VIOMUNDO

Capez se elegeu nas costas das organizadas; agora, toma o troco

14 de fevereiro de 2016 às 23h10

Captura de Tela 2016-02-14 às 23.37.58

As faixas da Gaviões, Capez e a esposa em manifestação pelo impeachment; ela trabalha na Procuradoria Geral que vai investigar o marido citado por delatores como envolvido na máfia da merenda

Da Redação

O presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo ganhou notoriedade nos anos 90, quando era promotor público.

Ele abraçou a luta contra a violência das torcidas organizadas e chegou a sugerir a extinção de duas delas, a Mancha Verde e a Independente.

Com isso, ganhou generoso espaço midiático.

Agora, chegou a hora do troco. Na partida contra o São Paulo, na tarde deste domingo, a Gaviões da Fiel exibiu a faixa: “Quem vai punir o ladrão de merenda?”.

É uma clara alusão a Capez, um dos denunciados por delatores por envolvimento com a máfia da merenda que atuou no governo de Geraldo Alckmin.

A Gaviões também levou faixas contra a Globo, os ingressos caros, a CBF e a FPF.

O fato é que as torcidas organizadas já não interessam tanto assim aos grandes clubes, apesar do espetáculo que oferecem nas arquibancadas.

Elas costumam cobrar ingressos gratuitos ou com desconto das diretorias, o que vai contra o espírito do futebol-empresa das arenas multiuso.

O presidente do Palmeiras, por exemplo, tem uma relação distante com todas as organizadas do clube. Ele argumenta que o cordão de isolamento em torno das organizadas pode custar até 5 mil lugares no novo estádio do Palmeiras.

No Rio, o processo de expulsar os mais pobres dos estádios ganhou força com a extinção das gerais no Maracanã. Sumiram os ingressos verdadeiramente populares.

O ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, disse que o Itaquerão seria um shopping center com um campo no meio.

É essa justamente a ideia: como nos cassinos de Las Vegas, levar toda a família ao estádio. Enquanto mamãe fica fazendo compras, papai vê o jogo, ou vice-versa. A ida ao estádio é um programa: o torcedor gasta com ingresso, estacionamento, camiseta, alimentação…

É um processo que tende a gentrificar as arquibancadas.

As faixas da Gaviões da Fiel demonstram que a torcida do Corinthians não vai assistir calada.

Leia também:

Paulo Nogueira Batista Jr.: Sossega, viralata!

 

