VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Manifestante grita “Fora Aécio, vagabundo” na Paulista; veja os vídeos; Bolsonaro discursou falando em fuzis 762 para enfrentar o MST

13 de março de 2016 às 17h51

Compartilhado por Pedro Venceslau, no Facebook

Da Redação

Antes, era um sorriso só dentro da van.

O presidente do PSDB, Aécio Neves, ao lado do governador Geraldo Alckmin, tendo como escudeiro o presidente do Solidariedade, Paulinho da Força, fiel aliado do presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Mais tarde eles se juntariam ao presidente do Democratas, Agripino Maia.

Só entre os que acabamos de citar há numerosos escândalos: lista de Furnas, Lava Jato, propina da OAS, do Detran do Rio Grande do Norte, escândalo da merenda…

Pouco depois da chegada ao destino, as feições rapidamente mudaram.

Captura de Tela 2016-03-13 às 18.01.53

Numa avenida Paulista megalotada, logo surgiram cartazes contra Aécio, citado por vários delatores na Lava Jato.

Captura de Tela 2016-03-13 às 18.38.36Captura de Tela 2016-03-13 às 18.42.15

Agripino Maia foi embora rapidamente, mas posou para foto “combatendo” a corrupção e postou no twitter — ele que é réu no Supremo Tribunal Federal acusado de corrupção.

O dia não foi de Agripino, nem dos tucanos: foi de “In Moro We Trust” e dos pregadores da antipolítica.

O juiz Sergio Moro se manifestou lisonjeado pelos elogios que recebeu nas ruas — num e-mail significativamente enviado para a GloboNews. O jurista Dalmo Dallari disse que o juiz que atua na Lava Jato está “deslumbrado”.

A extrema-direita também se deu bem nas ruas: Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Jair Bolsonaro (PSC-RJ) discursaram para muitos aplausos.

Em sua fala, reproduzida parcialmente no Facebook, Bolsonaro disse que pretende implodir o prédio do Ministério da Educação e Cultura por supostamente doutrinar crianças nas escolas e apoiar a educação sexual fora de casa.

Ele disse que é preciso “um indivíduo forte para um Estado forte”, que fará do nióbio “a nossa Opep” e que apoia “uma arma de fogo para cada cidadão de bem”.

Bolsonaro se referiu ao ex-presidente Lula como “canalha” e “vagabundo” e disse que o ex-presidente, ao ser preso na Papuda, “não receberá visitas íntimas da Rosemary”.

O público vibrou.

Bolsonaro também chamou um dos dirigentes do MST, João Pedro Stédile, de “vagabundo” e sugeriu que os presentes apresentassem, como “cartão de visitas” ao MST, um fuzil 762.

Veja também:

A expulsão de Marta e a melhor imagem do dia

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

26 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Julio Silveira

14/03/2016 - 11h48

O Bolsonaro é mais um daqueles casos terríveis que eventualmente passam por algumas nações, que deixam um rastro de destruição e sequelas que só se contabilizarão passado seu período de tristes lembranças. Foi assim na Alemanha com Hitler, Foi assim na Russia com Stalin, foi assim na China com Mao, foi assim nos States com Bush, na África? tem sempre um “Bolsonaro” no revezamento. E não é a toa que a África continua com sua maioria de povos pobres e dependentes de um colonialismo moderno, hoje feito por controle remoto. As pessoas ensandecidas que, se acreditam cultas, e apoiam Bolsonaro, ainda não fizeram sua transição para a civilidade e só verão as consequências de sua predileção quando a dor e choro atingirem seus entes, da mesma forma como pretendem atingir o daqueles que consideram seus inimigos.

Responder

wladimir teixeira

14/03/2016 - 11h30

Bolsonazi e a Banda da Bala querem faturar alto traficando fuzis , munições e suprimentos dos sionistas israelenses.

Responder

    Ruy Teixeira

    15/03/2016 - 01h11

    Vai ser difícil competir com PT – FARCS.

maria do carmo

14/03/2016 - 11h03

Estou aguardando moderacao do meu comentario.

