VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Mulher denuncia que foi à delegacia registrar acidente, apanhou e foi presa

10 de janeiro de 2012 às 19h24

Prezado Luiz Carlos Azenha,

Como internauta frequentador de sua importante página na Internet (Blog), gostaria de encaminhar importante denúncia pelo que tem de grave contra a cidadania, e reveladora do atual sistema de serviços prestados por nossas autoridades policiais, em São Paulo.

Minha irmã, AMS (nome completo preservado pelo Viomundo), ontem, ao deixar a casa do pai de seu filho, teve um pequeno incidente de trânsito na Av. Pacaembu, quando foi acusada de raspar numa moto.

Ao parar para observar a ocorrência de danos, o motoqueiro, agindo agressivamente, passou a xingá-la e retirou as chaves do contato do carro dela.

Ao ser interpelado pelos maus modos o jovem passou a agredí-la fisicamente com empurrões e socos, quando minha irmã caiu ao chão.

E disse na frente de testemunhas que se chamava Adolf Hitler e que detestava pobres, pretos, gays e nordestinos (minha irmã é de Fortaleza/CE)

Passados os momentos de agressão, minha irmã, tentando se recompor, procurou ir a uma delegacia, mas pelo seu estado emocional, foi-lhe impossível dirigir, tendo que abandonar o carro e procurar a ajuda de um táxi.

Como já é vítima de sintomas de pânico, fazendo inclusive tratamento clínico para o problema, tomou um comprimido de clamante, provavelmente diazepan, e chegou à delegacia sob efeito desse medicamento.

Ao ter péssimo atendimento e reclamar por isso junto ao delegado plantonista, sob efeito de calmante, foi confundida com uma pessoa drogada e recebeu um tratamento inadmissível ao ser chamada de filha da puta.

Retrucou à altura e levou um tapa na cara do delegado!

Foi presa sob acusação de desacato, algemada e colocada numa cela com outras detentas.

Protestou, pediu para ligar para o seu advogado, o que não lhe foi permitido, pois tomaram sua bolsa com seu telefone celular.

Ficou detida numa cela até pouco antes do amanhecer quando foi solta.

No momento em que fazia este relato, estava agora há pouco na Corregedoria de polícia civil para oficializar a denúncia.

Gostaria de solicitar-lhe a gentileza de denunciar o caso em seu blog assim que tivermos uma cópia da denúncia oficial à Corregedoria como prova do fato.

Repercussões através de blogs e canais alternativos, como redes sociais e outros, têm trazido bons resultados ao combate a esse tipo inaceitável de ocorrências no Brasil.

Por favor, ajude-nos.

Atenciosamente,

Luiz Carlos de Moares e Silva

PS do Viomundo: Conversei por telefone com o irmão da vítima. Há 22 anos ele é servidor da Justiça Federal em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. A irmã já denunciou o caso à Corregedoria da Polícia em São Paulo. O advogado dela é Luiz Eduardo Greenhalgh. Foram abertos dois procedimentos para investigação, um operacional e outro criminal. Conversei também com AMS, por telefone. Ela é produtora musical em São Paulo. Confirmou a denúncia do irmão, disse que também foi chamada de ‘vagabunda’ e que ficou numa cela com uma traficante de crack.  O boletim de ocorrências foi registrado às 7h30m da manhã, “para que não ficasse provado que passei a madrugada na cela”.

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

243 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

tatiana

12/04/2012 - 19h25

Gostei muito do blog, pois estou sendo vitima por parte de um obreiro da igreja universal , sendo coagida, humilhada , caluniada,vigiada as 24 horas do dia, e agora, ele fez amizade com vários policiais e eles por sua vez, vão até o meu trabalho todos os dias, me humilhando comentando fatos da minha vida particular, comentando e contando a todos as providencias que estou tomando, tipo coisas do tipo: que eu fui estrupada, que é por isso que eu tenho medo, que eu vou desmaiar quando acontecer novamente, que vão me sequestrar também, etc. Isso sem se importar com a lei maria da penha. que se faça justiça, emfim…em campinas-sp.

Responder

Renato

16/01/2012 - 08h24

Eu não vou dar a minha opinião sem antes saber a versão do Delegado.

Quero a versão do Delegado publicada no site.

Azenha, dar nome do Delegado e do dono da Moto é crime? Como o teu colega conseguiu a informação? Algumas informações são públicas e outras não.

Responder

Sergio

13/01/2012 - 17h36

Luiz Eduardo Greenhalgh ??? Sei !!! Figurinha carimbada, né ? O pessoal não tenta nem disfarçar a operação para desmoralizar a Polícia de São Paulo. É impressionante.

Responder

    Horridus Bendegó

    13/01/2012 - 21h15

    Operação para desmoralizar polícia??!!
    Quem está demoralizada é a população de São Paulo que apanha da polícia quando mais precisa dela.
    O nome dos envolvidos estão bem aí em cima.
    E o Dr. Luiz Eduardo Greenhalgh é um destacado advogado que atua em defesa dos direitos humanos, logo o caso caiu-lhe como uma luva!

    Mpalmaassis

    18/01/2012 - 11h33

    Essa polícia é da mesma laia daquela que levou o cara pro cemitério e meteu bala nele. Houve uma testemunha, que logo acionou o 190, e foi abordada pelos policiais assassinos após o crime, tentando intimidá-la.
    Ou seja, a política de segurança do estado já se acostumou com essas arbitrariedades praticadas pela polícia. Isso só vai acabar no dia em que o Min. da Justiça intervir e nomear um delegado interventor que moralize a polícia de SP.
    Já demorou!!!

    Rodrigo Ferro

    18/01/2012 - 12h22

    Na verdade a polícia é apenas o braço truculento da política vigente em São Paulo. A política, e os políticos, são os princiapis responsáveis por essa maneira estúpida de agir do aparato de "segurança" pois dão guarida. Ou melhor, eles determinam, implícita ou explicitamente, o modus operandi das polícias do estado.

Luci

12/01/2012 - 22h43

Enquanto episódios de racismo institucional e atos de violência acontecem na cidade, a elite oligárquica coronelista perversa e má, sorri e dorme o sono dos justos e acorda feliz consciente que é latifundiária do poder e impunidade. Sim a dra Eliane Calmon, sim a democracia, sim a outra globalização a de todos como ensinou o professor Milton Santos.

Responder

Ronald

12/01/2012 - 14h38

Acho que uma das bases do jornalismo é ouvir os dois lados, talvez a principal! Conhecedores que somos das polícias que possuímos, fica fácil apedrejar..

Responder

chanceLer

12/01/2012 - 12h31

Difícil entender essa política de Direitos Humanos do Governo Dilma (uma torturada pela ditadura) sem discutir a reformulação do aparelho de segurança do Estado. É impossível um Estado de Direito com uma polícia que se vale dos instrumentos mais torpes para execução de suas atividades .
Quem é cínico o bastante para afirmar que desconhece as torturas e assassinatos em nossas periferias, delegacias e presídios?
Como é possível termos garantia de segurança com um aparato policial composto por violadores da lei?

Responder

    Pimon

    12/01/2012 - 14h03

    O que a Dilma tem a ver com SP?
    SP é um país, com ELJ próprio.
    É um Estado federado, nada mais.
    Eu, hein?????

    chanceler

    13/01/2012 - 08h54

    Uma política de segurança compatível com a democracia que desejamos tem necessariamente de passar por uma discussão nacional, até porque os crimes de violação de direitos humanos são de competência da União.
    Os estados brasileiros não tem nem condições morais nem estruturas para empreender esse debate.
    Imagine você o Pará, S. Paulo, Alagoas, fazendo isoladamente essa discussão. Não daria em nada, uma vez que esse tipo de polícia é uma salvaguarda ao status quo (político e social) dessas elites.
    Portanto, Dilma tem tudo a ver. Assim como o presidente Lula o teve.
    É possível que tenhamos a mesma visão política, só que fui mal interpretado.
    Os governos do PT avançaram muito nas questões sociais, mas é preciso consolidar tudo isso. Há uma necessidade urgente em politizar tais ações.
    Que tal discutirmos, então, temas como: uso da energia nuclear para fins militares, reforma dos códigos nacionais (quem dúvida que o Brasil seja uma das mais frágeis democracias da AL?), Democratização dos meios de comunicação, reforma política (com financiamento público de campanha), etc?
    Sendo assim (apesar de ser simpático ao PT), continuo perguntado o que faz o governo temer esses temas?

    beattrice

    13/01/2012 - 12h58

    De fato, concordo com vc, os avanços são mais economicos que sociais.
    Nesse campo a dívida está longe de ser paga.

Noel

12/01/2012 - 12h03

Atenção: nunca vá (de livre vontade) a uma delegacia sem um advogado lhe acompanhando. Aquilo é um antro!
São todos mal preparados e prontos pra NÃO atender ao cidadão comum.

Responder

    Roberto

    12/01/2012 - 13h00

    Caro Noel, posso afirmar com certeza,que existem muitos policiais em SP aptos a prestar um excelente atendimento à população, o problema é essa estrutura viciada, arcaica e corrupta.
    Vide exemplo do Delegado exonerado após deter um Juiz de Direito por embriaguez ao volante, enquanto o magistrado, como prêmio, foi promovido a Desembargador.
    O exemplo do Rio de Janeiro é significativo, toda cúpula da SSP foi removida, ficando sómente o Secretário.
    O resultado positivo dessa mudança pôde ser visto na prisão do Nem.
    Policiais não aceitaram propina prá "passar o pano" e dar fuga ao traficante quando o mesmo foi detido.
    Os policiais tiveram convicção que essa atitude seria respaldada pelos seus superiores e agiram corretamente.
    Em SP, todos os níveis da SSP estão contaminados e o resumo é:
    "Ou faz ou sai da frente!"

    anonimo

    12/01/2012 - 13h28

    Sim, nunca vá.
    Certa vez passei por cima (com meu veículo) de um sujeito que tinha acabado de ser atropelado por outro veículo. (A rua estava escura e não consegui vê-lo estirado no chão. Infelizmente ele morreu)
    Quando me apresentei na delegacia, por livre vontade (não parei no local pq quando consegui dar a volta e chegar lá já havia policia, resgate e um monte de gente curiosa) fui ameaçado e incrivelmente mal atendido:
    "você acha que vai dormir em casa hoje? você vai dormir aqui atras, você é um bandido, você matou um homem"
    "você acha que vai dirigir de novo na sua vida? esqueça"
    Isso tudo foi dito várias vezes por umas 3 horas até que finalmente pegaram meu depoimento.
    Quando vi o estado do primeiro carro que atingiu o pedestre tive certeza que a morte não foi provocada por mim. Ele bateu com a cabeça na coluna entre a porta e o parabrisa que ficou torta… carro todo amassado com o impacto do corpo.
    Alguns dias mais tarde foi chamado a prestar esclarecimentos junto a uma delegacia. Fui acompanhado do advogado dessa vez. Que diferença! fui incrivelmente bem tratado. Ao final do meu depoimento o escrivão disso ao advogado (que eu nem lembro o nome) "Doutor, não esqueça o nosso no final do ano".
    Esse fato ocorreu em 2004, numa cidade do interior paulista.

    Horridus Bendegó

    12/01/2012 - 21h34

    O problema Sr. Noel, é que aí o serviço policial para o brasileiro só atenderia aquela faixa da população que se enquadra nos 20% do PIG, pq o resto não tem condições de ter um advogado.
    Logo, sua sugestão só é boa para a turma cheirosa.

Gerson Carneiro

12/01/2012 - 11h14

Delegado pede exame de cabeça do doidão atirador de olho azul da Massa Cheirosa.

