VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Projeto de Nabil Bonduki afeta Frias e Marinho?

25 de abril de 2013 às 14h21

A ponte paulistana pode perder o nome de Octavio Frias de Oliveira, o dono da Folha que emprestou uma jornal para a repressão e carros de entrega para torturadores?

BONDUKI QUER MUDAR NOMES DE RUAS QUE HOMENAGEIAM DITADURA

do portal da Câmara Municipal de São Paulo, via Facebook

O vereador Nabil Bonduki (PT) defendeu nesta terça (27/2) um Projeto de Lei de sua autoria que permite aos vereadores mudarem nomes de ruas quando estas homenagearem figuras ligadas à ditadura militar. Atualmente, nomes de vias e logradouros públicos só podem ser alterados em casos específicos, como quando houver outros locais homônimos.

O PL 219/2013 inclui entre essas exceções toda “denominação que faça referência a agentes públicos que contribuíram para a instalação e manutenção do regime militar entre o período de 02 de setembro de 1961 a 15 de agosto de 1979”.

“Foi um dos piores períodos da nossa história”, justificou o petista. “Que esses agentes não possam ser homenageados em nossa cidade.” Bonduki também é o autor do PL 177/2013, que muda o nome do Elevado Costa e Silva para Minhocão, como a obra é conhecida pelos paulistanos.

A iniciativa foi criticada por Andrea Matarazzo (PSDB). Para o tucano, as figuras que colaboraram com o regime militar fazem parte da história do país e precisam ser lembrados, mesmo que tenham exercido um papel considerado negativo.

“A critério de quem vai ficar decidir quem prejudicou e quem não prejudicou nossa cidade?”, questionou.

[Quer saber como funcionam os bastidores da Globo em uma eleição? Patrocine o documentário!]

Já Natalini (PV) defendeu que cada caso seja analisado individualmente. “Eu acho que em alguns casos há exagero. Por exemplo, há em São Paulo uma rua chamada Sérgio Paranhos Fleury”, exemplificou. O Delegado Fleury foi um dos mais notórios torturadores da Ditadura.

Os dois projetos de Bonduki ainda precisam passar pelas comissões de mérito antes de poderem ir à votação em plenário.

(23/04/2013 – 17h47)

Leia também:

Ex-delegado: Folha financiava a repressão durante a ditadura militar

Alípio Freire e Beatriz Kushnir: A Folha e a ditadura

Beatriz Kushnir: Quem eram os cães de guarda?

Ivan Seixas: “Otavião” tinha medo de ser fuzilado

Beatriz Kushnir: Como a mídia colaborou com os militares

Ivan Seixas: O jornal que “matava” nas manchetes

 

19 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Portal da Câmara: Bonduki quer mudar nomes de ruas que homenageiam ditadura | Cidade Aberta

26/04/2013 - 19h29

[…] publicada no Portal da Câmara no dia 23/04/2013. Republicada no Viomundo com o título “Projeto de Nabil Bonduki afeta Frias e Marinho?” no dia […]

Responder

Heber

26/04/2013 - 09h07

Que tal…AVENIDA GEÚLIO VARGAS…AVENIDA JOÃO GOULART…AVENIDA LUIZ CARLOS PRESTES….AVENIDA lEONEL BRIZOLA,

Responder

Mardones

26/04/2013 - 08h59

“A iniciativa foi criticada por Andrea Matarazzo (PSDB). Para o tucano, as figuras que colaboraram com o regime militar fazem parte da história do país e precisam ser lembrados, mesmo que tenham exercido um papel considerado negativo.”

Já imaginaram uma via com o nome Adolf Hittler em Berlim? Pelo raciocínio tucano, o alemão precisa ser lembrado.

Viva a São Paulo e seus bicudos.

Responder

    Rodrigo Leme

    26/04/2013 - 10h50

    Se for pra tirar nome de criminoso de rua, nesse pacote pode entrar facilmente a rua Carlos Marighella.

Andre LB

26/04/2013 - 08h13

Mas o PSDB mal se da ao trabalho de esconder seu mal-caratismo, mesmo… nessa toada, Sr. Andrea Matarazzo, que tal se o sr. morasse na rua Joaquim Silverio dos Reis ou Av. Adolf Hitler?

O legal, no entanto, seria mudar o nome de Av. Roberto Marinho para Av. Getulio Vargas.

Responder

FrancoAtirador

26/04/2013 - 03h29

.
.
Louvável iniciativa!

Que os demais vereadores de São Paulo tomem vergonha

e aprovem este Projeto de Lei do vereador Nabil.

