VIOMUNDO

Lula venceu apesar do mensalão; é o que move campanha contra ex-presidente

04 de fevereiro de 2016 às 19h31

Lula na Feira do MST - Joka Madruga

Por que tanto esforço para incriminar Lula?

Guilherme Scalzilli*, em seu blog

A resposta simplificada: porque é, desde já, o candidato mais forte na eleição de 2018.

Seus governos são imbatíveis comparativamente. Não há estatística do período 2003-2010 que perca para outra similar no recorte histórico disponível. Isso ocorre tanto para os índices abrangentes da macroeconomia quanto para minúcias setorizadas e regionais, passando pelo acesso a bens de consumo, à cultura, à educação, à cidadania. E, acima de tudo, pela redução da desigualdade.

O lulismo é, de longe, a maior força isolada no cenário político nacional, exatamente porque não exige simpatia programática pelo PT. O voto antipetista se divide, à esquerda e à direita, em afinidades partidárias e pessoais amiúde incompatíveis no jogo de alianças. O lulismo agrega filiações diversas.

Nenhuma liderança chegará à próxima disputa com a vantagem inicial de Lula. É bobagem omitir esse fato nas análises conjunturais, pois ele se manifesta em dados precisos e aferíveis. Ignorá-los não revela prudência ou isenção do observador, mas uma tendência infantil para o auto-engano. É atitude típica dos comentaristas de direita, que sempre subestimaram as chances do PT nas eleições presidenciais e sempre erraram.

Mas existem grupos no campo oposicionista que não se satisfazem com narrativas confortáveis. Eles aprenderam a respeitar a dimensão político-eleitoral de Lula e vêm lutando arduamente para tirá-lo do páreo.

Não se trata mais de abalar sua imagem pública. O fracasso eleitoreiro do julgamento do “mensalão” mostrou que o prestígio de Lula sobrevive mesmo sob implacável campanha negativa. A própria estratégia golpista refluiu, entre outros motivos, por causa da incerteza quanto aos efeitos negativos sobre o ex-presidente.

A questão, portanto, é impedir a candidatura de Lula, suspendendo seus direitos políticos no TSE ou no STF, sob os convenientes auspícios da Ficha Limpa. Matar o projeto no estado embrionário, com o torniquete inapelável da legalidade.

Eis o motivo da afoiteza com que procuradores e juízes tratam as “suspeitas” contra Lula e sua família. A rapidez garante que um eventual processo transcorra, ou pelo menos seja iniciado, antes que a Lava Jato se desmoralize de vez.

E assim chegamos a uma resposta mais abrangente para a questão do título: a ofensiva contra Lula ocorre porque o Judiciário brasileiro se transformou num mecanismo capaz de atropelar a democracia para satisfazer interesses político-partidários.

* Historiador e escritor.

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

14 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Alexandre Tambelli

05/02/2016 - 13h00

Escrevi sobre o tema ao ler bastante sobre a temática de caçada a Lula. Coloco aqui uma reflexão para as esquerdas em geral.

O estranho silêncio de possíveis candidatos da esquerda frente à caçada a lula pela direita midiática***.

É impressão minha ou está havendo um silêncio de possíveis candidatos em 2018 no campo progressista: Ciro Gomes e Luciana Genro neste instante mais radical em que a Direita midiática capitaneada pela Rede Globo tenta destruir a reputação e acabar com as chances da candidatura de LULA em 2018?

Na fase mais aguda desta perseguição implacável a LULA candidatos de esquerda e/ou progressista em silêncio?

Silêncio por quê?

Medo da velha mídia?

Ou querem se aproveitar da situação em benefício próprio?

Bem sabemos que 2018 está longe. Lula fora do páreo seria apenas uma situação diversa, onde se precisaria colocar outro candidato (a) progressista e/ou de esquerda no páreo.

Nenhuma novidade aqui.

Só que a Direita midiática não tem o olhar apenas fixado no PT e no LULA, ela quer é retomar o Poder de qualquer jeito e implementar a sua Ideologia novamente no Brasil. PT e LULA só são os mais visados, atualmente, porque venceram 4 vezes seguidas; porque LULA é o maior cacife eleitoral dos adversários da Direita midiática e com chances de dar a 5 vitória seguida em 2018.