Responder

maria do carmo

14/03/2016 - 10h21

O feitico virou contra os feiticeiros, os movimentos de covardes de Aecio e Alkimin, foi hilario. Aecio esqueceu que ele e um dos responsaveis pela crise por oportunismo, por nao ser patriota, por nao respeitar o resultado das eleicoes, eu sabia que quando a crise criada de proposito, por Aecio , FHC (viajou)e oposicao psdb, Dem, Pmdb e a midia subliminar e canalha, ia sobrar pra eles. O povo nao e bobo, foi subestimado, nao adianta,estamos na era da comunicacao! O Bolsonoro e luocura total, estejam certos os que o aclamam sao loucos tambem!

Responder

Antônio

14/03/2016 - 08h27

Postado no Blog do Nassif por Henrique O

Lula e Dilma por que
seg, 14/03/2016 – 00:19

Padre Djacy Brasileiro

No facebook

14 h ·

ANTES DE MIM CRITICAR LEIA ESTE MEU ARTIGO:

MEU NOVO ARTIGO: APLAUDO LULA E DILMA. POR QUÊ?

Sem demagogia, hipocrisia, emocionalismo e paixão político-partidária, irei expor, de forma objetiva, clara, os reais motivos que me levam a aplaudir Lula e Dilma. Falarei com conhecimento de causa, com toda honestidade, seriedade de padre que convive dia e noite com os sertanejos.

Colocarei na minha boca as palavras ouvidas dos próprios sertanejos e sertanejas. São expressões verdadeiras, brotadas do coração de um povo que vivera, por muitos e muitos anos, o drama do abandono, da injustiça social, da marginalização, e sempre tratado pelas elites, oligarquias, como massa de manobra ou boiada, e que hoje sente o gosto da libertação sócio-politico-econômico e cultural.

O que vou expor é o que ouvi e ouço do povo do sertão sobre as mudanças que aconteceram e vem acontecendo na sua vida. São relatos recheados de honestidade, sinceridade e verdades, repito:

-Padre Djacy, tenho 70 anos, e pode dizer que as coisas mudaram muito, e para melhor, graças a Deus.

-No passado sertanejo não era considerado gente, hoje ele é tratado com mais dignidade, com mais respeito.

-Naquele tempo, o pobre do sertão não sabia de nada da vida, era um pobre matuto, hoje a realidade é outra, o pobre é mais valorizado, é tratado com gente mesmo.

-Cidadania a gente não sabia o que era, hoje a gente tem noção do que seja. Hoje os sertanejos sabem quais são seus direitos.

-No meu tempo, as palavras mais conhecidas eram: fome, miséria, seca, sede, injustiça, hoje, seu padre, as palavras são: cidadania, dignidade, respeito e justiça para todos. Graças a Deus.

Graças a Deus, hoje a gente não leva mais nome de cassaco, de flagelado, mas de cidadão.

-hoje quando adoece alguém da família ou não, a gente liga pro Samu. A gente não se humilha mais a ninguém.

-O Samu foi a melhor coisa que o governo federal criou para o povo.

-Melhorou muito. Agora tem o mais médico. Vieram uns médicos de Cuba. Eles são bons. Na minha comunidade tem uma médica. É uma beleza.

-Hoje a vida está melhor no que diz respeito à saúde. Hoje temos o PFS, ou seja, uma equipe da saúde que visita as famílias.

-A gente não precisa mais se humilhar a prefeito nem a vereador. Adoeceu, a gente tem o Samu, tem médicos cubanos, tem PSF e outras coisas boas. Mudou muito.

-Padre, o programa mais médico foi a melhor coisa que o governo federal criou para atender os pobres. Muito bom mesmo.

-Graças a Deus, hoje tem a farmácia popular para socorrer quem é pobre.

-Nunca mais andei de ônibus, porque só ando de avião.

-Antigamente pobre só via avião no céu, hoje, pobre anda de avião. Graças a Deus.

-Padre, eu soube que uma doutora de S. Paulo disse que o aeroporto está com cara de rodoviária. Sabe por que ela disse isso: porque não quer ver pobre andar de avião. Mais a gente agora anda mesmo é de avião.

-Meus filhos antes só iam e viam de São Paulo de ônibus, agora eles só viajam de avião. Que maravilha!

-Passagens de avião agora são de graças, basta procurar as promoções. Um tempo desses, meu primo veio de São Paulo de avião por 39 reais. Acabou o tempo em que só rico andava de avião.

