VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Ibope: Russomano despenca, Haddad estanca e Chalita sobe

02 de outubro de 2012 às 19h22

por Luiz Carlos Azenha

Segundo o Ibope, o candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomano, caiu sete pontos em uma semana (de 34% para 27%).

Quem se beneficiou mais?  Gabriel Chalita, do PMDB, foi de 7 para 10%.

Fernando Haddad, do PT, ficou parado nos 18%. José Serra, do PSDB, foi de 17% para 19%.

Como a margem de erro é de + ou – 3%, o único dado verdadeiramente significativo da pesquisa é a queda de Russomano.

O tracking interno do PSDB registrou a queda de Russomano e mostra Serra com 4% de vantagem sobre Haddad.

O tracking interno do PT mostra Haddad dois pontos adiante de Serra.

Isso significa que o cancelamento do debate da TV Globo, o que teria maior audiência, prejudicou especialmente o candidato petista.

A condenação dos réus do núcleo político do PT, prevista para as próximas horas, também deve prejudicar Haddad, especialmente pelas manchetes que vai gerar até domingo (não se esqueçam da cobertura do Jornal Nacional).

Porém, há que considerar o efeito da presença do ex-presidente Lula e da presidente Dilma na reta final. Além disso, o PT tem tradição de crescer na hora agá.

Por tudo isso, os eleitores paulistanos terão domingo uma eleição municipal completamente imprevisível, independentemente do que disserem os institutos de pesquisa.

Só vamos saber quem vai para o segundo turno na hora da apuração.

Não dá para descartar uma final entre Serra e Haddad.

Leia também:

Memória: Queimando a língua com as pesquisas

Na ONU, Dilma critica guerra cambial, islamofobia e bloqueio a Cuba

Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento”

Lincoln Secco: A esquerda precisa ver os pobres como sujeitos históricos

Roberto Amaral: É preciso vomitar o “sapo barbudo”

 

26 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

02/10/2012 - 23h55

.
.
As últimas décadas, os últimos anos e as próximas horas

Por Saul Leblon, no Blog das Frases – Carta Maior

Quis o destino que a resposta da Presidenta Dilma Rousseff à soberba ‘paulista’ de Serra acontecesse num simbólico 2 de outubro.
Nessa data, há 80 anos, Getúlio Vargas derrotou a secessão da oligarquia de São Paulo, cuja marca de fantasia se atribui o rótulo de ‘revolução constitucionalista de 32’.

O tucano que se gaba de já ter disputado sete eleições para cargos executivos, enfrenta um crepúsculo de campanha -talvez de vida pública – perfilando assim no lado que lhe compete na história.

Em 12 de setembro, ao ranger do chão da candidatura que pode marcar a sua despedida política, Serra vestiu a farda da nostalgia separatista. E evocou prerrogativas pré-republicanas sobre o eleitorado de São Paulo.

Como um guardinha de 32, desengavetou a carabina da resistência à construção do Estado nacional, implementada então por Getúlio Vargas. E apontou a mira contra aquela cujo cargo e trajetória política simbolizam a presença de Vargas no Brasil atual.

“Ela vem meter o bico em São Paulo; ela que mal conhece São Paulo, vem aqui dar palpite”, disparou o tucano para gozo da mídia oligarca que se esponjou em manchetes nostálgicas.

A filiação da frase foi captada pela Presidenta gaúcha Dilma Rousseff.

Uma saraivada de recados históricos soterrou o tucano na sua resposta. Em um palanque na periferia de São Paulo, junto a um conjunto popular, ao lado de um líder operário que ultrapassou as expectativas mais otimistas de Getúlio e se fez presidente por duas vezes, bem como do adversário direto de Serra no pleito municipal, Fernando Haddad, Dilma foi ao ponto.

Deu uma lição de republicanismo ao porta-voz do apartheid conservador nos dias que correm.

Disse a Presidenta :

“Eu morei na Celso Garcia; lutei contra a ditadura aqui; fui presa política em São Paulo. Foi pelas liberdades, pelo direito de cada um dos paulistas e dos brasileiros de meter o bico em todos os assuntos que eu lutei aqui em São Paulo. Devo a São Paulo não só respeito, mas gratidão por ter me protegido. Por isso, quem vai governar essa cidade é muito importante para a presidenta. Eu estou aqui metendo o bico em uma eleição porque para o Brasil, São Paulo é muito importante. E não tem como dirigir o Brasil sem meter o bico em São Paulo”

Em síntese, ela explicou a sinhozinho Malta que, desde Getúlio, São Paulo não é mais uma sesmaria consuetudinária dos endinheirados.
Seu povo não compõe um protetorado eleitoral tucano; e ela, a exemplo de Vargas, em 30 e em 50; de Lula, em 2002 e 2006, não se sujeita às regras de quem arrota retórica liberal.
Mas dispensa ‘aos de fora’ – os ‘baianos’, os gaúchos, os operários, os comunistas – as armas da capangagem política mais conveniente à ocasião.

