VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Aroldo Bernhardt: A pancada mal dada na jararaca despertou o Lula e a militância

05 de março de 2016 às 16h51

Aroldo

Como matar uma jararaca!

por Aroldo Bernhardt, especial para o Viomundo

A jararaca é um animal da classe “reptilia”, do gênero “bothrops” de bote muito rápido, certeiro e mortífero. Sexta-feira em sua fala, Lula, usando da sua extraordinária habilidade de se comunicar por metáforas, igualmente certeiras e mortíferas, mencionou a serpente. Para matar a cobra é preciso “acertar a cabeça” disse ele. Ele foi certeiro e mortífero. A pancada mal dada despertou o Lula, acordou a militância e estimulou os movimentos sociais.

Foi certeiro porque sempre esteve à disposição e ao alcance para prestar esclarecimentos. Aliás, segundo o ministro Mello, do Superior Tribunal Federal, a Polícia Federal deveria ter “observado os parâmetros normais” e disse mais, “um ex-presidente da República, sem ter oposto resistência física, ser conduzido coercitivamente revela em que ponto estamos. A coisa chegou ao extremo”.

Foi mortífero para as pretensões golpistas, porque agora restam apenas duas opções: julgar e condenar Lula de alguma forma ou, caso contrário, com o golpe mal desferido, acabam transformando o molusco em cobra, injetando nele a vontade inquebrantável de lutar. E se Lula chamar, o povo vem.

E o povo vem porque sabe que o golpe não é contra Lula, Dilma e o PT. É contra 54 milhões de eleitores, é contra 22 milhões que deixaram a pobreza extrema para trás. É contra as políticas sociais que praticamente eliminaram a miséria no Brasil. Miséria histórica, atávica, contra a qual os representantes do golpismo pouco ou nada fizeram, quando governaram.

Marx dizia que a história se repete a primeira vez como tragédia e a segunda como farsa. E isso me lembra a noite de 13 de dezembro de 1968 com o AI-5 à solta, Juscelino foi preso e, além dele, obviamente Jango e também Gilberto Gil, Caetano Veloso, Ferreira Gullar, Carlos Heitor Cony e muitos mais. Outros fugiram, Fernando Henrique Cardoso, por exemplo, e outros tantos foram para a luta armada.

E hoje a história de fato se repete. Coincidência de métodos, coincidência que enseja a escuridão. Mas a luz prevalecerá!

Aroldo Bernhardt é professor universitário aposentado

Veja também:

Bob Fernandes: Coerção de Lula foi passo calculado do espetáculo político-midiático 

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

8 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Sérgio

06/03/2016 - 06h25

Já é tempo de a opinião pública acordar para o que é efetivamente relevante em todo esse processo. Trata-se de um ataque frontal à soberania brasileira em seus pontos mais salientes, a saber, a indústria estratégica de energia e a indústria estratégica de Defesa. Recorde-se que todos esses eventos na Petrobrás foram precedidos de escutas telefônicas por agência norte-americana na empresa e no Planalto, ao que se seguiram contatos formais entre os promotores federais brasileiros, na condição de vassalos, e autoridades norte-americanas.
http://jornalggn.com.br/noticia/balao-de-ensaio-para-medir-a-reacao-a-prisao-de-lula-por-j-carlos-de-assis

Responder

Sérgio

06/03/2016 - 05h28

DAS no encalço de Moro!

Responder

Luiza

05/03/2016 - 21h58

Sim, Moro acordou a militância para ir prá rua porque é lá que ele e os golpistas serão destruídos. O tiro foi no pé.
O problema é que o outro lado não brinca em serviço e a nossa refinaria da Petrobras Pasadena acaba de explodir nos EUA. Guerra é guerra.
O desespero para derrubar o sistema de partilha e liberar geral o pré-sal sofreu um duro golpe com essa atitude irresponsável do Moro porque para 65% dos 15mil entrevistados na pesquisa Vox Populi Lula é inocente, além do mais não conseguirão manobrar por muito tempo o preço do barril do petróleo tão baixo, então refinarias acabam explodindo…lá nos states..mas é só uma triste coincidência…. Tá..

Responder

João Bezerra

05/03/2016 - 19h40

Dia 13 estaremos em Fortaleza-Ce. Onde houver uma bandeira vermelha com a a estrela do PT, lá estaremos para defender nosso voto e botar os golpista pra correr. Não vai ter golpe.

Responder

    Sérgio

    06/03/2016 - 06h30

    Já é tempo de a opinião pública acordar para o que é efetivamente relevante em todo esse processo. Trata-se de um ataque frontal à soberania brasileira em seus pontos mais salientes, a saber, a indústria estratégica de energia e a indústria estratégica de Defesa. Recorde-se que todos esses eventos na Petrobrás foram precedidos de escutas telefônicas por agência norte-americana na empresa e no Planalto, ao que se seguiram contatos formais entre os promotores federais brasileiros, na condição de vassalos, e autoridades norte-americanas.
    http://jornalggn.com.br/noticia/balao-de-ensaio-para-medir-a-reacao-a-prisao-de-lula-por-j-carlos-de-assis

    Sérgio

    06/03/2016 - 06h32

    Já é tempo de a opinião pública acordar para o que é efetivamente relevante em todo esse processo. Trata-se de um ataque frontal à soberania brasileira em seus pontos mais salientes, a saber, a indústria estratégica de energia e a indústria estratégica de Defesa. Recorde-se que todos esses eventos na Petrobrás foram precedidos de escutas telefônicas por agência norte-americana na empresa e no Planalto, ao que se seguiram contatos formais entre os promotores federais brasileiros, na condição de vassalos, e autoridades norte-americanas.

    Nossos promotores, junto com o juiz Moro, devem ter recebido de bandeja da Justiça norte-americana a base das investigações que viriam a chamar-se Lava Jato. A contribuição que deram ao processo é essencialmente midiática. Ele poderiam ter feito uma investigação discreta e rápida, denunciando dentro do devido processo legal, e protegendo institutos jurídicos consagrados como habeas corpus e presunção de inocência. Entretanto, tomaram o caminho da investigação-espetáculo, em conluio com a mídia apátrida.

Deixe uma resposta