E se fosse negão morador do Capão Redondo com sua Variant batendo nos carros de luxo?
Não teria escapado do local do delito. A polícia teria matado.

RICO é introvertido; POBRE é amuado.

RICO tem problemas psicológicos; POBRE é doido.

RICO tem transtorno bipolar; POBRE tem frescura mesmo.

Responder

    Gregório de Mattos

    12/01/2012 - 13h31

    Aliás Gerson,

    Impressiona o silêncio da imprensa, até mesmo dos blogs, sobre esse assunto.

    Julio Silveira

    12/01/2012 - 13h39

    Gerson, alguns dizem isso como satira, mas pior que é isso mesmo.

    Horridus Bendegó

    12/01/2012 - 13h40

    RICO não vai depor pq está deprimido; POBRE vai depor algemado e de camburão.

    Morvan

    12/01/2012 - 14h32

    Boa tarde.

    Aliás, aqui no Ceará (um dos polos da molecagem internacional) se diz:
    "Rico correndo é esporte; pobre correndo é da puliça".
    "Rico peidando é flatulência; pobre peidando é peidorreia".

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    Marcus Fitz

    12/01/2012 - 15h55

    RICO tem cleptomania; POBRE é ladrão.
    RICO tem problemas de consciência; POBRE é psicopata.

Pedro

12/01/2012 - 10h42

"O meu pai era paulista. Meu avô, pernambucano. O meu bisavô, mineiro. Meu tataravô, baiano" (Chico Buarque) eu agora sou goiano, meu filho, brasiliense, meu neto vai ser… Somos todos brasileiros, somos todos irmãos. Não deixem filhinhos que o veneno da intolerância contamine vossos corações!

Responder

Jeferson

12/01/2012 - 09h03

Esses tipos de casos de abuso policial não são exclusividade de São Paulo. Aqui no RS acontecem casos semelhantes e até piores, e nunca são expostos para a mídia (jornal e TV). Somente acabando com esta máfia criminosa, que se julga acima da lei e se esconde atrás da constituição que os protege, é que teremos um país decente e civilizado. Ou isso, ou então nos resta apenas lamentar.

Responder

CMundim

12/01/2012 - 03h39

Enquanto isto, segundo reportagem da Folha de Sao Paulo:
http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/1033174-su

"SUSPEITO DE CAUSAR PÂNICO EM RUAS DE SP SE ENTREGA

GIBA BERGAMIM JR.
DE SÃO PAULO

O administrador de empresas Michel Goldfarb Costa, 35, suspeito de atirar em várias pessoas em meio a uma fuga alucinada num percuso de 40 km, na última segunda-feira (9), se entregou na noite desta quarta-feira. Ele se apresentou com seu advogado Nicolau Aun Júnior no 26º DP (Sacomã)…

Segundo a polícia, o suspeito roubou carros e os colidiu várias vezes, atirou aleatoriamente nas pessoas e nos veículos que trafegavam pela zona sul de São Paulo e sumiu, deixando para trás dois baleados, automóveis destruídos e paulistanos em pânico.

Em entrevista coletiva em frente à delegacia, Costa disse que "era ameaçado e perseguido por vizinhos".

"Nesse dia [segunda-feira], senti que algo de ruim iria acontecer", afirmou.

Olhos vermelhos, vestindo uma blusa de moleton e com ferimentos no rosto, mãos e nuca, ele falou a jornalistas encostado a uma árvore.

"Tive problemas com meus vizinhos devido a eu ter dez cachorros. Tive problemas de discussão, ameaça e um vizinho jogou pedras na minha casa", disse Costa.

Ele afirmou que ficou horas escondido num tubo de esgoto, cercado de sujeira, na marginal Tietê. "Eu andava em alta velocidade e desviavados carros", contou.

Pela manhã, ele havia feito um contato com um amigo. O advogado então fez contato com o administradir e negociou a apresentação dele.

A polícia suspeita que o jovem teve um surto psicótico, já que sofria mania de perseguição, segundo a namorada do jovem, a estudante de psicologia Luciane Rodrigues, 35.

Uma pessoa viu o rapaz sair do condomínio, em Cotia (Grande São Paulo), na direção de seu Toyota Corolla blindado vestindo um colete à prova de balas na madrugada de segunda-feira. Na mão direita, ele tinha uma pistola automática.

Na casa dele, a polícia localizou apenas uma porção de maconha. Não havia medicamentos controlados.

MAIS VÍTIMAS

Nesta quarta-feira, três pessoas pessoas que também foram vítimas dos tiros disparados pelo rapaz vão se apresentar à delegacia. Um casal que estava num Corsa na avenida Tancredo Neves diz que também foi alvo dos disparos de Costa.

Um dos tiros varou o para-brisa do carro. A bala parou no estofamento do banco do motorista, que escapou ileso."

Quer dizer, se você tem sobrenome importante, você pode tudo até dar entrevista na frente da delegacia de policia encostado em um arvore, sem algemas e sem ser importunado pela policia.

Por ser de rica familia, este bandido é tratado com toda a candura deste mundo pela imprensa e as chamadas autoridades deste país, é chamado de "rapaz" e outros adjetivos que somente nos da gargalhadas, pois o reporter deve está tentando fazer piada.

Agora se este deliquente fosse um Afro-descendente, pobre, homosexual ou apenas um cidadão comum sem um sobrenome pomposo, em vez de dar entrevista na porta da delegacia sem algemas, provavelmente estaria morto pela competente policia, com muita sorte estaria algemado levando porrada de delegados e agentes de policia e sendo chamado de deliguente e bandido perigoso pela Folha e o resto desta imprensa podre.

Que país vamos deixar para os nossos filhos? Onde estão os órgãos de protecão ao cidadão e a cidadania.

Responder

    Gregório de Mattos

    12/01/2012 - 13h38

    Acho engraçado a Folha contiuar chamando o cidadão de suspeito…rs ahh se fosse pobre

macxz

12/01/2012 - 02h18

Bota o nome do delegado, aí ??

Responder

Emília

11/01/2012 - 22h57

O Viomundo é acima de tudo democrático, mas está aparecendo cada comentário aqui que me deixa arrepiada.

Responder

    Conceição Lemes

    11/01/2012 - 23h02

    Emília, são muitos comentários por dia, eventualmente algum excesso pode passar. Por favor, nos aponte. abs

Emília

11/01/2012 - 22h33

O Viomundo é acima de tudo democrático, mas está aparecendo cada comentário aqui que me deixa arrepiada.
A empatia deveria prevalecer, mas, infelizmente, o preconceito está dominando o mundo.
Antes de criticarmos quem quer que seja, ou qualquer situação, devemos nos colocar no lugar dos envolvidos, aí sim, podemos avaliar e criticar.
Como se diz por aí: pimenta no _ _ dos outros, no meu é refresco.

Responder

Luci

11/01/2012 - 22h28

São Paulo com estes episódios de violência física, moral e psicológica está reafirmando a característica de cidade violenta.

Responder

Milani (SP)

11/01/2012 - 21h00

Dizem que ela existe Prá ajudar! Dizem que ela existe Prá proteger! Eu sei que ela pode Te parar! Eu sei que ela pode Te prender!… Polícia! Para quem precisa. Polícia! Para quem precisa De polícia…

Responder

alex

11/01/2012 - 20h05

"E QUEM NOS PROTEGE DA POLÍCIA"

Está bem escrito numa parede da antiga fábrica da Melhoramentos, na Vila Romana(SP)

Um amigo disse que já viu a mesma frase escrita em outros cantos da cidade ..

Diante deste relato, pergunto: e quem nos protege deste tipo de policial, aliás, um Delegado?

Estamos fritos pessoal!

Responder

M. E.

11/01/2012 - 19h05

Infelizmente, ela não foi a única a vivenciar essa situação. Eu mesmo vivenciei situação semelhante em uma delegacia próxima à Rua Augusta. Sou totalmente surdo, e faço uso de medicação psiquiátrica. Minha voz é volumosa, segundo pessoas que convivem comigo, e varia de intensidade ao sabor das emoções. Por conta disso, um investigador acabou se exaltando e me agredindo fisicamente com socos – ao tentar me defender, a delegada pensou que eu havia começado a agressão e deu ordens aos soldados da PM que me "detivessem" – e assim fui agredido com spray de pimenta nos olhos, jogado ao chão e chutado na cabeça, costas, pernas, braços e ventre, sendo depois trancado nu em uma cela. Só me deixaram sair de lá após assinar um B.O. no qual constava que EU havia agredido os policiais… Infelizmente, naquela época, eu não tinha a quem recorrer, e a história ficou por isso mesmo.

Responder

    maria do carmo

    12/01/2012 - 08h12

    M.E. Isso e bem mais comum do que se possa imaginar, infelizmente boa parte das pessoas agredidas nao tem a quem recorrer, sao trabalhadores, e nao podem correr atraz de seus direitos, pois perderiam dias de
    trabalho.Mas nao devem se calar, devem sim procurar seus direitos, pois quem cala consente, e os
    arbitrarios devem ser punidos,para que nao se torne regra.

GilTeixeira

11/01/2012 - 18h44

O Negro

Por Rosa Montero, para o diário espanhol El País, Tradução de Victor Farinelli

17/05/2005

Estamos num refeitório estudiantil, de uma universidade alemã. Uma aluna loirinha e indiscutivelmente germânica retira seu bandejão com o prato do dia e vai se sentar em uma mesa. Então, descobre que esqueceu de pegar os talheres, e volta para buscá-los. Ao regressar, descobre com surpresa que um rapaz negro – a julgar por seu aspecto, vindo provavelmente de algum lugar bem ao sul do Saara – tinha se sentado no seu lugar, e estava comendo da sua bandeja.

No começo, a garota se sente desconcertada e agredida, mas logo corrige seu pensamento inicial e supõe que o africano não está acostumado ao sentido de propriedade privada e de intimidade do europeu, ou quem sabem não tenha dinheiro suficiente para comprar sua própria comida, apesar de a bandeja universitária ser até barata, considerando o elevado custo de vida do seu rico país.

A garota, portanto, decide se sentar em frente ao sujeito, sorrindo amistosamente, o que o rapaz negro responde com outro sorriso pacífico. Em seguida, a alemã começa a comer da comida que está na bandeja em frente aos dois, tentando demonstrar a maior naturalidade possível, compartilhando aquela refeição com o colega com saborosa generosidade e cortesia. Assim, ele vai comendo a salada, enquanto ela aproveita a sopa, ambos beliscam igualitariamente o mesmo refogado, até limpar o prato, até que ele escolhe o iogurte de sobremesa, enquanto ela prefere a fruta. Tudo isso acompanhado de diversas expressões educadas, tímidas por parte do rapaz, suavemente condescendente e compreensivas por parte dela.

Terminado o almoço, a aluna alemã se levanta para ir buscar um café. E então descobre, na mesa que estava logo atrás dela, sua própria jaqueta colocada sobre o braço de uma cadeira, e em frente a esta, uma bandeja de comida intacta.

Dedico esta história deliciosa, que além do mais é verídica, a todos aqueles espanhóis (nota do tradutor: e se poderia extender também aos brasileiros) que no fundo nutrem um enorme receio pelos imigrantes e os consideram indivíduos inferiores. A todas essas pessoas que, ainda que bem intencionadas, observam o mundo com condescendência e paternalismo. Será melhor se nos livramos dos prejuízos, ou corremos o risco de fazer o mesmo ridículo que a pobre alemã, que pensava ser o cúmulo da civilização, enquanto o africano, ele sim imensamente educado, a deixou comer de sua bandeja, talvez pensando: “acho que esses europeus estão mesmo malucos”.

