Flash ad ID:10

PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

O homem que usou Auschwitz para despertar “alegria”

publicado em 13 de maio de 2011 às 0:29

por Luiz Carlos Azenha

Mayara Petruso. Torcedores do Flamengo que ofendem nordestinos depois da desclassificação do time. Humorista que faz graça com vítimas de estupro. E que tenta despertar o sentimento de “alegria” falando em Auschwitz.

É tudo resultado do mesmo caldo de cultura.

Começou durante a campanha eleitoral de 2010, passou por Jair Bolsonaro e desemboca nos trens da morte.

E tem gente que acha graça.

 

212 Comentários para “O homem que usou Auschwitz para despertar “alegria””

  1. qua, 18/05/2011 - 11:37
    Luc

    Notícias » Ciência e Meio Ambiente » Ciência e Meio Ambiente
    Briga mata primeiro bebê gorila do zoo de Londres em 20 anos

    Abaixo mais um exemplo, com um comentário preconceituoso do site "Terra" sobre o tema acima:

    Esse Gorila
    postado:
    18/05/2011 – 11h05
    Só pode ser PeTista e descendente de Nordestino
    http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,…

  2. qua, 18/05/2011 - 0:38
    Fernando

    Enquanto isso na sala da justiça…Os "super-jornalistas" capitalizam em cima da tsunami do politicamente correto.

  3. ter, 17/05/2011 - 12:09
    Artur

    É, vamos prender e arrebentar quem fala o que pensa…

    Alguém incitou violência ou crime? Esse é o limite da liberdade de expressão, meus caros. O resto é patrulha ideológica.

  4. seg, 16/05/2011 - 16:31

    Nada contra quem gosta, mas o CQC é um programa de muito gosto, os caras se acham os paladinos da verdade. Se for pra ver baixaria, prefiro Panico, pelo menos há mulheres fartas.

  5. sáb, 14/05/2011 - 17:18
    Vinícius

    A piada gerou mais repercussão que o transporte público. A piada deu mais barulho que o espancamento e humilhação da líder religiosa quilombola…

    Da série "vamos todos para o raio que o parta". Quem vai comigo?

  6. sáb, 14/05/2011 - 11:00
    Adilson

    Justiça Britânica, em decisão inédita, extende a censura ao facebook e twittwer.

    E agora?

  7. sáb, 14/05/2011 - 10:57
    Adilson

    Numa boa, mas impressão que tenho ultimamente é que esses espaços – facebook e twittwer – aqui no Brasil viraram um território habitado por nerds e ególatras, onde predomina a intolerância, a inutilidade e a desinformação. Espaços que tem servido muito bem a uma determinada mídia para fomentar, fofocas, intrigas e toda sorte de babaquice que a sociedade pode muito viver sem.

    Peço desculpas se eu estiver equivocado, mas é a impressão que tem me passado. Meu Deus, quanta bobagem!

  8. sáb, 14/05/2011 - 10:40
    Bernardino

    Cara Joseda seu comentario é perfeito.Você definiu bem toda essa polemica em torno dos preconceitos,uns podem outros nao!Se tiver poder pode,se nao tiver nao pode.Coisa de Anglo-Saxao

  9. sáb, 14/05/2011 - 9:26
    Zhungarian Alatau

    Politicamente incorreto não são palavras ou piadas, mas as intenções que se ocultam por trás delas. Você pode fazer uma piada sobre gays sem ser ofensivo a eles. Ou sobre judeus, negros, o que for. O problema é que existem intenções veladas por trás de piadas que querem apenas ser piadas. Ou seja, há uma intenção mais ou menos clara de ofender determinado grupo. O CQC, por exemplo, elegeu seus alvos, e parte pra cima deles ostensivamente. Então o que deveria ser uma piada ou uma crítica bem humorada, vira panfleto discriminatório. E, pra piorar, essa mesma mídia vem chamar o Governo de autoritário. Vide Marcelo Madureira, do Casseta e Planeta.

    Se o Governo fosse mesmo autoritário, esses caras já estariam todos muito bem amordaçados.

    O problema é que a direita insiste na tal Liberdade de Expressão: acham que podem falar em rede nacional aquilo que costumam falar na mesa do botequim.

  10. sáb, 14/05/2011 - 9:08
    Zhungarian Alatau

    É impressionante o quanto o excesso de liberdade é capaz de produzir. Com ela, desvendamos os verdadeiros reaças e suas mais recônditas frustrações. Nos anos 70, diziam-nos: viver na democracia é mais difícil do que na ditadura. Certo. A democracia envolve responsabilidades recíprocas. Temos liberdade e direito de falar o que quisermos. Mas devemos aguentar todas as consequência disso. Ed Motta e Danilo Gentilli, como tantos outros reacionários de plantão, confundem o espaço público com a mesa de botequim. Uma coisa é ele falar isso numa roda de botequim, pros chegados dele. Outra, é ele postar gratuitamente isso numa espaço público, expondo inclusive outros artistas que nada têm a ver com a neurose dele. Mas lendo textos de Zizek e outros crânios da psicanálise, acabamos por reconhecer que Freud foi mesmo um gênio, ele sabia das coisas: as pessoas, ao insultarem seus semelhantes, revelam-se por completo!

  11. sáb, 14/05/2011 - 4:38
    Alexandre Colli

    Desculpe Azenha, mas mesmo condordando com você, tenho que fazer uma correção: começou muito antes da ultima campanha, muito antes de 64, do república café com leite, dos senhores de engenho, das capitanias hereditárias… talvez tenha começado com a chegada dos europeus ao "novo' mundo. Isso tudo é da formação do Brasil. Bolsonaro, Mayara Petruso e campanhas como a do Serra são apenas a consequência, agora exposta, de um tipo de coisa que sempre esteve entre nós como país, sempre elitista, exclusivo.

  12. sáb, 14/05/2011 - 2:41
    Pedro1

    É uma questão de civilidade. Sabe-se que é um assunto delicado, que mexe com o emocional de muita gente. Para alguns não é nada (eu, por exemplo, nunca liguei para uma piada dirigida a minha pessoa), mas para outros é. Por que não respeitar esses outros?

    Se Danilo quis fazer a piada, problema o dele. E de quem se sentiu atingido. O ponto é que ele sabe sua posição, sabe que tem mais de 1 milhão de seguidores no Twitter, sabe que o que falar vai aparecer em minutos internet e mídia afora.

    Se ele mesmo sabendo disso, ainda quis fazer a piada, posando como "politicamente incorreto" ele pode e vai ser criticado por todos os lados, e isso não é "ditadura do politcamente correto" (seja lá o que isso signifique). É apenas a democracia. Já que ele fala o que quer, por que não pode escutar o que não quer?

  13. sáb, 14/05/2011 - 1:39
    Fabiano Araujo

    Caro Beto,
    Minha intenção não foi ser irônico. Assisto pouco TV e achei que a crítica que as pessoas estavam fazendo era ao filme "A vida é bela". Visitei o campo de Auschwitz, há alguns anos, e, desde então, algumas coisas que vi me impressionaram tanto que até hoje retenho na memória aquelas imagens e me pergunto como é possível pessoas, semelhantes a nós, cometerem tanta maldade. Uma das coisas que mais me chamou a atenção foi o rosto da guia, funcionária do campo, encarregada de acompanhar os visitantes. Tratava-se de uma mulher bonita, porém seu rosto exprimia uma tristeza infinita, talvez, por ter, diariamente, de expor, aquele terror. Por essa razão, não aceito, sob qualquer hipótese, que se façam piadas ou se aborde de forma leviana o sofrimento pelo qual passaram milhões de pessoas.

  14. sáb, 14/05/2011 - 0:41

    Por que eu fui assistir ao filme "O ovo da serpente", de Ingmar Bergman? Agora estou com medo…

  15. sex, 13/05/2011 - 21:07
    Luís

    Aqui um vídeo que eu me lembrei agora:

    [http://www.youtube.com/watch?v=2N_Sdq2is0o]

  16. sex, 13/05/2011 - 20:30
    Miriam

    Parece que há uma confusão entre preconceito, intolerância e humor, pura e simplesmente a capacidade de rir das ironias da vida, dos nossos próprios defeitos e limitações. Eu diria até que paira uma certa intolerância com os que conseguem se divertir com as desgraças do mundo, talvez porque escancare o que não devemos nunca ver. Como se fosse ofensivo. É um equívoco. Por que não se pode rir? Até tou vendo um monte de "negativinhos" no meu comentário, tudo bem, eu dou conta. Vou até dar risada disso. Mas que é um porre as pessoas saírem proclamando o que pode e o que não pode ser motivo de piada, lá isso é. Nem quero imaginar o que vai ser, seremos uma massa de politicamente corretos. E intolerantes.

    • sáb, 14/05/2011 - 2:12
      Pedro1

      O rpoblema é que para muitas pessoas alguns temas doem. Ferem. Elas se sentem profundamente abaladas com eles, e o mínimo que podemos fazer é respeitar a dor e o sofrimento dos outros.

      • sáb, 14/05/2011 - 16:24

        Pedro, você não acha que causaria muita dor e sofrimento para o Bolsonaro se o filho dele fosse gay e usasse o direito conquistado a pouco pra casar com outro homem? Temos que respeitar isso? Não poderíamos fazer brincadeira com isso? É óbvio que não se compara com a dor das famílias de quem foi vítima do holocausto, mas acho que existe uma hipersensibilidade despertada pela simples menção de Auschwitz em uma piada. Eu realmente não entendo não entendo como que a comunidade judaica tomou como ofensiva aos judeus. Ela é ofensiva ao judeu que nunca andou de metrô. Eu não sei em São Paulo mas aqui no Rio só existe comunidade judaica no Leblon, Ipanema e Copacabana. Não conheço nenhuma em Bangu, Madureira ou nenhum outro bairro do subúrbio.

  17. sex, 13/05/2011 - 20:22
    Lazlo Kovacs

    Ed Motta é um deslumbrado, pensa que é o verdadeiro Quincy Jones: as coleções de discos de vinil, a agulha importada da Suécia, uma imitação de capa de disco da Blue Note e aquela musiquinha de sala de espera de velório. Desculpe, Quincy (ainda bem que não é culpa sua).

  18. sex, 13/05/2011 - 20:15
    Lazlo Kovacs

    Sinceramente, se querem fazer algo legal, abram uma janelinha aí nos seus Browsers e entrem nos "blogs de fãs" do Quesquecê. Deixem os seus posts "mau humorados" (o que nos denominou Danilo Gentilli em http://www.jornalagora.com.br/site/content/notici

    *http://www.cqcblog.com/2011/05/rafinha-bastos-graca-de-um-herege.html
    *http://marcoluque.com.br/
    *http://cqc.band.com.br/post.asp?id=480518

    Além disto, não deixarei de citar o Comedians Comedy Club , Rua Augusta, 1129, de Rafael Bastos Hocsman. Não pintem com uma estrela de Davi a entrada da casa, seus politicamente incorretos, pois, efetivamente, não tem graça.

  19. sex, 13/05/2011 - 19:58

    Vocês já notaram que essas polêmicas em torno de racismo, preconceito contra nordestinos, pretos, pobres e homossexuais etc, são todos de pessoas que declararam seu voto nas eleições presidenciais ao Serra bolinha de papel ?
    Porque será , heim ? É a direitona querendo aparecer de qualquer jeito….
    A estes, danem-se ! Não terão minha audiência nem minha paciência !!!

  20. sex, 13/05/2011 - 18:45
    Luca K

    A moçada do CQC faz piadas e brincadeiras que por vezes são de extremo mal gosto. A pior q fiquei sabendo foi uma "brincadeira" com a jornalista ana paula padrão fazendo referencia a nao ter conseguido engravidar. Mas compartilho da visão de Pedro Paredes q a pior coisa é a tal da political correctness(PC), que o Pedro chama de moralismo. Esse troço é realmente perigoso e tem arrasado com a liberdade de expressão(e consequentemente com a democracia) no Ocidente, principalmente nos países ricos. É uma forma velada de censura. Interessante que esta praga q nos assola surgiu na Alemanha, durante o período de Weimar, a tal escola de Frankfurt. Essa organização marxista, financiada pelo multimilionário judeu Felix Weil, era inicialmente formada exclusivamente por intelectuais judeus. Com a ascensão de Hitler essa turma vazou pro EUA. E deu no que deu…

    • sex, 13/05/2011 - 20:33
      Lucas

      Ninguém está censurando o "comediante". Ninguém impede ele de falar as besteiras que fala. Ninguém prendeu nem multou ele por insultar de forma grosseira um dos povos mais antigos da humanidade, apesar de de racismo ser ilegal no Brasil. A liberdade de expressão te dá direito de falar o que quer, mas também te dá o dever de lidar com as consequências de suas palavras.

