação das bactérias que provocam cáries.

Blog da Saúde — Mas os dentinhos podem nascer com cárie caso a mãe não faça a higiene?

Marcelo Fava –Não. As cáries só podem aparecer depois que os primeiros dentinhos (incisivos inferiores, os dois da frente, parte debaixo) despontarem. A higiene bucal é uma questão de hábito. É uma medida educativa. Ela é essencial à promoção da saúde desde o nascimento.

Blog da Saúde –Com que idade deve-se começar a escovar os dentinhos da criança, usando creme dental? 

 Marcelo Fava – A partir de 1 ano de idade. Antes, a higiene bucal é feita com ponta da fralda ou gaze umedecida após cada mamada ou refeição.

Blog da Saúde —  Tem de ser com escova e pasta especiais?

Marcelo Fava – Escova de cerdas macias, pequena, em tamanho adequado à boca da criança. De 1 a 4 anos de idade, a pasta não deve conter flúor.

Blog da Saúde – Por quê?

 Marcelo Fava — A água de muitas cidades – São Paulo, por exemplo, — já contêm flúor.  Mesmo a água mineral, tem certa quantidade. Assim, se juntarmos o flúor da água com o da pasta de dente, já que a criança acaba engolindo sempre um pouco, ela estará exposta duas fontes.  Em conseqüência, pode ter fluorose, ou seja, mancha nos dentes.  Daí a contraindicação de creme dental com flúor onde a água distribuída à população já é fluoretada.

Blog da Saúde – Há pastas infantis sem flúor?

 Marcelo Fava – Sim, mas poucas. Descobrimos duas nacionais (Welleda e Malvatrikids Baby) e uma importada (First Teeth).

Blog da Saúde – Uma criança de 2, 3 anos já pode escovar os seus próprios dentes?

 Marcelo Fava – Como brincadeira, sim. Na frente do espelho, ela imita os pais, aprende os movimentos.  Mas a escovação de verdade, para higienizar mesmo, deve ser feita pelos próprios pais enquanto ela tiver de  1 a 4 anos de idade. A escovação é indispensável após cada refeição.

Blog da Saúde – Com quantos anos a criança pode usar pasta com flúor?

Marcelo Fava – Acima de 5 anos de idade, quando ela já consegue bochechar e cuspir a pasta.

Blog da Saúde – E com quantos anos a criança já pode escovar os seus próprios dentes?

Marcelo Fava – A partir dos 4. Mas sob supervisão dos pais.

Blog da Saúde – Nas propagandas, normalmente a escova fica cheia de pasta. A quantidade mostrada dos anúncios é a recomendada?

Marcelo Fava – Não. Está errada. A quantidade é equivalente a um grão de ervilha. Isso vale todo tipo de creme dental.

Leia também:

Terapeuta ocupacional do Instituto da Criança da USP ensina você a escolher  brinquedo para filho, sobrinho, neto 

Criança tem de praticar esporte ou fazer atividade física em escolinha? O pediatra João Guilherme Alves dá todas as dicas 

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



20 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Luciana

30 de julho de 2015 às 21h43

Não sou dentista, mas o problema da cárie existe e não pode ser ignorado. Mas Acolho a ideia de pasta sem flúor até 5 anos, mas evito comida cheias de açucar e dou fruta antes da escovação… Meu filho nunca teve cárie… Levo meu filho em uma odontopediatria me orientou assim jáque sou cuidadosa… Pais que dão bobageiras e não cuidam deveriam usar pasta com flúor… Quem cuida e de acordo com o aval de um odontopediatria responsável pode usar pasta sem flúor até essa idade… Custo benefício a utilização de flúor nessa idade devido a quantidade que eles engolem.

Responder

    elisabeth mattos

    15 de maio de 2018 às 17h39

    Sou odontopediatra e concordo que o que deve prevalecer é o bom senso.A escolha do dentifrício deve ser individual…depende da alimentação da criança, da participação dos pais ou não na higienização e principalmente na condição bucal.Entre fluorose e cárie escolho nehuma.

Flavia

17 de julho de 2014 às 16h15

Boa tarde!! gostaria de uma orientação:
minha filha tem 4 anos e ela esta com um dentinho do fundo co o meinho pretinho como se fosse um sanguinho pisado ou uma coisinha pretinha que ficu presa o dentinho vai crescendo e continua la, o que poderia ser?
Aguardo uma resposta, obrigado!

Responder

Bruno Marugan

26 de junho de 2014 às 14h27

Muito interessante as dicas, grande parte eu não conhecia. Eu comprei uma escova de dentes Philips, aquelas elétricas e tenho gostado muito, pois é extremamente eficiente e meu filho adora. Qual sua opinião sobre essas escovas elétricas? Existe algum ponto contra?

Obrigado e parabéns pelo post!!

Responder

Carolina

06 de maio de 2013 às 12h26

Infelizmente cada vez mais esta informação incorreta está sendo passada aos pais. Tiro o chapéu ao professor Dr. Jaime Cury, um orgulho ao nosso pais quando o assunto é flúor e que se posicionou de maneira humilde e responsável.

Responder

Marcos Santos

17 de março de 2013 às 18h43 Responder

Marcos Santos

17 de março de 2013 às 05h31

Conceição,
Claro que a instituição que o colega entrevistado faz parte tem respaldo. Porém, mais que a instituição o que vale são as evidências científicas. a colega Bianca já falou muito bem e o Professor Jaime Cury foi humilde em seu comentário, poderia ter discorrido mais, uma vez que é a melhor pessoa pra falar do uso de fluor e cariologia/fluorose no país, se não do mundo. Basta uma busca simples no google com as palavras Jaime Cury fluor.

