VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Vergonha: Senadores que apoiam projeto de Serra usam na tribuna argumentos do lobby das petrolíferas estrangeiras; Renan fecha galerias; acompanhe ao vivo

24 de fevereiro de 2016 às 16h19

Captura de Tela 2016-02-24 às 15.58.12

Da Redação

Os senadores Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Lúcia Vânia (PSB-GO) abriram de forma vergonhosa o debate no Senado sobre o projeto do tucano José Serra, que extingue a obrigatoriedade da participação mínima da Petrobras de 30% em campos do pré-sal.

Eles repetiram os argumentos do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis.

O IBP é o lobby das empresas estrangeiras, que se opõe ao regime de partilha, à Petrobras, à obrigatoriedade de conteúdo nacional e quer acelerar o ritmo de exploração com leilões anuais.

Caiado disse, em resumo, que a Petrobras está destruída. Solução? Tirar da Petrobras o papel de operadora única! Ou seja, enfraquecer a Petrobras.

Em sua fala, a senadora “socialista” Lúcia Vânia citou nominalmente o IBP, que menciona a dívida de U$ 500 milhões da Petrobras como impeditiva de novos investimentos.

“Nós vamos entregar o filé mignon por uma dívida que podemos administrar?”, perguntou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), ao responder.

Ela sustentou que, uma vez instaladas no pré-sal, as empresas estrangeiras vão se desobrigar de utilizar conteúdo nacional, ou seja, a cadeia produtiva interna estaria quebrada.

Também afirmou que as companhias internacionais buscam campos de altíssima rentabilidade. No pré-sal, o custo de exploração é de U$ 8 a 9 o barril.

Além do mais, disse Gleisi, a Petrobras tem reservas garantidas para os próximos 14 anos!

Por que decidir o assunto com urgência ungentíssima, sem passar pelas comissões do Senado, justamente num momento em que o preço do barril do petróleo despenca?

O presidente do Senado, Renan Calheiros, não permitiu a abertura das galerias para a participação popular na sessão.

Está claro que, com os argumentos desenvolvidos a partir da Operação Lava Jato, alguns senadores pretendem entregar às pressas a maior riqueza brasileira a empresas internacionais.

Abaixo, a transcrição de um vídeo gravado pelos senadores Roberto Requião e Lindbergh Farias a respeito do assunto:

Lindbergh: Infelizmente hoje foi uma noite vergonhosa no Senado Federal, nós perdemos uma votação por 33 a 31. Tentamos retirar essa urgência absurda imposta para votação do projeto de entrega do pré-sal. Há forças poderosas querendo fazer é um absurdo contra os interesses do  povo brasileiro: entregar nossas reservas, da Petrobras, a preço de banana. Eles querer tirar a Petrobrás do pré-sal e entregar de mão beijada para as grandes multinacionais petroleiras. A votação decisiva será hoje! É muito importante mobilização a para que a gente consiga reverter esse projeto aqui no Senado Federal.

Requião: O pré-sal é um ótimo negócio para a Petrobras e para o Brasil. Nossa querida Petrobras está retirando o petróleo por US$ 8 o barril e vendendo por US$ 30. Mesmo com os baixos preços do petróleo estamos ganhando dinheiro, ao contrário do que estão dizendo na imprensa! Entre as novas grandes jazidas do mundo, o pré-sal é a mais rentável e tem uma carga tributária muita baixa também. Por isso todo essa pressão e campanha de marketing para que entreguemos barato.

O pré-sal vale muito mais do que ouro! Por incrível que pareça, 49 senadores assinaram o requerimento para tirar a urgência. Tínhamos maioria para acabar com esse açodamento entreguista da bancada do PSDB. Porém, na hora da votação aconteceu um mistério: tivemos apenas 31 votos, 18 senadores ou não apareceram ou não votaram. Sumiram. Os lobistas estavam visitando os gabinetes. E, atenção Dilma, até mesmo um técnico do Ministério das Minas de Energia visitava os gabinetes tentando dobrar os senhores senadores ao projeto do Serra. A Dilma se manifestou a favor da nossa posição: exclusividade da Petrobrás na extração e a Petrobrás com 30%. É o mínimo que deveríamos exigir. Nos grandes países petroleiros, suas estatais ficam com tudo.

Dizem que a Petrobras não está furando os poços tão rapidamente quanto gostariam. Ora, hoje ninguém está furando petróleo no mundo. Por quê? Porque há excesso de petróleo no mercado. As petrolíferas estrangeiras não vão investir. Elas querem apenas tomar posse da nossa riqueza. Elas financiam o entreguismo apenas garantir as jazidas para elas.