Responder

Angela

11/01/2012 - 18h41

Apesar de tudo , até de alguns comentários maldosos e equivocados aqui na rede, o importante é fazer a denúncia pública.Parabéns Azenha por permitir que este espaço seja usado para denunciar as agressões, física e moral que a senhora em questão foi vítimada. Assim vamos seguindo e mudando a sociedade, cada dia um passo a mais para a civilidade plena.

Responder

Primo

11/01/2012 - 18h24

É realmente triste o episódio, pois pior que seja a vitima em seu comportamento deveria ser protegida pela PULICIA , isso mesmo por que policia é uma outra profissão !

Responder

demetrius

11/01/2012 - 18h24

Comportamento do delegado e do mototaxista a parte e sem argumentação, como alguém que tem síndrome do pânico e toma um diazepan a qualquer hora do dia, como foi o caso, tem habilitação para dirigir no trânsito mais violento do mundo?

Responder

    Horridus Bendegó

    11/01/2012 - 21h11

    O senhor poderia fazer a gentileza de reler a denúncia na linha onde está escrito PROVAVELMENTE UM DIAZEPAN, e concluir que não foi declarado que ela tomou um diazepan!

    "Provavelmente" indica apena uma possibilidade.

    Como a vítima faz tratamento clínico contra sintoma de pânico e, eventualmente toma tranquilizante, SUPUZ ter sido o tranquilizante tomado "um diazepan".

    E qual a importância disso – tomar um tranquilizante – para uma mulher que é brutalmente espancada na rua, fica em estado de choque, NÃO CONSEGUE SEQUER DIRIGIR, e precisa ir a uma delegacia de polícia com a ajuda de terceiros?

    E ainda é agredida pela autoridade policial dentro da delegacia?

    Cada uma que a gente lê!

    Clovis

    11/01/2012 - 22h12

    Pelo lido, da pra ver que ela tomou o remédio após o ocorrido e foi de Taxi para a deleacia de polícia, portanto, não á problema alum no fato de tomar o remédio. Se tivesse tomado e diriido, ai sim seria um problema.

    Clovis

demetrius

11/01/2012 - 18h23

Comportamento do delegado e do mototaxista a parte e sem argumentação, como alguém que tem síndrome do pânico e toma um diazepan a qualquer hora do dia, como foi o caso, tem habilitação para dirigir no trânsito mais violento do mundo?

Responder

alberto

11/01/2012 - 17h24

Ir à uma delegacia de Polícia para registrar qualquer tipo de ocorrência é preciso ter muita, mas muita paciência e sorte (sorte de ser bem tratado, porque raros são os policiais que são educados. A maioria são arrogantes, achando que por terem uma arma e um carteira de policial fornecidos pela sociedade, estão acima de tudo e todos). E por mais alterada que estivesse a moça, nada justifica a atitude do delegado.

Responder

Jorge

11/01/2012 - 17h08

Vi agora 133 comentários com relação aos atos absurdos da policia em SP e 7 (sete) com relação aos atos absurdos da polícia de Teresina.
Não tem jeito, SP acaba concentrando os interesses mesmo.

Responder

Jonas Resende

11/01/2012 - 16h50

Que absurdo, isso com certeza pode ser denunciado, não sei qto a questão de provas mas um advogado saberá como agir. A coisa foi aumentando, além das agressões e da homofobia ( que tem de ser combatida incessantemente), até a violência policial, é inaceitável. Justiça em todos eles!

Responder

RicardãoCarioca

11/01/2012 - 16h23

O maior problema é a mídia conivente que não divulga um caso desses. Faz com que os policiais se sintam cada vez mais à vontade em pisar na população. E o governador picolé de xuxu só age quando o assunto dá no PiG, como a história daquele rapaz negro da USP desta semana. De um lado, mídia entorpecente e alienadora, de outro, governo e polícia sem medo de agir criminosamente e de outro uma parcela da população, demotucana, cujo uma grande parcela são reacionários, preconceituosos ao extremo.

É muito bom a imprensa ter batido na polícia do RJ, agora as coisas por aqui parecem que estão tomando um rumo, está menos pior. E que a imprensa continue assim. Coisas ruins precisam ser exportas para serem extirpadas. O contrário acontece em SP. Não falar dos seus podres, só faz aumentar o problema, que em SP, depois de vários anos comprando a ideia vendida pelo PiG de supra sumo da nação, já não está dando mais para esconder tantos erros e barbaridades.

Responder

Cash

11/01/2012 - 15h24

No Rio a coisa É bem pior, fiquem felizes paulistas pq vcs estão na capital do Brasil, aqui os cariocas já sabem que ir à DEL POL é a mesma coisa que dar um tiro na cabeça, em alguns bairros nobres pode até ser diferente mas no restante, está achando que estou falando bobagem; então dirija-se a o inferno e tente a sorte.

Responder

Decio J V Braga

11/01/2012 - 15h05

Azenha,
fora dito em algum momento na última campanha eleitoral que o Serra abria um
buraco que só tenderia a se expandir, com sua campanha de ódio, racismo e preconceito.
É muito triste ver na Internet, em vários blogs reacionários, esse tendência crescente.
Mas o que me preocupa, é a coragem de entrarem em campo onde, teóricamente, seria
para blogs progressistas, que buscam uma visão mais humanitária para a sociedade, como
é o caso deste.
Veja o comentário desse "Pessuti". É um exemplo disso. A cara de pau de querer defender o indefensável.
Queria lembrá-lo que, pelo sobrenome, sua " famíglia" está no Brasil a pouco mais de 100 anos.
Portanto, tão imigrante quanto outro.
Aliás, se está a defender o Pig e o Psdb, já dá pra saber que tipo tapado ele é.
Se ele fosse pobre, escuro, e não tivesse sobrenome italiano, "talvez" pensaria diferente.

Responder

lauro oliveira

11/01/2012 - 15h02

Quem já passou por algum contrangimento em delegacias de polícia pode dar crédito a esta grave denúncia.O secretário de segurança pública de São Paulo está devendo esclarecimento ao povo. Que esta denúncia não tenha o mesmo destino de outras, como do delegado que por atuar contra um juiz bebado foi exonerado e da escrivã desnudada por truculencia de outro delegado. Tudo isto é inadmissível

Responder

Jorge

11/01/2012 - 15h00

Sou paulista e moro em SP capital.
Alguém tem uma capital de estado fora de SP e aqui no Brasil que seja civilizada, verdadeiramente democrática, justa e pacífica (como deveria ser) para eu morar? Alguém por favor me indique uma capital brasileira livre dos problemas que se vê em SP.

Responder

    Janah

    11/01/2012 - 17h58

    Boa Vista – RR, será?
    Como nunca li e nem ouvi falar de lá, provavelmente deva ser o lugar ideal.

    Erica C. H.

    12/01/2012 - 01h00

    Não sei se tem, mas se eu for pro nordeste, a desculpa por sofrer violência nunca partirá de um nazista me surrando por ser nordestina ou de pele escura.

    Polengo

    12/01/2012 - 01h56

    Prefiro procurar uma capital livre dos tucanos.
    Já é um bom começo.

Raimundo Gomes

11/01/2012 - 14h51

Também, já passei por sérios constrangimentos, na 51ª Delegacia de Polícia , qdo era no Rio Pequeno- São Paulo, no final dos anos 80. Eu e meus funcionários fomos ridicularizados por um delegado ignorante e tacanho, cujo prenome era José, tbem por uma cambada de investigadores idiotas. Depois, nos anos 90, fui extorquido,ou, pelo menos tentaram, no DP do bairro do Jabaquara, num conluio,pasmem,de "uma delegada" e de um investigador. Forjando provas. Queriam grana. QUAL É O CONCEITO Q UM CIDADÃO IRÁ TER DA POLÍCIA CIVIL, DEPOIS DE PASSAR POR TODOS ESTES CONSTRANGIMENTOS. TENHO ESPERANÇA, DE QUE HAJA, REALMENTE, POLICIAIS HONESTOS, DILIGENTES E PROFISSIONAIS,QUE EXERÇAM COM DIGNIDADE SUAS ATIVIDADES E QUE MEREÇAM TODO O NOSSO RESPEITO E APOIO..

Responder

fabio rezende

11/01/2012 - 14h47

Onde? Onde? Onde, mesmo? É, paulistada, vão ter de trabalhar muito para reverter a situação absurda desse rincão aí, bem como a imagem que têm hoje.

Responder

iza

11/01/2012 - 14h32

O motoqueiro, com toda essa violência e prepotência, também deve ser "otoridade"

Responder

Panino Manino

11/01/2012 - 14h27

Não é por nada não, mas se uma mulher, emocionalmente estável, grogue, fazendo escândalo fazendo na minha delegacia, algo estranho tem aí ein.

Responder

    Thiago_Leal

    11/01/2012 - 19h23

    Por exemplo?

    herivelto canales

    11/01/2012 - 22h54

    Com certeza algo muito estranho.

    Uma pessoa que entra assim em uma delegacia é julgada e condenada por um delegado de merda que a ofende e a encarcera.

    Menos um mulher com problemas reais e sérios.

Regis

11/01/2012 - 14h23

Chame o ladrão!!!

Responder

    Antonio

    11/01/2012 - 17h18

    Chame o ladrão, chame o ladrão.

    Quando precisei eu chamei.

Jair

11/01/2012 - 14h21

Arma de fogo na cintura é como uma droga. De repente você se sente "macho", poderoso, valente,… Somos culpados disso tudo, aceitamos que governos eleitos por nós façam o que querem e como bem entendem. Outra atitude bem típica dessa corja é a famosa "carteirada" (sabe com quem vc está falando?). Está na hora das pessoas boas e de valor dizerem "Não!" a todas as coisas podres, dizer "Não!" na hora do voto, dizer "Não!" a tudo que é ilícito e errado. Vamos fazer isso antes que seja tarde demais. O Brasil, no geral, parece um filme de faroeste, uma terra de ninguém.

Responder

damastor

11/01/2012 - 14h20

o chato de ser um pouco mais velho e bom conhecedor do país é que todo esse tipo de coisa dita e repetida soa tão…Polyana…como se todos tivessem nascido ontem…um saco tanta "indignação"..tanta "cidadania"…tanta "boa consciencia"…como dizem: ninguem merece.

Responder

    Thiago_Leal

    11/01/2012 - 19h24

    Por isso que todo o fim é uma redenção…

Sergio Santos

11/01/2012 - 14h09

Sou do Rio de Janeiro e, embora concorde com todas as críticas a essa "otoridade" e ao pitbicha motoqueiro, tenho que dizer que o fato poderia ocorrer em QUALQUER cidade do Brasil; infelizmente. No caso do Rio de Janeiro, ocorrem casos idênticos, sem tirar nem por. O (des) governo fascista e "opusdeista" paulista é uma tragédia grega; mas não podemos nos iludir e achar que isso não ocorre noutras praças. O Judiciário é o maior culpado, por dar os piores exemplos de conduta e libertar os poderosos, punindo cruelmente os pobres. O caso do juiz promovido e do delegado demitido do serviço público (exoneração é um termo tecnicista que não traduz a gravidade do erro do governadorzinho paulista) é um acinte à democracia. Necessitamos de uma Assembléia Nacional Constituinte que introduza o Estado de Direito no Brasil, não o estado legalista que protege os poderosos. E a ANC não pode ser composta por parlamentares no exercício de suas funções; com nítido conflito de interesses envolvidos.

Responder

Luiz Paulo Farias

11/01/2012 - 14h09

Bandidos no trânsito, bandidos policiais, bandidos jogadores, bandidos de gravata… acho melhor parar por aqui se não a lista vai ser muito grande.
Meu Deus onde isso vai parar… Meu maior medo é que isso nunca pare.
Lamento profundamente pelo ocorrido.