Responder

    Conceição Lemes

    24 de março de 2013 às 17h14

    Marcos, vou publicar o outro artigo sobre o assunto. Obrigada. abs

Antonio

24 de dezembro de 2012 às 15h16

Quando meu filho completou 5 anos passou a usar creme dental 5+ com fluor , e foi a pior coisa que eu fiz usar
creme com fluor , ele teve fluorose ,não recomendo creme dental com fluor a crianças antes dos 7 anos, foram aparecendo manchas escuras, passamos por 07 dentistas e nenhum consegui fazer um diagnostico correto, fluor ja esta na agua , em muitos alimentos , medicamentos.
cremes dental infantil deveria ser proibido.

Responder

Patricia Torga

06 de dezembro de 2012 às 15h46

Só uma consideração, as pastas infantis sem flúor citadas não são as únicas no mercado mas são as mais caras e talvez essa indicações expliquem a resistência das mães em usarem pasta comum. A da Welleda custa 21,40; a MAlvatrikidsc custa na faixa de 12,00. MAs á pastas da Bitufo, Colgate e Condor sem flúor que custam na média de 5,00.
Deixo um link que retornou de uma única busca no Google como comprovação: http://www.cliquefarma.com.br/preco/creme-dental-sem-fluor
Infeliz dizer que só há duas nacionais……não estimula em nada a prática essencial e indispensável à saúde bucal de nossas crianças. Lamentável.

Responder

    Conceição Lemes

    09 de dezembro de 2012 às 18h14

    Obrigada, Patrícia. bjs

Vlad

05 de dezembro de 2012 às 14h59

Muito boa essa informação.
Sempre evitamos as pastas com corantes, mas não havia pensado nisso. Mas tem razão: já há flúor na água.

Responder

Jaime Aparecido Cury

03 de dezembro de 2012 às 18h59

Essa recomendação de que crianças só devem usar pasta dental fluoretada após os 5 anos não está baseada em evidência do efeito do risco de fluorose dental e além do mais ignora a importância do benefício anticárie do uso desta importante estrategia de controlar cárie, responsável pelo declinio de carie ocorrido a partir dos anos 80′ nos paises desenvolvidos e a partir dos anos 90′ no em desenvolvimento, como o Brasil.
Lamento essa desinformação veiculada.
Prof Jaime A Cury

Responder

    Conceição Lemes

    09 de dezembro de 2012 às 18h14

    Professor, Jaime. Obrigada pelo alerta. Como jornalista em saúde, procuro seguir as informações baseadas em evidências científicas. O senhor viu a que instituição pertence o entrevistado? De qualquer forma, voltarei logo ao assunto, para mostrar esses outros dados. abs

    Rosemary Correa de Souza

    23 de abril de 2014 às 20h37

    Dr. Jaime Cury. participei da sua webconferencia aqui de BH,é achei muito produtiva as suas palavras .me deixaram mais atenta a maneira como orientar melhor os pais.se possível gostaria de saber se tem como o senhor me enviar uma copia da sua palestra´, sou TSB aqui no centro de saúde Paraiso,este material vai ser de muito bom uso para todos os dentistas,enfim para todos aqui na Odontológia.Obrigado pela sua atenção.Rose,TSB.

    tsb

    Léo Edward Kulza

    29 de julho de 2014 às 09h54

    Desculpe sr Jaime, mais eu acho que o sr não sabe de onde vem este lixo tóxico chamado flúor.

Branca Vieira

03 de dezembro de 2012 às 18h09

Conceição,
Imagino que a sua intenção ao publicar essa matéria seja a melhor possível, mas a recomendação de usar pasta de dentes sem flúor antes dos 5 anos de idade não condiz com a melhor evidência científica disponível sobre o tema. Com base em trabalhos científicos, e considerando os comprovados benefícios e os possíveis riscos associados ao uso de pasta de dentes com flúor por crianças, a Sociedade Brasileira de Pediatria, o Ministério da Saúde, e a Associação Brasileira de Odontopediatria, dentre outros, recomendam que todas as crianças, inclusive as menores de 5 anos de idade, devem ter os dentes escovados pelos pais, duas vezes ao dia, com pequena quantidade de pasta de dentes contendo pelo menos 1.000ppm de flúor. Por favor, visite os sites dessas entidades para ver o que elas dizem sobre esse tema. Mais de 50% das crianças brasileiras têm cárie aos 5 anos de idade e esse percentual pode até aumentar se essa recomendação de escovar os dentes com pasta de dentes sem flúor for disseminada. Esse assunto é sério e deve ser tratado com muito cuidado e responsabilidade.

Responder

    Conceição Lemes

    09 de dezembro de 2012 às 18h10

    Olá, Branca, vou verificar. Obrigada pelo alerta. Infelizmente, a informação foi passada por um colega de vcs e checada com ele. Vc viu a instituição à qual ele pertence? O duro é que eu sou absolutamente rigorosa com as informações. Diria que sou chata, mesmo! Com certeza, voltarei logo ao assunto, pra botar isso em pratos limpos. Mais uma vez obrigada. bjs

Roberto Locatelli

02 de dezembro de 2012 às 20h03

Não sabemos o que tem nessas pastas. Estamos no capitalismo. A meta é lucro.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.