  21. sex, 13/05/2011 - 17:29
    Antonio Silva

    E a direita continua catingando… .

    O Dia online 13.05.11 às 16h55
    Ed Motta faz comentários 'ácidos' em seu Facebook e irrita internautas

    São Paulo – Ed Motta provocou a ira de algumas pessoas que acessam seu perfil noFacebook. Segundo o jornal Folha de São Paulo, o cantor ofendeu mulheres e músicos em seus comentários ácidos, que segundo ele, seriam apenas brincadeira.
    "Em Curitiba, lugar civilizado, graças a Deus. O Sul do Brasil, como é bom, tem dignidade isso aqui. Frutas vermelhas, clima frio, gente bonita. Sim porque ooo povo feio o brasileiro, (risos). Em avião, dá vontade chorar (risos). Mas chega no Sul ou SP gente bonita compondo o ambiance (risos)", escreveu.
    Em outro post, ele falou sobre "mulheres feias": "Mulher feia tem que ser mega competente (risos). Se não, é Paula Toller nas cabeças (risos). Linda, burra e sem talento". E depois: "Mulher feia tem que cantar igual Sarah Vaughn, se não eu não tenho tempo hahaha!".
    Um internauta reagiu indignado: "E tu bonitão? A cultura chata que tu vive, a grosseria que emergiu destes dois infelizes comentários, também não és um arquétipo de beleza". Motta respondeu rapidamente: "Ô, xará, aprende comigo que é o máximo que você, mortal medíocre, pode fazer. Eu estou num plano superior, te respondi só porque tens o meu nome, mané. Essa porra é um lixo e eu tenho pena de ignorantes como você… Brasileiros… A cultura que eu vivo é a CULTURA superior. Melhor que a maioria, 'ya know' [sabe]?"
    Além da vocalista da banda Kid Abelha, Ed Motta atacou Caetano Veloso, Lenine, Daniela Mercury, Chico César e vários artistas da nova geração, como a cantora Tulipa Ruiz, o compositor Romulo Fróes e a banda Hurtmold, que acompanha Marcelo Camelo em shows e discos.
    Procurado pela publicação, o artista afirmou que não sabia que seu perfil no Facebook estava aberto ao público. Disse que eram apenas "brincadeiras com os amigos", "sacanagem". "Reconheço que fiz comentários infelizes, como isso das mulheres feias. Mas todas as pessoas fazem isso nos bares, em casa", disse.
    Ele ainda comentou no próprio Facebook a matéria feita pelo jornal. "Os ratos da Folha querem publicar meus comentários que fiz aqui muitos deles em tom de brincadeira. O engraçado é que milhares de coisas que eu coloco aqui esses ratos desconhecem e desdenham no alto da ignorância hype deles".

    • sex, 13/05/2011 - 18:00
      ZePovinho

      Deve ser por isso que o Tim Maia não tinha a menor simpatia pelo Ed.Lembram?

    • sáb, 14/05/2011 - 9:06
      Zhungarian Alatau

      É impressionante o quanto o excesso de liberdade é capaz de produzir. Com ela, desvendamos os verdadeiros reaças e suas mais recônditas frustrações. Nos anos 70, diziam-nos: viver na democracia é mais difícil do que na ditadura. Certo. A democracia envolve responsabilidades recíprocas. Temos liberdade e direito de falar o que quisermos. Mas devemos aguentar todas as consequência disso. Ed Motta, como tantos outros reacionários de plantão, confundem o espaço público com a mesa de botequim. Uma coisa é ele falar isso numa roda de botequim, pros chegados dele. Outra, é ele postar gratuitamente isso numa espaço público, expondo inclusive outros artistas que nada têm a ver com a neurose dele. Mas Freud foi um gênio, ele sabia das coisas. E hoje, as pessoas, ao insultarem seus semelhantes, revelam-se por completo.

  22. sex, 13/05/2011 - 16:59
    Fabio SP

    No mundo dos esquerdopatas os dentes só devem ser mostrados para os dentistas!!!

    • sex, 13/05/2011 - 19:39
      Renato Lira

      É verdade.

      A única coisa que me fazem gargalhar são a mediocridade e a estupidez dos reaças da direita.

      Além de incompetetes, invejosos, bravateitros, preconceituosos ignorantes e rancorosos, são os reis dos micos.

      Choro de tanto rir dos pobres reaças de direita.

    • sex, 13/05/2011 - 23:52
      Prof. Garibaldo

      Nossa, quanta raiva neste coração de pedra. Deita no divã, toma um chá de boldo e diga lá, pois a sua raiva me diverte.

      • sáb, 14/05/2011 - 6:10
        Leider_Lincoln

        Ele ri, olha que gracinha! Adora piadas de putas, pretos, pobres, judeus, nordestinos, deficientes, órfãos, estupradas e por aí vai, olha que coisa mais chique, que coisa mais paulista! Detalhe, "mermão"? Vá ao Shopping Higienópolis. A piada lá é gente como você!

    • sáb, 14/05/2011 - 1:00
      Scan

      Ainda bem que a direitalha segue pensando assim. Não mudaremos de tática: continuaremos a morder-lhes a jugular até destrui-los e eles nem se darão conta. Ótimo.

  23. sex, 13/05/2011 - 16:48
    Gerson Carneiro

    Se eu falar para os senhores que eu presenciei em uma audiência trabalhista (pleito de dano moral) um advogado tentando convencer o Juiz de que "o patrão proferia palavras de baixo calão para o empregado apenas para descontrair" os senhores acreditam?

    É a lógica do absurdo.

  24. sex, 13/05/2011 - 16:11
    Francisco

    Tudo isso é conversa fiada. Ele "argumenta" o direito dele de falar essas bobagens (como tantos outros na TV), porque nem são autistas, nem negros, nem nordestinos, nem gays, nem judeus e nem pobres. Queria ver essa retórica dele no nordeste de Amaralina ou no bairro da Liberdade (maior bairro negro do mundo). O que ele tem é seguranças e advogados. Grana. Grana e espaço que as minorias não têm. O resto é conversa.

    Esse conceito de humor que humilha, discrimina e achincalha é da terra de Bush. "Stand-up". São é um bando de pernósticos burgueses. Brancos de mentalidade burguesa, são a tradução fuleira de W.A.S.P. para a língua pátria. Precisa dizer mais alguma coisa.

  25. sex, 13/05/2011 - 16:10
    Joseda silva

    Porque nao se pode fazer piada como essas? E o campo de concentraçao na faixa de gaza pode? Parar com esse negocio de que tem coisas que sao tabus, e outras nao, quem definiu isso? Liberdade tambem ´´e isso, direito de defender judeu de criticar judeu, de defender gay, de criticar gay, etc etc, Ou so existe um lado. Chamar qualquer muçulmano de radical pode. Chamar judeu de preconceituoso nao pode. Chamar machao de retrogrado pode, chamar homossexual de pecador nao pode. Os democratas de plantao podiam listar o que podemos pensar e criticar. Atenciosamente de um amigo blogueiro, pobre, negro e semi analfabeto.

    • sáb, 14/05/2011 - 2:16
      Pedro1

      Aí é que tá. Quem é politicamente correto não aceita nenhum dos tipos de "piada" que você acima enumerou. Pra mim é muito mais simples. Pode falar o que quiser. Mas tem que escutar tudo também. E continuo achando que quem tem que apelar para Auschwitz para fazer piada é no mínimo incompetente.

  26. sex, 13/05/2011 - 16:04
    Marcos

    O que puxa a audiência de programas como esse da Band, ou da REDETV, ou do SBT, que são de péssimo gosto e qualidade, é a polêmica que causa nas pessoas.
    Esses tipos de programas despertam os mais ínfimos preconceitos que estão arraigados dentro das pessoas.
    Idiotas como esses do CQC tem por finalidade isso mesmo… que vocês prestem atenção neles… repercutam suas falas e preconceitos… faça um favor à sua inteligência… DESLIGUE A TV OU O COMPUTADOR.
    Gente, o fato desses idiotas terem VOZ não quer dizer que dizem coisas inteligentes ou sensatas…. peloamor !!!

  27. sex, 13/05/2011 - 15:54
    Fabiano Araujo

    Marcelo Silber,
    Permita-me discordar de vc., quanto ao "humor" produzido por Chico Anísio. As "piadas" feitas naquele programa "A escolinha do Prof. Raimundo" eram na realidade focadas em preconceitos. Procure lembrar dos personagens: 1) a aluna "boazuda" que procura obter nota por insinuar-se junto ao professor, o que levanta a hipótese que os professores dão nota à alunas "gostosas"; 2) o aluno homossexual que é ridicularizado e humilhado; 3) o idoso ao qual o mencionado "humorista" chama a atenção para a provável impotência sexual do mesmo; 4) a idosa, na qual Anísio destacava a flacidez dos seios, e por aí vai. Tal "humor" é sustentado pela falta de respeito pelo outro ser humano. E o pior é que os espectadores riem disso, ou seja riem de si próprio!

    • sex, 13/05/2011 - 18:08
      Hell Back™

      Exato! Atualmente o humor é eivado por ironias que, por incrível que pareça, dão graça ao humor. Arrisco-me até em conjecturar que o humor judaico é mundialmente famoso, justamente por causa de suas ironias

      • sáb, 14/05/2011 - 6:14
        Leider_Lincoln

        Os humoristas judeus são os melhores. Justamente por causa de suas ironias. Mas detalhe IMPORTANTÍSSIMO: a ironia exige INTELIGÊNCIA. E o Rafinha Bastos e gente como ele não mexe com o cérebro das pessoas, mas com os intestinos.

    • sex, 13/05/2011 - 18:31
      Marcelo Silber

      Caro Fabiano
      Tudo bom?? Vejo uma diferença importante no humor de Chico Anizio com o produzido pelo CQC.
      Chico Anizio mexia com Estereótipos. Me lembro bem do personagem de Marcos Plonka, o judeu "Samuel Bronstein" (fazemos qualque negócio..) ou o do árabe Salim Muchiba (sovina e mão de vaca…) ou o do nordestino de cabeça grande com Lucio Mauro e o próprio Chico Anizio- Raimundo Nonato.
      Sem dúvida, em alguns casos o estereótipo ultrapassa a fronteira da falta de respeito e dignidade, mas mesmo assim, muito diferente do humor? do CQC.
      Forte abraço

      • sáb, 14/05/2011 - 6:27
        Leider_Lincoln

        Estou contigo: há uma diferença considerável entre o estereótipo e o desrespeito abjeto. Ele mesmo ria de si, de sua condição de cearense. Como muitos comediantes judeus fazem troça de judeus e comediantes goianos fazem de caipiras. Voilá: ri-se de quem é capaz de rir de si mesmo.
        Queria ver se alguém da família dele tivesse o nome aqui: http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_victims_of_N… se ele faria troça.
        Silber, eu sei que há um site com o nome de muitíssimas vítimas do Holocausto (uma amiga minha me mostrou o nome de uns 10 parentes nele, certa vez). Poderia nos repassá-lo?

        PS: É justamente por para que o Holocausto não seja esquecido que penso que o Estado de Israel presta um desserviço gigantesco aos judeus do mundo, pelo que faz com os palestinos, uma vez que isso cria em muitas pessoas sensações muito ruins, sobretudo aos que confundem as políticas do Estado de Israel com os judeus de um modo geral…

      • seg, 16/05/2011 - 2:08
        Beto_W

        http://www.yadvashem.org/wps/portal/IY_HON_Welcom

        É raro, mas desta vez concordo plenamente com tudo o que você disse.

  28. sex, 13/05/2011 - 15:18
    Zhungarian Alatau

    A Band em geral, e o CQC em particular, se aprazem em ofender seus desafetos por meio de piadas homofóbicas e racistas. Dilma Roussef, por exemplo, é sempre tratada como uma lésbica, e, pior, como se isso lhe fosse demérito, caso ela realmente uma lésbica fosse. Com isso, denigrem a imagem da mulher, dos homessexuais, e, especialmente, da Presidência da República. É como se fosse um demérito ao País ter uma mulher ocupando um cargo de tamanha importância. E, pior, como se toda mulher que almejasse tal cargo fosse necessariamente lésbica.

    Ou seja, Band e CQC acham que podem dizer em rede nacional aquilo que deveriam manter, quando muito, numa mesa de botequim de quinta.