-Se eu disser para o senhor, o senhor não vai acreditar. Eu já fui pra São Paulo três vezes de avião. Pense numa viagem boa! É bom demais andar de avião.

-Uma coisa eu digo para o senhor: se aeroporto está com cara de rodoviária, é porque pobre agora também anda de avião, tem mais condições, tem mais dignidade. Esses ricos só pensam em si, são egoístas demais. Agora somos todos iguais.

-É tanto programa do governo federal. É bolsa família, bolsa isso, aquilo. É tanta bolsa. Só cego não ver essas coisas boas do governo federal.

-O bolsa família, seu padre, é a nossa sorte. Se não fosse esse dinheiro, a gente já estaria era morto.

-Vou lhe dizer uma verdade, Padre, se não fosse o bolsa família, o povo já teria saqueado mercados, escolas, creches, feiras e tudo mais. Graças a Deus, com esse dinheiro do bolsa família, não foi preciso.

-Quando não tinha bolsa família, em tempo de seca, morria muito gente de fome. Neste ano de 2012, não morreu ninguém por conta do bolsa família. Este ano foi diferente dos outros anos.

-Seu padre, graças a Deus, no nosso sertão, onde a gente mora, não tem mais aquela fome como antigamente. Naquele tempo, muitas pessoas morriam de fome, hoje,não.

-No tempo de hoje, as crianças sabem o que é mação, uva, iogurte e outras frutas. No nosso tempo, a gente nem conhecia essas frutas.

-Toda semana eu faço minha feira de verduras e frutas. Como as coisas mudaram.

-Houve a seca de 2012, mas a gente não foi humilhada com antigamente. Os sertanejos foram tratados com mais respeito. Ninguém foi humilhado. O povo tem que reconhecer isso.

-No passado, em tempo de seca, os sertanejos eram vistos como cassacos, flagelados, na seca de 2012, os trabalhadores da roça foram tratados como gente, como pessoa humana, como cidadãos. Ninguém foi humilhado como nas secas do passado. Hoje o governo olha pra nós de forma diferente.

-De 2002 pra cá, as coisas mudaram pra melhor. É como se a gente estive no escuro e saísse pra o claro. Ninguém pode negar essa mudança boa pra o pobre. As coisas melhoram muito. Digo e seguro o que estou dizendo.

-No sertão, seu padre, pobre não estuda se não quiser. Agora todo pobre tem oportunidades para se formar. Como as coisas mudaram. Antes, só filhos de ricos se formavam, hoje é todo mundo, pobre e rico. Graças a Deus.

-Hoje, o ônibus escolar pega nossos filhos na porta de casa. Tudo é fácil. A merenda na escola é muito boa. É suco, é salada, é iogurte, é comida de qualidade. Estudante pobre não passa mais fome na escola.

-Acabou o tempo em que só se formavam os filhos de ricos. Agora pobre também se forma.

-Graças ao Prouni, conheço muitos filhos de famílias pobres que estão fazendo curso superior. Eu conheço, Padre, alguns rapazes e moças, de famílias pobres, que estão fazendo medicina, Direito, Odontologia e mais cursos por causa do Prouni.

-Com esse Prouni,é tanta gente pobre se formando. Eu fico até pensando: eu estou sonhando dormindo? Estou admirado com tantos filhos de pobres se formando por causa desse Prouni. Nunca vi isso na minha vida. Eu fico mesmo é admirado.

-Um rapaz falou-me: padre Djacy, vou fazer um curso superior graças ao Fies.

-Aqui onde eu moro, padre, agora filho de pobre se torna doutor. O governo federal está ajudando muito. Filho de pobre agora se torna doutor.

-Olha, Padre Djacy, como o senhor mesmo sabe, eu sou de família pobre, e hoje estou fazendo doutorado e o meu irmão está concluindo seu curso superior. Eu só tenho que parabenizar o atual governo federal que olhou para os estudantes de condições humildes.

Bom, Padre Djacy, no tempo dos meus pais, realmente tudo era difícil. Hoje, de 2003 pra cá, há o PROUNI, O PRONATEC ( Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego) ,O SISU, o Programa Federal de Bolsas de Estudo no Exterior.

-Hoje o aluno recebe farda e livros do governo. Tudo é melhor para pobre formar seus filhos.

-Padre, tenho duas filhas estudando graças aos FIES. O governo federal está facilitando a vida dos estudantes pobres com o Fies e o Prouni.