Responder

Jorge

11/01/2012 - 13h37

Nem vou contar os episódios que já vi na Bahia, em Pernambuco, no Rio Grande do SUL, no Rio, fala sério, temos um problema no Brasil generalizado pela falta de civilidade e de democracia, a sociedade brasileira, infelizmente, é extremamente violenta!

Responder

Jorge

11/01/2012 - 13h35

Repugnante o ocorrido, lameneto que tenhamos que viver numa sociedade assim, Agora, essa comparação esse policias de cada estado é ridícula,
NO BRASIL INTEIRO, de norte a sul, existem problemas de abuso de autoridade, agora não me venham com essa de que em SP tem Cracolândia e no meu estado não tem, pepepepepepela amor de Deus! ai vou ser orbigado a dizer que em SP não tem prostituição de meninas como se vê em outros estados!

Responder

CLAUDIO LUIZ PESSUTI

11/01/2012 - 13h20

Como fica evidente pelos comentários de grande maioria das pessoas aqui, poucos estão preocupados com o problema da pessoa que foi agredida pela policia.O post foi utilizado para uma demonstração absurda de preconceito e ódio contra Sao Paulo.Se fizessem um decimo do que fizeram aqui contra Sao Paulo, acho que alguém chamaria um promotor para processar os comentaristas por preconceito racial e regional, ou coisa do tipo.Revoltante.Alias, já notei isto aqui, muitos , com a desculpa de criticar o PIG e o PSDB, destilam todo o seu ódio contra Sao Paulo e os paulistanos.O que mais me irrita são estes "falsos" paulistanos, que se identificam desta forma para poder falar mal da região.Duvido que sejam e se forem, que vão embora.Parece aqueles cunhados que bebem da sua cerveja, assistem sua televisão , comem da sua comida e depois ficam falando mal…

Responder

    Ana Paula

    11/01/2012 - 14h36

    Claudio, concordo com seus comentários a esse respeito. Mas contra a multidão não se pondera, só se observa. A multidão não pensa. Não adianta tentar incutir civilidade e racionalidade. Ainda mais na internet! Os indivíduos, tomados como unidade e pessoalmente, jamais manifestariam estas opiniões. Na internet eles se tornam uma 'mob' e aí sobra pra desaforo pra todo recalque.
    Se eu tenho críticas contra SP? Sem dúvida. Prefiro, particularmente, um outro estado em que tive o prazer de morar. Contudo, penso que os problemas encontrados na polícia de SP estão tomando maior dimensão JUSTAMENTE por causa dos blogs progressistas, da disponibilidade de pessoas com câmeras/celulares, enfim, JUSTAMENTE por serem acontecimentos que se dão no "olho do furacão", o que não deixa de ser um fenômeno muito bom.
    Quando se sai da capital as coisas demoram muito mais pra ganhar uma dimensão minimamente semelhante. Inclusive, eu fiz uma denúncia a respeito da guarda municipal de Campinas disparar tasers contra um protesto pacífico desfavorável ao aumento de 127% do salário dos vereadores DENTRO da Câmara Municipal e não houve a menor repercussão, nem aqui, nem em outro blog mais conhecidos. Aposto que existem truculências de virar o estômago cometidas diariamente pela polícia de outras cidades menores de São Paulo e dos outros estados que nunca chegaremos a saber.
    Outra questão é o fato do blog ser "sediado" em São Paulo, ou seja: a USP, a polícia paulistana, etc, são problemas muito mais em pauta.
    Se você ler o Fazendo Media, por exemplo, vai notar que as discussões a respeito da UFF, da UFRJ e da polícia militar do Rio de Janeiro são muito mais presentes que as a respeito da polícia paulista.
    O Viomundo, como todo jornal, têm suas limitações de alcance.

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 17h27

    Contra a multidão não se pondera, poxa, acho meio complicado isso, este tipo de comportamento gerou os maiores genocídios, injustiças e ditaduras da humanidade.Acho que temos sempre que ponderar sim, afinal , se a gente começar a tomar a mesma atitude dos outros, ai dizem que a gente "apelou".Este tipo de comportamento dos comentaristas deste blog não e novo.Acho que tais como brasileiros desinformados, que acham que todo estadunidense mora em Los Angeles ou NY, e comunga daqueles típicos ideais deles, parece que alguns acham que aqui todo mundo pensa igual a media de Higienopolis.Digo a media, porque la também ha pessoas que pensam diferente do que muitos acham.Isto tem um nome, se chama generalização.Originou grande parte das tragedias da humanidade.E começa assim, pequeno, e vai ficando grande.Perguntem a Historia.

    roberto

    11/01/2012 - 15h11

    E na Veja, lá não se destila ódio contra governo trabalhista?
    Ah tá, lá eles são limpinhos, aqui nós somos sujos…
    Se isso fosse no Rio, já imaginou a ampla cobertura ninfo-midiática?
    Vão postar no reinaldo azeedo que vocês ganham mais!

    Ana Paula

    11/01/2012 - 17h11

    Roberto, não sei se você leu o que eu escrevi por completo, provavelmente não. De qualquer forma, obrigado por justificar meu argumento se tornando o tipo de internauta que eu descrevi.

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 17h22

    Ah, ai seria "coisa do PIG" né o meu caro?Ai, ao invés de criticar o Rio, você diria "ora , porque não falam de SP"?Ninguem aqui , muito menos eu , esta dizendo que tem que aliviar com o delegado , tem que ser punido.Acho interessante, outro dia no caso do juiz bêbado, delegado de SP virou "santinho" para muitos comentadores aqui.Agora como tem uma vitima do nordeste na jogada, a policia já virou um lixo.Eu não acho nem uma coisa , nem outra.Existe maus profissionais em todos os estados e lugares.Nao da pra colocar no "automático".Um profissional que atua bem num dia, pode fazer coisa errada no outro.Agora, o que muitos estao fazendo aqui e preconceito PURO contra o estado de SP, os paulistas e paulistanos.Volto a dizer, se alguém fizer uma inferência parecida com um estado do Nordeste, ou mesmo com o Rio, vão chamar de "coisa do PIG", "preconceito" e o escambau.

    Roberto

    12/01/2012 - 09h51

    Quando o PSDB sair de SP, a Caixa de Pandora da SSP vai ser aberta.
    Vamos ver se voces terão estômago para aguentar o sairá dela.

    José Figueiredo

    11/01/2012 - 15h32

    Desculpa Claudio ou vc é cego ou mal intencionado, desde quando combate a violência gratuita é preconceito regional, Sou do RS, e praticamente vemos absurdos como este todos os dias em SP me perdoa, mas se isso acontecesse no meu estado estaria preocupado com os ocorridos e não com o tal "preconceito regional", isso é burrice ou alienação partidária, e este cunhado que bebe da sua cerveja e fala mal de vc está no palácio dos Bandeirantes,!

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 17h15

    Desculpe Jose Figueiredo, ou você e estupido ou idiota, se você ler os posts vera que tudo que sabem dizer e "Sao Paulo isso , Sao Paulo aquilo".Poucos estão preocupados com a pessoa que sofreu a violência .Acho que a questão tem que ser tratada com dureza e punição exemplar, não sou bairrista, como muitos aqui que quando como outro ai, quando e no RJ e "coisa do PIG"(fácil né?).Voce e que mal educado e ignorante, pois eu fiz uma critica geral e você me chamou rapidamente em um post(antes disse , "desculpe") que eu sou "cego, mal intencionado, burro e alienado".Ja daria um bom processo.So por isso , me dei a liberdade de trata-lo com o mesmo tipo de epiteto.

    Luca K

    12/01/2012 - 19h37

    Aliás, tou pra ver povo mais bairrista q Gaúcho! Mas vcs estão certos Tchê!! Valorizam o RS, suas tradições, cultura, etc. Nós de Sao Paulo tb! Estou com o Cláudio nesta, como paulistano, fico incomodado com a frequência com q se ataca o estado e o povo paulista com generalizações canhestras neste espaço.
    :P

    andre i souza

    11/01/2012 - 16h06

    Sr Carlos Luiz Pessuti, não fosse pelo final do seu comentário, não iria comentar sobre os seus pensamentos. Então, vamos por partes:
    – É lógico que há quem aproveite para derriçar contra os paulistas. Assim como há paulistas que se aproveitam de uma brecha, esquecem o contexto, e partem para atacar cariocas, nordestinos, enfim, atacam sem dó. Então, uma via de duas mãos. Idiota, mas de duas mãos.
    – O senhor também não se ateve, nem por instante, ao contexto. E usou o espaço para atacar outros, inclusive paulistas.
    – Quantos casos o senhor conhece de perseguição aos paulistas e, até, aos sudestinos em geral? Agora, quantos o senhor conhece de ataque aos "baianos" e "paraíbas"? Então, essa estorinha de MP pra proteger-nos do preconceito "racial" ou regional contra SP é hilária.
    – Agora, o que me provocou a comentar sobre seu comentário:
    Sou paulista, de família paulista e capixaba, mas há muito radicada em SP; Vivo na mesma região desde que nasci, há quase 50 anos, voto e pago meus impostos em dia neste Estado, mas acho o paulista, de um modo geral, um povo bem reacionário, arrogante e prepotente, aquela, de se achar o último biscoito do pacote. Isto é fato, inclusive muitos brasileiros de outras regiões também o acham a última garrafa d’água do deserto (assim como nós com os gringos brancos de olhos claros). Agora, este é um blog de viés esquerdista, SP é reconhecidamente um Estado onde a direita sempre governou, e eu, como paulista esquerdista, tenho todo o direito de me sentir incomodado com essa realidade e como meus irmãos paulistas, na sua maioria, se portam em casos de desmandos policiais, desde que sejam feitos contra uma minoria. Tudo o que tenho é graças ao meu trabalho, minha luta, vou expor o que penso sobre SP toda vez que sentir necessidade, mas não vou sair daqui porque, assim como os paulistas que pensam ou não como eu, não existe mais ou menos paulista, existe paulista. Se está radicado em SP é paulista, não de naturalidade, mas é paulista, eleitor paulista e contribuinte paulista. Somos é paulistas e paulistanos, não falsos ou verdadeiros paulistanos. Isto é coisa de separatista enrustido. Somos brasileiros, e ponto final.

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 18h43

    Vou falar como o Tite para o Felipão :FALA MUITO!Nao quero saber onde você nasceu , onde deixou de nascer, se e esquerdista, se não e,se acha que eu "não me ative ao assunto"(quem e você para dizer o que deve ou não ser comentado, coloque-se no seu lugar), se paga ou não seus impostos, se trabalha ou não, se acha o povo reacionário ou prepotente, problema seu se não gosta e respeita o estado em que nasceu.Nao admito preconceito contra meu estado , nem tenho preconceito com o estado dos outros.Nao chamo colegas nordestinos de "baianos " ou "paraibas" nem coisa do tipo, para mim somos todos cidadãos.
    Ja divulguei o assunto aqui postado na minha conta do Facebook, sou favorável a punição exemplar, pois a policia e ARBITRARIA sim, aqui e em TODOS OS ESTADOS DESTE PAIS, e estou reagindo ao desvirtuamento.Este tipo de argumento seu e ridículo, então não poderíamos nunca criticar alguém por preconceito , pois ninguém admite ser preconceituoso.PIADA, criticar o desvirtuamento e desvirtuar, ora, pega seu sofisma e sai para la meu caro.Este negocio de dizer que outras pessoas acham isso ou aquilo de Sao Paulo e outro sofisma, de qualquer forma, pessoas arrogantes e prepotentes se acha em qualquer lugar, pernambucanos, baianos(tem um ai que diz que baiano "estreia" não nasce e todo mundo acha "bonitinho"…, se fosse paulista iam dizer que era "arrogância"), gaúchos, cariocas,etc.Se você não tem respeito pelo seu estado, e admite generalizações, problema seu, eu respeito os outros estados e quero que respeitem o meu, não venham generalizar as coisas, aproveitar a "onda" para liberar recalques contra nos paulistas ano.

