Flash ad ID:10

PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

Sou agro: Nosso esforço para reeducar os leitores

publicado em 4 de janeiro de 2012 às 10:24

da revista Veja

Caros leitores, francamente, essa história de chamar os venenos usados na agricultura de ‘agrotóxicos’ é uma maldade satânica daquela gente do MST.

A partir de agora, usamos ‘defensivos agrícolas’, já que o objetivo dos venenos é proteger você, leitor, das pragas, insetos e parasitas.

O fato de que os ‘defensivos’ defendem as plantas e aumentam o lucro, independentemente de sua saúde, é desprezível.

E ainda que nossa lógica seja sofrível, não seria bom ficar livre daqueles parasitas que infestam o governo federal?

No próximo capítulo, como evitar o uso impróprio da palavra ‘câncer’.

Leia também:

 

38 Comentários para “Sou agro: Nosso esforço para reeducar os leitores”

  1. A veja é um revistóxico

  2. qua, 04/01/2012 - 21:35
    Alex Gonçalves

    Uai, não é a Veja que luta com unhas e dentes contra o 'politicamente correto'? Aliás, a 1ª vez que ouvi o termo 'politicamente correto' foi numa lista da Veja importada dos EUA (é claro) pra ser devidamente ridicularizada por aqui, lá por meados nos anos 90.

    Agora, politicamente correto pra indústria agrícola poooooooooode.

  3. qua, 04/01/2012 - 21:05
    Regina Braga

    Cansei do Pig…Não é mais um partido.Depois do privada dos demotucanos,só vou falar que pumzeiiii…Pumzeiiiiiiiiii, prá Veja.Querem que a gente acredite, que tomar veneno todos os dias ,nos levara ao mesmo patamar de Sócrates…Pumzeiiii!!!!

  4. qua, 04/01/2012 - 19:11
    Fabio_Passos

    putz.
    sem sombra de dúvida a revista veja é… a mais vendida.

  5. qua, 04/01/2012 - 18:13
    edv

    Estou surpreso com esta "novidade" da "isenta revista semanal), já que desde a década de 1980 houve um esforço da indústria (marketing e legislativo) para usar "defensivo agrícola" ao invés de "agrotóxico", que já é uma evolução de "pesticida" (inseticida, herbicida e "de vez em quando", homicida).
    Edward Bernays já ensinava estas sofisticadas malandragens na primeira metade do século passado…

  6. qua, 04/01/2012 - 17:26
    Marcus Fitz

    Defensivo agrícola: produto usado para defender as plantas dos seres humanos, causando lhes principalmente câncer…
    Agora, é claro, os poderosos só comem 100% orgânicos e a ralé que se exploda!!
    O lobby das transnacionais de fertilizantes, sementes e agrotóxicos é poderoso e é emcabeçada pela Monsanto…
    Essa Monsanto está mais para MonDiabo…

    MF

  7. qua, 04/01/2012 - 17:07
    Eduardo Guimarães

    Um elemento tóxico defendendo o outro

  8. qua, 04/01/2012 - 16:43
    Pancho Villa

    Bom, eu tô por fora de quem formulou a pergunta supra, mas "tóxico" não é sufixo.

    E a resposta é curiosa. Os defensivos agrícolas matam seres vivos tão geneticamente próximos do ser humano (alguns vermes chegam a ser 75% idênticos a nós), mas causam danos só a eles?

  9. qua, 04/01/2012 - 16:29
    leandro

    Quero ver bater recorde de produção e alimentar a população atual sem usar agrotóxicos, fertilizantes, etc..e ainda fazer superavit para as contas fecharem.
    post do Viomundo dias atras…
    ""“O governo não tem interesse em mexer com os grandes latifundiários. Não faz a reforma agrária, porque precisa desse modelo agroexportador para garantir superávit. É um grande equívoco não democratizar a terra. Nenhum governo, inclusive os do PT, teve a coragem de enfrentar os latifundiários”, enfatiza o secretário de Políticas Sociais da CUT, Expedito Solaney. O sindicalista, que também é filiado ao Partido dos Trabalhadores, critica o corte no orçamento da União para a reforma agrária com o contigenciamento promovido pela presidente Dilma Rousseff.""

  10. qua, 04/01/2012 - 14:43
    Mara M. de Andréa

    A adoção da palavra agrotóxico, adotada na lei, se deu depois de anos e anos de discussão porque seria tradução de "pesticide" que ainda não tinha equivalente em português, mas que tem o significado amplo de veneno de pragas. A grande pressão feita, inclusive sobre profissionais da área, como engenheiros agrônomos, vinha da indústria fabricante dos princípios ativos venenos para as pragas agrícolas.
    Não deixa de ser muito interessante o fato de não haver palavra equivalente a defensivos agrícolas, que seja usada correntemente na lingua inglesa. …
    Assim, em primeiro lugar: voltar a usar "defensivos" vai contra a lei dos agrotóxicos de 1989. E, vai contra o princípio de proteção e precaução da saúde humana, animal e do ambiente.