14 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Sebastião

24/02/2016 - 18h25

De parabéns o autor pela qualidade e importância informativa da matéria, por sua corajosa e feliz iniciativa política (não partidária), de dar exemplo e praticar democraticamente, a cidadania e, por dar contribuição fundamental para a diminuição do analfabetismo político, cívico e cidadão e que concorra para a conscientização da maioria de nosso povo que vota, para que entenda que ele não é manada e/ou inocentes úteis, dos que se acham donos do Brasil.
Faço votos, de que essa prática decente e responsável da torcida do Corinthians, passe a ser adotada daqui para afrente, por todas as torcidas de nosso país, não para que, a exemplo, de parte de nossa imprensa que aliena e desinforma os cidadãos e chutam contra o gol e as metas do Brasil, sem a menor ética e pudor, isto é, primeiro condenam publicamente para depois procurar o crime para fundamentar sua conclusão.
Todos os cidadãos brasileiros, esse é nosso entendimento, são favoráveis e aprovam o combate e a repressão exemplar, da corrupção e da sonegação em nosso país, de forma legal, igualitária e justa para todos, bem como por uma investigação em tempo real e pela conclusão dos processos pendentes e/ou parados, de todas as denúncias, ocorrências e pessoas denunciadas.
No entanto, os cidadãos e contribuintes não aprovam, não admitem e nem devem aceitar, é a utilização das instituições públicas e nem a ação abusiva e sem ética de seus agentes investidos da autoridade pública e pagos com dinheiro público, para fins outros que, não sejam, defender nosso país, buscar sempre a verdade, promovendo e fazendo justiça para todos, igualitariamente. Nesse partilhar, parte da nossa imprensa ideológica, por não informar e nem instruir o povo como deveria, acumula um passivo nocivo à cidadania, significativo, motivo pelo qual, se quiser, tem a oportunidade de colaborar e de se redimir dessa dívida histórica com a sociedade, começando a publicar informações e matérias verdadeiras e positivas sobre nossa nação e nosso país, a exemplo da imprensa ianque e neo-neoliberal, do país que eles tanto admiram,
À luz de tudo isso, pautar suas ações, identificando e investigando de forma imparcial, todas e quaisquer ocorrências e/ou denúncias, independente de quem seja a pessoa envolvida, indiciando, processando e punindo os culpados, depois de julgados de forma justa e imparcial, respeitando a CF, o estado de direito e protegendo a democracia brasileira. Da mesma forma, conhecido a autoria de fatos parciais e/ou de procedimentos ilegais e sem ética, protagonizados por quaisquer agentes públicos e/ou privados que, interfiram nos trabalhos de apuração em andamento, dos órgãos e autoridades competentes, em benefício de uma das partes envolvidas, a autoridade competente no caso, deverá, sob pena de conivência e omissão, promover a imediata investigação da ocorrência, enquadrar o infrator e puni-lo na forma da lei.
Há que atentar-se, como forma de se melhorar o Brasil, iniciar-se pela valorização e respeito ao estado de direito e dos direitos das pessoas, pelo fortalecimento das instituições e pela proteção da democracia, promoção da paz e da justiça, coibindo-se, proativamente, com a aplicação da lei para todos: o abuso de poder e de autoridade; os vazamentos ilegais de informações; a perseguição e o patrulhamento ideológico; os prejulgamentos dos atos investigados e não julgados; os pichadores de reputação dos cidadãos; etc,.
São essas as nossas sugestões e opinião.
http://jornalggn.com.br/blog/ion-de-andrade/quando-o-rei-cai-ha-xeque-mate-por-ion-de-andrade ;
http://www.viomundo.com.br/politica/dom-orvandil-mirian-dutra-abre-o-armario-de-fhc-e-joga-na-cara-dos-brasileiros-os-cadaveres-podres-do-ex-presidente-que-foi-cruel-machista-desumano-sem-carater-e-imoral.html ;

Responder

Urbano

16/02/2016 - 18h02

Intuitivamente, há muito que eu acredito que um dos poderes seja bem mais capez do que os outros dois juntos… Caso não houvesse as exceções e sua pujança, o Brasil já teria sucumbido no inferno de ‘dantas’…

Responder

Marcio Ramos

15/02/2016 - 18h49

Lembrar que a mafia da merenda vem do tempo do Covas. A familia Alckmin e até o irmão da Lu Alckmin – que foi casada com aqueles traficante que assassinaram no tempo da operação Anaconda – estão envolvidos. Depois o PCC que é partido criminoso? Ah…

Responder

José de Pindorama

15/02/2016 - 18h18

Caro Pedro, (15/02/2016 – 01:31), muito obrigado pela sua oportuna retificação.
Causa profunda indignação:
– redução de vagas no ensino técnico (50%), logo após que o Governador foi reeleito;
-‘reestruturação escolar’, ou seja, redução de vagas no ensino médio, sem sequer discutir com a população;
-e agora, mais um escândalo, o da merenda escolar;
-quantos mais escândalos serão descobertos?
A se confirmar essa tragédia da merenda escolar, vê-se claramente, que o Governo estabelecido no Estado de São Paulo, tem firme propósito de precarizar a educação estadual e/ou privatizá-la.
O Judiciário, já foi suficiente provocado, precisa dar uma resposta condizente à população, conhecemos e temos a certeza que existem pessoas ilibadas, íntegras, no trato da coisa pública — é para esses que apelamos; que se faça Justiça!

Responder

Luís CPPrudente

15/02/2016 - 16h46

Fernando Capez, esse nome indica muita honestidade e merenda escolar.
Quanto às torcidas organizadas, sempre enxerguei nelas um grupo de pessoas que só provocam bagunças, destruição de bens públicos e matanças de inocentes. Elas podem mudar esse histórico e denunciar nos estádios a corrupção ligada à famiglia Marinho.