Depois, vamos acabar de vez com a ditadura nas ruas

de todo o Brasil, com um projeto de Lei no Congresso.

Será um grande avanço para o exercício da Cidadania

extirpar as metástases do câncer que abateu o País.
.
.

Responder

Augusto G. Sperandio

26/04/2013 - 00h34

Nomes de logradouros públicos como ruas, avenidas, praças, viadutos, etc… são escolhidos para HOMENAGEAR E IMORTALIZAR cidadãos cujos feitos merecem elogios, merecem ser estudados e difundida sua visão de mundo, e NÃO PARA LEMBRAR humanos que rebaixam a condição e EMPORCALHAM a humanidade. Estes merecem o ostracismo, a vala comum, o esgoto da história.
Parabéns ao vereador e sucesso na empreitada.

Gostaria que houvessem outras formas de patrocinar os documentários que não fossem o uso de cartão. Sou resistente a isso. Se possível, divulgar algum número de conta para contribuição.

Responder

Marat

25/04/2013 - 21h20

Eu não ia votar no Nabil. Uma pessoa de confiança me disse para nele votar, que teria ótimos projetos para SP. Raramente faço isso, mas, aceitei e votei. Este projeto de lei vem ao encontro de meus anseios. Espero que outros muito bons também venham, afinal de contas, SP precisa progredir!

Responder

sebastiao

25/04/2013 - 19h54

Florestan Fernandes,Jorge Amado,Emma Goldman,Josue de Castro,Olga Benario,Monteiro Lobato,Simone de Beuvoir,Alexandra Kolontai,Clara Zektin,Margarida Maria Alves,Carlos Lamarca,Paulo Freire,Erico Verissimo,Raul Seixas,Elis Regina,Carlos Mariguela,são alguns que nos deram a honra de terem seus nomes em ruas aqui em São Bernardo do Campo.

Responder

Fabio Passos

25/04/2013 - 19h41

Excelente iniciativa.
Homenagens aos assassinos, torturadores e cumplices da ditadura? Um completo absurdo.
roberto marinho e otavio frias so como nome de lixao… ou de rede de esgoto.

Responder

Carla

25/04/2013 - 19h18

Meudeus! há uma rua chamadas Paranhos Fleury? Mas é ultrajante!!!

Responder

Isidoro Guedes

25/04/2013 - 17h06

Apoiadores e personagens da sinistra ditadura militar (1964-1985) não merecem nenhum tipo de homenagem ou honraria, pois apoiaram, promoveram ou compactuaram com a prisão, tortura e assassinato de inúmeros opositores desse tenebroso Estado de exeção). Agentes do regime militar travestidos de “jornalistas”, como Octávio Frias (da Folha de S.Paulo) e Roberto Marinho (das Organizações Globo), também não merecem honraria alguma, pois foram apoiadores de primeira hora do covil de repressores e assassinos em que se transformou o golpe de 1964.

Responder

Pedro

25/04/2013 - 16h01

Se o projeto é pra permitir apenas a alteração de agentes públicos, não cabe pra Otávio Frias nem Roberto Marinho.

Responder

sonia

25/04/2013 - 15h45

tem como colocar o numero da conta da Luta custa, ou criar um link para o numero da conta… ?? Eu tinha visto no Stanley Burburinho no FB e não encontrei mais o numero… quero colaborar!!

Responder

    Fabio Passos

    25/04/2013 - 22h58

    Tambem quero colaborar.
    Como faz?

sonia

25/04/2013 - 15h41

Eu sabia que estava votando bem. no Bonduki… Me revolta passar por estas ruas e me nego a chamar pelo nome : É ponte estaiada, é agua espraiada ( que lindo nome !!)
E pau no pensa o Andrea Matarazzo… ele é puxa saco do serra… !!

Responder

flor

25/04/2013 - 15h10

Pessoalmente acho que São Paulo já é feia o bastante para ter nomes de avenidas e pontes de gosto duvidoso como os que o Bonduki cita. Talvez falte para as eminências pardas da Câmara o nome de coroneis e policiais militares que participaram de grupos de extermínio desde os anos 70 até os dias atuais para São Paulo ficar mais com a cara do militarismo e conservadorismo da elite paulistana.

Ótima proposta do vereador que aliás tenho muito gosto de ter dado meu voto.

Responder

Paulo Ribeiro

25/04/2013 - 15h05

Temos em São Paulo um viaduto chamado Luiz Eduardo Magalhães, “homenagem” prestada por Celso Pitta. O que fez este sujeito por São Paulo para merecer esta honra? E quem era Pitta para propor uma excrescência como essa?

Responder

Deixe uma resposta