    • sex, 13/05/2011 - 20:00
      Renato Lira

      Olha a escalação do "elenco da Band (TV, rádio eoutros quetais).

      Milton Neves, jabazeiro, incompetente e criador de falsas polêmicas para aparecer.

      A turma do CQC, comdiantes sofríveis capitaneados pelo medíocre Marcelo Tas.

      Neto, esse é brincadeira, né?

      Cláudio Humberto, loroteiro-mor da república, ex-sbujo de Collor, sujeitinho desprezível que vive de seus factoides e de um "seleto grupo" seguidores reaças lobotomizados

      Ricardo Boechat, figura bizarra, notório deformador de opiniões, que fala uma imensidão de bobagem, bravateiro, desrespeitoso, péssimo jornalista.

      Boris Casoy, símbolo de "tolerância e respeito aos mais humildes".

      Fabo Pannunzio, almofadinha metido a besta e jornalista incompetente e desinformado.

      Brabara Gancia, uma risível figura, que se mete a engraçada. Só ela se acha.

      Paulo Morsa, tss….tss…, Zé Telles, tss… tss…

      E ainda escalam Luan Santana pra cantar o Hino Nacional na transmissão da F-Indy.

      Com uma turma dessas, dá pra levar a sério?

  29. sex, 13/05/2011 - 15:08
    Rodrigo

    quanta babaquice.

  30. sex, 13/05/2011 - 15:06
    Pafúncio Brasileiro

    Azenha,
    Ví o documentario do diretor israelense Yoav Shamir, se não me engano "Difamation". Depois do que ví lá, notei que há uma incrível industria do anti-semitismo (ou também, paradoxalmente do semitismo). É ver e analisar. Convido os Pafúncios a esta reflexão.

    • sex, 13/05/2011 - 15:54
      Beto_W

      Difamation é um excelente filme, mas que não seja usado para justificar ou defender qualquer forma de anti-semitismo. O filme denuncia aproveitadores que usam o anti-semitismo para apoiar as ações do governo israelense, e mostra que em alguns casos muitos judeus vêem anti-semitismo onde não há, ou onde há apenas críticas a Israel.

      O nosso caso em questão não se encaixa, pois Israel não está envolvido na questão do metrô, e os comentários anti-semitas pipocaram no twitter e afins, mostrando mais uma vez o preconceito e o racismo de parte do povo brasileiro.

      • sáb, 14/05/2011 - 6:30
        Leider_Lincoln

        Concordo. Há gente safada, e aos montes, querendo convencer que ser anti-israelense ou anti-sionista é ser anti-semita. E tem gente que mal pode esperar uma oportunidade para, de fato, ser anti-semita.

  31. sex, 13/05/2011 - 14:57
    Pafúncio Brasileiro

    Azenha,
    Ví o último CQC, com o Danilo Gentili fazendo uma sujeirada no Central Park em Nova York e o outro parceiro dele (Cortez) daquí fazendo outra sujeirada no Ibirapuera. Depois ví os "comentários" com o Marcelo Tas, o Marco Luque e o Rafinha. Sinceramente, sentí nojo deles. Tudo bem: fazer gozação, ter bom humor, ser criativo, etc.. nos faz bem. Mas, você avacalhar com valores humanos e fazer gozação em cima disto é uma verdeira apelação. E, depois de tudo, mostrar que o americano ao lado do Gentili limpou tudo (e teve a maior paciência com ele) e aquí as garís também limparam tudo e eles com as comparações de lá (Central Park de Nova York) com o caso do Cortez no Ibirapuera (as garis limparam tudo também, sem reclamações). Foi realmente nojento, e ainda nas comparações mostrando o melhor "nivel" de lá em comparação com o "nivel" daquí. Absurdo !. Este tal CQC, pra mim, já foi pro lixo. Eu sei que não sou nada, mas perderam definitivamente um telespectador.

  32. sex, 13/05/2011 - 14:53
    Fabio SP

    Concordo com tudo que foi postado, mas

    "Começou durante a campanha eleitoral de 2010" é querer se dar muita importância … né não?

    Isso já é comum no Brasil há trocentos anos!!!

    • sáb, 14/05/2011 - 6:32
      Leider_Lincoln

      O "clima", as baixarias, as torpezas, começaram de fato em 2010. Se você frequentou este espaço ano passado sabe disso. Faço a ideia dos comentários que sequer foram aprovados. Lembra da quantidade de trols? Dos e-mails difamatórios? Dos panfletos?

  33. sex, 13/05/2011 - 14:42
    Lucas Secanechia

    Curiosamente, o pretenso comediante jamais se desculpou quando fez piada comparando os negros a macacos, pelo contrário, escreveu uma pequena e rídicula dissertação sobre seu direito de ser racista.

    • sex, 13/05/2011 - 15:54
      Vânia

      Com os negros ele tem o DIREITO de ser racista… Com os judeus ele tem o DEVER de se desculpar.
      É o poder do DINHEIRO? Ou o dinheiro que dá PODER?
      Seria interessante uma pesquisa, com os 3.500 que assinaram a petição do metro em Higienópolis.
      O que acham?

  34. sex, 13/05/2011 - 13:57
    beattrice

    Durante o auge do direitaço promovido pelo Zé da Bolinha em 2010 muito se falou em punição aos culpados, dos bispos aos peões daquele xadrez ignóbil.
    Pois não é que ninguém foi punido até porque ninguém cobrou punição?
    Assim, grande parte do desastre que se assiste pode e deve ser creditado aos porquinhos Dutra, Malocci e Cardozo que nada, rigorosamente nada fizeram, para que fossem punidos os responsáveis por todo tipo de violência moral de que fomos vítimas nós, eleitores da esquerda.

    • sex, 13/05/2011 - 14:41
      FrancoAtirador

      ..
      "…punição aos culpados, dos bispos aos peões daquele xadrez ignóbil."

      Espetacular metáfora.

      Agora, credite-se também, no que falta creditar, à "curiosa" atuação do MPE

      ou, melhor dizendo, de determinado(a)s procuradore(a)s eleitorais.
      .
      .

    • sáb, 14/05/2011 - 1:08
      Scan

      Beattrice o trio citado por você é de lascar o cano!
      Mas dos três, Dutra é o mais repugnante e abjeto. Como pode o PT suportar uma escória dessas à frente de seus quadros?
      Me dá nojo!

  35. sex, 13/05/2011 - 13:41
    Marvin

    Sobre o politicamente correto que alguns abordaram aqui: O grande problema dessas piadas é a reação que ela provoca nas pessoas que se sentem ofendidas que, na maioria das vezes, é de intolerancia, divisão.
    Me lembro de alguem tentando me desconstruir com a seguinte piada:
    "Sabe o que Deus disse quando fez o segundo negro? – Vixe, queimei de novo".
    No ato, respondi: – E você sabe o que Deus disse quando fez o primeiro branco? – "é errando que a gente aprende".
    Enfim, só pra dizer que piadas que vencem o "politicamente correto" pode ser capaz de desencadear comportamentos nada exemplares, coisa que não contribui em nada para a sociedade, so divide.

  36. sex, 13/05/2011 - 13:30
    Leo

    É preferível um piada de péssimo gosto falada a que não seja.

    O politicamente correto e fascismo travestido de cordeiro.

    • sex, 13/05/2011 - 15:53
      Pedro Luiz Paredes

      Concordo. Mas cuidado com o que fala pois os donos da esquerda estão de vigília.

      • sex, 13/05/2011 - 20:15
        Renato Lira

        Não será tu que tá de vigília não, Paredes?

        Respondendo a todo mundo.

        Outra características dos reaças de direita.

        Acusar outros pelas coisas que são justamente eles que fazem.

        Ô povinho comédia, estes reaças.

      • dom, 15/05/2011 - 4:40
        Pedro Luiz Paredes

        Eu falei para essa senhora moralizar o que é dela; e então falaram que eu sou de direita, fascista, nazista, xingaram até minha mãe…
        Sou eu então que respondo todo mundo?
        Tem certeza?
        Se eu dissesse que vocês são a praga da sociedade teriam razão para dar chilique.
        Mas até agora eu só falei que os moralistas são a praga da sociedade.
        Se você é um, entenda ou não como uma cítica dirigida a você.

    • sex, 13/05/2011 - 20:11
      Renato Lira

      Errado, fascismo é agredir homossexuais na Paulista, agredir muheres na parada por julglas prostituras, queimar índios na parada., ameaçar ou pedir que se matem nordestinos.

      Coisas de playboyzinho mimado, filhinhos da direita, projetos de hitlerzinhos criados nas mansões e palacetes Brasil afora, e de alguns medíocres de classe média que se acham superiores, mas nem um livro devem ter lido em suas medíocres vidas.

      Não tente inverter as coisas.

      Não tente convencer que para ser politicamente incorreto ou anárquico se precise ofender, humilhar, esculachar.

      Isso é coisa de medíocre, que não tem talento e precisa de recursos rasos como estes para crir uma polêmica e aparecer.

      O Zé Simão é 10 mil vezes melhor que qualquer destes idiotas e não precisa recorrer a expedientes baixos.

      Não tente inverter as cosias que aqui não cola.

      • sáb, 14/05/2011 - 6:34
        Leider_Lincoln

        Fascismo é Benito Mussolini. Ele não era "politicamente correto". Berlusconi é proto-fascista. Tampouco ele é.

    • sáb, 14/05/2011 - 2:22
      Pedro1

      Poderíamos criar uma Lei de Godwin 2: Sempre que se falar de direitos das minorias ou combate ao preconceito, em algum momento da discussão se falará de ditadura do politicamente correto. Nesse ponto já se sabe que quem isso falar não tem mais argumentos.

  37. sex, 13/05/2011 - 12:57
    Ronaldo

    Não se esqueça que esse mesmo humorista fez comentário racista contra os negros e o PIG se calou.

    Veja
    http://migre.me/4x0P0

  38. sex, 13/05/2011 - 12:44
    FrancoAtirador

    .
    .
    O CQC É O SUCESSOR DO CASSETA&PLANETA.

    Tudo isso não passa de disputa por audiência, nos meios de comunicação,

    portanto uma guerra por patrocínio, principalmente nas redes de TV.
    .
    .
    "Não dêem o que é sagrado aos cães nem atirem suas pérolas aos porcos;
    caso contrário, estes as pisarão e, aqueles, voltando-se contra vocês,
    os despedaçarão."

    (Mateus 7:6)

  39. sex, 13/05/2011 - 12:35
    Eduardo

    O que se tem feito ultimamente é usar temas polêmicos para fazer piada. O problema é o abuso disso. A inteligência foi trocada pela ignorância.

    Também não sou adepto ao politicamente correto extremo. Mas bom senso é faz uma sociedade viver melhor consigo mesma. E é isso que tem faltado com esse humor apelativo.

  40. sex, 13/05/2011 - 12:28
    Ronaldo

    Aqui em Curitiba os tucanos e os anti-Requião ADORAM o CQC . . .

  41. sex, 13/05/2011 - 12:09
    Márcio Tadeu

    Azenha, será que finalmente vocês vão conseguir entender que o humor (humor?) brasileiro sempre foi conservador, reacionário e de direita?

    • sex, 13/05/2011 - 13:00
      Leider_Lincoln

      Nós entendemos isso há eras! Não só eu, quanto muita gente. A gente não-diferenciada da vida é que não se toca!

      • sex, 13/05/2011 - 14:53
        Gabi

        Jamais parei pra pensar nisso, mas me parece uma hipotese interessante… Muito interessante…

        Vcs poderiam desenvolver um pouco mais a questão?

        abs

  42. sex, 13/05/2011 - 11:57
    Marcelo Silber

    adendo-O Mario SF Alves me perguntou quem se beneficiava disso, esquerda ou direita…
    Obviamente é a direita, a intolerância que vimos na campanha eleitoral, inclusive com a aliança de Serra com os setores mais retrógrados da sociedade brasileira, incluindo inclusive uma cruzada anti-aborto.
    O candidato (que foi ministro da saúde) sabia e sabe muito bem quantas brasileiras humildes morrem em nosso pais devido a complicações do mesmo feito em condições precárias…
    O final da história é sempre o mesmo preconceito+intolerância =monstruosidades.