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 18h49

    e a tempo, meu nome e Claudio, não carlos .Alias, o que tem a ver que o blog tem viés esquerdista com perseguir Sao Paulo?Para os esquecidinhos de sempre, Lula fez carreira em Sao Paulo, não foi no "progressista" Pernambuco, nem no "progressista" Rio de Janeiro.A cidade de Sao Paulo elegeu uma paraibana de Uirauna, Luiza Erundina, uma mulher , sexóloga, Marta Suplicy, e ainda tem gente que tem a cara de pau de vir dizer bobagem sobre este estado.Aqui, como em qualquer lugar, existem pessoas de diferentes posições politicas, 40 milhões de pessoas, agora acham que aqui todo mundo e apoiador do FHC, admirador de Maluf e mora em Higienopolis?Vao pastar !

    andre i souza

    11/01/2012 - 19h10

    Desculpe-me pelo "Carlos", senhor Cláudio.

    Como o senhor encerra os seus comentários exemplifica muito bem tudo o que eu disse sobre arrogância e prepotência, aliás, adiciono aí, a falta de educação. Mas, pelo rumo da discussão, este debate nada de bom trará.

    Saudações paulistas.

    CLÁUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 19h53

    No seu caso adiciona, falar nada com coisa alguma.Aqui discutimos idéias, este negócio de dizer "sou isso ou aquilo" não têm o menor sentido, uma vez que, obviamente, não há como averiguar a veracidade ou não das informações, e é claro, desnecessário dizer da irrelevância delas..Quanto a falta de educação, bem, é um bom argumento para pular fora, quando os argumentos escasseiam, chamar o outro de "mal educado" por falta do que argumentar.Diria que é uma saída a francesa…

    maria do carmo

    12/01/2012 - 07h57

    Claudio, calma nao nivele por baixo, abaixe os animos, estamos entre pessoas civilizadas.

    Gabo

    12/01/2012 - 12h56

    Como bom carioca da gema, é muito a contragosto que me vejo obrigado a… concordar com o paulista Claudio. ;)

    Talvez não quanto à forma de sua argumentação, mas sem dúvida quanto ao fundo da sua tese.

    Dizer que todo paulista é fascistóide é tão sem sentido quanto dizer que todo baiano é pregiçoso ou todo gaúcho machista ou todo carioca malandro, e por aí vai… Do mesmo modo, crer que é só em SP que há mentalidade fascistoide é tão absurdo quanto crer que é só no sul/sudeste que se trabalha e paga impostos e que é só no norte/nordeste que se ganha bolsa-família… (ué e o centro-oeste?)

    Gente estúpida e gente lúcida existe em todo lugar do mundo.

    Aliás, a lucidez e, sobretudo, a estupidez são talvez as únicas coisas verdadeiramente, genuinamente, plenamente, em suma democraticamente bem repartidas neste planeta: não há fronteira nacional, regional, social, econômica, geográfica, cultural, sexual, etária, genética, ideológica, esquerdo-direitista, etc. que as impeça de se distribuirem equanimemente pelo mundo (um "bolsa-familia" para combater desigualdade de estupidez, digamos um bolsa-imbecil, é algo inconcebível por si só).

    Raciocinar por generalizações não ajuda em nada a clarificar ou solucionar o debate, pelo contrário, alimenta mais confusões, estereótipos e preconceitos. Sem falar que essa história de querer identificar um grupo que sirva de bode expiatório para tudo, em geral, não acaba bem…

    Por isso…

    Viva o Brasil, terra de cidadãos sensatos e imbecis!

    André

    12/01/2012 - 12h36

    Ficar escondendo os podres por bairrismo não vai melhorar a situação, quem provocou tudo isso foram os próprios paulistas meu caro, pois ainda acham que são o creme do bolo, vimos isso na última campanha pela presidência, o estado mais rico, o estado mais culto, o mais consciente politicamente, pré julgando os nordestinos o tempo todo, como burros e ignorantes, é meu caro a reação dos outros estados era óbvia, a verdade que os paulistas odeiam é que essa turma do PSDB cantada em verso e prosa pela população, é um nada, são ruins, entreguistas, incompetentes, pois se olharmos o nosso estado vamos ver o quanto perdemos enquanto o Brasil cresceu, saúde, educação, segurança e etc. estamos num estado e principalmente numa cidade onde o custo de vida é exorbitante pelo que oferece.

João Ferreira Bastos

11/01/2012 - 13h17

O que esperar de um delegado de policia de São Paulo?
Que seja justo e correto?

O último delegado que assim procedeu foi expulso e o criminoso promovido.

Responder

@justdu

11/01/2012 - 12h39

Agora não entendo mais nada delegado que cumpre o seu dever é exonerado como no caso de daquele que deteve um juiz bêbado (que depois virou desembargador) por infração de trânsito e ameaça de agressão. Agora juiz que bate em mulher é mantido no cargo. Vai entender São Paulo e seus governantes

Responder

FrancoAtirador

11/01/2012 - 12h14

.
.
Como diria Chomsky:

MAIS UMA NÃO-PESSOA VÍTIMA DA DITADURA POLICIAL
.
.

Responder

Edson

11/01/2012 - 12h12

Os que auto denominam-se paulistanos da gema me enojam. Nao passam de ovo podre. Sou paulistano de uma familia de 4 geracoes e cada dia sinto que a cidade estah mais podre e desumana. Tem culpa nisso a cultura familiar, mas muito mais a midia porca, fascista e rascista da cidade.

Responder

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 13h16

    Bem, observe , se você dissesse a mesma coisa de um cearense ou gaúcho, iam te chamar de "racista".Pois e né…Alias, se intitular de "uma família de 4 gerações " e uma coisa bem arrogante, não acha?

demetrius

11/01/2012 - 11h51

covardia sem argumentos da polícia da ditadura a parte, como alguém que tem síndrome do pânico tem habilitação para dirigir no trânsito mais violento do mundo?

Responder

Nedi

11/01/2012 - 11h48

Quando eu era mais ingênuo do que sou hoje, acreditava que a classe média era também ingênua, manipulada (1964 por ex.). NÃO É NÃO!!!

Para os que pensavam que o tucanato não ia deixar nenhuma marca depois de 20 anos de poder em SP, enganaram-se.
O AUTORITARISMO é a marca…INDELÉVEL.
Meu…como alguém pode apoiar o projeto de poder desses caras?

PS:
Embora não dê para colocar as mazelas brasileiras na conta deles, os privatas, há que se considerar que os caras se esmeram em aprofundá-las.

Responder

RicardãoCarioca

11/01/2012 - 11h09

Como a PM sabe que o governador apoia todas essas truculências veladamente, como também sabe que a mídia conivente nada divulgará, há muito que se sentem à vontade para pisar na população.
Não reconheço mais a SP que visitei há 10 anos.

Responder

Leonardo Câmara

11/01/2012 - 11h06

Não vejo nenhuma outra alternativa aceitável senão o expurgo da corporação desse meliante travestido de delegado, naturalmente sem prejuízo de outras sanções. Não pagamos tantos impostos e tão altos para termos bandidos como servidores públicos.

Responder

Andre Luis

11/01/2012 - 10h29

Mais uma vergonha na longa lista das covardias promovidas pela Polícia de São Paulo, cuja incompetencia foi mais do que provada ao permitir que um celerado aterrorizasse a cidade, por toda uma manhã, sem sequer ser perseguido ou abordado. Estamos absolutamente sós … Chame o ladrão !!

Responder

Lucas A.

11/01/2012 - 10h17

Acho que aproveitar este espaço de denúncia de uma atitude LAMENTÁVEL E CRIMINOSA de policiais e delegado, não deveria ser utilizado para politicagem barate de crítica ao Governo X ou Y. Este é o problema da PeTralhada. Generalizam os casos específicos. Governador Geraldo afastou compulsoriamente os policiais que agrediram o aluno da USP. Então parem de ofender por ofender, por se indignar pelo fato da maior economia do país não cair na ladainha PTista. O fato narrado deve ser apurado e os infratores condenados e fim de papo.

Responder

    @hugohagogo

    11/01/2012 - 10h39

    Vc tem certeza que SP é a maior economia do Brasil? Onde vc leu isso? Na Folha? Estadão? Veja? Locomotiva Brasileira ou últmo vagão da composição?

    RicardãoCarioca

    11/01/2012 - 11h17

    Caiu na ladainha tucana… E você não acha isso pior? Ah, coitado…

    Fabio

    11/01/2012 - 11h30

    Lucas, quando você tirar do seu comentário o termo "Petralhada" eu retiro o termo "Tucanalha"…

    Maria do Carmo

    11/01/2012 - 17h03

    Lucas A., estamos em Sao Paulo, nao podemos fazer analogia com governo de outro estado.
    O governador afastou o PM, quero ver por quanto tempo, vamos ver o final, um policial que agride e saca arma
    para estudante franzino e negro, estudante que nao estava representando perigo a ninguem e dentro da USP deveria ser exonerado. Defensor do psdb, exerca sua autoridade com os seus.

    Antonio

    11/01/2012 - 17h15

    Caro Espertão,

    Cada Polícia age de acordo com quem os comanda. Policial não tem vontade própria. Ele recebe ordens – ou pelo menos deveria. A Polícia de SP é a cara dos Governos dos demotucanos. É violenta com a população, como toda polícia facista e bem amiga de facções criminosas, que trabalham aqui tranquilamente.

    Fabiano Michelsen

    11/01/2012 - 21h21

    Pessoal que usa "petralhada" ou "demotucanalhas" isso é o mesmo que se referir a alguém como "galinha" ou "bambi". A única diferença é que vocês se julgam politizados por isso…

    renato

    11/01/2012 - 21h39

    Lucas, afastar os policiais envolvidos neste tipo de ação e puni-los é o minimo que o Estado deve fazer. Porem, ao Estado não basta somente isto já que a violência policial no Brasil (seja o estado governado por pt, psdb ou outro p qualquer) é sistemática.

    Arno

    11/01/2012 - 23h16

    Correto!

    CANALES H

    11/01/2012 - 22h46

    Pelo término da sua mensagem com o "fim de papo", fica fácil saber que é policial.

Horridus Bendegó

11/01/2012 - 10h14

A denúncia não se pretende contra São Paulo, Estado no qual vivo há mais de 20 anos e adoro.

Abusos de autoridade e excessos por parte de autoridades ocorrem em todo Brasil, país que já foi análise de uma publicação aqui pelo próprio Azenha que o identificou brilhantemente com a anologia à cultura matricial da Casa Grande & Senzala, como se fosse constituído de duas espécies de classes sociais, especialmente nos tratamentos legais.

Minha irmã apanhou de um delegado paulista, como poderia ter apanhado em qualquer delegacia do Brasil, porque foi identificada como ralé, porque o problema, como diz o Luiz Carlos Azenha, é sua matriz cultural!

Trabalho num Fórum da Justiça Federal e vejo que nele só chegam algemados réus pobres e/ou negros.

Jamais vi um réu de classe social privilegiada algemado, em 22 anos de trabalho.

Responder

Pedro

11/01/2012 - 10h01

Azenha, acho que essa história precisa de uma reportagem, imagens, fotos do B.O e etc para que possamos espalhar na rede. Fica a sugestão. Abs

Responder

Marcos

11/01/2012 - 09h54

O fascismo se instalou em São Paulo!Preparem-se!