Essa é uma luta geopolítica. Querem que o Brasil abra mão do domínio das suas jazidas e petróleo e entregue elas para a mão das grandes irmãs, o cartel internacional. Por isso, baixaram também o preço do petróleo, para dizer que o pré-sal não vale nada. Mas quem desdenha quer comprar. Entreguismo puro e simples.

Enquanto no mundo as pessoas morrem, genocídios acontecem pelo petróleo, 33 senadores votaram pela continuidade de um projeto que dá de bandeja a gigantesca reserva brasileira do petróleo. Nosso futuro…

Lindbergh: E o importante dizer que fomos nós brasileiros, foi a Petrobrás que descobriu o pré-sal. Nós assumimos o risco de buscar petróleo em locais tão profundos. Agora que está tudo lá, que não tem mais risco, querem tirar e entregar a preço de banana. Quando o preço do barril do petróleo está US$ 30, preço lá embaixo, na bacia das almas.

E tem mais; a Petrobrás se ela deixa de ser operadora única. o governo perde as condições de fazer politica de conteúdo nacional. A gente lembra como que era antes do Lula, a gente tinha que comprar plataforma, navio, tudo fora do país. Tinha 2 mil empregados só na indústria naval, em 2014 estávamos com 80 mil famílias dependendo das encomendas de navios e plataformas.

Requião: Mais do que isso, o maior número de patentes brasileiras está com a Petrobras e tem relação com os avanços requeridos para explorar petróleo a tamanha profundidade. Tecnologia totalmente nacional.

Se entregarmos os campos de petróleo, vamos perder toda essa tecnologia, as encomendas à indústria nacional. Porque as companhias estrangeiras querem comprar equipamentos lá fora, contratar engenheiros e especialistas lá fora. É um crime de lesa pátria o que está a ocorrer no Senado da República. Mas vamos à luta, hoje acredito que os senadores nacionalistas acordem e barrem essa loucura.

Lindbergh: Outra preocupação é com a extração predatória, Argentina privatizou a sua empresa pública. E as petrolíferas estrangeiras acabaram vendendo seu petróleo barril petróleo a US$ 4. Hoje ele acabou. Depois teve que comprar a US$ 100. Na Indonésia, com a Chevron dominou os campos e vendeu a US$ 1. A Indonésia também teve que comprar a US$ 100.

Requião: Ou seja, não podemos perder o controle da torneirinha que liga os poços de petróleo. O controle dessa torneirinha que é a chave. Com ela podemos escolher vender o petróleo mais quando os preços estão melhore e deixar guardado quando os preços estão piores.

Lindbergh: Sim. O controle da extração é fundamental. É fundamental saber quem será o operador.

Requião: As empresas privadas estrangeiras só pensam no lucro. Adotam uma extração predatória, querem o lucro mais rápido possível para si próprias e “que se danem os interesses do povo brasileiro”, pensam elas.

Lindbergh: Porque esta na lei do petróleo, aprovada em 2010, que não devemos permitir a extração predatória. Está muito claro no artigo 9º que o fundamental é tirarmos o petróleo de acordo com a nossa capacidade de desenvolver a nossa indústria e no momento em que nos for mais conveniente.

O fato é o seguinte, hoje nós vamos à luta novamente! É importante que o movimento social e as pessoas da sociedade que defendem o Brasil, se mobilizarem, ligarem dos seus senadores. Perdemos por 2 votos, eu ainda acredito que vamos lutar muito pra derrotar esse projeto que é um atentado contra a soberania nacional.

Requião: E o comportamento do presidente do Senado hoje foi horrível, o artigo 352 do nosso regimento interno diz: que no fim de uma legislatura todas as urgências caem, essa urgência foi pedida e votada o ano passado, lá por setembro, ele jamais poderia manter isso em regime de urgência dessa forma.

Leia também:

Entrega do pré-sal não sai na capa dos jornais!

Os senadores que vão decidir a votação de hoje

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

26 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Milton Alves dos Anjos

27/02/2016 - 06h54

Por uma pouca vergonha dessas, só uma guerra civil resolve. Tinha que existir paredão para esses traidores da pátria. Esses puirias, devem ter recebido uma grana preta, nem se o eleitor cativo deles, deixar de elegê-los, nas próximas com certeza eles estarão de volta.

Responder

JeffBrasil

25/02/2016 - 09h14

COMO ” VERGONHA” ? MEU ! ! ISSO AQUI É BRASIL.. ONDE:

VERGONHA É ROUBAR E NÃO PODER CARREGAR..

Responder

Gerson

25/02/2016 - 06h57

Com esse projeto, a decisão de entrar ou não em novas áreas a serem leiloadas saiu das mãos da Petrobras, e passou para o Presidente da República. Se um Aécio ou Serra vierem a ser Presidentes adivinhem qual vai ser a resposta: um nãoooooooo bem grande. Além disso, o conteúdo nacional não vai ser cumprido, pois a Lava-Jato quebrou a indústria nacional, assim todos os empregos que o Serra diz que vão ser criados, vão ser criados mesmo, mas no exterior.