-Meu filho estava na Europa fazendo mestrado e depois doutorado. Antes isso era coisa de família rica, que tinha muito dinheiro.

-Na minha cidade, tem jovens pobres fazendo doutorado. Minha vizinha fez doutorado e hoje é professora de uma universidade. Conheço os pais dela são todos pobres.

-Eu me lembro que na cidade onde moro, só um ou dois estudavam pra se formar, hoje, nessa mesma cidade, há mais de quarenta universitários. Está todo mundo se formando.

-Amigo, quem diria filhos de agricultor, de lavadeira, de gari, de coveiro, se formar? Conheço um filho de um coveiro que está terminando o curso superior.

-Aqui no Vale do Piancó, o senhor conhece muito bem, o governo trouxe para nossos filhos um Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia. Vai melhorar muito para a nossa região tão sofrida. Muitos rapazes e moças vão poder fazer um curso técnico profissionalizante. A gente deve muito agradecer a esse governo federal.

-A vida tá mudada mesmo. Antigamente, pobre não tinha nada dentro de casa. Só tinha uma cama, uma mesa e os tamboretes. A casa do pobre era verdadeira casa de pobre, nada tinha.

-Na casa de qualquer família pobre, seu padre, tem televisão com antena parabólica, geladeira, liquidificador, fogão a gás, moto, e muitos têm até computador com internet.

-Aqui no sertão todo pobre tem celular. Na minha casa, só de celular são cinco. Antes isso era coisa de rico, da elite.

-Olha padre, se o senhor observar, nesta cidade pequena, pobre, quase todo mundo tem computador e internet. É coisa boa. Mudo demais.

-Hoje é a maior facilidade para pobre. Você vai a uma loja e compra qualquer objeto de valor para pagar em até 12 vezes. O governo facilitou a nossa vida. Qualquer pessoa pode comprar um celular, um computador para pagar em diversas vezes.

-Antes, o transporte de pobre era o jumento ou cavalo, hoje, graças a Deus, é moto. Lá onde a gente mora as pessoas não andam mais a pés ou de jumento, mas de moto. É moto que não acaba mais. Acabou o nosso sofrimento.

-Padre, eu sou pobre, mas na minha casa tem geladeira, fogão de gás, TV bem moderna (TV Plasma, possivelmente),ferro de engomar e meu marido e meus filhos têm moto. Não é uma maravilha?

-Se o senhor observar, hoje o pobre pode comprar roupa, antigamente não. Só rico era quem podia se vestir bem. Se o senhor for a uma festa, vai observar que os pobres estão usando roupa boa. Lá na festa, ninguém sabe quem é rico e quem é pobre. Graças a Deus que as coisas mudaram pra vida do pobre.

-No meu tempo as mulheres botavam água na cabeça, hoje, em quase todas as casas dos sítios, têm água encanada.

-Eita tempo difícil era o nosso. Me lembro que quando a gente queria ir botar as “coisas pra fora”(defecar) ou mijar, a gente corria pro mato, hoje, a gente tem banheiro com chuveiro e vaso sanitário. E muitos banheiros têm cerâmica. Mudo mesmo.

-Como as coisas mudaram. Agora temos o programa minha casa, minha vida, do governo federal. Pobre agora pode ganhar uma casinha pra morar.

-Antigamente, era a coisa mais difícil um pobre ganhar uma casa do governo. Eu ganhei uma e estou muito feliz. Esta casa, seu padre, é minha maior felicidade. Estou muito feliz depois que ganhei a casa do minha casa, minha vida.

-Antigamente, casa de pobre era de taipa, toda esburacada. Era vida triste. Hoje, o governo inventou esse programa minha casa, minha vida, e todo pobre que não tem casa pode ganhar uma. Eu mesmo ganhei uma.

Os anos passaram e a realidade também. Hoje, os sertanejos, com semblante de alívio, entusiasmados e admirados com o presente, contam uma nova história de vida marcada por cidadania, justiça e dignidade.

A verdade tem que ser dita: a situação dos nordestinos melhorou. Só os maus intencionados, politicamente falando, não querem dar fé.

