VIOMUNDO

Procurador que vai investigar Capez tem como assessora esposa de Capez

28 de janeiro de 2016 às 12h37

Captura de Tela 2016-01-26 às 23.06.27

por Ricardo Alvarez, no Facebook

A coisa funciona mais ou menos assim…

Fernando Capez (PSDB) preside a Assembléia Legislativa de São Paulo. É acusado de receber propina de 10% na venda de merendas para o governo do Estado.

Como parlamentar só pode ser investigado pelo procurador-geral de Justiça em São Paulo, Marcio Elias Rosa, cuja assessora é….Valéria Capez, sua esposa.

A esposa de Marcio Elias, Maria Rossa Elias Rosa, atua na Consultoria Jurídica da Secretaria de Governo, ligada à Casa Civil, ou seja, diretamente ao gabinete do governador.

Capez já teve seu cunhado, um tal de Rogério Auad Palermo, como assessor técnico procurador do Tribunal de Contas do Estado. Justamente quem fiscaliza as coisas como, por exemplo, compra de merenda.

Enfim, como vocês podem perceber, a rede de corrupção no Brasil é mais vasta e larga do que os ingênuos querem acreditar.

Somente uma ampla reforma política pode mudar este quadro.

*****

Governo de São Paulo cancelou contrato para forçar propina, diz delator

REYNALDO TUROLLO JR.,THAIS ARBEX, ALEXANDRE ARAGÃO

28/01/2016 02h00

Na Folha

O dirigente de uma cooperativa investigada em um esquema de fraude em merenda escolar em São Paulo afirmou ao Ministério Público que a Secretaria da Educação do governo Geraldo Alckmin (PSDB) cancelou um contrato com a entidade para pressioná-lo a pagar propina.

Segundo Cássio Chebabi, ex-presidente da Coaf (Cooperativa Orgânica Agrícola Familiar) que fechou acordo de delação, a entidade venceu em 2013 uma chamada pública –sem licitação, como autoriza a lei em caso de agricultura familiar– para fornecer cerca de R$ 8 milhões em suco de laranja para merenda da rede estadual.

Após o início da produção da encomenda, a maior que a Coaf tinha, o governo cancelou o contrato, trazendo prejuízos à cooperativa, que precisou gastar para congelar a matéria-prima.

Foi quando, de acordo com o delator, um dos operadores do esquema, Marcel Ferreira Julio, disse ser ligado ao deputado Fernando Capez (PSDB), hoje presidente da Assembleia Legislativa, e ter poder de destravar o contrato. Era necessário fazer um “acordo” e pagar um percentual, o que Chebabi aceitou. O depoimento foi prestado no último dia 21 em Bebedouro (SP), onde fica a Coaf.

Conforme a Folha apurou, a versão é considerada factível pelo Ministério Público e está sob investigação. Em razão da menção a políticos com foro privilegiado, como Capez, a apuração sobre envolvimento de órgãos estaduais será feita pela Procuradoria-Geral de Justiça.

A Secretaria da Educação confirmou à reportagem que cancelou a chamada pública em setembro de 2013 e que fez uma nova no ano seguinte, vencida novamente pela Coaf (R$ 8,5 milhões) junto com a Coagrosol (R$ 3,6 milhões) –cooperativa que já era fornecedora do Estado. Sem explicar motivos do cancelamento da primeira chamada, a pasta disse que o segundo contrato foi mais vantajoso.

O esquema na merenda, que tem no centro a Coaf, foi desmontado na semana passada pela Operação Alba Branca.

Apontado como o lobista ligado aos contratos com o governo Alckmin, Marcel é filho do ex-deputado Leonel Julio. Ele ainda não se apresentou à Justiça.

O depoimento do ex-presidente da Coaf prosseguiu relatando que Marcel lhe contou que a antiga empresa fornecedora da Educação, a Citricardilli, havia pagado R$ 100 mil para o então secretário da pasta, Herman Voorwald, para ele não assinar o contrato com a Coaf e abrir uma nova chamada pública.

Outro investigado, o vendedor da Coaf Carlos Luciano Lopes, disse em depoimento que Capez pediu à Educação para abrir nova chamada e advertiu Voorwald para que a Coaf a vencesse.

O funcionário da cooperativa disse que, nesse contrato, foram pagos 10% de comissão, repassados a Marcel.