Além do fato novo: o fim das doações privadas/ empresariais de campanha; o que teoricamente é benéfico para as esquerdas, mais afeitas ao contato teti a teti com o eleitor, e com a maior voluntarismo e preparo da militância, que não tem problema em chegar as periferias e rincões do país para pedir votos aos seus candidatos.

E ai é que entra a minha percepção que toda a esperteza do momento do candidato esquerdista e/ ou progressista implodirá mais dia menos dia.

Ou se denuncia este processo todo, todos os possíveis candidatos de esquerda e/ ou progressista em conjunto, ou podemos dançar todos ao mesmo tempo.

É preciso uma denúncia formalizada em um manifesto com assinatura de todos os postulantes/ possíveis presidenciáveis para 2018.

A Direita midiática vai adotar a mesma tática que pratica com LULA agora com o próximo que se apresentar como candidato das esquerdas e/ou progressista em 2018, se preciso em 2022 e ad eterno.

E a sua capacidade de penetração nos lares, impressos e celulares brasileiros é imensa. É quase solitária a narrativa do Brasil hoje feita pela Direita Midiática, bem sabemos disto. Ela controla bem mais de 80% dos meios de comunicação do Brasil.

As notícias do cotidiano do Brasil e do Mundo chegam até nós, quase que de forma exclusiva, via Direita midiática, não é verdade?

Ela quer fazer STRIKE de um por um dos candidatos da esquerda e/ou progressistas. E só não tentará STRIKE de outros concorrentes dela se com o STRIKE de LULA o candidato dela se tornar favorito à vitória. Ai ela vai dar uma trégua, disfarçar um pouco.

A Direita midiática quer vencer a Eleição de 2018 por W.O. É preciso ter clareza disto. Tirando todos os candidatos de esquerda e/ ou progressistas do páreo.

Se possível seu candidato vencerá no primeiro turno. Ela está desesperada! E a retomada do Poder em 2018 se tornou uma obsessão.

Ainda mais depois que a tentativa do Golpe do Impeachment contra a Presidenta Dilma parece ter subido no telhado, perdeu apoio das massas nas ruas com a existência do Deputado Federal Eduardo Cunha e o “Conselhão” trouxe esperanças de uma retomada do crescimento com o diálogo franco entre Governo, empresariado e trabalhadores.

E o procedimento utilizado pela Direita midiática para seu intento de retomada do Poder a qualquer custo é simples.

Consiste de algumas jogadas básicas e praticadas à-exaustão nos tempos atuais:

1) Judicialização da Política.

LULA impedido de disputar a Eleição pela Justiça ou LULA com a imagem arranhada por processos em andamento sendo colocados no noticiário como provas de corrupção e até de condenação (claro, que sem transitar em julgado o processo). O tribunal midiático em ação. Tudo o Governo Federal fez e faz se tornando suspeito de irregularidades. Imagens para o Brasil inteiro degustar;

2) Tentativa diária de impedimento de o Governo Federal trabalhar e de impedimento da aprovação projetos de interesse nacional no Congresso (por exemplo, travamento de pautas) na busca de prolongar o reaquecimento da economia para tirarem proveito eleitoral da recessão/crise;

3) Travamento da discussão de projetos para o país e programas de governo. Massificação da pauta da corrupção, de noticiários de condenações e de prisões, impedindo a discussão dos rumos socioeconômicos do Brasil como base e centro dos debates eleitorais;

4) aumento em carga máxima do FLA X FLU eleitoral para colocar o eleitorado numa disputa, onde o centro da contenda seja votar por eliminação. Elimina-se a possibilidade de voto na candidatura de esquerda e/ou progressista e vota-se no candidato da Direita midiática.

E como se faz a eliminação? Tachando diariamente a Esquerda de corrupta, de bolivariana, de incapaz de governar, de comunista, de antidemocrática e assim por diante. E sobra para votar o candidato “impoluto e capacitado” da Direita midiática.

Já está acontecendo faz algum tempo o processo de eliminação de candidatura (s), em 2014 ficou bem claro com Aécio Neves candidato, o voto dado por eliminação: voto anti-PT. Aécio teve 15% de votos convictos, segundo o Montenegro do Ibope, os outros 35% de votos no segundo turno, chegaram pelo antipetismo.

E sabemos como se dá este processo:

Alimenta-se o ódio ao PT, LULA e DILMA, às esquerdas e tudo o que for progressista. O voto é dado com ódio no coração. O voto é dado anti alguma coisa. E não voto pró alguma coisa.