Com isso não estou dizendo que está um céu, mil maravilhas, tem que melhorar, e muito. Para isso, o povo não pode parar de lutar em defesa dos seus direitos mais elementares, e o governo federal tem que continuar, com firmeza e determinação politica, com sua benéfica e eficaz politica socioeconômica e cultural de inclusão.

Afirmo, peremptoriamente, que é a política de inclusão cidadã deste governo federal que está melhorando a vida do povo nordestino. E Essa trajetória libertadora e de resgate de cidadania não pode ser interrompida.

Padre Djacy Brasileiro, em 12 de março de 2016.
E-mail: [email protected]
Twitter: @Padredjacy

Responder

Cláudio

14/03/2016 - 04h14

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo A(s) Voz(es) do Bra♥♥S♥♥il e postando: Viva Lula ! ! ! ! Viva o BraSil ! ! ! !
.:.
L uz do povo brasileiro
U m digno e fiel lutador
L astreando com real valor
A honra do BraSil inteiro.
.:.
L ula livrou 40 milhões da pobreza
U m feito memorável sem precedentes
L utando contra a mídia venal, teve a certeza
A bsoluta de estar ao lado dos brasileiros conscientes.
.:.
L ivrando da pobreza absoluta 40 milhões de brasileiros
U m feito sem igual que por si só já bastaria
L ula segue sendo no mundo um dos primeiros
A fazer de seu povo a eterna rima rica de sua poesia.
… .
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Responder

Sérgio

14/03/2016 - 01h16

Maravilha. O fim de Aesim. Falta a cadeia!

Responder

Guilherme Soares Pinto

13/03/2016 - 22h08

4 milhões de pessoas saem às ruas pra pedir prisão pra Lula e impeachment da Dilma e a manchete de vcs é “Manifestante (sim, singular… 1!) grita…”
.
Sinceramente, vcs estão desesperados!

Responder

jõao

13/03/2016 - 21h40

A MATILHA RAIVOSA VIROU CONTRA O CRIADOR

Responder

Marattt

13/03/2016 - 21h30

Precisa verificar se o enfant terrible protegidinho da justiça pagou pela sua passagem a SP, ou se veio de carona…

Responder

Bacellar

13/03/2016 - 21h17

Estadão tem a cara de peroba de falar em 1,4mi na Plta…. Folha toca corneta; maior que as Diretas Já (seriam as Indiretas Já?)…. Amanhã certamente o JN fará mais um case para os estudantes de jornalismo. Por essas e outras; dia 18 é dia de mobilização total!!! Vamos botar mais gente na rua que eles, vamos mostrar nossa voz.
Ps*Zé Chevron ficou na moita hein.

Responder

marilamar

13/03/2016 - 20h15

Moro e sua quadrilha de procuradores e policiais federais federais deveriam estar preso pela FFAA para ser executados por TRAIR A PATRIA AMADA, sao corruptos, ladroes, mafiosos, traidores e lixos da elite, assim como PGR, MPF, STF, STJ, CNJ e todo o PODRE JUDICIARIO
….., CREIO que o EB esta esperando a hora certa para pegar todos os ladroes dos cofres publicos brasileiro, assim como os vendilhoes do Brasil……, estes FDPs ainda vao pagar o preço dessa trairagem!!!

Responder

Jair Fonseca

13/03/2016 - 19h56

Provérbio espanhol adequado ao fascismo: “Cría cuervos, y te sacarán los ojos”. Crie corvos, e te arrancarão os olhos.

