VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Eleições na Venezuela ainda indefinidas

30 de setembro de 2012 às 17h17

por Luiz Carlos Azenha

“A perspectiva mais provável é de que o desgastado presidente receberá mais um mandato de seis anos”.

Frase final de um editorial da Folha sobre as eleições na Venezuela. Pena que o jornal tenha extinto a revisão. Caso contrário, o revisor certamente apontaria a contradição evidente na frase. O presidente “desgatado” será reeleito. “Desgastado” com a Folha? Com o Merval?

Se vencer, Hugo Chávez não estará com certeza desgastado com a maioria dos eleitores venezuelanos.

Não é a única incoerência do texto. Outra diz respeito à afirmação de que o Executivo venezuelano, ou seja, Hugo Chávez, domina o Legislativo. Como se não tivesse havido, lá atrás, boicote da oposição às eleições parlamentares e como se, mais recentemente, a surpreendente votação oposicionista nas eleições para o Congresso não tivesse sido saudada na mídia brasileira como sinal de enfraquecimento de Chávez.

O jornal também reclama que, no ano passado, a PDVSA repassou R$ 79 bilhões para o governo gastar em projetos sociais. Certamente a Folha preferiria que a petroleira venezuelana tivesse repassado o dinheiro aos investidores de Wall Street.

Vamos agora ao que tem dito publicamente o embaixador da Venezuela no Brasil, Maximilien Arveláiz, sobre as eleições:

1. Pela primeira vez a classe alta venezuelana dispensou intermediários e disputa a eleição diretamente, com um herdeiro de família tradicional, Henrique Capriles; trata-se, portanto, de uma clara disputa de classes;

2. O núcleo duro do chavismo conta com 40% dos votos; o núcleo duro da oposição, com 20%; os outros 40% estão em jogo;

3. É fato que os números de Capriles melhoraram nas últimas semanas; a margem, hoje, é de 10 a 12% em favor de Chávez;

4. Uma vitória de Chávez por pequena margem pode abrir espaço para outra aventura oposicionista, no estilo de denúncias e manifestações que tentem colocar em dúvida o processo eleitoral.

Eu diria que pesquisas de última hora devem ser vistas com grande desconfiança.

Nunca se deve esquecer do referendo revogatório de 2004: 58,25% apoiaram a permanência de Hugo Chávez no poder, contra 41,54% (a Constituição venezuelana prevê o recall dos eleitos depois do cumprimento da metade do mandato).

Porém, uma pesquisa de boca-de-urna da empresa Penn, Schoen & Berland, dos Estados Unidos, promovida com a ajuda de um grupo de oposição a Chávez, o Súmate, anunciou que o presidente venezuelano perderia o mandato por 60% a 40%.

Como a lei eleitoral venezuelana proíbe a divulgação de pesquisas de boca-de-urna enquanto a votação estiver em andamento, os números foram divulgados em Nova York e retransmitidos dali para o mundo. As urnas ainda estavam abertas na Venezuela e é possível que a pesquisa tivesse triplo objetivo: desmobilizar os chavistas que ainda não tinham votado, animar os que pretendiam derrotá-lo e preparar o terreno para protestos questionando a legitimidade do referendo.

Leia também:

Memória: Queimando a língua com as pesquisas

Na ONU, Dilma critica guerra cambial, islamofobia e bloqueio a Cuba

Requião: “Oportunismo, irresponsabilidade, ciumeira e ressentimento”

Lincoln Secco: A esquerda precisa ver os pobres como sujeitos históricos

Roberto Amaral: É preciso vomitar o “sapo barbudo”

 

21 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Antônio Garcia Gonçalves

10/10/2012 - 10h27

Estagiária gera polêmica ao criticar eleição de índio
Elverson Cardozo
Imprimir
Post gerou indignação entre usuários da rede. (Foto: Reprodução/Internet)Uma jovem, moradora de Dourados, causou polêmica na tarde desta segunda-feira (8) ao manifestar opinião preconceituosa sobre a vitória do guarani Aguilera de Souza, do PSDC, eleito vereador ontem (7), com 1.419 votos. É a primeira vez que o município elegeu um índio para ocupar uma vaga na Câmara Municipal da cidade.