Responder

farid

11/01/2012 - 09h45

o que ocorre em são paulo é reflexo do que ocorre no país: a lei de gerson. De quem esperavamos mudanças de fato, nos enganou. Agora vai privatizar aeroporto.

Responder

Gersier

11/01/2012 - 09h07

Fico cá confabulando com os meus botões.Fosse algum político do PT ou de partido aliado a estar governando ou "prefeiturando" o Estado e a cidade de São Paulo,como o PIG estaria adjetivando a ambos?As sub prefeituras "administradas(?) " por coronéis reformados,as ações nas cracolândias e na USP,as inundações,(em SPaulo e Minas culpa de SPedro,mas nos outros estados "imcompetência" do PT),as panes do metrô e dos trens urbanos,os escândalos das terceirizações desde os leitos hospitalares à merenda escolar.Essas agressões sofridas por essa senhora numa delegacia vem comprovar o que o resto do Brasil já sabe.São Paulo além de ser politicamente o estado mais atrasado do Brasil,a maioria dos seus policiais ainda pensam que estamos na época da ditadura que o PIG ajudou a implantar.Covardões que escondem as fardas com medo dos marginais,mas "machões" frente a uma senhora ou cidadãos desarmados.

Responder

augusto

11/01/2012 - 08h34

Nao tá na hora de um jornalista novato se inscrever para os testes de entrada na Pm paulista, passar por todos os tramites e tal, ai desistir – e depois contar pra gente como de fato é o clima e a coisa rola?

Responder

    Fernando

    11/01/2012 - 18h01

    Por que notavo? Seria melhor se fosse experiente.

    renato

    11/01/2012 - 21h48

    Augusto, há um camarada chamado Guaracy Mangardi (não tenho certeza se este é o sobrenome correto), ex aluno de Ciencias Sociais, que, ao fazer a sua tese de mestrado ou doutorado sobre violencia policial, prestou concurso para policia cilvil de SP, foi aprovado e trabalhou por uns 03 anos até ter material suficiente para fazer a sua tese (evidentemente ninguém sabia que o objetivo era este). Vi a entrevista do mesmo anos atrás no Jô Soares. A coisa, lá dentro, é muito pior do que imaginamos.

Gerson Carneiro

11/01/2012 - 08h24

Nunca confiei nos "macacos"… desde a época de Lampião. Mas a gente é obrigado a fingir que confia para não ser preso por desacato.

Responder

leandro

11/01/2012 - 07h59

Ontem a policia do Piauí enfrentou estudantes com balas de borracha e muita porrada, o governador é do PSB, será que vai ter alguma matéria aqui? Vamos combater a violência policial como um todo e não só quando é em estados governados pela oposição, até parece que o resto do Brasil é uma Suiça.

Responder

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 11h09

    Muito bem Leandro, tem um monte de pessoas aqui que estão aproveitando para "desopilar" as magoas contra Sao Paulo, não sei porque razão.Este estado que , como todos os outros tem problemas, querem vilanizar tudo que ocorre por aqui, como se fosse tudo deliberado pela ideologia do estado.Ora, ocorreu uma violência policial, que deve ser denunciada, e isso, e não fazer estes links "Sao Paulo isso" "Sao Paulo aquilo".A policia baiana não e violenta ne?A alagoana não tem grupo de extermínio né?a do Rio Grande do Sul não bate em ninguém né?Vai pensando…Acho que o povo de Sao Paulo e valente e enfrenta o arbítrio, ao contrario dos outros estados. Também posso fazer este link , ou não?

    leandro

    11/01/2012 - 13h35

    E agora em Vitória-ES, a polícia do governo do PSB baixou o cacete nos estudantes. Vai ter post aqui? É o segundo estado pelo PSB que entra em confronto com estudantes por protestos contra aumento de tarifas públicas.

    Antonio

    11/01/2012 - 17h23

    É que o PSB é apêndice do PSDB. O Ciro adora o Aécio e sua política em MG.

    CLÁUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 20h46

    Ah, é só o que faltava, o Ciro e o Cid são apoiadores do governo Lula/Dilma, já faz 3 eleições, o PSB faz parte do governo Dilma e, quando surge problema, vem fazer link com o PSDB, aí e forçar demais não é não hein???!!

    Miguel

    12/01/2012 - 11h43

    Nao e' demais nao. Ciro Gomes e' so' um oportunista que vai pro lado que o vento sopra.

    JaCQUES a. de Melo

    16/01/2012 - 08h18

    Gostaria de saber se fosse a sua mãe a vítima lá na Delegacia ,você faria a mesma pergunta sobre o caso do Piauí????

leandro

11/01/2012 - 07h29

Que seja apurado e o delegado exonerado, preso o que for preciso, mas porque essa fissuração pela policia paulista, até parece que ela é a única violenta no país. Hoje o estado mais violento é a Bahia e ninguem aqui diz nada.
"Entre janeiro e setembro de 2008, 1450 pessoas foram mortas pela polícia baiana; maioria é jovem, pobre e afrodescendente."
"Deputado do PT disse que polícia baiana é assassina-O deputado estadual pelo PT, Yulo Oiticica, criticou severamente a atuação dos policiais baianos. Segundo Yulo, os agentes de segurança pública da bahia usam de artifícios para modificar a execução em auto de resistência (AR)."
No rio então, os jornais tão cheios de denuncias, no Espirito Santo, conforme site da CUT: " http://www.cut-es.org.br/1/?p=1624

Porque não denunciar a violencia policial brasileira? Nunca vi aqui denuncia de abuso policial em estados governados pelo PT.

Responder

    Ana Giulia Zortea

    12/01/2012 - 00h54

    Nossa que horror, a policia Baiana matou mais do que em muitas guerras. Está na hora do Brasil mudar isto. Os policiais tem que ser mais bem preparados, esta matança tem que acabar em todos os estados brasileiros.

    Joaquim

    18/01/2012 - 00h36

    http://www.ouvidoria-policia.sp.gov.br/pages/Tabe… O site/link é oficial; ouvidoria Policia SP. Referencia 1990 a 2002. Qtos serão de lá para cá ?
    Em qualquer lugar a violencia é abominável, mais ainda quando parte, é cometida por agentes que em tese seriam garantidores.

elizete antelmi

11/01/2012 - 01h53

presumo que a delegacia em questao é a 23ª no bairro Perdizes . está lamentável o atendimento nesta delegacia. A Policia Civil tambem precisa ser melhor preparada, principalmente os delegados de plantao e funcionarios atendentes.

Responder

João-PR

11/01/2012 - 01h21

Esperar o que de uma Polícia Civil (salvo as honrosas exceções) comandada pelo PSDB há vinte anos?
E também a PM de São Paulo (salvo, também, as honrosas exceções) também tem deixado muito a desejar quando o quesito é atendimento ao público (seja quem for, pobre, rico, branco, negro, judeu, etc.).
Algo tem que ser feito rapidamente, pois os fatos demonstram que a truculência da Civil e da PM paulista estão no limite.

Responder

Alex Sousa

11/01/2012 - 00h48

São Paulo e Rio sofrem da cultura dos antigos Departamentos de Ordem Institucional, resquícios da ditadura. Na Índia também é assim, só lembrar do filme Slumdog Millionaire. A classe média brasileira se acha diferente apenas pq não conhece o país que vive. Esse é o verdadeiro Brasil. E a culpa é do Judiciário sim, a polícia apenas mostra o lado operacional do sistema.

Responder

Armando

11/01/2012 - 00h38

Os problemas de SP devem decorrer de uma série de fatores: tais como uma burguesia historicamente arrogante e que desdenha as classes despossuídas, uma polícia igual ou pior e uma cidade inchada e neurótica, entre muitos outros.
A "cidade" precisa fazer terapia ou vão acabar se matando uns aos outros. Na verdade já estão e o resto do país assiste a tudo isso embasbacado. E os malas do PSDB regendo essa merda toda.

Responder

Morvan

11/01/2012 - 00h12

Boa noite.

Vocês viram o alter ego do otário?
Adolf Hitler! Basbaque.
É daqueles que crescem para cima de mulheres e falam bem mansinho com alguém da sua estatura (física, bem explicitando – um verme destes não tem estatura que não seja meramente física).

A propósito de "valentões", "Hitlers" e assemelhados, Azenha e Conceição, alguma notícia sobre o "irresistível", o quebrador de braço de moças que resistem aos "encantos" dele?
A última notícia era de que o Habeas Corpus havia sido negado (decisão jurídica acertada).

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

Rui

11/01/2012 - 00h04

Isso ao meu ver é bandido armado legalizado!

Responder

Ramalho

11/01/2012 - 00h04

Um delegado foi, "coincidentemente", exonerado, sem grandes delongas, depois de ter enquadrado um juiz que dirigia embriagado (também, "coincidentemente", o juiz foi promovido a desembargador).

O que acontecerá com este delegado covarde agressor de mulheres? Será exonerado? Ou receberá de Alckimin o prêmio Fleury (Fleury, um torturador e assassino que se escondia sob o título de delegado, e que torturou até a morte mulher grávida de 7 meses)?

Responder

Alexandre

10/01/2012 - 23h54

A polícia é a cara dos governos de SP. Que vergonha!

Responder

Luciano Prado

10/01/2012 - 23h51

São Paaaaaaaaaaaaaaaaaulôôôôôôôô!

Responder

Pafúncio Brasileiro

10/01/2012 - 23h47

Azenha,
É o jeito tucano de levar a segurança pública no estado e na capital. Depois de mais de 16 anos nos governos do estado e da prefeitura de SP, o que vemos ? Um aperfeiçoamento da herança maldita da ditadura nos orgãos policiais. Os "democratas" e "cidadãos" tucanos não enxergam isso ?

Responder

Ramalho

10/01/2012 - 23h40

Quando se fala que São Paulo é polo de racismo e violência, os paulistas reclamam. Mas são muitos os sinais, desde a ocupação da USP por forças policiais, aos ataques a gays, nordestinos, negros e pobres em geral, passando pelos inexplicáveis incêndios em favelas e associação de policiais com o PCC.

Sob Alckimin, São Paulo vive crescente clima de violência estatal, de desrespeito aos cidadãos, de insegurança. Mas era de se esperar: o desrespeito que começou – e continua – pelos desfavorecidos e, depois, passou – e passa – pelos "maconheiros" da USP logo deixou a boca torta, como faz o cachimbo, Agora, todos, indiscriminadamente, passaram a ser vitimados pela truculência estatal. Delegado acha que pode agredir fisicamente qualquer um, é uma baderna.

Mas, fazer o quê? Essa turma que governa São Paulo – a terra de Fleury – foi escolhida pelos paulistas. A cultura da violência esta disseminada e é estimulada fruto de cumplicidade deletéria – só São Paulo para ter o tal do Datena, que dá aos espectadores podridão violenta e teses estúpidas e recebe de volta audiência e prestígio.

Mas, como se dizia antigamente, quem pariu Mateus que o embale. Agora, aguentem.

Responder

Antônio

10/01/2012 - 23h39

De fazer inveja à SS nazista.

Responder

    David W.

    12/01/2012 - 15h34

    Não, você está exagerando.

    O equivalente a nossa polícia seria a GESTAPO.
    Se a situação acima ocorresse naquele período ela já teria sido, no mínimo, presa e esquecida, tudo num julgamento sumário.
    Aqui ainda temos democracia, em um estado totalitário não teríamos esse debate.

    Pesquise melhor a respeito antes de relativizar as coisas.

    Shalom

    David

trombeta

10/01/2012 - 23h38

Tem coisas que só acontecem em SP.

Responder

Lenin

10/01/2012 - 22h51

Datena n vai comentar.