Responder

Alexandre Tambelli

13/03/2016 - 19h16

SOBRE AS MANIFESTAÇÕES DE 13 DE MARÇO.
O que salta aos olhos é perceber que estamos diante de um quadro social de destruição dos valores ligados à Política: a des(importância) dela para a governabilidade de um País, a não-aceitação da presença de partidos políticos e de políticos em manifestações, a não-importância da ausência dela como mediadora dos conflitos existentes na sociedade entre classes sociais e entre Capital e Trabalho.
No 13 de março de 2016 parece que se rompeu a corda da relação Política e Sociedade.
Alckmin, Aécio, Marta não se saíram como partes da “galera” nas ruas. Já há um rompimento até com aqueles que os meios de comunicação apoiam por conveniência ideológica e por fazerem o papel de defensores dos interesses da velha mídia no âmbito do Executivo e Legislativo.
A propaganda anti-corrupção se tornou tão forte ao ponto de não sobrar a chance de heróis serem produzidos no meio Político da Direita, também.
O Imperialismo agradece. A classe política com medo da Rede Globo e demais tentáculos da mídia oligopólica se tornou refém dos ditames imperialistas que o Poder dos meios de comunicação impõem.
A Política se esfarela.
O período de blindagem do PSDB não existe mais. Escancarou-se tudo via Internet e via brigas internas do partido. A merenda não alimenta mais a população e não sacia seus alienados de antes.
Muitos da Avenida Paulista saíram do simples ódio anti-petista e agora não acreditam em Política, em Político, em partido nenhum.
E surge daí o perigoso caminho da aceitação de um Salvador da Pátria, para além da Política e para além das ações baseadas nas Leis do Brasil e no Estado Democrático de Direito.
O anti-político chegará ao Poder como solução da Rede Globo e aliados na mídia em um futuro próximo?
Todos na Política atual e ligados à Direita se curvarão à Rede Globo e seus tentáculos?
Nenhuma liberdade à-vista para a Política?
Se não houver forças para um Golpe sairá de fora da Política o candidato da Rede Globo e demais mídias oligopólicas?
Podemos terminar esta quadra da História nas mãos de um personagem, incólume nas passeatas, um concurseiro de classe média tradicional, e de camisa negra: o Juiz Sérgio Moro?
Todos lavam as mãos e ele toca o barco com a Mani Pulite à brasileira.
Sobrará Brasil para contar História após a Lava-Jato e seu protagonista?
Não há vantagens para a Direita Política nem para o Governo Dilma ao temerem a mídia oligopólica. Vencerá a não-Política.
Vamos viver politicamente de fazer o que a Rede Globo e demais mídias oligopólicas querem a mando do Imperialismo para salvar nossas reputações?

Responder

    anac

    14/03/2016 - 05h25

    É dai que nascem Hitler, Mussolini e cia ltda.

    por Rubens Casara, no Justificando

    “Que teríamos feito sem os juristas alemães?”

    – Adolf Hitler
    Em 1938, o líder nazista Adolf Hitler foi escolhido o “homem do ano” da revista Time. Antes disso, Hitler figurou na capa de diversas revistas europeias e norte-americanas, no mais das vezes com matérias elogiosas acerca de sua luta contra a corrupção e o comunismo que “ameaçavam os valores ocidentais”. Seus discursos contra a degeneração da política (e do povo) faziam com que as opiniões e ações dos nazistas contassem com amplo apoio da opinião pública, não só na Alemanha. O apelo transformador/moralizador da política e as reformas da economia (adequada aos detentores do poder econômico) fizeram emergir rapidamente um consenso social em favor de Hitler e de suas políticas.

    Diversos estudos apontam que a população alemã (mas, vale insistir, não só a população alemã) apoiava Hitler e demonizava seus opositores, inebriada por matérias jornalísticas e propaganda, conquistada através de imagens e da manipulação de significantes de forte apelo popular (tais como “inimigo”, “corrupção”, “valores tradicionais”, etc.).[1] Em material de repressão aos delitos, os nazistas, também com amplo apoio da opinião pública, defendiam o lema “o punho desce com força”[2] e a relativização/desconsideração de direitos e garantias individuais em nome dos superiores “interesses do povo”.

    A “justiça penal nazista” estabeleceu-se às custas dos direitos e garantias individuais, estas percebidas como obstáculos à eficiência do Estado e ao projeto de purificação das relações sociais e do corpo político empreendida pelo grupo político de Hitler. Aliás, a defesa da “lei e da ordem”, “da disciplina e da moral” eram elementos retóricos presentes em diversos discursos e passaram a integrar a mitologia nazista. Com o apoio da maioria dos meios de comunicação, que apoiavam o afastamento de limites legais ao exercício do poder penal, propagandeando uma justiça penal mais célere e efetiva, alimentou-se a imagem populista de Hitler como a de um herói contra o crime e a corrupção, o que levou ao aumento do apoio popular a suas propostas.

    anac

    14/03/2016 - 05h28

    A historia se repetindo como tragedia ou como farsa. Olhando o atual momento do Brasil vinha a lembrança 1954 e 1964. Hoje me veio a Alemanha de Hitler.