Pouco importa para a Direita midiática a possibilidade de escolha dos eleitores entre vários candidatos. Ela quer impor o seu candidato goela abaixo dos brasileiros.

E é um desespero louco. Não conseguem mais disfarçar a busca da retomada do Poder para suas sobrevidas: PSDB para tomar conta novamente do cofre federal e privatizar o que ainda resta de público, já que dilapidaram os cofres dos estados que governam (estados quebrados); e VELHA MÍDIA buscando sobrevida com novas associações com os mandatários do Poder, que receberiam polpudas verbas de propaganda Federal, quase que exclusivas, em seus meios de comunicação dos novos governantes e aliados + a clássica compra de assinaturas de jornais e revistas para escolas, universidades e repartições públicas federais, agora nacionalizada, em troca do silêncio amigo da velha mídia para com as novas privatizações, plataformas neoliberais, arrochos salariais, corrupções praticadas pelos tucanos, etc.

Se os possíveis candidatos de esquerda e/ou progressistas acreditarem que podem se omitir quanto à perseguição implacável à LULA pela Direita midiática, neste fevereiro de 2016 estarão promovendo um desserviço imenso para a nossa Democracia e lisura das eleições de 2016 e 2018.

E não serão poupados não! Mesmo que LULA não seja impedido de participar em2018, quando LULA não mais for candidato ou se ele não tiver condições de ganhar e outro candidato das esquerdas e/ou progressista tiver ele será a bola da vez!

Com direito à Jornal Nacional e capa da Veja e manchetes de Estadão e Folha, só que assassinando sua reputação, tentando condená-lo previamente de algo, igualzinho como fazem com LULA no aqui agora.

Fique claro: a Direita midiática não olha a honestidade do sujeito, olha a cor da camisa, se for vermelha a reputação será sempre a pior possível e não adianta o discurso:

– Sou honesto, em mais de 30 anos de vida pública nunca cometi alguma irregularidade!

A Direita midiática vai rir pelos cotovelos e inventar uma denúncia aqui, outra ali. Um barquinho de 4 mil reais. Um sítio de um amigo. Um apartamento emprestado. Um tríplex que nunca foi comprado.

E você esquerdista e/ou progressista candidato com chances de vitória virará o novo refém desta Direita Midiática da noite para o dia. Deixa de ser o Santo Imaculado em menos de 24 horas. Você, seu partido, os partidários de seu partido e todos os seus familiares.

*** Direita midiática = Velha mídia capitaneada pela Rede Globo, Band, SBT, Rede TV, RBS, Folha, Estadão, Veja e algumas mais + PSDB e partidos satélites + Judiciário aliado da velha mídia.

Responder

    Mauricio

    05/02/2016 - 17h06

    Alexandre,

    Foi dos textos mais lúcidos que lí, sobre a conjuntura política que vivemos atualmente. Infelizmente, acho que o jogo da Direita (Mídia, Judiciário partidarizado, e PF ídem) tem grande chance de dar certo. Como voce muito bem observou, se os progressistas não tomarem uma atitude e marcharem juntos contra o atual linchamento de Lula, serão os próximos alvos quando o mesmo for tirado do jogo. O modo de operar é pesado, e não dá trégua. O clima de FLA x FLU já está instalado, isso eles conseguiram pois a máquina midiática funciona a perfeição, quando quer distruir reputações. A grande maioria está envenenada, então o campo está aberto para uma canditatura “salvadora”! O anti-corrupto, o anti-bolivariano, etc. O que mais me deixa angustiado, é que o Governo está sim paralisado. Só havendo um fato político de grande monta, esse jogo vira. Parabéns pelo texto!

Tupac Amaru Garcia

05/02/2016 - 08h36

AH, seu Lucas, esqueci de um detalhe que deve aterrorizar a direita trevosa da qual vc deve ser seguidor. Pra quem acha que Lula anda em companhia dos barões poderosos ou em baladas de ricos no Leblon, onde um candidato a presidente e ainda senador frequenta nos horários em que todas as paróquias estão fechadas, a foto que ilustra o texto do historiador e atual, recentíssima, qual outro ex presidente que vc já viu em uma foto como esta?

Responder

    Lukas

    05/02/2016 - 11h40

    A foto é verdadeira, é recente, e provavelmente você verá no futuro dezenas de fotos de Lula com os pobres, os desamparados, os negros,os desdentados. Mas Lula também anda com os poderosos e milionários em jantares, viagens, reveillons. Destes Lula não ganha votos, mas deve ganhar alguma coisa.