Caros responsáveis pelo VIOMUNDO faça a gentileza de repercutir essa barbárie publicada no site Campo Grande News!!!!!!!!!

Hoje, por volta das 15h30, em sua página no Facebook, Lucinha Manosso – como se identifica-, postou o seguinte comentário:

“O Estado tá perdido agora… Zeca do PT o vereador mais votado em CG! F* com o Estado quando foi governador… Um índio vereador de Dourados! E Ponta Porã… Ahhh, deixa para lá!” (sic)

O post gerou novos comentários ofensivos. Poucos minutos depois, Lucinha tentou se retratar, mas, novamente, se mostrou preconceituosa.

“Olha, eu não tenho nada contra índio… Só acho que eles deveriam viver isolado numa selva Amazônia vivendo da caça e pesca! Só dão prejuízo aqui no estado… #prontofaleitômaisleve”. (sic)

Ao se dar conta da repercussão negativa, ela excluiu a publicação, mas a página dela já havia sido “printada” por usuários da rede que passaram a compartilhar o post e demonstraram indignação com o fato.

Antes de apagar a publicação, Lucinha comentou a situação: “Ai, ai, ai, agora teve um a toa aí que deu um print e está me xingando… Primeiro! O face é meu, eu coloco aqui o que eu quero! Se não gostou, porque está aqui fuçando as minhas coisas?! Mais tem gente bem a toa mesmo hein…” (sic).

O Campo Grande News conseguiu o contato de Lucinha Manosso, mas a jovem não quis comentar o assunto alegando que estava ocupada. Ela é estagiária de uma empresa de engenharia em Dourados e trabalha no escritório da firma há aproximadamente 1 ano.

Aguilera de Souza, morador da Aldeia Jaguapiru, em Dourados, foi o 1º indígena eleito no município. (Foto: André Bento/Dourados Agora)A reportagem tentou falar com o vereador eleito Aguilera de Souza, e a informação fornecida é de que ele estava participando de uma passeata, comemorando a vitória, pela área indígena de Dourados.

Vitória – O primeiro indígena eleito em Dourados, município que fica a 225 quilômetros de Campo Grande, é professor e pedagogo. Aguilera de Souza mora na Aldeia Jaguapiru, uma das reservas indígenas da região.

Pela classificação final divulgada pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o índio conquistou a 17º posição na disputa eleitoral que teve 218 nomes e 19 candidatos eleitos para a Câmara Municipal.

Em entrevista ao jornal Dourados Agora, Aguilera comentou a vitória e disse que hoje a aldeia onde mora tem um líder político.

“Foram anos esquecidos pelo poder público, mas a população indígena entendeu a importância de se organizar e lutar por seus direitos”, afirmou, ao dizer que, sem representante na Câmara Municipal, não haveria mecanismos em termos de representatividade.

Em Dourados, outros três indígenas disputaram a vaga no Legislativo: Wilson Matos, Curu e Jorge Paredes