Responder

PAULO OLIVEIRA

25/02/2016 - 00h31

A PETROBRAS AINDA EXISTE?

Responder

    Gerson

    25/02/2016 - 06h51

    Existe sim, e produz 2 milhões de barris por dia, sendo que um milhão é só no pre-sal.

Messias Franca de Macedo

24/02/2016 - 22h46

“Eu nunca imaginaria que este governo exporia a bancada do PT a tamanho vexame!”

Dileto(a) (e)leitor(a), pasme, a declaração foi proferida por uma senadora do…
Errou quem pensou [senadora] do PT ou do PC do B!
No plenário do Senado Federal, a frase dilacerante foi da autoria de uma senadora do… PMDB!
Juro!

Coitado do Lindberg Farias!
Idem para o Humberto de Costa!
Idem para o Roberto Requião!
(…)

E a traição do governo ocorrendo justamente na hora em que até o Cristovam Buarque já reconhecia necessitar de muito mais tempo para analisar o projeto [do entreguista safado José (S)erra – adendo nosso]

E a militância de esquerda?
Infartada numa UTI do SUS!

Responder

    Messias Franca de Macedo

    24/02/2016 - 22h48

    ajuste:

    Idem para o Humberto Costa!

    Messias Franca de Macedo

    24/02/2016 - 22h55

    … O pragmatismo irresponsável do governo Dilma Rousseff e seus asseclas não permitiu a seguinte leitura:
    ainda que perdesse no voto, a vitória política estaria assegurada!
    Ademais, como seria doce o gostinho de ver a presidente Dilma Rousseff vetando o projeto infame do entreguista/antinacionalista safado DEMoTucano José (S)erra!
    Como disse uma senadora:
    “é preferível perder do lado certo, a ganhar do lado errado!”
    Ao que parece o governo Dilma Rousseff está do lado dos seus impiedosos algozes!

Mauricio Gomes

24/02/2016 - 22h18

Hoje acabaram a Petrobras e esse governo fraco, covarde e traidor da Dilma. Uma vergonha essa “sessão” de hoje no Senado, vendo o picareta do Renan Calheiros agradecendo ao $erra pelo seu patriotismo (só se for ao EUA). O pior foi ver os senadores do PT e da dita base aliada ou se ausentando num momento crítico como esse ou compactuando com os traidores da nação. Realmente chegamos no fundo do poço, e não é mais de petróleo.

Responder

Bruno

24/02/2016 - 21h46

Quando começam as manifestações contra a ação entreguista dos senadores?

Responder

Luís CPPrudente

24/02/2016 - 21h05

A Presidenta Dilma vai ter a coragem, se ela puder legalmente, de vetar a lei Cerra?

Por que ela não fez nenhum esforço para ter votos da base aliada (PMDB traíra, com exceção de alguns poucos) do senador traíra Renan Calheiros?

Responder

Warlisom Costa

24/02/2016 - 20h18

Quando a Vale foi privatizada foi a melhor coisa que aconteceu se fosse brasileira está igual a Petrobras hoje .
Cheia de sangue suga.

Responder

    alexandre de melo martins

    24/02/2016 - 21h49

    a vale não foi vendida o brasil pagou para que outros a levassem, mas para
    nós sobrou barro, como podemos conferir em mariana, 2% de renda pela
    destuição de tudo, bom negocio aos olhos psdbista.

    Gerson

    24/02/2016 - 21h57

    Melhor coisa? Me diz quem comandava a Vale naquela época? O PSDB, que quebrou a empresa para doar por míseros 3 bilhões de dólares, uma empresa que valia 100 bilhões. Doaram todas as reservas brasileiras de minérios, como Manganês, Ferro, Ouro, minerais radioativos, Cobre, Platina e por aí…e o que ganhamos em troca? Miseros royalties…os gringos não precisam deslocar um exército para tomar os nossos bens, os brasileiros fazem isso por eles.

Warlisom Costa

24/02/2016 - 20h15

Sou um cidadão até hoje não vir nenhum benefício querida Petrobras. Para o povo brasileiro que vendem o combustíveis mas barato para outro país a tempos que os políticos e a diretoria da Petrobrás divulga quem somos altos suficientes e petróleo. Mesmo assim o preço so aumenta para nós brasileiros de que a diante ela se brasileira .se pagamos mas caro nos seus produtos. Falta ela vai fazer e para alguns políticos e diretores cargo de confiança da empresa. A Petrobras sempre foi a vaca gorda de muitos desses tipos que estão sendo apriendidos só agora. Eles roubaram que está pagando a conta e povo brasileiro. Que dizem eles.
Tem muitas questões melhores para se pensa a favor do povo brasileiro.