Ontem, a secessão à bala; hoje, o golpismo conservador calibrado pela fuzilaria interrupta do bombardeio midiático. Não cometerá desatino histórico quem incluir na engrenagem dessa cortina de fogo o circo criado em torno do julgamento do processo 470.

Em alguma medida, neste caso também, são ‘os de fora’ que estão sendo julgados, sob critérios de uma exceção definida e vocalizados pelos d ‘de dentro’, através do seu aparato midiático.

É o PT que surgiu de baixo em afronta à regra não escrita dos partidos feitos pelo e para o dinheiro grosso comandar a vida do Brasil miúdo.

São lideranças que, ademais das concessões e renúncias –e por mais que às vezes remetam à imagem do cardume exaurido levado pela correnteza depois de vencer os pedrais da piracema– demarcaram um campo popular de extensão inexistente no Brasil até então. E inédito no mundo redesenhado pela derrocada do projeto socialista, após a queda do Muro de Berlim, em 1989.

Foi o contraponto dessa gênese de vigor paradoxal que atraiu para o PT o olhar da esperança progressista mundial; mas também o ódio tenaz dos que imaginavam ter erradicado ‘essa raça para sempre’, com o efeito dominó subsequente ao colapso da ex-URSS e da supremacia neoliberal.

Três vitórias presidenciais sucessivas abalaram as certezas dos que consideravam questão de tempo destruir a exceção petista dentro das regras do jogo.

Não é preciso ser de esquerda para admitir que esse abalo influencia nesse momento a redefinição das fronteiras da norma, do bom senso e da isonomia no julgamento em curso no STF.

Está no ar, mas é de tal maneira denso que se pode cortar com uma faca: uma engrenagem gigantesca se move para desacreditar por outros meios, aquilo que se consolidou como referência de luta pela democracia social no país e no imaginário do povo.

Não se poupa aqui de reprovação a prática do caixa 2 de campanha. Sobre isso Carta Maior já disse e sublinha: ela amesquinha projetos progressistas, aleija suas lideranças, desmoraliza a soberania do voto popular.O que causa espécie, todavia, é o esforço concentrado para distinguir o caixa 2 cometido pelos ‘ fora’ (a ‘companheirada’, no tratamento quase racial do jornalismo isento), daquele precedido na natureza e no calendário pelos ‘de dentro’.

Tal malabarismo assumiu dimensões e contornos de sofreguidão caricatural na a pulsão condenatória de mídias e togas , que nunca antes , ‘nem depois’, vaticinou o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos em entrevista à Carta Maior – reproduzirão o mesmo tratamento para igual delito.

Quando Vargas derrubou as oligarquias da República Velha que se perpetuavam na Presidência à base do Café com Leite, irritaria sobremaneira aos ‘liberais’ paulistas a legalidade concedida aos sindicatos operários e ao Partido Comunista.

O apoio do novo governo a um aumento salarial reivindicado por uma greve geral que paralisou 200 mil trabalhadores no Estado de São Paulo pode ter sido a gota d’água da ‘intentona constitucionalista’.

Muitos estudiosos enxergam nesse entrelaçamento histórico a semente de um conflito entre duas linhagens frontalmente distintas de democracia e de projeto para o país: de um lado, um Brasil ordenado pela democracia social; de outro, uma sociedade circunscrita pela democracia de recorte liberal, vista pelo tenentismo mais aguerrido dos anos 30 como uma farsa.

Os ecos desse conflito ainda comandam a disputa política brasileira no século XXI.

Foi isso que o dedo de Dilma apontou em direção a Serra no discurso desse 2 de outubro encharcado de referências históricas implícitas e explícitas.
É de alguma maneira a extensão desse embate que se assistirá nas próximas horas no STF, no julgamento de lideranças petistas, entre elas José Dirceu e Genoíno.