    Tente achar uma foto de Lula brindando com champanhe o ano novo. Toma-se o cuidado de se esconder para que pessoas como você permaneçam acreditando neste Lula que não existe há muitos anos.

Tupac Amaru Garcia

05/02/2016 - 08h30

Nada mais triste que se auto enganar, só vc acredita no que escreve seu Lucas. Nada do que vc afirma com pretensão de ser verdade ou sei lá se vc acredita nesta bobagem que diz, refuta a brilhante tese deste historiador, não é à toa que setores mais pragmáticos da direita tenta a cassação da canditatura do Lula, eles sabem que pessoas como vc faz parte daquela minoria que acredita que nos jornais se publicam verdades além da data de sua edição, são os muidiotizados que ainda repetem aquela besteira do caso Friboi, uns tontos. Sua narrativa seu Lucas me faz lembrar o sapateiro que corrigiu a pintura de um calçado num quadro de um grande pintor, ao ouvi-lo o pintor corrigiu o detalhe, por outro o sapateiro passou novamente defronte à pintura e desandou a criticar, quando foi advertido pelo pintor, ” sapateiro não vá além das sandálias”. Espero que seja assim com vc. Seu Lucas não vá além das suas crendices nas mídias da oligarquia brasileira, fascista, criminosa, mentirosa e manipuladora

Responder

    Lukas

    05/02/2016 - 11h49

    Toda informação nos chega de forma secundária, ela passa primeiro por um veículo de comunicação, seja um jornal, uma tv ou um blog. Há sempre um filtro que interessa ao veículo. Você me acusa de acreditar no que a mídia diz, mas me diga, em quem você acredita e por quê.

    Quanto a história do “não ir além das sandálias”, na verdade ela tem origem na expressão latina “Sutor, ne ultra crepidam” encontrada da obra de Plínio, o Velho e que significa “Sapateiro, não vá para além da sandália”.

    Lukas

    05/02/2016 - 12h10

    Tupac, Você está certo no caso das sandálias. Abaixo a história completa, da qual eu sabia apenas uma parte, de quem a citou:

    A sentença é mencionada por Valerius Maximus e Plínio, o Velho , que a atribuíram ao artista grego Apeles de Kos. Este artista expunha suas obras aos transeuntes a fim de poder beneficiar dos comentários e críticas destes. Um sapateiro tinha criticado a forma como num quadro tinha sido representada uma sandália de um personagem, e o grande Apeles, na época considerado o maior pintor existente, aceito a crítica e corrigiu.

    No dia seguinte, no entanto, o sapateiro, presumido que sua crítica tinha sido aceita, começou a criticar a representação do joelho desse personagem. Nesse ponto, o artista dirigiu a ele com a frase que se tornou proverbial.

Lukas

04/02/2016 - 21h07

Aqui em Viomundo foto do Lula só ao lado de pobre, como se hoje em dia ele não preferisse a companhia e a amizade de milionários e todas as benesses que isto traz.

As novas companhias de Lula não podem ser fotografadas ao seu lado.: não são pobres, não são negros, não são feios.

Há quem se engane que Lula ainda prefira uma cachacinha. Precisam se enganar, na verdade.

Responder

    Arilson Barbosa

    04/02/2016 - 23h30

    Lukas – Aécio Neves conhece bem a “cachacinha”! Recusou-se a fazer o teste do bafômetro em britz da Lei Seca no Rio, em 2013, e, ainda, teve a habilitação apreendida por estar com o documento vencido. Isto é fato! Diferente do subjeivismo com que você trata o assunto da “cachacinha” do Lula!