Responder

Rodrigo

15/02/2016 - 16h32

Ok, o protesto é valido, Capez um pilantra aproveitador, a Globo é um câncer e existe sim um processo de elitização do futebol partindo de todos os clubes de massa querendo imitar o projeto europeu. Mas dizer que organizadas representam o povão que ia ao estádios é uma mentira deslavada. Tudo o que esse pessoal quer é lucrar em cima do clube sem devolver nada em troca.

Temos que trazer de volta o peão que recebe salário mínimo e que no fim de semana queira curtir o jogo com seus amigos ou com a famila. O playboy que esquece o jogo pra postar foto no Instagram e o organizado que quer entrar de graça e ainda receber do clube não fazem falta alguma.

Responder

sergio ribeiro

15/02/2016 - 14h53

Por mim essas uniformizadas deveriam já ter sido expulsas dos estádios faz tempo. Vivem protagonizando espetáculos deprimentes, como neste último fim de semana, em que praticamente fecharam uma rodovia para brigar.
Conheço-os de perto, quando frequentava mais estádios. São valentões em bando, brutamontes com mentalidade de 10 anos, vivem intimidando os outros torcedores, fazem todo tipo de comentário preconceituoso, racista e homofóbico e se acham os donos dos estádios. Além de trazer um longo currículo de mortes e tragédias recorrentes.
O futebol melhorou muito quando se livrou deles; pegue o exemplo da Inglaterra.

Responder

FrancoAtirador

15/02/2016 - 11h49

.
.
OS INTOCÁVEIS DO MINISTÉRIO PÚBLICO TUCANO
.
Fernando Capes, Promotor Público em São Paulo.
.
Roberto Senise Lisboa, Promotor Público em São Paulo.
.
Demóstenes Torres, Procurador de Justiça em Goiás.
.
Walber Nascimento, Promotor Público em Amazonas.
.
Carlos Fernando Barbosa de Araújo, Promotor Público em Alagoas.
.
(http://www.alagoas24horas.com.br/886187/promotor-condenado-por-estupro-e-transferido-para-o-corpo-de-bombeiros)
.
(http://acritica.uol.com.br/noticias/manaus-amazonas-amazonia-Corregedoria-Nacional-Ministerio-Publico-promotores-justica-acusados-corrupcao-politica_0_919108096.html)
.
(http://www.conjur.com.br/2015-ago-20/juiz-promotor-livram-condenacao-padeiro-traido)
.
.

Responder

Andre Marx

15/02/2016 - 05h42

Possibilidades praticamente nulas de se apurar algo nesse esquema do ‘Merendão Tucano’. Alckmim faz o que bem quer na Assembléia Legislativa e como se só isso não bastasse, conta com o apoio dos barões midiaticos. Verdade é que aqui no Brasil tucano tem licença pra roubar.

Responder

José de Pindorama

14/02/2016 - 23h40

Comentaristas, Boa Noite.
Não sou Corinthiano; tenho um apego modesto pelo futebol. Contudo, diante do conteúdo dessas faixas apresentadas, pelo que parece, por torcedores do Corinthians em jogo recente, neste domingo; faz precipitar uma centelha de esperança.
Nunca cogitei em parabenizar, torcedores de algum clube de futebol por demonstrações de amadurecimento político; não obstante, todos antes de serem torcedores, são cidadãos. Parabéns àqueles que desfraldaram essas faixas, tenham paixão pelo seu clube; mas lembrem-se, a vida não se resume somente a clubes de futebol!
Apenas um reparo, dentro do foco dos torcedores, a frase ‘Quem vai punir o ladrão da merenda?'; deveria ser grafada no plural.
Amantes do futebol e do desporto, antes de tudo, vocês são seres humanos, cidadãos, e têm familia; não deixem que essa centelha de esperança se apague. Haverão eleições futuras, conheçam seus candidatos, seu histórico, sua trajetória de vida, ficha limpa, seu partido. Vamos votar com qualidade, o Estado de São Paulo precisa disso, já foi por demais maltratado.

Responder

    Pedro

    15/02/2016 - 01h31

    Apenas um reparo: o verbo haver, no sentido existir não varia. Portanto: haverá eleições… . Vai, Corinthians!

Deixe uma resposta