  11. qua, 04/01/2012 - 14:38
    Caracol

    (Parafraseando a VEJA:)

    Prezados leitores:
    Antes de mais nada: por que os leitores de VEJA, a nossa revista, valendo-se desse produto que não permite que se veja qualquer coisa, insistem em chamá-la de VEJA? A palavra VEJA, da forma com que a usamos, é imprecisa e algo carregada de um julgamento de valor – resquício do tempo, há muito deixado para trás, em que a idéia era a de mostrarmos alguma coisa em nossas páginas, algo real em lugar das nossas distorções, mentiras e na melhor das hipótese, omissões. O nome certo é NÂO VEJA. Uma vez que nossa revista é um produto que serve não para desintoxicar a mente das pessoas que nos lêem mas sim para defender a nossa plantação das pragas, insetos e parasitas que infestam as nossas contas bancárias, e assim evitar que elas se percam… chamem-na de NÃO VEJA.
    O nome então é NÃO VEJA (Ex VEJA).

    ass. NÃO VEJA

    • qua, 04/01/2012 - 16:52
      Carlos C.

      Perfeito! Antes de ver seu comentário foi exatamente isso que eu comecei a escrever – com o mesmo texto da revista!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  12. qua, 04/01/2012 - 14:32
    O_Brasileiro

    Interessante como dois dos posts principais neste momento têm relação.
    No outro, em que já comentei, mostrou-se o papel repressor da polícia defendendo o capital e seus donos.
    Neste, o papel manipulador da mídia que, assim como a polícia, serve para atender os interesses do capital e de seus donos. E aqui a coisa se repete, os donos da mídia há décadas passam o poder midiático a seus descendentes, de pai pra filho, destes para os netos, e assim por diante.
    Por isso que na mídia JAMAIS vemos qualquer defesa do trabalhador. Qualquer grevista é chamado de vagabundo, de terrorista ou baderneiro. A velha mídia raramente critica os banqueiros, as multinacionais e o judiciário!
    Esse é o sistema em que temos que viver…

  13. qua, 04/01/2012 - 14:22
    Klaus

    O agrotóxico não é problema, mas sim seu uso errado, ou seja, uso além do que recomenda o fabricante ou o uso de agrotóxicos proibidos no país.
    http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/d0c9f

    • qua, 04/01/2012 - 16:15
      Scan

      Claro!
      A Monsanto é, reconhecidamente, uma empresa que se preocupa sempre com o bem estar dos povos, principalmente dos pobres.
      Porque vocês não seguem os conselhos da Monsanto, gente inculta e teimosa que só sabe reclamar?
      Se a Monsanto diz que é pra usar "x", é porque já fizeram váaaarias experiências com cobaias humanas em paises mais pobres do que o nosso e acertaram a dose.
      E a Anvisa? Bom, a Anvisa foi aquela que liberou e depois proibiu o Prexige, Arcoxia e Vioxx. Andam sempre a reboque dos casos de "reações adversas indesejáveis" dos medicamentos, mesmo que o mundo inteiro já os tenham proibido. Como no campo e cafundós o pessoal nem sabe o que é isso, não entra para as estatísticas da Anvisa.
      Mas temos a palavra da proba Monsanto! Portanto deixem de lero-lero, pessoas de pouca fé.

    • dom, 15/01/2012 - 23:40
      Muchacho

      O amigo Klaus acredita em papai noel ? por acaso já assistiu um documentário chamado The Corporation ? Veja essa pequena parte e me diga se dá para confiar nessas pesquisas feitas pelas Monsantos da vida ou mesmo no FDA estadunidense (equivalente a nossa ANVISA). http://www.youtube.com/watch?v=Sx8zJ0Df4V8&fe

  14. qua, 04/01/2012 - 13:09
    Gisele Brito

    Novilíngua.

  15. qua, 04/01/2012 - 12:49
    Dinha

    É pura desconstrução. Chega a ser cômico.

  16. qua, 04/01/2012 - 12:19
    marco antonio

    Evidentemente a matéria da "Veja" trata de uma resposta à divulgação e repercursão dos resultados das análises de resíduos de agrotóxicos em alimentos do projeto PARA, da ANVISA. Aliás me parece ser a ANVISA o único órgão de estado que tem levado a sério a obrigação de controle e fiscalização dos agrotóxicos. Pois outros órgãos federais, como o Ministério da Agricultura, e estaduais tratam as poderosas transnacionais dos agrotóxicos e dos transgênicos como "parceiras" e não como sujeitas ao controle e a fiscalização estatal, conforme determinação legal. Não é à toa a absurda lucratividade dessas empresas no Brasil – detentor do triste título de maior consumidor de agrotóxicos do planeta.
    Só o reacionarismo cínico da "Veja" para se prestar a tal papel.

  17. qua, 04/01/2012 - 11:57
    Eunice

    A mosca doméstica está quase em extinção. Aquela mosca grande que sobrevoa os alimentos.
    O Brasil todo – inclusos os prefeitos – usam tratores ou mata mato para capinar roças, hortas, inclusas calçadas na lista.
    O mata mato escoa para os riachos, lagos e mata os ovos. Ningém fala A sobre o assunto. Ninguém mais usa enxada. Deve fazer 20 anos que vi a última pessoa capinando.

