VIOMUNDO

A crise na Saúde do Rio: um caso grave de privataria, via terceirização

05 de janeiro de 2016 às 20h29
Captura de Tela 2016-07-19 às 11.14.49
19 - jul 2

Como o celular mata no trânsito

De uma série para o Jornal da Record

15 - jul 5

Quando a negligência no trânsito mata

De uma série do Jornal da Record

 

4 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Fernando

06/01/2016 - 18h57

Concessão não é privatização.

Com Pezão e Dilma, pelo Brasil.

Responder

FrancoAtirador

06/01/2016 - 16h45

.
.
Em geral, na Área da Saúde, tanto Serviços Públicos
.
quanto Privados estão Precários em todas as Regiões.
.
Não é somente em um ou outro Estado ou Município.
.
Tem de Estatizar e Federalizar em um Sistema Único.
.
.
.
.

Responder

pedro

06/01/2016 - 09h37

Isso tudo é de simples entendimento e fácil solução ; é só entender que privatização da saúde é igual a morte ( seja via OS, EBSER ou seja la o que for pois não é as pessoas que são prioridade ai ) e segundo que a solução é politica ou o povo acorda ou vai ficar ainda pior ( pra começar no caso especifico enterrar de vez da vida politica uma coisa desastrosa e repugnante chamada PMDB, isso só ´pra começar pois a lista é longa) para se conscientizar melhor deve divulgar a listas dos partidos mais corruptos do país com suas respectivas casações via tse e ai o povo em vez de chorar pelos familiares que continuarão morrendo ir pra rua e dar um bastas nesses partidos assassinos de pobre.

Responder

tiago tobias

05/01/2016 - 20h58

Reportagem crucial. Aqui em SP, vários hospitais estaduais estão sob controle das OS. Vendo a situação catastrófica da saúde do RJ, me pergunto: onde está a eficiência neoliberal, proveniente da privatização dos serviços públicos?

Responder

Deixe uma resposta