Responder

Ricardo Oliveira

01/10/2012 - 12h23

Na reta final da campanha na Venezuela, a grande imprensa brasileira, sempre em bloco barulhento, lança sua ofensiva contra uma possível eleição do candidato Hugo Chavez. No comício do candidato da oposição, apresentado como um grande carnaval da multidão em um reduto do núcleo duro da oposição, foi lançada a proposta de interromper a internacionalização da revolução bolivariana brilhantemente conduzida pelo presidente Hugo Chavez. O jornal o globo, de hoje, em chamada de primeira página afirma que o candidato da oposição não irá permitir que a estatal venezuelana de petróleo, a PDVSA, apoie projetos culturais na América Latina. Em referência ao fato, o diário dos Marinhos cita a escola de samba Unidos de Vila Isabel, do Rio de Janeiro, que recebeu patrocínio da PDVSA, para o carnaval de 2006, em um enredo que falava de nossa latinidade e que ainda homenageou em carro alegórico o líder Simom Bolívar. Na ocasião a Unidos de Vila Isabel venceu o carnaval carioca, o que certamente desagradou a tv globo, detentora exclusiva dos direitos de transmissão do desfile. No ano de 2013, ano em que a Alemanha é homenageada no Brasil, a escola Unidos da Tijuca apresentará um enredo que homenageia aquele país. A escola Estação Primeira de Mangueira tem como enredo, para este ano, a cidade de Cuiabá. Não seria nada de anormal se essas escolas recebessem patrocínio e apoio financeiro do país e cidade homenageadas. Cabe lembrar que no carnaval deste ano uma escola do Rio de Janeiro homenageou a cidade Londres, por ocasião da realização dos jogos olímpicos que aconteceram no mês de julho na capital inglesa. O jornal o globo, com sua chamada de capa, mirou, com a sua obsessão anti revolução popular bolivariana, em Hugo Chavez e na escola Unidos de Vila Isabel, que nos últimos carnavais tem se apresentado com enredos que valorizam nossa cultura e também enredos de cunho trabalhista popular.De 2007 para cá, a Vila já apresentou os seguintes enredos: Teatro Municipal do RJ, Trabalhador em referência as conquistas da era Vargas, Noel Rosa, Angola, além de outros . No ano de 2013 , a escola do bairro de Vila Isabel apresenta um enredo sobre a vida no campo, com enfoque para o pequeno trabalhador rural e a produção de alimentos por esse pequeno trabalhador.Certamente não são enredos que a tv globo gostaria de apresentar em sua transmissão. Cabe lembrar, também que a escola Acadêmicos do Salgueiro apresentará no ano de 2013 um enredo que tem o nome de Fama, que nos bastidores comenta-se que tem o patrocínio da revista Caras e que certamente trará inúmeras celebridades para o desfile, o que agrada a tv globo. Vale ainda lembrar, que outra escola , a Unidos de São Clemente, apresentará um enredo com o tema, Horário Nobre, em uma referência as novelas, principalmente as da tv globo. Na eleição da Venezuela, o globo atravessou o samba, perdeu pontos e caiu para o segundo grupo, mesmo patrocinando Celebridades e seu Horário Nobre.

Responder

Julio Silveira

01/10/2012 - 11h12

Não existe contradição no que disse a Folha, o existiu foi um ato falho.
O Presidente Chaves está mesmo desgastado com a direita brasileira e seus intrumentos midiaticos. É tudo por uma questão de exemplo, a direita venezuelana ele tem atropelado com o apoio dos cidadãos venezuelanos que democraticamente tem lhe reconduzido ao poder, a ponto da democracia de lá, mesmo fiscalizada por organismos internacionais, ser contestada por esses maus perdedores solidários com os seus.
O Problema da direita no mundo é que democracia boa é a que eles vencem. E se a cidadania fosse um pouco mais esclarecida eles jamais seriam eleitos, tudo por uma questão de numeros. Democraticamente, minoria jamais teria votos para comandar maiorias, o máximo seria ter alguns representantes nos parlamentos. E olhe lá.

Responder

augusto2

01/10/2012 - 09h55

A quantidade, a especificidade dos acordos tecnicos, comerciais, militares e outros que a venezuela tem assinado com china e russia é muito muito grande.Agora mesmo outro satelite made in china que vai ajudar muito em divs areas como agricola e militar no pais. é só pesquisar.
Se a gente lembrar que ali tem 290 bilhoes bbl de petroleo, se a gente lembrar que o futuro está com a china e russia e nao com uolstrit.
se lembrarmos que nosso submarino demora demais, nossa plataforma de Alcantara explode do nada, nosso aumento de verba militar vai 90% para salarios e pensoes e nosso campo da antartida pega fogo…
A pergunta torna-se esta: quem é que está enxergando mais longe e mais nitido?