  43. sex, 13/05/2011 - 11:55
    Marcelo Silber

    Vou repicar o que escrevi num Post sobre o mesmo tema, com um adendo
    Caros Amigos
    Sempre gostei de humoristas chamados "populares"como Costinha, Ronald Golias, Renato Corte Real ou Chico Anizio.
    Eles nunca exploraram as mazelas humanas deste jeito. Tinham talento próprio e agora vejo que eles sim é que eram elitizados. Não estes idiotas do CQC, com a sua "ditadura do humor asséptico"
    Algo precisa ser feito e urgente!!!
    Tambem esta repercutindo enormemente as manifestações racistas, xenófobas e preconceituosas da torcida do Flamengo contra os nordestinos, após a eliminação do rubro-negro carioca pelo Ceará Sporting (Vovô) da Copa do Brasil.
    Como diria o grande "filósofo"Chico Lang
    Assim caminham a mediocridade e a intolerância…

    • sex, 13/05/2011 - 13:48
      edv

      Não sou Flamengo nem advogado deles, mas generalizar a "torcida do Flamengo" me parece tão preconceituoso, oportunista e etc. quanto…
      Torcida, o nome já diz, é o que sabemos que são, com suas diversas composições e manifestações.
      Muita "emoção" e pouca "pensação"…
      Ou não seria assim com os "galinhas, pós-de-arroz, urubus, bambis, porcos, vacalhaus", etc.?
      Vamos ficar com "torcedores do Flamengo"?
      De resto, concordo que o "humor fascista" destes Cqcistas e Paniquistas está mais para a exploração das fraquezas alheias do que para a leveza do riso sem compromisso.
      O humor do "nós é nós, o resto é josta"…

    • sex, 13/05/2011 - 14:14
      beattrice

      Permita-me discordar mas este tipo de humor a serviço da direita também foi desempenhado por décadas por Chico Anysio.

    • sex, 13/05/2011 - 17:54
      mello

      Por favor, os comentários não foram da torcida do Flamengo; foram de dois ( 2 ) torcedores do meu time. Assim, você manifesta tanto preconceito quanto os que você parece querer denunciar.
      A mediocridade e, principalmente, a intolerância não devem contaminar…

  44. sex, 13/05/2011 - 11:52
    Albany Júnior

    Não vi ou ouvi a piada do "humorista", mas, independente de razão, acho que essa história do "politicamente correto" está ficando muito chato. Uma torcida não pode mais chamar o jogador adversário de gay porque é homofobia. É preciso dar educação ao povo para que entendam o que é homofobia, preconceito racial, etc. Venham ao Nordeste e perguntem o que nós pensamos dos cariocas?

    • sex, 13/05/2011 - 13:02
      Leider_Lincoln

      Isso uma diferença enorme entre o politicamente incorreto e o bestial, meu caro. E olha que podem me acusar de muita coisa, mas minimamente defensor dos israelenses não é uma delas.

    • sex, 13/05/2011 - 15:02
      Gabi

      Caro Albany,
      Como carioca da gema (mas não flamengo, alto là!), e sobretudo pessoa estudiosa de questões interculturais, gostaria muito de saber o que os nordestinos pensam dos cariocas…
      Dà pra dizer nesse horario?
      :)

  45. sex, 13/05/2011 - 11:40
    Luís

    Espero não ser mal entendido pelo meu comentário, mas enfim…

    Essa polêmica de Auschwitz e antissemitismo me fez lembrar de um vídeo chamado "Dancing Auschwitz", em que quatro judeus (sendo que um deles foi um refugiado de campo de concentração) dançavam ao som de I will survive em campos de concentração.

    O vídeo está abaixo:
    http://www.metacafe.com/watch/4920743/i_will_surv

    Eis um exemplo de humor negro (aliás, nigérrimo) feito sem ofender.

  46. sex, 13/05/2011 - 11:39
    Renato Lira

    Ok, Danilo Gentili, Mayara Petruso, Rafinha Bastos e os flamenguistas anti-nordestinos são completos idiotas.

    A CNBB, com mais uma nota lamentável, ainda tentando se meter na vida de todos os cidadãos, também.

    Bolsonaro, então, nem se fala.

    Mas os moradores de Higienópolis, que deram o mote para a infeliz manifestação do não menos infeliz Danilo Gentili, não são diferentes dos citados acima não.

    A tal Associação de Moradores de Higienópolis e os moradores que são preconceituosos também são idiotas.

    Todos são farinha do mesmo saco.

    • sex, 13/05/2011 - 14:06
      ZABS

      Neste caso Rafinhas do mesmo saco !!!

      • sex, 13/05/2011 - 14:32
        Renato Lira

        Boa!!!

      • sex, 13/05/2011 - 18:16
        Pedro Luiz Paredes

        Renato, eu não sou fã do CQC, já gostei de alguns quadros mas acho que fazem pura espetacularização de tudo.
        No entanto conheço o humor do Danilo desde de muito antes da TV e ele se diferencia dos outros.
        Alias, gosto dele justamente porque não segue a cartilha do politicamente correto do resto dos humoristas.
        Alias, desde quando muita gente ainda não sabia o que era "Stand Up.
        Isso não pode, aquilo pode… Faça o favor gente.
        É piada!!!!!!!
        Porque os judeus tem que ser poupados se nem os milhões de negros que morreram e ainda morrem aos montes são poupados?
        Isso é moralismo puro, do pior tipo.
        Muito pior do que a piada do Danilo.
        Estão usando o moralismo para evidenciar suas preferências sociais.
        Inegável que já contaram piadas sobre negros.

      • sex, 13/05/2011 - 20:28
        Renato Lira

        As poucas vezes que vi o CQC, não gostei.

        Acho o Tas parcial, chato e sem talento.

        E seus ppupilos, como esse Gentili e o outro, o tal Rafinha piores ainda.

        Detesto essa tal de stand up comedy, coisa importada, sem originalidade.

        E eles, assim como o Pãnico, outro programa lamentável ( que só tem ibope por causa daquela mulherada), recorrem à baixaria, à ofensa, à execração, à degradação, e à humilhação pública de pessoas para ter audiência junto a uma parcela alienada de nossa sociedade.

        Prefiro mil vezes um Costinha, um Mussum, um Chico Anísio (de direita e tudo), os verdadeiros anárquicos Chacrinha e Pedro de Lara. E da nova geração gosto muito do Adnet. dos Melhores do Mundo e do Zé Simão (que é da folha e da band).

        E não defendo nenhum sujeito que ofenda as pessoas em nome de uma suposta e falsa incorreção política (uia!).

        Isso não é moralismo não, Paredes. Isso é coerência com o que se pensa e indignação contra a mediocridade e a baixaria.

      • dom, 15/05/2011 - 5:04
        Pedro Luiz Paredes

        Cada um tem seus gostos e isso eu nem discuto.
        O Adnet é de uma inteligência impar. Faz as coisas no improviso, imita quem ele quer entre outras coisas. Realmente impressionante.

        Voltando…
        Veja bem:
        Quando uma pessoa não gosta daquele cachorro quente, compra em outro lugar.
        Não faz protesto para tirar a barraca da rua.

        Se você não gosta do Jornal Nacional, muda de canal ou se informa de outra maneira.
        Não fala para fechar a globo(se bem que ia ser legal)

        Se você não gosta do Bolsonaro, não vai votar nele.

        Diante do exposto, quanto a liberdade de expressão, que é o objeto em questão (Piada é uma maneira de se expressar); basta simplesmente não dar ibope para o cara.
        Não assista seu programa, não compre um ingresso do show dele, não divulgue ele, não siga ele no twiter.
        Isso é ser seletivo (as pessoas mais felizes são as seletivas).
        Uma coisa é se fazer piada de negro ou de judeu, outra é pregar a exterminação deles.
        E se pensa que diminuirá os negros ou judeus com piadas, não se iluda.
        Se procurar aqui em algum lugar tem um judeu falando que riu da piada, não se sentiu diminuído com isso.
        Quero dizer, não é a conotação de uma piada que vai diminuir um grupo ou pessoa.
        Além disso, para toda piada existe alguém que se chateia; seja fanho, português, gago, manco, cego, surdo, etc…
        Enfim, eu acho que nem deveríamos fomentar essa discussão.
        A piada é expressão dele. Não concordar ou não gostar é justo.
        Perder uma chance de defender a liberdade de expressão e ainda crucificar o rapaz, para mim é moralismo. É tentar moldar a sociedade de acordo com seus próprios limites morais, e se for assim, caminharemos para a falsa democracia onde o que prevalece é a opinião da maioria, ao invés de prevalecer o respeito às minorias.

    • sex, 13/05/2011 - 21:05
      Iza

      Eu diria que todos são Rafinha do mesmo saco !

  47. sex, 13/05/2011 - 11:34

    Acho que diz muito sobre a "piada" o elemento que a fez não ter sequer conseguido sustentá-la, e depois ter corrido para apagá-la do Twitter. Além de sem-graça, é covarde.

  48. sex, 13/05/2011 - 11:20
    Fernando

    Quer dizer que os flamenguistas ofenderam os nordestinos?

    Logo eles, cujo clube proibiu atletas negros por décadas, que tem a sede na áreas mais nobre da zona sul carioca (encravado entre a Lagoa, o Leblon e a Gávea), que tem uma presidenta filiado ao DEM?

    Que tem Roberto Marinho como torcedor mais famoso?

    • sex, 13/05/2011 - 11:47
      Luís

      Esse então é o clube das massas?

      Depois falam do São Paulo, Fluminense, Grêmio, Bahia e outras equipes que são "da elite".

    • sex, 13/05/2011 - 12:13
      Renato Lira

      Por isso sou vascaíno.

      O verdadeiro clube do povo.

      O Flamengo é a maior torcida por causa do poderio que a Globo teve durante muito tempo, e ainda o tem, porém em escala cada vez menor.

      A torcida do Flamengo é produto da Globo.

      Mas o Flamengo é um time de elite, da zona sul.

      Muitos flamenguistas são preconceituosos e arrogantes mesmo. E completos idiotas.

      Mas o clube que abriu as portas aos negros e mulatos para jogar foi o Vasco. E foi campeão logo no primeiro ano que disputou o campeonato carioca, em 1923.

      Foi obrigado a proibir os negros, mas resistiu e por isso foi execrado pelos elitistas racista de Flamengo, Botafogo, Fluminens e América e expulso da liga. Mas não retrocedeu.

      Vasco é povo. Flamengo é Globo.

      • sex, 13/05/2011 - 13:52
        Paulo

        Essa conversa que o Vasco era um time democrático é uma grande balela. Quem conheceu a geração dos portugueses/descendentes de portugueses do começo do século passado sabe que ela era conservadora e preconceituosa como era a sociedade de uma forma geral. O que acontece é que estes comerciantes eram práticos: os jogadores negros eram como empregados competentes que estavam lá para alcançar um objetivo, ganhar jogos e campeonatos. Eu quero saber se eles (os jogadores negros) eram frequentadores das sociais e piscinas de S.Januário? garanto que não!

      • sex, 13/05/2011 - 14:35
        Fernando

        Os portugueses que aqui chegaram naquela época eram em geral eram camponeses em fuga de uma Europa destruída pela miséria, não tinham essa marra toda não.

        E o Vasco teve um presidente negro em 1904.

      • sex, 13/05/2011 - 14:43
        Renato Lira

        Porém, foi o clube que abriu as portas para negros e mulatos.

        E por isso foi perseguido.

        Exigiram do Vasco, na época, que ele, pra continuar no campeonato, construísse um estádio,

        Sem grana, porque quem exigiu (a Associação que dirigia o futebol, capitaneada por Fla, Flu, Botafogo e América), a colônia portuguesa bancou e o Vasco construiu São Januário, maior estádio do Brasil até o Maracanã ser construído.

        Mesmo assim, exigiram que o Vasco não escalasse mais seus negros e mulatos. O Vasco peitou de novo e foi expulso da liga.

        Não estou dizendo que a colônia portuguesa é ou não preconceituosa e conservadora.

        Estou afirmando que O VASCO é democrático e, verdadeiramente, o clube do povo.

        E não é balela. É fato. É história.

        O Vasco não é e nuca foi clube de mídia. É clube do povo. Sem mídia e com uma torcida imensa.

        E isso incomoda mesmo.

        Vasco é povo. Vasco não é Globo. Globo é Flamengo.

      • sex, 13/05/2011 - 14:53
        Renato Lira

        Democrático era o Flu, que, mesmo cedendo a escalar negros e mulatos, senão não ganhava do Vasco, tentava disfarçar, colocando pó de arroz no rosto dos jogadores negros e mulatos, para parecerem "branquinhos".

        Quanto à frequência de negros nas piscinas do Vasco, não posso garantir nem que sim nem que não. Não tenho estes dados e não estive lá naquela época.