Responder

    Nelson

    24/02/2016 - 22h32

    Que visão curta; curtíssima, na verdade. É de cabeças assim que os vende-pátria e os governos imperialistas adoram. Para eles, se o país fosse composto só de mentes como a do Sr Costa seria o paraíso.

    De outra parte, se até hoje você não viu ” nenhum benefício” na Petrobras, Costa, eu tenho que te dizer que nada ou pouquíssimo conheces da história brasileira e muito menos de como se dão as relações entre os países. Nem tens ideia do que sejam geopolítica e geoestratégia.

    Assim, eu recomendo a você que deixes um pouco de se (des)informar nos órgãos do PIG e passe a ler autores realmente comprometidos com o nosso país e o nosso povo, como Darcy Ribeiro, Florestan Fernandes, Luiz Alberto Moniz Bandeira, Octávio Ianni e vários outros.

    Se não ficares satisfeito com a opinião desses brasileiros, apele então para Michael Parenti, William Blum, James Petras, Stephen Lendmann, Howard Zinn, Noam Chomsky. Todos são autores estadunidenses e vão te mostrar como funcionam as relações internacionais.

Nelson

24/02/2016 - 19h51

A senadora “socialista”, do PSB, partido que se diz socialista, está apoiando um projeto desses, de entregar o povo brasileiro à servidão às grandes corporações. Coitado do Miguel Arraes. Depois de ter sido “apagado” pela Globo no desfile das escola de sambo do Rio, Arraes, seja l´[a onde esteja agora, tem que ver o seu PSB se transformar num vendilhão da pátria.

O meu conterrâneo, vice-presidente do partido, não está a renegar só o seu passado, está a desonrar também o do grande Arraes. Ele, ao que parece, entregou-se de vez às benesses do sistema.

Responder

bacellat

24/02/2016 - 17h44

Libertar…da mesma forma como libertaram a sabesp da onerosa obrigacao de fornecer agua para a populacao.

Responder

Guga

24/02/2016 - 16h47

Os EUA e Europa não entregam o comando do petróleo a empresas estrangeiras. Qtos dólares essas petroleiras internacionais gastaram para descobrir o pre- sal ? Nenhum !
E agora na hora do filé vamos dar tudo de mão beijada pra elas.
Grande Serra !!!!!

Responder

    MARCOS F.L.

    24/02/2016 - 20h24

    Esse entreguista desgraçado só podia ser senador da merda do tucanistão.

crazy horse

24/02/2016 - 16h38

No Iraque, para conseguir acesso ao petróleo, tiveram que travar uma guerra que até hoje não acabou, aqui só precisaram do PSDB.

Responder

    Nelson

    24/02/2016 - 19h44

    Muito bem observado, Cavalo Louco. Parabéns.

    MARCOS F.L.

    24/02/2016 - 21h29

    No Iraque roubaram o óleo acusando Saddam de possuir armas de destruição em massa, depois provado que não existia e na Venezuela financiaram passeatas e manifestações contra o governo.

Mauricio Gomes

24/02/2016 - 16h28

Tinham que enforcar todos esses traidores safados em praça pública, por crime de lesa-pátria e contra nossa soberania energética. Usar argumento$ das petroleira$ estrangeira$ para doar nosso patrimônio estratégico deveria, no mínimo, ser motivo de cassação se esse senado fosse sério.

Responder

Irion

24/02/2016 - 16h20

Olhe como votaram os Senadores no dia 23/02 (pela não urgência do projeto):


É oportuno enviar e-mail PRINCIPALMENTE PARA OS AUSENTES, para que defendam o NOSSO Pré-Sal brasileiro! A educação no Brasil agradece! Aqui estão os endereços eletrônicos:
http://www25.senado.leg.br/web/senadores/em-exercicio

Responder

    Everaldo

    24/02/2016 - 20h11

    Caro Irion, eventualmente vejo a TV Senado. E uma coisa é certa: dos 81 senadores, alguns são figuras carimbadas na tribuna. Talvez uns 15… Os demais são apenas coadjuvantes. São aqueles assim: tudo que seu mestre mandar… “Faremos todos” poucos se preocupam com o assunto. Mesmo quando seus “mestres” estão completamente equivocados sobre um tema(que é o caso em especial) eles seguem. Inacreditável nossos congressistas. O Requiao tem razão. Somente quando estão sobre a pressão popular, arregam e mudam de posição. Então só depende de nós a mudança destes sonâmbulos do Senado (e câmara também..!!!)

Deixe uma resposta