Responder

Fabio_Passos

10/01/2012 - 22h50

"… disse na frente de testemunhas que se chamava Adolf Hitler e que detestava pobres, pretos, gays e nordestinos."

Possivelmente um leitor da revista veja… e eleitor do psdb.

Responder

O Chacal

10/01/2012 - 22h45

quem é pior? O motoqueiro ou o delegado?

Responder

Mello

10/01/2012 - 22h31

São Paulo tá bem de polícia…

Responder

    Fabio_Passos

    10/01/2012 - 22h55

    Impressionante como é o Brasil.
    Uma vítima de racismo vai a polícia se são paulo denunciar o crime e é ofendida, torturada e presa.

    A "elite" branca e rica construiu um Apartheid Social.
    E a puliça usa e abusa covardemente da brutalidade para proteger esta minoria crápula.

    @hugohagogo

    11/01/2012 - 10h45

    É a Chuiça brasileira, diria o PHA.

    RicardãoCarioca

    11/01/2012 - 11h21

    A PM de SP parece só ter coragem de bater em mulher, estudante, drogado, mendigo e negro. Queria vê-los enfrentar traficantes, trocando tiros se precisasse, porque SP os têm, quem duvidar disso, cuidado, pode ter caído na ladainha do PiG.

    george

    11/01/2012 - 13h36

    Sabe quando a PM de SP teria culhão de subir um morro em fila indiana, segurando fuzis, indo atras de traficando??? NUNCA!!!

    A tropa de choque daqui só treina bater em estudante e sem teto.

Zamora

10/01/2012 - 22h28

Disacatô otoridade dá nissu…
Normalmente, os covardes se escondem por detrás do Estado, já dizia um célebre professor de direito. Reiterava que os covardes, ou melhor os fracos e despreparados, ou melhor ainda aqueles que não tem coragem de advogar e enfrentar o estado e os clientes, correm rapidinho para o serviço público. Talvez seja esta a razão de tantos desmandes e abusos pelos valentões que se escondem por trás do cargo que ocupam, tal qual os interrogadores da Dilma.
Um dia a gente revê tudo isso…

Responder

Horridus Bendegó

10/01/2012 - 22h02

Ao delegado valentão: (logo, divulgaremos a foto do valentão que bate em mulheres)

tenho 50 anos de idade; sou hipertenso; tenho diabetes; não pratico esportes; sou barrigudo e sedentário,

mas não tenho medo de você, que dá tapa na cara de mulheres no exercício de sua profissão e com uma arma na cintura.

pago o aluguel de um ringue (um coliseu desses em que ocorrem essas lutas bestiais e de sangue que tanto sucesso fazem na mídia) se quiseres me enfrentar.

Mas não cometa a covardia de ir armado!

Luiz Carlos de Moraes e Silva
50 anos
1,81 m
99 Kg
1,70m de envergadura
1,50m de cintura

Responder

    Gerson Carneiro

    11/01/2012 - 03h11

    Estão vendo aqui o porquê daquele meu comentário de "dar tapa na cara" lá no post sobre o estudante da USP? Estão vendo aqui como eu não estou totalmente errado? Estão vendo aqui como é revoltante?

    Coincidentemente no mesmo dia em que eu postei aquele comentário, sem ter tomado conhecimento deste caso.

    Qualquer um que passar por este tipo de violência em algum momento terá vontade de revidar.

    Está ficando in su por tá vel. É muito abuso e muita impunidade.

    Estamos caminhando para a necessidade de andar com um colt na cintura. Isso aqui vai virar um faroeste. Quando a pessoa se sentir injustiçada, sacar e fazer justiça na hora.

    Eu não vejo sinais de que esse tipo de violência descrita no post vai acabar, ou ao menos reduzir. Muito pelo contrário. As autoridades estão me desiludindo.

    Quantos casos acontecem diariamente e não ficamos sabendo.

    Horridus Bendegó, compartilho a sua indignação e compreendo a sua revolta.

    JapValla

    11/01/2012 - 08h15

    É isso aí Gerson.

    Quando as instituições não funcionam cada qual tende a impor a sua lei, e passamoa a viver num "farwest".

    Luiz

    11/01/2012 - 08h28

    A gente já sabe que o comportamento do animal depende do seu dono. Dono violento, seu animal é de uma ferocidade indescritível. É só ver quem é o dono desse animal e avaliar o que será da fera: cão de briga.

    Nedi

    11/01/2012 - 11h13

    Luiz,

    Perfeito, sintetiza tudo.

    Sr.Indignado

    11/01/2012 - 12h00

    Melhor, andar com o cartão do escritório do Luiz Eduardo Greenhalgh.

    Horridus Bendegó

    11/01/2012 - 08h36

    MAIS UM AVISO AO DELEGADO COVARDE QUE BATE EM MULHERES NO EXERCÍCIO DA PROFISSÃO:

    O senhor deu azar!

    Bateu numa mulher (tapa na cara que a fez cair por terra, cena digna de novela) dentro de sua delegacia achando que ela era "uma drogada das ruas".

    Deu azar porque a mulher que apanhou é mãe de uma criança que esteve na cerimônia RESTRITA, repito, RESTRITA de posse da Presidenta Dilma Roussef, em janeiro de 2011, em Brasília, porque o pai da criança – ex-marido e atual amigo (amissímo) da mulher que sentiu o peso de sua bofetada – é amigo de infância de alguém que acompanha a Presidenta Dilma Roussef – uma mulher que também sofreu com a violência do Estado – diariamente há longos anos!

    E pode ter a certeza que a própria Pesidenta Dilma Roussef, uma mulher que também sofreu violência do Estado, ficará sabendo pessoalmente da sua agressão covarde!

    Luiz Carlos de Moraes e Silva
    Ribeirão Preto/SP

    P.S. Pode parecer uma espécie de "carteirada social" no infeliz Delegado, mas deseja ser apenas uma expressão irônica de como as leis no Brasil – e o Direito, enfim – requerem muitas vezes os ornamentos de classe e posição social para se fazer valer como devem ser de fato.

    Gerson Carneiro

    11/01/2012 - 11h12

    Se a carteirada serve para beneficiar muitos safados, nada mal em beneficiar uma injustiçada.

    Vamos sim aproveitar da carteirada para dar uma lição no malandro.

    Apoiado.

    leandro

    11/01/2012 - 11h56

    Se a história é verdadeira ou não, eu não sei. Mas com essa de dizer que é amigo da presidente e vai usar isso pra se vingar é patético. Primeiro, porque a Dilma não se prestaria a uma papel desses. Segundo, é tão ridícula essa ameaça que já mostra que não se pode julgar nada ouvindo só uma das partes.

    WJR

    11/01/2012 - 13h03

    Sou um outro IRMÃO da vítima. Detesto quem faz uso, de "uma carteirada". Total apoio nesta carteirada. Sr. delegado, que se diz de polícia, você nunca mais na sua vida vai julgar as pessoas pela aparência. Isto não é ameaça, apenas a certeza que este fato não ficará impune. Detalhe: Conversamos com uns colegas de classe deste delegado, que se diz de polícia, ( breve divulgaremos nome e foto ), a informação que temos, trata-se de um profissional que já responde processo administrativo por má conduta. Não é visto com bons olhos por seus colegas de trabalho.
    Pois é pessoal, se pelos colegas de trabalho é visto desta forma…..da pra imaginar como é seu dia a dia numa delegacia……

    Horridus Bendegó

    11/01/2012 - 13h05

    O senhor não entendeu a alusão à figura presindencial que, inclusive, tem outros assuntos republicanos com que se preocupar.

    E não haverá vingança nem se deseja a tal, somente que as leis brasileiras sejam aplicadas de modo comum a todos os brasileiros.

marilamar

10/01/2012 - 21h53

São Paulo é um Estado de bandidos, todos os orgaos publicos estao corrompidos pelos desgovernos à 20 anos, se sua irma quiser justiça, vai ter que pedir ajuda da Corte Internacional, pois o Poder Judiciario Brasileiro tb esta totalmente envolvido em corrupçao!!!l…..!!! Infelizmente essa é situaçao, um Estado desgovernado por uma corja de vagabundos????. Vejam que sao e foram os prefeitos e governadores de SP???.

Responder

Luiz

10/01/2012 - 21h45

São Paulo já era como cidade civilizada. Não pelos seus cidadãos. mas sim pelos que deveriam manter funcionando a sua plena cidadania.

Responder

Julio_De_Bem

10/01/2012 - 21h35

Ta faltando o outro lado. É necessaria uma explicação do delegado sobre o fato… evitemos os pré julgamentos sem conhecer os dois lados da historia.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    10/01/2012 - 22h21

    É justamente por isso que não divulgamos o nome, nem a DP do delegado. abs

    @recupera

    11/01/2012 - 01h29

    VELHA -"A minha palavra contra a sua" O agente da lei tem fé pública, a priori, vc mentiu. Quando for a DP leve alguem junto.

    Fernando

    11/01/2012 - 07h52

    Azenha é craque!

    Julio_De_Bem

    16/01/2012 - 04h25

    Ta divulgado nos comentários:

    Moto/modelo 2008/2009
    JTA/Suzuki AN 125
    Cor Prata
    Combústivel gasolina
    BOQ 1574
    chassis 9BGKT08GRSC304016
    Proprietário – Moisés dos Santos

    Delegado agressor

    Mauro Fadul Kurban
    77º Distrito Policial de Santa Cecília
    Boletim de Ocorrência na Corregedoria de polícia Civil nº 11/2012

    WJR

    10/01/2012 - 22h36

    Ô néscio…delegado nenhum deste mundo possui o direito de bater em ninguém. O delegado chamou AMS de filho da puta e foi tratado na mesma altura. Se numa delegacia você fosse chamado de filho da puta, o que faria? Ficaria calado?

    Marco Vitis

    10/01/2012 - 22h56

    Minha bisavó já dizia: quem cala, consente.

    Gerson Carneiro

    11/01/2012 - 02h52

    Dureza,não… a vítima tem sempre que provar que não é o infrator.

    Imagino que o outro lado diria: "Eu estava aqui quieto, na minha delegacia, jogando baralho com os meus soldados, de repente, essa mulher adentrou e veio me agredir e ofender".

    Julio_De_Bem

    11/01/2012 - 13h57

    Então, e se for mentira isso ? E se esse texto foi feito por um desafeto particular do delegado?

    Em nenhum momento to defendendo qualquer que seja o lado. tudo que eu quero é os dois lados da história. Se eu quiser assassinato de reputação eu leio a Veja…

    Luiz Carlos Azenha

    12/01/2012 - 14h45

    A gente está tentando convencer o outro lado…

    Gerson Carneiro

    12/01/2012 - 18h36

    Azenhão, não manda a Conceição Lemes ir lá não. Vá você, e não vá sozinho.

    Horridus Bendegó

    12/01/2012 - 21h22

    Azenha, os documentos relativos aos dois crimes estão de posse do advogado de AMS. Enviei para você, por e-mail, o telefone de contato do escritório do advogado. Por favor, entre em contato com ele.

    Quem sabe, com a denúncia do nome do delegado que bate em mulheres ele não se manifesta.

    Muito obrigado.

    Luiz Carlos de Moraes e Silva, irmão da vítima e incansável ativista na luta contra a nossa matriz cultural da Casa Grande&Senzala.