        Mas os outros, Fla, Flu, Botafogo, América, estes eu posso dizer com certeza. Pois não admitima negros nem no campo de futebol, imaginem nas piscinas.

        Vasco é povo.

        P.S.: A César o que é de César. A frase "Vasco é povo" não é de minha autoria. É uma frase de Paulinho da Viola.

        A minha contribuição é "Vasco não é Globo. Globo é Flamengo".

      • sáb, 14/05/2011 - 17:14
        Leider_Lincoln

        Realmente! É de uma das coisas de que mais me orgulho, quando digo que sou vascaíno…

      • sex, 13/05/2011 - 13:56
        Pedro Luiz Paredes

        rsrsrs, então é que nem o curintiano aqui em SP!

      • sex, 13/05/2011 - 15:28
        Gabi

        Historicamente, o Vasco tampouco é clube do povo, mas da comunidade portuguesa. Isto é, é o clube do antigo colonizador.

        Muito se diz de o vasco ter sido o primeiro clube a aceitar negros em seu time. Isto é verdade. Mas não foi por não serem racistas. Foi apenas para explorar "mão de obra" barata num tempo em que jogador de futebol era amador e no maximo ganhava bicho. O Vasco foi o primeiro a ter negro no time, mas como todos os outros clubes grandes do Rio, levou muito tempo pra ter negros nos seu quadro de associados…

        Lembro ainda que o vasco era até bem pouco tempo administrado por um tirano monarquista e feudalista chamado Eurico Miranda, deputado pelo PP (se nao me engano partido do Bolsonaro), eleito graças à alienação da massa cruzmaltina num momento em que o vasco tinha um grande time (anos 90).

        Os quatro grandes clubes do Rio são todos, no fundo no fundo, clubes de elite! Um deles reconhece, o (Fluminense, outro não entra muito no mérito da questão, o Botafogo, e outros dois fazem manipulação populista, Flamengo e Vasco (são os dois clubes que mais exploram a massa ignara), sobretudo o Flamengo, que tem uma torcida monstruosa graças ao proselitismo da imprensa na era do ràdio e mais recentemente na era de monopolio das organizaçoes globo.

        Historicamente, o verdadeiro clube popular do Rio é o Bangu, nascido no tradicional bairro industrial de mesmo nome, na zona oeste, e que também foi junto com o vasco pioneiro na abertura aos negros, mas não apenas no time de futebol. Seu estàdio, o estàdio de Moça Bonita se chama "Estàdio Proletàrio. O Bangu teve momentos de gloria, depois entrou em decadência e caiu nas mãos da mafia do jogo do bicho. O clube se sagrou campão carioca duas vezes (33 e 66), e vice brasileiro em 85. Até os anos 60 era clube grande, nos anos 80 ainda era um clube médio no cenario nacional, e ainda teve um momento de sucesso graças ao dinheiro injetado pelos bicheiros e a craques como Marinho.

        Não sou banguense, mas fica o registro, pelo bem da memoria do futebol!

      • sex, 13/05/2011 - 16:53
        Fabio SP

        Viva o OLARIA!!! O verdadeiro clube democrático

      • sex, 13/05/2011 - 20:48
        Renato Lira

        Não coloque o Eurico Miranda como "símbolo do Vasco". Eurico é símbolo do momento mais triste e sombrio da história do Vasco.

        Símbolo do Vasco são os Camisas Negras, negros e mulatos campeões de 1923. Símbolos do Vasco são Pai Santana, Barbosa, Fausto, Ademir, Martinho da Vila, Paulinho da Viola, Roberto Dinamite, Dulce Rosalina, Chacrinha…

        A história do Vasco é de democracia e liberdade, dos negros, mulatos, pobres, do primeiro presidente negro de um clube no Brasil, Cândido José de Araújo (em 1904!), da luta contra o racismo e o preconceito.

        Não foi "só pela mão-de-obra" não, Gabi. Foste só isso o Vasco não seria perseguido pelos rivais branquinhos. Não concordo com este reducionismo mesquinho e barato. Para o bem da memória, o fato é que o Vasco é o primeiro time a ter negros entre seus jogadores. O Bangu, que merece a lembrança acompanhou o Vasco. Porém o Vasco é o pioneiro. E o Vasco é time do povo sim. Pois não é da zona sul (fica em São Cristovão), não tem a simpatia da mídia e mesmo assim tem uma torcida imensa.

      • sáb, 14/05/2011 - 9:01
        Gabi

        Caro Renato,

        Nao conhecia essa historia do presidente negro… Dou o braço a torcer…

        Mas lembro que em 1904 o vasco era um clube de remo. O remo era o esporte mais popular da cidade até meados dos anos 1920, o futebol era esporte de elite. Ora, o Bangu Atlético Clube, fundado justamente em 1904, teve seu primeiro jogador negro em 1905. Não é à toa que um dos apelidos do Bangu é "mulatinhos rosados". Além disso, boa parte do elenco era composto por operarios. Alguns deles às vezes nao eram liberados pelas fabricas para jogar. Quer dizer, essa historia de pioneirismo vascaino é discutivel.

        Quanto à oposição dos outros grandes clubes ao vasco: sim os outros eram racistas, ninguém nega, mas sobretudo não admitiam que o vasco tivesse negros porque com eles o time vascaino era imbativel.

        Sobre o vasco ser "povo" por nao ser da ZSul, acho que é preciso realmente nuançar isso. A sede nautica do vasco fica na Zona sul (Lagoa), antes disso ficava no centro e depois em Scristovao (o remo era antigamente disputado na baia de guanabara)… Lembro ainda que na virada do século XIX pro seculo XX Sao Cristova era bairro nobre, aliàs nobilissimo, do Rio, era o Bairro Imperial! (Copacabana, Ipanema e Leblon nao existiam! SConrado e Barra muito menos!) Enfim, recoloquemos as coisas em seu contexto! Ainda acho que historicamente o clube carioca mais representativo das classes populares é o Bangu.

        Sobre o Eurico, nunca disse que ele era simbolo do vasco. Apenas disse que como todo grande clube do RJ e do Brasil, o Vasco tb é administrado por uma elite, de mentalidade por vezes bastante antidemocratica, e admitamos que o Eurico é um exemplo disso, talvez aliàs a maior expressao disso na historia do futebol brasileiro recente. Quando o vasco ganhava tudo, o Eurico era heroi, e chegou a virar o deputado cruzmaltino em Brasilia, depois que o vasco caiu pra segundona, ele virou a marca do periodo mais sombrio do vasco… Mas enfim, torcedor é assim mesmo!

        abs

      • sáb, 14/05/2011 - 9:46
        Gabi

        Esqueci de mencionar que financeiramente o vasco tb sempre contou com o apoio dos grandes comercianes (grande maioria de origem portuguesa) das bolsas de generos alimenticios do RJ, que embora concentrada na Z NOrte, constitui historicamente uma das mais importantes elites economicas da cidade, desde a época do império. Uma das familias vascainas mais ilustres como se sabe é a familia Sendas.

        Tudo isso pra dizer que esse argumento de que o vasco é "povo" deve ser realmente relativizado. Bem ou mal é preciso reconhecer que os atuais grandes clubes do RJ e do futebol brasileiro so chegaram à condição atual de grandes clubes pq historicamente sao ligados a elites sociais. Quem era realmente de identitade popular foi ficando pra tràs no meio do caminho…

        abs

      • sáb, 14/05/2011 - 17:18
        Leider_Lincoln

        A defender meu time: o Barbosa, goleiro negro responsabilizado pela derrota de 1950, recebeu uma pensão do Vasco até o fim da vida, o time nunca o abandonou. Você vê camisas do Vasco nos rincões mais perdidos da Amazônia, em qualquer favela, em qualquer birosca. Aonde há povo, há vascaínos!

  49. sex, 13/05/2011 - 11:10
    Gustavo

    Eu ri da piada. Minha mulher riu. Meus amigos riram.

    Somos (neo) nazistas por isso? Aprovamos ou ignoramos o holocausto?

    Alguém aqui já viu um episódio de South Park?

    Claro que há limites, porém, há muito mais exagero… Aliás, o falso-moralismo no Brasil é irritante, beira o ridículo.

    Daqui a pouco alguém vai abrir um processo (se é que já não o fizeram).

    Saudações.

    • sex, 13/05/2011 - 11:34
      Ana Dias

      Meu amigo, foi justamente a falta de indignação ou a falta de "exagero" que deixou que coisas como Auschwitz acontecessem.

      Sinceramente, eu não consigo entender como alguém que pare pra pensar dois segundos apenas em Auschwitz possa ter qualquer outro tipo de sentimento que não o de indignação. Não entendo como a simples menção ao nome de qualquer campo de concentração ou de extermínio consiga causar riso e não um aperto no peito, um sentimento de medo do que o ser humano é capaz de fazer e uma profunda tristeza.

      • sex, 13/05/2011 - 13:05
        Vinícius

        Ana, foi o apego excessivo à moral vigente que PERMITIU o Holocausto.

        Sou descendente de alemães com muito orgulho, mas acho que a intolerância, nesse povo, é mais a regra que a excessão, ou pelo menos era no tempo que meus antepassados chegaram no Brasil.

        O Danilo Gentili não é um herói que vem resgatar a era de ouro de quem quer que seja. É um misantropo que odeia a todos. Não é gente negativa como ele que provoca ou alimenta a união do povo em torno de um ideal, seja um ideal bom um ruim.

    • sex, 13/05/2011 - 11:56
      Roberto Souza

      Ninguem pode impedir que pessoas não gostem de certas piadas. É direito de cada um. Existem limites para qq coisa. Vivemos numa sociedade em que cada vez mais esta exposta as diferenças e isso tem de encontrar um termo medio. Escutar o outro, ver o outro, trazer o outro ao debate é que interessa. Quando isso se dá, o ponto certo da piada será encontrado. Por que será que os temas das piadas nunca se encontram entre aqueles que partilham dela: Por ex. quando a gente lembra de coisas engraçadas q aconteram conosco e contamos em tom de piada…isso é saudável. O doentio é "tirar barato" dos outros qdo esses sequer estão presentes não é? E isso é que se faz de pior nesses programas de piadas, as vezes ate ridículas.

    • sex, 13/05/2011 - 14:09
      beattrice

      South Park é um escárnio à inteligência e ao respeito mútuo em qualquer sociedade que se pretenda civilizada.

    • sáb, 14/05/2011 - 6:36
      Leider_Lincoln

      Olha, nazista eu não sei se você é não. Agora, idiota…

  50. sex, 13/05/2011 - 11:00
    Joao Correa

    Estou lendo alguns posts sobre as piadas do pessoal do CQC nos ultimos dias aqui no Viomundo.
    Em alguns destes posts e comentários, o pessoal defende punição para eles e com razões válidas, mas então sou obrigado a pensar:

    Existe um limite para a Censura?

    Lendo o livro "Cães de Guarda" que fala sobre a ditadura militar e a censura, notei que a sociedade brasileira, no geral, clamava e clama por isso, pela censura. A liberdade completa e irrestrita traz consequências também.

    Minha opinião é a de que prefiro as consequências da liberdade irrestrita do que o silêncio, seja imposto pela força ou por pressões ou por leis.

  51. sex, 13/05/2011 - 10:55
    Fernando

    O presidente do Irã tem algumas observações sobre Auschwitz que devem ser analisadas.

  52. Esse cara encarna aquele personagem com uma metralhadora na mão, sem saber o que faz. Tanto fez, tanto fez que atirou no pé. A família Saad deve ter chamado o Tas prá conversar, ameaçando RH pro piadeiro de ocasião.

  53. sex, 13/05/2011 - 10:53
    Daci

    Não acho graça nesse tipo de humor que eles fazem, não vejo e não recomendo… Se isso é para dar a legria e fazer rir… o meu humor foi pro saco faz tempo!!

  54. sex, 13/05/2011 - 10:27
    Nobile José

    não exageremos. a piada, que não aparece aqui, é ótima:

    "Entendo os velhos de Higienópolis temerem o metrô. A última vez que chegaram perto de um vagão foram parar em Auschwitz" (sic), escreveu Gentili em seu Twitter.

    chega desse moralismo do politicamento correto!!! daqui há pouco, estaremos tomando chá com reinaldo azevedo…

  55. sex, 13/05/2011 - 10:25
    Marcelo Fraga

    Reclamam tanto da "patrulha do politicamente correto", mas quem trouxe isso à tona foram eles e seus conterrâneos preconceituosos da elite de SP.