  18. qua, 04/01/2012 - 11:52
    jaime

    Por que será que os plantadores não comem daquilo que plantam e nem os bifes do gado que criam? Mesmo tão "protegidos" pelos agro, digo, defensivos tóxicos? Tá faltando uma química que funcione como defensivo midiático contra as pragas eufemísticas.

    • qua, 18/01/2012 - 19:17
      Natalia SA

      O que poucas pessoas sabem é que antes de chegarem às mãos do produtor rural, os remédios para as plantas são pesquisados e testados durante anos pelas fabricantes. As empresas do setor se preocupam cada vez mais com a segurança e o impacto ambiental de seus produtos. Por isso, muitas delas já possuem programas de treinamento e orientação de produtores. É possível ver os detalhes em: http://bit.ly/uVSUP8

      • qui, 16/02/2012 - 10:06
        damastor dagobé

        Natalia, vc é pessoa jurudica até no nome né não??? Dow? Monsanto? qual sua identidade secreta?

  19. qua, 04/01/2012 - 11:45
    Klaus

    O que eu acho engraçado é que o PT chegou ao poder e não implementou todas as ideias maravilhosas que vemos por aqui, seja em relação à economia, à previdência, às comunicações e à agricultura. Parece que os luminares que vemos comentar por aqui se sentem confortáveis apenas em imaginar um mundo utópico, mas se chamados a governar e por em prática sua ideias rapidinho dariam uma meia volta, porque como alguém já disse, "quando se está na oposição a gente faz muita bravata". Complemento, afirmando que quando não temos a responsabilidade de alimentar 190.000.000 de pessoas e ainda exportar uma quantidade significativa de produtos para gerar superavit na balança comercial, a gente também faz muita bravata. O Brasil deixado na mão destes, rapidinho tava importando chuchu e couve. Bom almoço.

  20. nessas horas que vc vê que o documnetário Le Monde Selon Monsanto (O Mundo Segundo a Monsanto) deveria ser mais divulgado. procurem-no no site DocVerdade que vcs o acharão.

  21. qua, 04/01/2012 - 11:27
    Marcelo Barros

    Basta ver o caso de Unaí-MG. Região produtora de milho em larga escala, e de câncer em larga escala (maior incidência do país – casos/populaçao local). Os tais "defensivos" estão cumprindo seu pape – estão defendendo muito bem os bolsos de seus fabricantes, e associados de plantão! Lá está sendo construido um dos maiores e mais avançados centros (privado!) de tratamento do câncer no país. Ganha-se, sem nenhum pudor, de todos os lados… Acho que já estamos vivendo o período pós humano, e não nos demos conta!

  22. qua, 04/01/2012 - 10:58
    Joaquim

    É o mesmo que chamar de reurbanização o sistema de incendiar as favelas de São Paulo . e parece ser a unica Secretaria que funciona nesta Prefeitura, salve o Néro dos tempos modernos…

    • qua, 04/01/2012 - 17:13
      Justin Time

      Tem uma secretaria subterrânea, nos esgotos da cidade, que funciona muito bem escondendo o dinheiro desviado dos bolsos paulistanos. Ela fede muito, por isso querem melhorar a qualidade do ar de são paulo.

  23. qua, 04/01/2012 - 10:49
    Gerson Carneiro

    Ah bão… eu pensava que "AgroToXico" era arguma ómege pra seu Xico.

    Afff… nem me falem em câncer que eu já fico cânçado.

  24. qua, 04/01/2012 - 10:48
    Armando S Marangoni

    Uma sugestão: que tal destrinchar "desembargador" também?

  25. qua, 04/01/2012 - 10:48
    Lu_Witovisk

    Senhorrrr!!! Como se os defensivos fossem altamente testados e seguros. Lucas de Rio Verde que o diga.

  26. qua, 04/01/2012 - 10:44
    Helenice

    É humor negro.

  27. qua, 04/01/2012 - 10:44
    Bonifa

    Apropósito, quando compro verduras procuro aquelas parcialmente atacadas por fungos ou lagartas. Estas não têm veneno. Mas aproveitando o espaço do comentário, a Chevron acaba de ser multada em 9,5 bilhões de dólares por haver provocado uma das maiores tragédias ambientais verificadas na Floresta Amazônica. Poluição criminosa, feita de propósito, ainda por cima fazendo pouco caso do terrível acontecido. Mas a Chevron já falou que a Justiça do Equador "É corrupta" (Vejam só… A Chevron entende de corrupção na América Latina) e não vai aceitar a sentença. Está procurando um tribunal dos Estados Unidos que se interesse por seu problema. Uma parte da notícia está aqui: http://www.lemonde.fr/ameriques/article/2012/01/0

    • qua, 04/01/2012 - 20:03
      Daniel

      Você não postou a informação completa: os venezuelanos queriam processar a Chevron em Nova York. A Chevron recusou e alegou que o caso deveria ser julgado onde ocorreu dano ambiental (medo de perder nos EUA e por achar mais fácil subornar o judiciário da Venezuela? Quebraram a cara!). Agora esse blablabla.

Comentar