O calendário ordenado com o definido propósito de tornar eleitoralmente desfrutável esse momento autorizará o historiador do futuro a arguir se aquilo foi um julgamento isento. Ou terá sido mais um capítulo da tentativa recorrente, desde 1932, de impedir que os ‘de fora’ venham meter o bico nos destinos da ‘São Paulo ampliada’, que é como os ‘de dentro’ enxergam o Brasil.

http://www.cartamaior.com.br/templates/postMostrar.cfm?blog_id=6&post_id=1106

Responder

Ananda

02/10/2012 - 23h14

Da militância do PT, ouvi hoje que o tracking é: Russomanno 28%, Haddad 22%, Serra 17%

Responder

Mateus

02/10/2012 - 23h03

Vou ser otimista. Aposto na consciência do povo de São Paulo. Acho que a grande maioria já se decidiu em quem vai votar. Pelo menos no primeiro turno. Apenas para marcar presença vão votar em quem gostariam de ver na prefeitura. Depois no segundo turno vai ser pra valer. Apensar toda a cobertura do PIG, em cima do mensalão, acho que não vai influenciar tanto assim na eleição. Isso pelo fato de que a previsão da condenação do Dirceu, já foi muito mastigada. A Globo principalmente já falou tanto, mas tanto no mensalão, que já extrapolou o nível de consciência racional. O povo não esta, tão desinformado assim não. Hoje, há muitas vias de para se informar. Há muitos pontos que me levam a crer nessa pouca influência do mensalão. Mas o que resumi isso é a forma de se informar hoje é deferente de ontem. E o povo esta acompanhando.

Responder

Regina Braga

02/10/2012 - 22h28

O povo do Ibope, não é o mesmo ligado ao Detran ? Por doze bilhões só pode dar o Coiso empatado com o Haddad!Celso…já foi pitta.

Responder

Leilane

02/10/2012 - 22h26

Azenha

“José Simão: o pancake do Russomano tá derretendo!”

Melhor impossivel!!! obvio que o Globope está manipulando para que o Cerra não saia da segunda colocação, o cancelamento do debate foi: a Record poupou o Russomano e a Globo poupou o cerrote, pois qualquer um dos dois seriam triturados pelo Haddad. Povo de São Paulo se livre dos dois.Vote 13.A militância do PT de Sampa dá de 1000 e vai ter virada vermelha!!! Que vai, vai!!

Responder

Leilane

02/10/2012 - 22h17

“José Simão: o pancake do Russomano tá derretendo!”

Melhor impossivel!!! obvio que o Globope está manipulando para que o Cerra não saia da segunda colocação, o cancelamento do debate foi: a Record poupou o Russomano e a Globo poupou o cerrote, pois qualquer um dos dois seriam triturados pelo Haddad, mas a militância do PT de Sampa dá de 1000 e vai ter virada vermelha!!! Que vai, vai!!

Responder

FrancoAtirador

02/10/2012 - 22h06

.
.
SÃO JOSÉ DOS CAMPOS COLOCA O PSDB NO DEVIDO LUGAR: FORA DA PREFEITURA!

Carlinhos Almeida (PT)….56%

Alexandre Blanco (PSDB).. 27%

Cristiano Ferreira (PV)… 2%

Antonio Alwan (PSB)……..1%

Ernesto Gradella (PSTU)….1%

Fabrício Correia (PSDC)….1%

Gilberto Silvério (PSOL)…0%

Branco/nulo…………….5%

Não sabe/não respondeu…..7%

Responder

José Maia

02/10/2012 - 22h05

A Globo não fez muito esforço pelo debate exatamente porque quem mais prejudica é a Haddad

Responder

laura

02/10/2012 - 21h43

Eu não acredito nessa pesquisa.

Responder

Fabio Passos

02/10/2012 - 21h33

Chegou a hora de cravar uma estaca no vampiro do PiG.
O sepultamento de serra vai despoluir muito a política no Brasil.

Responder

José X.

02/10/2012 - 21h15

Nunca me convenci da enorme vantagem que as pesquisas dão para o Russomano.
Com a direita toda dividida (Russomano, Serra, Chalita) é muito difícil que Haddad não vá para o 2º turno.

Responder

Marcos Doniseti

02/10/2012 - 20h58

Russomanno cai 7 pontos e Haddad não sobe nenhum, sendo que o perfil do eleitorado deles é muito semelhante, ou seja, da periferia paulistana?

kkkkkkkkkk

Ibope, não se esqueçam, disse que Marta teria 14% dos votos em 1998 e que estava fora da disputa do 2o. turno. E ela teve 22,5% dos votos, quase tirando o Covas do mesmo.

Datafolha disse que Mercadante iria ter apenas 28% dos votos em 2010, ele teve 36%. Alckmin iria ter 55% e teve 50,6%, quase indo para o 2o. turno.

Datafolha e Ibope são aliadas de Serra e tem credibilidade zero, portanto.

Responder

    FrancoAtirador

    02/10/2012 - 22h59

    .
    .
    Essa sondagem do Globope foi encerrada antes do comício do Haddad com Dilma e Lula.

    Depois que Dilma Rousseff “meteu o bico em São Paulo”, o candidato do PT cresceu 5% nas intenções de voto.

    Além disso, os votos que agora se deslocam de Russomano para Chalita acabarão por se consolidar muito mais em Haddad do que em Serra que está com 38% de rejeição, no mínimo.