    • sáb, 14/05/2011 - 17:22
      Leider_Lincoln

      Realmente: politicamente correto é coisa que veio com os republicanos de Nova Iorque e Los Angeles, não uma invenção da esquerda uruguaia.

  56. sex, 13/05/2011 - 10:22
    José Olavo

    Hoje não se faz humor, se faz deboche. Falta de respeito, agressão, ofensa, isso nunca será humor. Não assisto nenhum programa intitulado de humor.

  57. sex, 13/05/2011 - 10:21
    Celso Junqueira

    Gentili, Rafinha e assemelhados não têm talento. Só conseguem aparecer dessa forma. Falando barbaridades como essas… depois querem pedir desculpas!! Merecem é cusparada na cara…

    • sex, 13/05/2011 - 14:13
      David

      Querem pedir desculpas para poder ficar mais tempo na midia. Por isso falam besteira a vontade e quando chamam a atençao por erros grotescos pedem desculpas e passam mais tempo na midia… Isso acontece devido a impunidade, enquanto as vitimas sofrem psicologicamente.

  58. sex, 13/05/2011 - 10:07
    Paulo C.

    Sou judeu e torcedor do Flamengo. Peço desculpas em nome da torcida do Flamengo pelas ofensas proferidas por alguns idiotas contra os nordestinos. Quanto ao Gentili, se ele fosse judeu ninguém estaria protestando, já escutei piadas bem mais fortes contadas por judeus sobre judeus. Acho que comparar ele com o Bolsonaro um completo absurdo. Um pouco de tolerância e senso de humor nunca fez mal a ninguém. Estou farto de ouvir comentários antissemitas neste blog, quando o assunto é Oriente Médio, com o beneplácito do Azenha, e agora ele protesta contra uma piada?

    • Todos os comentários antissemitas são rejeitados ou removidos. Aponte-os, por favor.

      • sex, 13/05/2011 - 12:59
        FrancoAtirador

        .
        .
        É verdade o que o Azenha afirma.

        Já tive comentários, sobre o assunto, rejeitados,

        que sequer foram diretamente ofensivos aos judeus,

        mas que poderiam ser interpretados, pelos leitores, como tal.
        .
        .

      • sex, 13/05/2011 - 14:08
        beattrice

        Nunca li um comentário que pudesse sequer parecer anti-semita neste blog. E já estou por aqui há um tempinho.

    • sex, 13/05/2011 - 11:20
      Ana Dias

      pois é Paulo,
      eu também já ouvi judeu contando piada sobre judeu.
      E isso não causa o mesmo tipo de indignação JUSTAMENTE por isso. Porque, mudando o contexto (ou seja, o contador da piada é judeu), o SENTIDO da piada passa a ser completamente outro, você consegue entender? A forma como a gente sente, entende e "significa" a piada é completamente diferente. Porque a gente sabe (sente – sabe sem raciocinar) que quem está contando passou pela dor. Nesse caso não é possível que a piada seja puro escárnio. Vai ter muito mais um sentido catártico. O que NÃO É absolutamente o caso do Gentilli!

    • sex, 13/05/2011 - 11:47
      dukrai

      eita golpe véio esse de confundir sem querer querendo anti-sionista com anti-semita!

      • sex, 13/05/2011 - 17:01
        Paulo

        acho que é muito comum mesmo são os comentários anti-semitas difarçados de anti-sionistas

      • sáb, 14/05/2011 - 6:40
        Leider_Lincoln

        Eu não preciso disfarçar, meu caro. Não me escondo num nome genérico. Meu nome é este mesmo. E o que você "acha" é problema seu, tenho até uma sugestão para o que você pode fazer com o que você acha, mas a Dona Lourdes se sentiria constrangida se a lesse e não quero desrespeitar a boa mãe do Azenha. SOU anti-sionista. E eu não disfarço.
        Agora muitos sionistas, na incapacidade de defender o que Israel anda fazendo, acusa os adversários de serem anti-semitas. Gente como você, tacanha e sem argumentos.

    • sex, 13/05/2011 - 13:04
      Leider_Lincoln

      Anti-semitas? Nenhum! Anti-sionistas? Os meus, inclusive. Não confunda racismo (as políticas de Israel contra os palestinos, por exemplo) com anti-semitismo (ofensas a judeus), meu caro…

    • sex, 13/05/2011 - 13:52
      Pedro Luiz Paredes

      Há uma grande diferença entre ofensas e piada; e há outra diferença entre umas e outras pessoas. Não há porque se justificar.
      Há um moralismo besta na sociedade que em certas pessoas se confunde com política, ideologia…

      • sáb, 14/05/2011 - 6:41
        Leider_Lincoln

        Faz assim então: faça piadas com Holocausto no site do MPF, Paredes. Se você está tão convicto que é uma questão de moralidade, siga em frente!

      • dom, 15/05/2011 - 5:12
        Pedro Luiz Paredes

        Leider_Lincoln, se você não consegue ver a diferença, não quer dizer que ela não exista.
        Eu ganho qualquer ação no MPF ou STF defendendo o direito de expressão e mostrando a diferença entre piada e ofensa moral.
        Claro que se o representante do "parquet" ou o relator for você, ficaria mais fácil ainda.

    • sex, 13/05/2011 - 15:37
      Lazlo Kovacs'

      É um paradoxo: quando olho para a torcida do Flamengo, não vejo a "elite branca" em sua maioria. Confirma a minha tese de que o discriminado também toma o papel de algoz de vez em quando.

      Discordo com relação ao caso de um antissemitismo nos comentários do blog, uma vez que eles são retirados e não fazem parte da política do mesmo. Este humor judaico a que você se refere é interessante, mas, convenhamos, não é o mesmo contexto.

  59. sex, 13/05/2011 - 9:35
    João

    Danilo Gentili deveria sair de cena rapidinho, e levar com ele todos os "humoristas" do CQC.

  60. sex, 13/05/2011 - 9:34
    Fabiano Araujo

    Desculpem pelo engano. Não conheço esse personagem do programa CQC. Creio que estavam criticando o diretor italiano que realizou um filme desprezíve, no qual parece querer passar ao espectador a idéia que campo de concentração tem algo de "play-ground". Mais uma vez peço que me desculpem pelo grave engano.

  61. sex, 13/05/2011 - 9:24
    Fabiano Araujo

    O que esse Danilo Gentili fez, isto é, transformar uma das maiores barbaries cometidas por seres humanos contra outros seres humanos em motivo para alegria é asqueroso! Além do mais, tentar passar para o espectador a idéia de que, naquele espaço tenebroso fosse possível um pai brincar com um filho do modo que o personagem faz, burlando os nazistas, como se estes fossem "bobinhos". É de um surrealismo que nem Dali ou Magritte seriam capazes de imaginar. O mais surpreendente é que o filme foi premiado em Hollywood, onde, como é sabido, a influência sionista é grande. Isto mostra, também, a leviandade com que o sionismo encara a tragédia que seu povo foi vítima. Fica demonstrado que o sionismo usa a barbárie que vitimou o povo judeu apenas como arma de propaganda. Quanto a Gentili, expressa apenas o clima fascista que novamente predomina na Itália.

    • sex, 13/05/2011 - 16:12
      Beto_W

      Fabiano, não sei se você fala sério ou está sendo irônico. Mesmo o filme "A Vida É Bela", a que você se refere, causou certo desconforto em alguns setores da comunidade judaica. Teve gente protestando, dizendo que o holocausto não era motivo para piada.

      Eu assisti o filme, e como judeu, gostei muito da sensibilidade com que o assunto é tratado. Ri, chorei, me emocionei. E grande parte dos judeus que conheço também gostou do filme. Outra comédia sobre o holocausto, bem menos conhecida, mas também muito emocionante, é "O Trem Da Vida", de produção francesa. Recomendo.

      Aí vem você misturando estações, falando da influência sionista em Hollywood, da leviandade do sionismo ante o holocausto, e afirma que "fica demonstrado". Não entendi nada do que você quis dizer com essa parte.

      Se sua intenção foi mostrar que o filme do italiano Roberto Benigni faz humor com o holocausto e foi bem recebido, e que portanto qualquer tentativa de humor com o holocausto deve ser bem recebida, acho que você não percebeu a enorme distância entre Benigni e Gentili.

  62. Enquanto isso num grande portal qualquer…

    Danilo Gentili não ganha nem uma linha de informação pelo post de "bom gosto".

    Já Lula…

  63. Quanto ao Danilo e ao Rafinha, são apenas dois boçais tentando se manter em evidência, buscando o mau gosto ao extremo para com isso polemizar e ser o "post" do dia. Na falta de humor, já que o formato do CQC já está pra lá de desgastado, se penduram no mau gosto.

    Ser a favor do metrô em higienópolis é uma coisa, ofender de forma tão tosca a comunidade judaica da região é outra. Pior é q tem um monte de gente q sai replicando uma infâmia dessas e nem se dá conta da gravidade do q se está dizendo.

  64. sex, 13/05/2011 - 9:03
    Pedro Luiz Paredes

    O moralismo é a praga da sociedade. Ninguém é obrigado a gostar da piada da mesma forma como ninguém é obrigado a gostar da forma como certas pessoas e empresas de comunicação exercem a liberdade de expressão.
    Se não gosta da piada não ri, ignore e passe reto.
    Vá moralizar sua casa, seus filhos, sua bunda!

    • sex, 13/05/2011 - 10:11
      David

      Sr. Anárquico,

      Vá pregar a desordem em outro lugar. Limites devem ser impostos em qualquer sociedade séria. Tenha bom senso, valorize o respeito ao próximo já que com certeza deve gostar de ser respeitado. Sua teoria é impraticável.

      Tenha um bom dia bastante com bastante moralismo. Seu imoral!

    • sex, 13/05/2011 - 10:15
      Ana Dias

      Moralismo, Pedro?? Você acha que se indignar com piadas sobre Auschwitz é moralismo?
      Pedro, você sabe o que foi Auschwitz? você sabe o que se passava nos campos de concentração? Você conhece alguém que já passou por um campo de concentração, ou que escapou de um campo de extermínio? Você conhece alguém, judeu ou não, que passou pela 2a Guerra Mundial? E mesmo que não conheça, você já ouviu falar dessas histórias? Já leu sobre elas?
      E depois disso você ainda acha que repudiar piada sobre Auschwitz é MORALISMO????

      • sex, 13/05/2011 - 13:44
        Pedro Luiz Paredes

        Tem piada de tudo e piada não mata ninguém.
        Conte uma piada que eu acho alguém que fique triste ao ouvi-la.
        A maneira como você se revoltam contra isso só reflete a importância que vocês dão às pessoas de acordo com suas características. Veja:

        Você defende os fanhos quando vê um piada de fanho?
        Você defende os homossexuais quando vê um piada de homossexuais?
        Você defende os negros quando vê uma piada de negro?
        Você defende as putas quando vê uma piada de puta?
        Você defende os gagos quando vê uma piada de gago?

        Quem é você, o Batman?

        Eu não revelo se gostei da piada do rapaz, ou não.
        Defendo o direito dele de contá-la.

      • sex, 13/05/2011 - 15:12
        Pedro Luiz Paredes

        Sim senhora.
        Acho que repudiar piada sobre Auschwitz é MORALISMO!

      • sex, 13/05/2011 - 20:56
        Renato Lira

        Decerto você se borraria de tanto rir ao assistir judeus queimando nos fornos de Auschwitz.

        Ainda iria soltar uma tipo "churrasquinho de Carnatzlach ou um Zeroá (osso tostado com carne).

        Auschwitz seria seu parque de diversões caro "imoral" Paredes. Você, junto aos Mengueles da vida se divertiria lá.

      • sáb, 14/05/2011 - 2:02
        Pedro Luiz Paredes

        Não confunda as coisas Renato Lira.
        Sou incapaz de fazer isso.
        Mais fácil você que julga tão facilmente.
        Sou a favor da liberdade em se fazer piadas, que é uma forma de expressão.
        Fazem piada de tudo e de todos, por que que com judeu não pode?

      • sáb, 14/05/2011 - 12:26
        Renato Lira

        Peraí, moço.

        Quem confundiu tudo aqui foi você.

        Quem mandou os outros "moralizar filhos e bunda foi você"

        Quem faz pré-julgamentos aqui é você, Paredes.

        Decretou, do alto de sua "sabedoria" que quem critica uma ofensa, uma declaração infeliz, é "moralista", "politicamente correto" , emtre outros quetais.