Responder

Roque

01/10/2012 - 09h01

Pegou no sono quando a Venezuela era o quintal das petroleiras americanas, do EUA… Pegou no sono de fome mesmo. Hoje está acordado porque o dinheiro do petróleo deu casa, comida, bem estar social…

Responder

Roberto Ribeiro

01/10/2012 - 08h47

Na Venezuela Hugo Chávez somente controla o Executivo, diferente do Brasil, onde a grande Imprensa controla os Três Poderes.

Responder

jose antonio

01/10/2012 - 07h30

Sr. Azenha, bem vindos os seus comentarios, porem a eleição não está indefinida, para começar se estivesse indefinida, se Chavez corresse algum risco de não vencer não haveria a grande campanha de midia a partir da SIP(Sociedade Interamericana de Imprensa), que distribue aos grandes jornais de direita latino-americanos noticias contra o processo venezuelano, exemplo marcante é o jornal “o Globo” , que vem aumentando as suas noticias contrarias ao regiem, as quais se tornaram quse diarias. Além disso, as pesquisas divulgada ontem de diversos institutos e pró e contra Chavez apontam vitoria entre 10 e 20 pontos de diferença.Portanto Sr. Azenha, me permita, a eleição está definida com vitoris de Hugo Chavez Frias.

Responder

Pedro Cruz

30/09/2012 - 22h57

É só assistir um comício do CARA, na telesur. É um mar de gente, que inveja. Viva Chavez!!! Viva a Venezuela!!! Viva o mercosur!!!!

Obs: Urubuzada, Chaves está vendendo saúde. A medicina Cubana é phoda, Chaves aguenta mais uns cinco mandatos. Faz comicios de umas cinco horas, em pé. Fora a carreata antes.

Responder

José X.

30/09/2012 - 20h27

O negócio é torcer pro Chávez vencer, caso contrário a Venezuela vai passar a ser uma cunha americana no Mercosul…

Responder

Taques

30/09/2012 - 20h17

Se não houver fraude nas apurações, a casa caiu. Vejam:

http://www.jornaldelondrina.com.br/mundo/conteudo.phtml?tl=1&id=1302709&tit=capriles-faz-comicio-para-multidao-na-venezuela

Responder

    Abel

    30/09/2012 - 22h36

    Sossega, playboy: é o pessoal do “Cansei”…

    Wladimir

    01/10/2012 - 11h08

    Jornal de Londrina, Taques?!?! Nos poupe Mané! Volta pra caverna do ostracismo com o resto da tucanalha e a elite golpista!

    MARCELO

    01/10/2012 - 14h48

    Elite golpista????O Mr.Sarney foi da UDN
    em 64 e hoje é super-amigo do Petê.kkkkkk

JULIO/Contagem-MG

30/09/2012 - 18h31

Viva Chaves !!!

Viva la revolucion bolivarista !!!

Responder

Willian

30/09/2012 - 18h17

é mais fácil o meu Galo ganhar o campeonato que este Capriles levar na Venezuela.

Responder

João Brasileiro

30/09/2012 - 18h07

lulipe, vai dormir!!

O povo da Venezuela está acordado e atento desde a tentativa de golpe contr o Chaves!
Um abraço.

Responder

lulipe

30/09/2012 - 17h39

O povo da Venezuela está acordando!!!

Responder

    Otto

    30/09/2012 - 17h49

    Não, já acordou faz treze anos!

    grilo

    30/09/2012 - 18h19

    É verdade lulipe, o povo venezuelano esteve anestesiado durante longos anos, e graças ao presidente Chavez aos poucos retornam à vigilia. A mamata acabou para os ladrões do povo.

    JULIO/Contagem-MG

    30/09/2012 - 18h34

    Vc é que precisa acordar !!!

    Marcos W.

    30/09/2012 - 18h34

    Não entendi! O povo venezuelano está acordando desde a primeira eleição do Chávez ou desde sempre?! Quando “pegou no sono”?!

Deixe uma resposta