    Sidnei Brito

    05/02/2016 - 01h09

    Lukas, imagino que você seja bem jovem.
    Portanto talvez você não fosse nem nascido quando vi Lula participar de um programa memorável na TV Gazeta de São Paulo.
    Foi muito antes de ele começar a ganhar eleições.
    Pergunta de uma telespectadora lida pelos apresentadores do tal programa: “Lula, você fala muito de pobre, diz defender pobre, mas hoje em dia você não olha mais para os pobres. Conheço gente que já te viu em restaurante chique de São Paulo, com gente metida a bacana, comendo comida da boa e bebendo vinho importado”.
    Faz muito, mas muito tempo. Não me lembro, pois, dos detalhes da pergunta acima, acerca da qual possa ter exagerado em algum ponto.
    Pelo mesmo motivo, também não me lembro exatamente da resposta, claro. Quando digo que faz muito tempo, é porque faz mesmo! Mas Lula respondeu mais ou menos assim:
    “Olha, minha querida, quem disse isso pra você provavelmente falou a mais absoluta verdade. Realmente, de vez em quando, vou mesmo a restaurantes bons com gente de boa condição. Adoro boa comida e boa bebida. Mas olha, minha querida (na verdade, ele repetia o nome da telespectadora, que, é claro, eu não me lembro, pois faz muito tempo…), Mas olha, fulana, se agora você vier aqui na Gazeta e me convidar pra comer na sua casa ou se quiser que a gente vá a um botequinho bem ajeitadinho numa quebrada qualquer para comer um tira-gosto e tomar uma cervejinha, com a companhia duns amigos meus que estão esperando lá fora e mais os amigos jornalistas que estão aqui, pode apostar: eu iria adorar também!”
    Não me lembro bem, pois faz muito, muito, mas muito tempo. Devo ter dado uma romanceada. Talvez tenha até piorado os termos da pergunta e da resposta. Mas de algo eu me lembro muitíssimo bem: os jornalistas que entrevistavam Lula, alguns até bastante hostis, caíram na gargalhada. Acho que a Maria Lídia chegou a ensaiar umas palmas. Mas ela não vale: ao menos naquela época era muito respeitosa com Lula.
    No mais, dê uma olhada no site do Instituto Lula. Talvez você fique menos chocado com as fotos lá.
    Abração.

    Mauricio Gomes

    05/02/2016 - 06h45

    Acho que quem está enganado é você, caro fascista. Por acaso já viu seu ídolo FHC alguma vez perto dos pobres? O Lula ainda tem muito prestígio entre as camadas mais populares, justamente aquelas que pessoas como você despreza.

    Tacio

    05/02/2016 - 09h38

    Lukas deixa de ser burro. Lula sempre esteve e sempre estará entre os pobres. Agora você, vá pra junto dos seus: SerraMarginal, AlkiminMerenda e AécioPorto.

    Lukas

    05/02/2016 - 11h34

    Arilson Barbosa: Aécio, assim como Lula, prefere hoje em dia um bom, e de preferência, velho, whisky. Ambos estão muito além da cachaça.

    Sidnei Brito: todo político gosta de pobre, são eles que o elegem. A história que você contou do Lula provavelmente é verdadeira e Lula disse isto sinceramente, mas não invalida o que eu disse. Hoje ele anda muito mais com os poderosos do que com os pobres, vai muito mais a restaurantes sofisticados do que no boteco. Contudo, toma-se o cuidado de não se divulgar fotos de Lula ao lado dos poderosos. Por exemplo, Lula passou o reveillon de 2014 e 2015 em Angra dos Reis na mansão do dono da Qualicorp. Problema, não, mas você não verá o Instituto Lula divulgado fotos. Fosse numa favela, teriam o mesmo cuidado?

    Mauricio Gomes: vi várias vezes FHC com pobres quando em campanha, ele até montou num burrinho no nordeste e colocou chapéu de couro. Foi sincero, provavelmente não, afinal estava em campanha. Só acho que os objetivos de Lula são os mesmos que do FHC. Você, provavelmente, não.

    Tácio: assim é se lhe parece e faz bem a sua alma. Todos temos que acreditar em algo, você escolheu o Lula.

    Sidnei Brito

    05/02/2016 - 15h43

    Ora, Lukas, por tudo o que você escreve por aqui, você gosta de poderosos e dos candidatos dos poderosos.
    Qual o problema de Lula e eu gostarmos de poderosos também? Ele não negou isso há mais de vinte anos e, desconfio, não negaria agora também.
    Passou o reveillon em Angra? Que bom. A maioria das pessoas passaria, se pudesse.
    Você poderia também falar dos encontros de natal com os catadores de papel em São Paulo, que foi tradição nos seus anos de governo. Mas quando você via isso, provavelmente em seu íntimo considerava uma iniciativa populista. Cansei de ouvir meus amigos liberais-conservadores dizerem isso.
    Aliás, esse é o drama: se sai com o rico, é falso, mentiroso, aproveitador etc.; se privilegia o encontro com o pobre, é o populista demagogo.
    Resumindo: é bom ser Fernando Henrique!

Deixe uma resposta