        Pode-se fazer piada com quem quiser. O caso aqui é que não há piada, há uma ofensa explícita, idiota e de mau gosto.

        E, claro, para se fazer piada, é preciso talento. O que não é o caso do rapaz em questão.

        Aliás, você não gostou do que eu afirmei?

        E se eu te dissesse que foi uma piada? Uma ironia?

        Não seja politicamente correto, Paredes.

        Vá pra casa moralizar sua…escova de dentes.

      • dom, 15/05/2011 - 5:48
        Pedro Luiz Paredes

        Renato, o que eu mais prezo depois dos princípios universais de liberdade e igualdade, é a justiça.
        Se você for querer mesmo entrar nesse mérito e discutir quem começou com tudo isso, terá que admitir que foi a autora da crítica.
        Não achei justo ela crucificar o rapaz por causa de uma piada.
        Os exemplos que dei são de coisas que competem a ela, "não foi literal". Eu poderia ter falado outras coisas.
        Nunca imaginei que os comentaristas do blog iriam levar justamente para o lado literal. Achei que alcançariam facilmente a conotação e o ponto central do meu comentário (Ledo engano).
        Ainda que tivesse exagerado, não adjetivei como você e outros.
        Alguns exemplos dos adjetivos direcionados a mim: "idiota, sua mãe, reaça, anárquico, imoral, etc. (o pior de todos foi direitista – mas o sujeito nesse caso parece ter problemas existenciais agudos, então desconsidero),
        O máximo que eu disse e que pode ser entendido como ofensa foi que o moralismo é a praga da sociedade, mas a carapuça só vai servir em vocês se perceberem que isso que fizeram foi mesmo o exercício do pior tipo de moralismo.
        Como não perceberam, não precisam se sentir ofendidos; portanto, não há ofensa de minha parte.
        O que você disse não é piada.
        Você presumiu que por eu defender a liberdade do Danilo de fazer piadas sou um nazista.
        Mostrou no mínimo presunção e para isso usou de ironia.
        As pessoas presunçosas não são o meu tipo preferido, mas já que me dispus a debater o tema, não vou ignorá-lo.
        Repito: Se você não consegue ver a diferença entre piada e ofensa; não quer dizer que ela não exista.

      • sáb, 14/05/2011 - 17:26
        Leider_Lincoln

        E você é contra a Moral, não é? Por isso NÃO VOTOU no Serra, correto? Afinal, quem chamou o aborto, a família, a CNBB e o papa para as eleições? José Chirico, não sei se lembra, era o guardião da moralidade, dos bons costumes. Na Marina e em sua moralidade verde-evangélica-capitalista decerto também não levou seu voto, correto?
        O engraçado é que não me lembro de você neste espaço atracando o moralismo dos dois…
        Alguém se lembra?

      • dom, 15/05/2011 - 5:50
        Pedro Luiz Paredes

        Então procura direito.
        Tente também nos posts do blog antigo.

    • sex, 13/05/2011 - 10:35
      Aline C. Pavia

      Passou na moderação este péssimo comentário? aff

      • sex, 13/05/2011 - 13:37
        Pedro Luiz Paredes

        Não, você é a moderação. Ninguém te falou???
        Obrigado e volte sempre.
        Affff

      • sex, 13/05/2011 - 14:31
        Aline C. Pavia

        Não preciso, graças a Deus, usar baixo calão para me expressar. 400 mil vocábulos são suficientes sem precisar apelar para linguajar chulo. Te mando um dicionário via Sedex se quiser.

      • sex, 13/05/2011 - 15:18
        Pedro Luiz Paredes

        Creio que você não saiba mais do que 2.000 desses vocábulos.
        Fala, fala e não diz nada.
        Faça uma crítica construtiva ao menos.
        Sei que é difícil para quem se limita e desqualificar; mas teta!!!!
        Digo…
        Tenta!!!!

    • sex, 13/05/2011 - 10:42
      Renato

      O que tem a ver moralismo com genocídio e barbárie? Façamos então piada sobre as habilidades noturnas da senhora sua mãe. Não apele, é apenas uma piada.

      • sex, 13/05/2011 - 13:37
        Pedro Luiz Paredes

        Se for engraçada até ela vai rir Renato, não esquenta.
        Agora, se for da sua mãe, provavelmente vai ficar bravo.
        Não aprendeu ainda o que é uma: "piada"!

      • sex, 13/05/2011 - 15:50
        Pedro Luiz Paredes

        Como eu já disse (é que a pessoa que aprovou seu comentário não foi a mesma que podou o meu).
        Riríamos do que acabou de falar da minha mãe.
        Agora, se fosse da sua, você ficaria brava, posto que não entende uma simples piada.
        Você deve ser o Batman.
        Defende as putas das piadas sobre putas.
        Defende os gagos das piadas sobre os gagos.
        Defende os fanhos.
        Defende os negros.
        Defende os cegos.
        Defende os mudos.
        Defende o mundo.
        Para cada piada existe alguém que se chateia, não tem dessa. Judeu não é melhor do que ninguém para ser blindado de piada. Falei para Hitler, deixem eles quietos, peguem os moralistas!
        Alias, Hitler protegeu muitos judeus se é que você sabe alguma coisa desse assunto.
        Ou abolam a piada!!!!
        Vossa austeridade só evidencializa suas preferências sociais.
        Mente se negar ter contado ao menos uma piada sobre negros, que morreram e morrem.
        Muito mais do que os judeus.

    • sex, 13/05/2011 - 11:01
      Eduardo Guimarães

      Estou a lançando a campanha "Fala, Direita!". Mudei de ideologia? Não, é que quanto mais os Luizes Paredes da vida abrem suas bocarras, mais eles queimam o próprio filme. A esquerda agradece. Fala, Direita!

      • Eduguim: foi fogo amigo! Será q'menino não sabia da etnia dos seus patrões? Hora boa para lembrar do Einsntein: Só conheço duas coisas infinitas, o universo e a estupidez humana. E mesmo assim, tenho dúvidas sobre o universo.

      • dom, 15/05/2011 - 5:52
        Pedro Luiz Paredes

        Eu conheço outra:
        Nada se inventa, tudo se copia.

      • sex, 13/05/2011 - 13:04
        Leider_Lincoln

        Uma boa, Eduardo!

      • sex, 13/05/2011 - 15:20
        Pedro Luiz Paredes

        Puxa saquismo não gente.
        Isso é coisa de direita.
        Me deixem quieto aqui desse lado, por favor!
        Se não tem argumento, se limite a observar.

      • sáb, 14/05/2011 - 6:45
        Leider_Lincoln

        Não. Para que ficar papagaiando, como você, por exemplo, se alguém já disse coisas com as quais concordo?

      • sex, 13/05/2011 - 13:32
        Pedro Luiz Paredes

        Não tenho filme e não me limito pelo que é alheio, principalmente moralismos.
        Sou contra a regulação de qualquer liberdade.
        Se você é de esquerda então eu sou de direita; pessoas assim que nem você eu quero distância!

      • sáb, 14/05/2011 - 0:10
        Prof. Garibaldo

        Liberdade de pensar e falar o que quiser. Mas você não escolhe o que vai pensar? Não escolhe o que vai fazer? Evidente que sim. Logo, não é qualquer coisa que você pensa. Parece interessante. Infelizmente para você, as pessoas, quando criam os seus valores, já miram o tipo de sociedade que se quer. Infelizmente, você não pode escolher os seus pais, nem a época que nasceu e não pode mudar a lei da gravidade. Se a sua postura é se contrapor raivosamente contra os outros, ok. Mas pode ter certeza que estaremos em caminhos opostos. Continue assim, em seu júbilo bilioso, que está bem divertido. Chega a ser um subniilismo, típico de alguns escritores do entre-Guerras mundiais que rumaram para o fascismo.

      • dom, 15/05/2011 - 6:05
        Pedro Luiz Paredes

        Quanta novidade!
        Muito obrigado pelos esclarecimentos e pela disposição em me ajudar professor.
        Afinal, quem avisa amigo é.
        Digo, entendi seu recado.

        Bom…
        Agora que já cuidamos do seu ego, voltemos à pauta da aula de hoje.
        Liberdade de expressão x moralismo.
        Me surpreenda professor Garibaldo!

      • sex, 13/05/2011 - 14:03
        beattrice

        Muito boa idéia Eduardo. Fala direita, falaaaaaaaaaaa.

      • sex, 13/05/2011 - 15:41
        Pedro Luiz Paredes

        Esse pobre coitado acha que porque eu defendo a liberdade de expressão sou de direita (pois é, as coisas mudam). Ai vem um bando de papagaio querendo confete e da nisso.
        São os donos da esquerda…
        Confundem uma coisa com a outra dizendo que eu sou fascista.
        O nível dos comentários do blog realmente caiu.
        Mas se querem fazer de minha opinião o achismo de vocês pelo menos escutem qual é para não ficarem deduzindo coisas absurdas.
        Acho que Hitler errou o alvo.
        Devia ter mirado nos moralistas, de esquerda ou de direita, isso não importa, não me compete.
        São todos uma praga só.

      • sex, 13/05/2011 - 21:02
        Renato Lira

        Se tem um pobre coitado aqui, paredão, este é você.

        Quer posar de "anárquico", brigar com todo mundo, ofender as pessoas.

        Figurinha triste.

        Concordo com só uma afirmação sua.

        O nível do blog caiu.

        Desde sua entrada.

        Se tu é ou não é de direita, não sei, porque há figuras tristes dos dois lados, reaças de direita e de esquerda.

        Tu és apenas uma figurinha triste.

      • sáb, 14/05/2011 - 2:05
        Pedro Luiz Paredes

        Eu não ofendi ninguém e frequento esse blog muito antes de ser povoado por você e essa cambada de moralistas puxa-sacos.

      • sáb, 14/05/2011 - 12:43
        Renato Lira

        Rapá, qué isso?

        Surtou, Paredão.

        O Dom Quixote da "liberdade de ofender e degradar".

        O paladino do "politicamente incorreto".

        O defensor de Gentille, supra-sumo da contracultura tupiniquim.

        O dono da verdade absoluta, que trata quem não concorda com ele de "moralista, puxa-saco e manda cuidar da bunda".

        Que houve contigo, Paredes?

        Tá bom, vou corrigir, tá?

        O nível do blog caiu, desde tua entrada neste post, para defender e puxar-saco (isso mesmo, você) um idiota sem talento e sem escrúpulos.

        Melhorou agora? Tá calminho? Tá bom?

        Agora vá ver um vídeo do politicamente incorreto Bolsonaro e descansa um pouco.

        P.S.: Só pra não passar batido, moral é uma virtude. Ruim é ser falso-moralista, cinico, arrogante, querer ser dono da verdade.