O promotor Leonardo Romanelli, do Gaeco de Ribeirão Preto, que atua na região de Bebedouro, criticou a divulgação dos nomes de deputados citados por investigados e disse que essa parte da apuração começará na próxima semana na Procuradoria-Geral de Justiça, em São Paulo.

OUTRO LADO

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo afirmou, em nota, que o contrato advindo da segunda chamada pública foi mais vantajoso que o da primeira. Questionada, não explicou o motivo técnico do cancelamento.

“A [segunda] chamada registrou redução no preço de 8,3% no valor para unidades de suco de laranja de 200 ml –saindo de R$ 1,56 para R$ 1,43– e de 1,61% nas unidades de 1 litro, saindo de R$ 6,20 para R$6,10″, disse a secretaria.

“A Pasta segue a legislação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) criado pelo governo federal, que institui a inserção, na alimentação escolar, de 30% de alimentos cultivados e produzidos por meio da agricultura familiar e se mantém à disposição da Polícia Civil e do Ministério Público no que for necessário para dar sequencia às investigações.”

A Folha não localizou Herman Voorwald ou Marcel Julio. Fernando Capez negou envolvimento no esquema.

Leia também:

Raul Marcelo pede que Conselho de Ética da Alesp considere afastamento de Capez

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

8 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Cezar Balsanulfo Cardoso

26/04/2016 - 13h30

Se o povo, hoje dividido pela crise política, mas igualmente lesados e tapeados pela esquerda elitizada (PSDB, PMDB, DEM), não se unirem e gritar nas ruas: FORA CORRUPTOS! FORA DEPUTADOS BANDIDOS! FORA SENADORES CORRUPTOS! FORA JUIZES PARTIDÁRIOS! CHEGA! BASTA DE CIRCO! BASTA DE ROUBALHEIRAS!!! Nós todos, estaremos fadados a pagar o pato, com mais perdas de direitos e conquistas de longos anos. Vamos voltar a estaca zero.

Responder

Wilson garcia

23/04/2016 - 22h28

Imaginem se vai acontecer alguma coisa? quem manda no brasil atualmente não e mais o governo federal, e a republica de Curitiba são os tucanos de são paulo e de curitiba, eles só investigam e mandam a federal ou delegados afastarem quem eles quiserem, eu já me desiludi completamente, nos temos hoje um vácuo de poder ou seja quem manda não e o governo federal mas a oposição de fato. Agora se a presidenta tivesse realmente o poder na mão e o ministro tivesse autoridade sobre a federal, com certeza ja teriam afastado todos os delegados federais tucanos partidários da policia. mas isso agora ja não importa porque eles ja estão no poder.

Responder

Cleonice Pereira Rodrigues

23/04/2016 - 11h45

Bom aqui o negócio está complicado, tem parente e cargos para eles em tudo quanto é lado, nossa política é uma vergonha. Alguém fax alguma coisa pelo amor de Deus. Estamos lascados com esta política. SOS.

Responder

Antonio

28/01/2016 - 23h50

Quando a presidenta Dilma sinalizou com a reforma política, os movimentos (de então e de hoje) não se manifestaram e (agora) querem uma reforma política. Procure uma benzedeira porque o que você vê na Argentina é o que verá no Brasil.

Responder

jose natalino mendes

28/01/2016 - 22h50

Deve ser investigado ; e afasta-lo de suas funções; se caso for condenado deve ressarcir os cofres públicos. E pagar uma multa pesada para servir de exemplo para os demais; não adianta prender; mexe no bolso do .

Responder

FrancoAtirador

28/01/2016 - 20h21

.
.
Em se tratando de Aparelhamento do Estado,
.
quem nasceu pra PT jamais chegará a PSDB.
.
.

Responder

Frank

28/01/2016 - 16h19

Isso é Facção, ramificações em todas instituições e poderes.. Vitória na Guerra!

Responder

Eduardo Guimaraes

28/01/2016 - 13h55

Em SP ta tudo dominado! PSDB? Deve ser acusação falsa do PT querendo derrubar o Alckmim. A Secretaría de Justiça de SP deve estar fazendo longas reuniões para abafar o roubo do Capez e seus capangas! Tribunal de Contas de SP? MP do Estado de SP? É tudo Capez , Doria,Alckmim,tudo bandido de colarinho branco, incluindo mulheres, filhos,cunhados( para ficarem calados)amigos laranjas e ” Assim se vá!”. Se não queres ver os cofres públicos serem esvaziados, a única solução é não ajudar a enchê-los!

Responder

Deixe uma resposta