    Alexandre Tambelli

    14/03/2016 - 11h31

    Assusta-nos Anac.

    Existe um dado importante. O público das ruas ontem é muito específico.
    A maioria homens e brancos com mais de 35 anos. Ganham entre 5 e 20 salários mínimos. Superior Completo.
    É um indicador de que se pode trabalhar em favor da parcela que não estava lá.
    Se o Governo Dilma acenar para a parcela que não estava lá e governar para ela vencemos a batalha.
    Mas, é preciso coragem e arrojo. Não temer velha mídia capitaneada pela Rede Globo nem as centenas de “Cunhas” do Congresso.
    Tem que agir em direção da população que está a sua espera.
    PMDB e PSDB foram os grandes perdedores de ontem. Perderam as ruas da coxinhada pro Moro, Bolsonaro e Caiado. A não-política e o discurso monocórdico da corrupção atingiu toda a Política, menos a estrema-direita.
    Abraço, Alexandre!

Sergio Govea.

13/03/2016 - 18h53

O filme mostra aquilo que eu não paro de dizer. O voto é volátil e as pessoas não pesquisam nada de partidos, nada de ideologias… nada de nada.

Querem um Brasil perfeito sem se esforçarem.

Gente que votou em Aécio há pouco mais de uma ano, gritam contra ele… xingam ele, sem se darem conta da tragédia que promoveriam, caso o mesmo Aécio fosse eleito.

Por isso eu peço pauta para a educação política.

A minha ideia… o meu pleito não é estapafúrdio.

Muita gente que saiu de casa hoje para protestar está absolutamente órfã de cidadania.

Uma pitada de como as coisas funcionam na política , de forma bem didática, não faria nada mal aos textos veiculados pelos Blogs progressistas.

Se no próximo grande encontro de blogueiros eu tiver palavra, falarei disso.

Dilma é a nossa presidenta. Dia 31 estarei lá.

Todos pela legalidade, nas ruas deste Brasil querido.

Vamos defender o que nos custou muito caro para conseguir.

Vamos, minha gente, vamos defender a democracia.

A cor da sua camisa não importa.

O que vale é o seu desejo de manter um projeto de nação melhor para todos brasileiros.

A direita não tem qualquer proposta decente para este país.

Sergio Govea.

Responder

    anac

    14/03/2016 - 05h35

    Conseguiram criminalizar os políticos e a politica. Se Temer e Serra pensam que vão escapar desse julgamento estão redondamente enganados. E não adianta se esconderem do CARNAMORO.
    Lembrando que o guy dos coximoros está DESLUMBRADO achando que é o BATMAN, SUPER HOMEM ( e não é o do Nietzsche, é o super herói estadunidense) o homem formiga, o homem aranha, etc. Perigo a vista. A salvação é ele. Ele acha e a mundiça que foi ontem a carnamoro tmb.

    Hitler tupiniquim a vista.

    anac

    14/03/2016 - 05h37

    Não só o voto, mas o herói da vez tmb é volátil e passa rápido.

    Ontem foi joaquim, hoje é moro, amanhã…

Luiz Fernando

13/03/2016 - 18h52

Tenho um certo receio de negarem todos os políticos, algo atroz pode vir

Responder

José Carlos Vieira Filho

13/03/2016 - 18h30

Isso pareceu mais uma passeata da CBF em homenagem ao Havelange.

Responder

Mauricio Gomes

13/03/2016 - 18h25

E o que dizer do Moro que enviou um e-mail para o blog da GloboNews dizendo que “ficou tocado com as manifestações de apoio e que os políticos precisam ouvir a voz das ruas”. Que porra é essa, agora além de coveiro da democracia esse safado filho da puta virou comentarista político e sugere o impeachment de uma presidente legitimamente eleita e a cassação de 54 milhões de votos? Ei Moro, vai tomar no cu seu fascista de merda! Espere para ver como será “homenageado” no dia 18/03 canalha safado e fascista!

Responder

    Guilherme Soares Pinto

    13/03/2016 - 23h35

    O nome disso q vc tá sentindo é “desespero”!

    Avelino

    14/03/2016 - 11h44

    Oi Mauricio
    Moro adora ouvir as vozes da rua, na FIESP, LIDE entre outras coisitas a mais.
    Demagógico é pouco para ele.
    Saudações

Deixe uma resposta