      • sáb, 14/05/2011 - 17:31
        Leider_Lincoln

        Ótimo, é o que eu queria ler: eu participo do Viomundo desde a época em que o Azenha trabalhava na Globo e o mesmo estava hospedado na Globo.Com; Não me lembro, uma única vez, de ver você atacar o moralismo do Serra e da Marina durante a campanha eleitoral. Lembra da questão do aborto? Houve muitooooooooooo moralismo. Aonde estava você? Pode me mostrar um único comentário seu nos moldes dos que ora publica, que seja daquela época? Mostre-nos, faça-nos esta gentileza, senão todos aqui ficarão com a impressão de que você é apenas um troll hipócrita, presunçoso e ridículo, que precisa mais de uma melancia que de rivotril…

      • dom, 15/05/2011 - 7:04
        Pedro Luiz Paredes

        No outro comentário seu eu já disse que basta você procurar para achar diversos comentários meus, inclusive no blog antigo. Até prefiro a foto do Azenha do blog antigo.
        Falando nisso: Lembra daquela foto do Azenha encostado no muro de Berlim com dois amigos?
        Lembra daquela estória que o Azenha contou sobre o "Seo Azenha", revelando que o pai era de um partido de esquerda e que nem a família sabia dessa condição, e que o pai saia para as reuniões em dia de semana…. A família só soube muito tempo depois.
        Diversos posts sobre a dívida pública, estorias de quando era correspondente nos EUA. Cansava de falar sobre os gastos do EUA com a industria bélica…
        Logo no começo do novo blog teve um parecer sobre o caso Battisti, de um jurista famoso do qual eu não me lembro o nome.
        Mas o parecer dizia que a a própria justiça italiana admitia o caráter político da sentença e que as únicas provas conseguidas eram as testemunhais, obtidas para atenuar as penas dos delatores.
        Sou absolutamente contra a extradição. Para mim a decisão é do presidente pronto.
        Não lembro os títulos dos posts e poderia dar outros exemplos, mas não será dessa vez que conseguirei saciar sua ânsia, inclusive as vezes tento procurar e não consigo achar os posts sem saber o nome; pelo google fica mais difícil ainda.
        Se queria saber minha opinião sobre o aborto era só perguntar.
        Para mim a questão do aborto é muito mais complexa do que a experiência jurídica da nossa atual civilização. Admito que estudei exaustivamente a questão sob o aspecto jurídico, fisiológico e até metafísico para tentar uma solução plausível,mas sem sucesso.
        Atualmente eu sou a favor do direito da mulher fazer o aborto.
        Sou a favor mais pelo aspecto social.
        Penso que o governo não pode dispor sobre isso e muito menos punir o aborto como crime posto que ele é falho no cumprimento de seu papel; de proporcionar as oportunidades e direitos básicos para as pessoas, tanto para compreenderem e terem a dimensão dessa responsabilidade, quanto na certeza de que as garantias que não foram concedidas aos pais sejam garantidas ao bebê.
        Mas não vou me alongar pois criarei mais dúvida e discussão.
        Só para constar, eu também não me lembro de você e não sou tão presunçoso quanto, a ponto de exigir provas da sua veracidade. Espero sempre que as pessoas estejam de boa fé.
        Quando massacramos a rede bobo por causa dos absurdos ditos contra Lula e Dilma e discutíamos a regulação da mídia o Azenha disse em outras palavras que prefere os exageros do que a restrição dos direitos de se expressar. Eu custei a admitir que ele estava certo, pois as coisas saim do limite naquele tempo. No entanto hoje eu estou defendendo justamente isso: que o rapaz tenha o direito de se expressar como queira, ciente de que não se trata de uma ofensa embora alguns entendam assim, e que se faça piadas de mau gosto. Assim, deixe para o público a liberdade em selecionar o tipo de humor que ele quer ver, e os humoristas que quer ver.
        O dia que ele fizer apologia á algum crime ou garantia constitucional as coisas mudam pra mim.
        Por exemplo, aquele padre nos EUA que incita as pessoas a atearem fogo no alcorão.
        O Brasil é um país laico e tal atitude aqui, estaria incitando não só a queima do alcorão como o crime de discriminação, portanto deveria ser punido.
        Vou dizer a mesma coisa que disse duas vezes para o Renato Lira:
        O fato de você não conseguir entender a diferença entre liberdade de expressão e ofensa , não quer dizer que ela não exista.

    • É perca seu tempo tentar argumentar com este, você vai ser ver falando com "Paredes"

      • sex, 13/05/2011 - 13:33
        Pedro Luiz Paredes

        Aprende a escrever Aécio Neves! Você fala desse jeito também?
        rsrs
        Calma, foi uma piada.
        Putz…
        Esqueci!!!
        Piada não pode!

      • Prezado The Wall, claro que pode fazer piada! Só não sei o que tem Aécio Neves nessa história. Afinal de contas pelo que me consta ele é mais carioca que mineiro…

      • sex, 13/05/2011 - 18:03
        Pedro Luiz Paredes

        Então tá, vamos entender como piada. Certos de que o rapaz não é fascista ou preconceituoso.
        Celebremos a liberdade de expressão mesmo que expressa por piada.
        Quanto Aécio…
        Você já olhou a foto do seu perfil?

      • sex, 13/05/2011 - 20:42
        Lazlo Kovacs

        Numa democracia, você defende o direito de expressar as suas ideias.

        Numa ditadura, você tem certeza que são plataforma de Governo.

      • sáb, 14/05/2011 - 6:47
        Leider_Lincoln

        Apesar de gostar de um Po de Queijo, ops, Pão de Queijo, não é mesmo? Isso é piada, não é? Transformar bolinha de papel em tijolo também é!

  65. sex, 13/05/2011 - 8:40
    Aline C. Pavia

    Parabéns Azenha, a simbiose de tucanalhas-DEMoníacos de SP com a imprensa está parindo essas aberrações.

    Não vejo Pânico nem CQC pq meu intelecto se revolta a certas propostas de "humor".
    Só vi CQC no dia em que a Palmirinha esteve lá. De resto, boicote. Pânico então, não sei o que é mais triste, se são moças adultas, bonitas, inteligentes, se submeterem àquela excrescência, ou se são os animais no cio que babam ao assisti-las. É uma ode ao escatológico, um espetáculo constrangedor e patético.

    Saudade de Balança mas não Cai, Bronco, Viva o Gordo, Chico Anysio, TV Pirata e Perdidos na Noite.

    Lembra do Didi imitando Ney Matogrosso "bandido, bandido corazón" sem camisa e fitinha vermelha na testa? Até os Trapalhões já foram bem melhores que isso que passa na hora do almoço de domingo na Globo.

    Humor neste país morreu com os gênios. Isso que temos hoje em dia na TV são cópias mal-acabadas de enlatados de outros países. Atestado de falta de talento próprio para produzir nosso próprio humor, genuinamente brasileiro, e de preferência sem o crivo do politicamente correto para atazanar.

    Tristes tempos…

    • sex, 13/05/2011 - 14:02
      beattrice

      Só para citar dois casos, o "humor" do Chico Anysio e do Renato Aragão sempre foi prestador de serviços da direita golpista.

      • sex, 13/05/2011 - 14:33
        Aline C. Pavia

        Mas eu rachava o bico de dar risada dos programas deles… qd criança competíamos para imitar os tipos do Anysio ou o jeito engraçadíssimo do Didi Mocó, Mussum e Zacarias falarem.

  66. sex, 13/05/2011 - 8:18
    dukrai

    ô Danilo Desprezili, vc acertou na mosca, tá todo mundo rindo de vc.

  67. sex, 13/05/2011 - 8:07
    robledoduarte

    Pois é o serra despertou num grande número de múmias o esgoto do preconceito que existe dentro delas. Cínico saiu de fininho deixando a boçalidade eletrônica abrindo a boca para qualquer tipo de opinião preconceituosa. O que deve ser feito? Fazer como a OAB aqui do Ceará que processou a tolinha que falou mal dos nordestinos, e não adianta desculpas, o processo tem que ir até o fim.

  68. Espetáculo de estupidez tendo como caixa de ressonância o PSDB e seu governador asséptico.

  69. sex, 13/05/2011 - 7:47
    wagner

    O telespectador deve estar cansado deste tipo d ehumor invasivo, agressivo e desrespeitoso e exemplo do CQC. Fazem a piada com fundo de julgamento moral do entrevistado e não dão espaço para resposta, editam e ridicularizam o que é dito como réplica.
    O Pânico tb atua na mesma linha só que pegam muito mais leve e sem a clara conotaçãoplítica dos "certinhos" do CQC.

  70. sex, 13/05/2011 - 6:18
    MA_Jorge

    Acabou por conseguir para sua "roda de seguidores" no Twitter, mais uns extremistas neonazistas e skinheads. Parabéns a ele em sua busca por glória !!!

  71. sex, 13/05/2011 - 4:06
    Conservador316

    Pessoal do CQC, são todos uns otários que se acham acima de todos.

    Rafinha bastos e o Oscar Filho são os piores.

    Onde está o Ministério Público?

  72. sex, 13/05/2011 - 2:21
    sandra magalhães

    esses muleques do cqc já passaram dos limites – e não venham me dizer que é 'humor'! até qdo querem acertar, eles erram, carregam na tinta…ta na hora de usar o controle remoto pessoal: 1 mês sem cqc

  73. sex, 13/05/2011 - 1:49
    pap

    Esse pessoal do cqc passou dos limites. Tudo começou com a maldita pegadinha nuclear contra a argentina.
    Alguem precisa avisar a mayara que o que fez é atroz, que o que o rafinha disse é passivel de interpelação judicial,ao danilo gentile que os nazistas foram derrotados e seus crimes julgados em nuremberg e aos flamen-
    guistas que eles nao são o umbigo do mundo do futebol

  74. sex, 13/05/2011 - 1:04
    rose

    A do estupro foi "muito engraçada", traz "muita alegria" mesmo. Imaginemos uma situação nada fictícia e menos ainda incomum: Uma adolescente que sofre com a aceitação do seu corpo em formação ( e com isso um conflito emocional) é estuprada pelo namorado. O que ela fará, sabendo que, segundo o "semeador de alegria e felicidade das dores alheias" só as feias reclamam ?
    Não sei, talvez eu esteja sendo radical, mas acho que no fundo, ela legisla em causa própria, talvez ele queira apenas que nenhuma vítima de abuso denuncie e, com isso ele possa, quem sabe "ganhar vários abraços?

  75. sex, 13/05/2011 - 0:46
    Gustavo Pamplona

    E vocês viram a última do Bolsonaro?
    http://noticias.r7.com/videos/jair-bolsonaro-pp-e

    • sex, 13/05/2011 - 9:51

      Se o PL 122 for aprovado, acho que ele vai querer dar na cara da Marta Suplicy, da Marinor Brito e do Jean Wyllys.

      • sex, 13/05/2011 - 10:23
        Marcelo Fraga

        Realmente ele vai ficar com bastante vontade de dar … … … na cara deles.

    • sex, 13/05/2011 - 10:08
      Nivaldo

      Azenha.
      Até de vez em quando assisto o CQC.
      Mas este Danilo Gentili é muito ruim mesmo !!!
      E aquela de ironizar os que "não tem mãe" (os órfãos)?
      A questão é: "qual é o limite "ético sim" e de "respeito sim" que se pode fazer humor?
      No último programa do CQC não sei como o Requião não deu uma "p" no cara. Aquilo não é humor nem tampouco crítica homorística. Isto, para mim, tem outro nome.

    • sex, 13/05/2011 - 10:38
      Aline C. Pavia

      "O Bolsonaro é a essência do machão parado no tempo. Devia ser posto em formol para as futuras gerações o conhecerem no Museu da nossa Burrice Histórica!" (Arnaldo Jabor)
      - de vez em quando – muito raramente – o Jabor dá uma dentro.

      • sex, 13/05/2011 - 13:11
        Vinícius

        Qual a surpresa?
        Existe direita conservadora e direita liberal. O PIG é direita liberal, defende os valores laicistas, de liberdade individual, tem repúdio ao conservadorismo religioso.

        Acho que o Jabor fala e escreve muito bem. O problema é que não entenrde m… nenhuma de política.

      • sex, 13/05/2011 - 13:58
        beattrice

        Quem gosta de cinema sabe que ele não entende rigorosamente de nada.
        Em tempo,
        o PiG defende liberdade individual??? Desde quando?

      • sex, 13/05/2011 - 17:35
        Vinícius

        Hehe, desde quando não defende? Nunca vi uma matéria da Veja contra liberdade individual, e obviamente ninguém vai fazer uma matéria nesse tom. O que eles tem é um enfoque nesse tema, adoram falar de liberdade individual e não sei o que.

        E quanto ao resto, já viu o PIG defender o conservadorismo? Não, já vi milhares de vezes defendendo que a Igreja Católica devia se abrir pra não perder tantos fiéis, como se o mal do Bento fosse ser um mal marqueteiro, pelamordedeus, perceba a cegueira e o preconceito dessa posição. Se a Igreja Católica tem que mudar, é por outros motivos. Qual a coerência de uma filosofia mudar só para ter mais adeptos? Qual seria a coerência de um sindicato ser mais pelego para ter mais filiados?

      • sex, 13/05/2011 - 17:46
        Vinícius

        (continuando)
        E a humilhação dos evangélicos? Ultimamente, o tratamento dado aos evangélicos mudou. É o interesse na classe C. Mas pegue uma revista de 5 anos atrás. Pegue reportagens em vídeo de 10 anos atrás. A abordagem obrigatória e incontestada é que as igrejas são perigosas, os fiéis são malucos e os pastores são criminosos. Talvez você nunca tenha percebido – é que a abordagem preconceituosa do PIG e dos meios de esquerda é idêntica… A Maria Frô publicou um texto, na época do massacre do Realengo, de um cara que dizia que as Testemunhas de Jeová são um culto repressor, que obriga os participantes a serem virgens… Mas tudo bem. Não tem gente que lê a Veja e não acha que ela é comprada do PSDB? Você lê o PIG e não acha que é laicista. Cadum cadum.

        Pra mim,a grande imprensa hoje é de direita, e é pela liberalidade dos costumes também.

        Eu não entendo de cinema, nunca vi um filme dele, vou acreditar em você. Já vi ele falar bonito em mais de uma ocasião.

Comentar