VIOMUNDO

Rezende: A Globo não é dona do Brasil

29 de fevereiro de 2016 às 14h52

Captura de Tela 2016-02-29 às 14.49.31

29 de fevereiro de 2016 – 9h10

“A Globo não é dona do Brasil”, diz Sidney Rezende

do Vermelho

O jornalista Sidney Rezende, um dos profissionais mais respeitados do país, criador do modelo de programação da rádio CBN e um dos fundadores da GloboNews, falou pela primeira vez neste final de semana sobre sua demissão do canal de notícias da Rede Globo em novembro do ano passado, sem direito a comunicado de despedida.

O portal Notícias da TV publicou neste domingo (28) que em uma premiação dos melhores do Carnaval do Rio de Janeiro, que reuniu em torno de 600 pessoas no sábado (27) à noite, Rezende fez, pela primeira em público, um duro discurso contra sua antiga emissora, onde trabalhou durante mais de 20 anos.

Disse que a Globo está “extrapolando os seus limites” e “impedindo que as expressões populares do nosso país funcionem de uma maneira mais clara”.

“A Globo não é dona do Brasil, a Globo não é dona do Carnaval, a Globo não é dona do futebol”, bradou, propondo um “questionamento de competência” da emissora.

Jornalista respeitado nos meios profissional e acadêmico, ele foi dispensado pela Globo em 13 de novembro, um dia depois de publicar em seu site, o SRZD, um texto no qual criticava a obsessão dos jornalistas por notícias ruins e pela aposta no impeachment da presidenta Dilma Rousseff como “único caminho para a redenção nacional”.

Segundo o portal, o contrato de Rezende com a Globo só venceu neste domingo (28) e por isso, o jornalista ficou em silêncio até o último sábado (27). O jornalista aproveitou a premiação do Carnaval que seu site promove para expor seu posicionamento diante da Globo.

A fala do jornalista foi uma reação a “interferência” da emissora nos horários do futebol e dos desfiles das escolas de samba. “A Globo está ultrapassando os seus limites como meio de comunicação no momento em que interfere em horários de festividades, nas partidas de futebol, nos desfiles das escolas de samba, quando adequa as festividades populares a uma grade de programação de seu interesse”, explicou ao site Notícias da TV.

Ainda segundo o Notícias da TV, o prestígio da Globo, para o jornalista, “tomou um viés que acabou sufocante para as expressões culturais”. Rezende afirma que, como detentora da transmissão, a Globo tem todo o direito de exigir um bom espetáculo.

No caso do Carnaval, pode determinar quantas câmeras e quantos microfones captarão a transmissão, mas não impor o ritmo e o tempo do desfile, como vem gestando nos bastidores. “Ela [a Globo] não pode interferir no processo de criação de maneira sufocante”, afirma.

O jornalista ressaltou em seu discurso que não tem mágoas da emissora, mas que defende uma “alternativa a este modelo único”.

Sem revelar detalhes, diz que seu novo projeto profissional será uma dessas alternativas, algo “ambicioso” que irá “ao encontro ao espírito público”. “Não estou criando nada deliberadamente contra a Globo. Não sou viúva da Globo. Estou contra o olhar único”, diz.

Demissão

Na época em que foi demitido, Rezende não concordou que teria que mentir sobre sua saída.

O diretor-geral de jornalismo da Globo, Ali Kamel, havia dito que o jornalista deveria concordar com uma nota oficial em que seria dito que ele estava saindo da emissora por motivos pessoais, para cuidar de seu site. Mas o jornalista não concordou e acabou ficando sem a despedida oficial, em que o diretor Kamel enumera as qualidades profissionais do dispensado.

Leia também:

Pimenta desafia Globo: “Antes vai ter de me processar”

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

6 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

S.Bernardelli

29/02/2016 - 16h57

Os donos da rede Globo são ditadores e faz com que seus diretores sejam iguais. Fazem com que jornalistas, artistas e funcionários rasos não tenham o direito à opinião que seja contrária ao que eles pensam. Lembram da entrevista do ex-artista Lobão que ele disse que o diretor o chamou e o proibiu de falar do Lula senão ele não cantava mais lá? Alguns jornalistas agem assim… “Precisa de tapete? Eu serei seu tapete, outros não opinam, mas não se sentem obrigados a pensar como os donos e diretores.

Para ser sincera fico revoltada de ver bons jornalistas sendo podado apresentar o jornal da forma que Eles (donos e diretores) querem quando esses poderiam mostrar mais o seu valor isso sem contar os repórteres que são hostilizados em greve, manifestação seja ás vezes por um lado ou por outro. É claro que existem repórteres ou jornalistas que não simpatizam com o PT se sentem mais vontade para meter o pau.

Sorte daqueles que não precisam falar sobre política, quando um, dois ou mais jornalistas se dizem imparciais o povo não acredita nisso, pois já deixaram de ser idiotas há muito tempo, a maior parte dos brasileiros sabem quando o jornalista é parcial ou quando ele é imparcial. Alguns se libertam outros ficam porque a vida não está fácil.

Responder

    lulipe

    29/02/2016 - 17h14

    Ninguém é obrigado a trabalhar na Globo, Bernardelli, se o fazem tem que seguir as normas da empresa, gostem ou não. Isso acontece no mundo todo, incrível, não???

lulipe

29/02/2016 - 16h38

Mais um que só descobriu que a Globo é malvada depois de ser demitido…Vai ganhar uns minutos de fama em algum blog progressista, seja lá o que isso signifique.

Responder

    Sidnei Brito

    01/03/2016 - 08h37

    Caro Lulipe,
    você nunca ficou fulo com uma empresa ou órgão público em que já tenha trabalhado?
    Nunca fez críticas a um ex-empregador, ou até mesmo ao atual?
    Caso seja você um empresário e que tenha pelo menos um empregado, não acha que ele pode, pelo menos uma vez ou outra, lançar uma diatribe contra você?
    É assim em todo lugar e em qualquer empresa.
    E mais: os que realmente podem criticar são os que já trabalharam numa dada empresa ou num dado órgão.
    PHA, Azenha, Rodrigo Vianna, agora o Rezende, entre outros. Todos eles têm muito mais autoridade para denunciar a calhordice da Globo do que eu, que nunca pisei meus pés lá.
    Não sei que tanta estranheza veem nisso.

    wanderley santos ferraz

    01/03/2016 - 20h26

    muita gente cumpre bem esse papel de “pau mandado”, pois são cínicos!!!

Deixe uma resposta