    E, ao contrário do que a mídia oligárquica mafiosa tenta fazer parecer, Fernando Haddad tem uma candidatura sólida, porque é a única que tem conteúdo programático, com propostas concretas, algumas inclusive inovadoras, para resolver os inúmeros problemas da cidade de São Paulo inerentes à terceira maior metrópole do Planeta.

    Nesse ritmo, mesmo com toda a exploração midiática do ‘mensalão’, no final da semana, Haddad chegará em primeiro lugar no dia da eleição.

    Com Globope ou sem Globope, com DataFrias ou sem DataFrias, a disputa para conseguir chegar no segundo turno é e será entre Serra e Russomano.
    .
    .

assalariado.

02/10/2012 - 20h47

Conceição, Azenha e internautas. Gostaria de trazer para debates (se possivel), este post colocado lá no vermelho. Que convida quem possa ir na sexta feira próxima, nesse evento na capital(sp), dia 05/ 10 /12, às 20 hs, na praça Roosevelt, centro. O nome do evento chama -se: “Amor sim Russomanno não.”

E aproveito para colocar uma parte do artidgo lá escrito:

“Celso Russomanno não é apenas Celso Russomanno. É o fruto da despolitização, da passividade civil e da preguiça mental diante da falência do sistema político tradicional. A vitória dele nas eleições municipais seria a materialização de uma tragédia, a vitória de uma escola política que ainda ecoa da ditadura. E pode significar não apenas o aprofundamento da São Paulo policialesca e proibida. Mas a criação de uma nova força política nacional fincada que ameaça o estado laico e as causas progressitas.”

Abraços Socialistas.

Responder

sérgio

02/10/2012 - 20h46

Trabalhar por votos do serra é a missão do PT.

Responder

Mario

02/10/2012 - 20h46

VEJAM PORQUE O ALI KAMEL CANSELOU O DEBATE NA GLOBO DE SÃO PAULO:

É que quando deixam o Haddad falar, o cara é show de bola.

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

Responder

Luana

02/10/2012 - 20h16

Bela análise, é isso mesmo. Só complemento com escândalso “coincidentemente” criados com candidatos petistas por todo o país para ter impacto maior em SP.

Responder

Mario

02/10/2012 - 20h16

INTRANQUILIDADE

É… A se “confiar” nas pesquisas, a conclusão é que nem mesmo a pesquisa boca de urna será confiável.

Parece que só domingo por volta das 23:30 h é que saberemos quem chegou ao segundo turno. Nesta reta final de campanha, até o Russomano está ameaçado.

Os ministros do mensalão devem estar exultando. E o PIG que os pressionou, também.

Nunca o PT precisou tanto de sua militância como agora. Só temos quarta, quinta, sexta e sábado e descontando disso tudo a condenação do Dirceu.

Responder

Mailson

02/10/2012 - 20h00

EXTRA! EXTRA!

SERRA ADMITE QUE MENSALÃO É GOLPE

“Serra afirmou que o governo Lula está sendo “condenado” pelo Supremo Tribunal Federal”

Ver matéria completa em

http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/10/02/cerra-admite-que-mensalao-e-golpe/

Responder

Benedito

02/10/2012 - 19h50

Serra e pig vão se unir na baixaria e no escrúpulo zero nesta reta final, a poucos dias da eleição. Teremos dias trevas até domingo. Campanha do Serra já manda SMS dizendo: “Aqui é o Maluf, obrigado por apoiar Haddad”. Na periferia, os padres católicos dizem que Russomanno vai acabar com o feriado de Nossa Senhora Aparecida. É tudo ou nada pro Serra.

Responder

Julio Silveira

02/10/2012 - 19h41

É, parece que o povo de São Paulo sabe a turma que tem.
Ter que escolher entre seis e meia duzia está deixando o povão exausto.

Responder

Vlad

02/10/2012 - 19h40

O tracking interno do PT mostra Haddad dois pontos adiante de Serra.”

Chama o técnico que travou a engenhoca.

Responder

Tetê

02/10/2012 - 19h27

É, os caras do PIG sabem das coisas e como fazê-las. Não há dúvida nenhuma. Mas eu acho que Haddad pode surpreender e ficar á frente do Russinho. Escreve aí, pode dar o fenômeno Erundina, lembra?

Responder

    Silvio - Sampa

    02/10/2012 - 21h31

    Estou certo disso tambem.

Fabio SP

02/10/2012 - 19h25

“O tracking interno do PT mostra Haddad dois pontos adiante de Serra.”

Ué, mas o IBOPE não dizia o mesmo antes? Será que o DataFolha estava tão errado assim?

Responder

    lulipe

    02/10/2012 - 20h25

    E eu acredito no saci-pererê, Fabio….

Deixe uma resposta