    Julio_De_Bem

    13/01/2012 - 02h33

    Sim sim, o que fico impressionado é que as pessoas me xingam por humildemente pedir algo que elas tbm pedem da midia tradicional. Felizmente temos aqui informações que divergem da grande mídia. Equando temos uma denúncia, eu que prezo pelo justo e o correto, acho que deve haver uma chance de defesa pro acusado, sem pré-julgamentos. Ps.: Longe de mim querer ensinar vc azenha algo sobre jornalismo eheh, justo vc que é o único cara q me faz ligar a televisão pra assistir a um telejornal…mas é que admiro a profissão do jornalista e só não segui adiante (fiz 7 semestres de jornalismo) por que tive a sorte de lucrar com meu negócio o que eu nao lucraria sendo jornalista.

    Outro Antonio

    12/01/2012 - 22h07

    Eu não ficaria calado e diria sim senhor, não senhor, sob pena de desaparecer completamente e não sobrar nenhum ossinho.

    Horridus Bendegó

    10/01/2012 - 22h51

    O delegado que bate em mulheres no exercício da profissão terá todo o direito ao contraditório no inquérito que será aberto pela Corregedoria de Polícia Civil de São Paulo.

    Explicará, inclusive, porque deu um nome falso à AMS ao perceber que, pelo vocabulário e conhecimento formal do idioma, AMS não "era o que supunha ser, uma drogada das ruas"!

    Atenção mulheres de São Paulo:

    Jamais vão a uma Delegacia de Polícia se estiverem vestidas de modo caseiro, simples… Podem ser confundidas com pessoas da "ralé" e terem o tratamento dispensado ao povo humilde, isto é, o tratamento de senhorio para senzala!

    maria do carmo

    11/01/2012 - 12h57

    Caro Horridus Bendego, Sao Paulo esta sendo militarizada, cidade policialesca e os covardes confiando
    nos comandantes acham que podem tudo, esquecem que estamos numa republica democratica , isso
    mesmo reacao, quem cala consente, infelizmente isso e useiro e vezeiro, por esse motivo muitas vitimas,nao fazem BO , o exemplo vem de cima prefeito e governador fazem vista grossa. O mais grave e a sensacao de impotencia, e o desgaste para fazer valer nossos direitos. Minha solidariedade a voces!
    Sou paulistana, mas infelizmente o nosso estado esta sendo governado a mais de 20 anos por politicos que esquecem que o BRASIL vai do oiapoque chui e todos devem ser respeitados como cidadoes.

    Antonio

    11/01/2012 - 00h16

    Julio do Bem, errei meu voto, teria – 12.

    De onde saiu vc?[
    Vive onde, na Tucanolândia? O FHC vive lá, conhece.
    Não sabe como funciona a polícia de São Paulo?

    Julio_De_Bem

    11/01/2012 - 13h47

    Amigo eu só queria saber a versão dos acusados. Parece até que to defendendo a agressão… Vcs tão tudo meio doido eheh

    Julio_De_Bem

    11/01/2012 - 13h55

    Alias sou de Porto Alegre, e apenas gosto de saber sempre os dois lados da história. Se eu quiser ter só um lado da historia e que os outros formem minha opinião sobre os assuntos, eu volto pro PIG. Prefiro sempre ter noticias que priorizam a isenção (ou o possível de isenção)

    Outro Antonio

    11/01/2012 - 17h27

    FHC vive em Higienópolis. Ali não é Brasil, é Brazil. É outro mundo.

    Augusto

    11/01/2012 - 00h54

    Concordo, Julio. Também tenho reservas quanto à história. É possível que seja verdade? Sim, é. Mas é possível que também seja totalmente mentirosa? Sim, também. E, como se ainda não bastasse, pode ter verdades e mentiras ao mesmo tempo. O bom jornalismo parte do princípio de ouvir os dois lados. Retratar apenas um lado, acaba denegrindo a parte contrária. Para mim, no geral, a polícia paulista é uma excelente instituição. Quem duvida que vá conhecer a polícia do Ceará, apenas para ficar num exemplo. Gostemos ou não, a polícia de São Paulo ainda é a melhor do Brasil.

    Beto

    11/01/2012 - 07h53

    Aqui no Ceará delegado não bate em mulher. Homem de verdade não faz isso. Quero ver ele bater na cara de um bandido de facção criminosa, garanto que o valentão aí não tem coragem.E não temos cracolândia. Lógico que tem consumidores da tal droga aqui também, como em todo o Brasil, o que é uma desgraça. O problema dos paulistas é o preconceito, a arrogância e a m…. que eles fazem na hora de votar. Imagina quem está no poder há tantos anos.

    Jorge Nunes

    11/01/2012 - 10h19

    Aqui no Rio de Janeiro delegado e Inspector de Polícia não batem em mulher na delegacia.

    Se ocorresse algo parecido a mídia trataria de pedir a cabeça do governador.

    A polícia do Rio de Janeiro ao contrário de São Paulo enfrenta grupos armados e a de São Paulo tem preferência por atacar grupos desarmados.

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 13h11

    E verdade, a policia militar do Rio se dedica também a matar juízas, não e mesmo?

    Marcio H Silva

    11/01/2012 - 23h02

    Caro Jorge, noto em voce uma certa simpatia por cabral, sua polícia a as UPPs. Então me diga quem matou o garoto em nova iguaçú ano passado. Me diga também porque nem estava no porta malas do secretário do Cabral quando foi pego pelo Batalhão de choque e encaminhado a PF.

    macmonteiro

    11/01/2012 - 08h40

    Melhor para quem, cara pálida?

    Avestruz

    11/01/2012 - 10h16

    Augusto, de onde vc tirou essa conclusão de que a policia de SP é a melhor do Brasil? De ver a Globo e ler o estão e Folha?
    Vc tem suas reservas quanto a história pq não foi com sua mãe ou com sua irmã.
    A melhor policia do Brasil, disparada, é a FEDERAL. Acorda mané!
    Veja o que é a policia de SP: http://www.youtube.com/watch?v=iNAolrMSioU&fe
    e olha que é só um sargentinho.

    maria_do_carmo

    11/01/2012 - 13h15

    Caro Augusto, acorda, existem policiais bons e ruins , mas dizer que a policia de Sao Paulo e a melhor do Brasil faz-me rir. Aprenda a ser solidario, voce e humano ate os animais sao solidarios entre seus iguais.
    Procure se informar na midia seria.

    Breno Gonzaga

    12/01/2012 - 14h26

    "a polícia de São Paulo ainda é a melhor do Brasil." Prezado Augusto, com base em qual reportagem ou estatística você afirma isto? Melhor em quê? Quase todo dia leio notícias que provam o contrário: despreparo, abuso de poder, corrupção, preconceito, etc. Será que você não confundiu "melhor" com "maior" não?

    Elaine

    11/01/2012 - 01h09

    Ok!…queria ver se tivesse ocorrido com a sua mãe, vc iria dizer "tem que ouvir o outro lado…"!

    Julio_De_Bem

    11/01/2012 - 13h50

    Dai eu saberia o que aconteceu Elaine, no caso aqui eu to lendo uma noticia com uma acusação que só mostra um lado atacando sem o pronunciamento do outro. julgo que eu, que não conheço nenhumas das pessoas, sou apenas o receptor da informação, tenha o direito de saber os dois lados da moeda, mesmo que um esteja falando uma mentira. Daí a interpretação de verdade ou mentira ficaria por minha conta, o leitor.

    Breno Gonzaga

    12/01/2012 - 17h25

    Julio, pelo que entendi, o texto não é uma reportagem, mas um relato de uma vítima. É lógico que todo relato haverá apenas um lado! Para começar, ninguém tá pedindo para você acreditar ou não no relato. Isto é problema seu. Mas se tem tanta necessidade assim de ouvir o outro lado, como se juiz fosse, vá investigar o fato, vá atrás das informações. E não se surpreenda ao ouvir o outro lado contradizer quase tudo que foi dito pela vítima: que não existiu xingamento, não houve agressão, etc. Ou seja, será um trabalho inútil. É muito mais fácil dar um voto de confiança para a vítima por três motivos básicos: 1- a iniciativa e o trabalho para relatar o fato, 2- a menção de denunciar o ocorrido na corregedoria da Polícia, 3- o fato ser perfeitamente cotidianamente possível e, até certo ponto, natural no Brasil. Você teria todo direito de ficar desconfiado se o relato envolvesse alienígenas, milagres ou acontecimentos sem lógica ou que desafiam as leis da física. Por fim, existe aquele velho ditado: "mentira tem perna curta"!

    Horridus Bendegó

    12/01/2012 - 21h30

    O senhor parte de um pressuposto absurdo.
    Querer ouvir o outro lado se sequer o outro lado é nomindao pessoalmente.
    O Azenha respeitou a ética da questão ao omitir os nomes dos envolvidos e aguardar a documentação oficial do caso.
    Já temos os nomes do dono da moto envolvida no acidente e do delegado agressor e covarde que bate em mulheres no exercício da profissão.

    Logo serão citados nominalmente e terão que se pronunciar.

    Julio_De_Bem

    16/01/2012 - 04h09

    Pois é, então estou no lugar errado. Eu acho que só pode acusar alguem de algo, se tiver como provar e dar chance de defesa para o acusado. Do contrário vai por agua baixo todo blá blá blá de isenção cobrada contra os porcos da grande mídia. Querendo vcs admitiram ou não, uma notícia como essa, sem o contraditório infere na cabeça das pessoas que o relato é 100% real, que o delegado é um fdp que massacra mulheres sedadas. Que a polícia é toda corrupta, que os delegados não prestam e que recebem dinheiro de traficantes. Duvidas? Leiam os outros comentários….

    Vejo aqui o nome do acusado:
    Delegado agressor
    Mauro Fadul Kurban
    77º Distrito Policial de Santa Cecília
    Boletim de Ocorrência na Corregedoria de polícia Civil nº 11/2012

    E a chance de defesa do mesmo? sei la…entre acreditar no que acho justo e ganhar um monte de negativos e xingamentos e o que os outros querem ler, prefiro ser honesto comigo mesmo e postar o que julgo correto…

    Julio_De_Bem

    16/01/2012 - 04h14

    Vc mesmo postou o nome do delegado, e onde trabalha. Não quero achar que você e sua irmã são mentirosos, realmente acho que são vítimas, mas que faça a denúncia da maneira correta com todos os acontecimentos. É dificil de imaginar uma situação que uma mulher chega machucada na delegacia, o delegado chama de fdp e da um tapa na cara dela…é muito estranho e atípico.

    Ta aqui o que vc falou:

    Moto/modelo 2008/2009
    JTA/Suzuki AN 125
    Cor Prata
    Combústivel gasolina
    BOQ 1574
    chassis 9BGKT08GRSC304016
    Proprietário – Moisés dos Santos

    Delegado agressor

    Mauro Fadul Kurban
    77º Distrito Policial de Santa Cecília
    Boletim de Ocorrência na Corregedoria de polícia Civil nº 11/2012

    Serapião

    13/01/2012 - 02h26

    Caro Julio, concordo com você que para um correto julgamento e a formação de uma convicção concreta sobre o caso os dois lados devem ser ouvidos. O que você parece esquecer é que este não é um inquérito e sim um blog jornalístico, a notícia deve ser dada, bem como a oportunidade de defesa. Se o acusado não se defende diante da opinião pública é impossível que seu silêncio não o condene. Não se trata de julgamento técnico mas moral. E, na boa, ninguém forja uma acusação dessas contra uma autoridade que não conhecia ou simula qualquer coisa para passar uma noite na cadeia. Os fatos podem não ser exatamente como narrados mas que trazem um fundo de verdade trazem, senão não haveria acusação e o acusado, homem público, não tardaria em se defender. Até os picaretas denunciados pela Veja (para os quais vc mostrou simpatia) correram em dar explicações (as mais estapafúrdias possíveis, mas deram)

    Julio_De_Bem

    16/01/2012 - 04h18

    A veja disse que Lula tinha contas cheais de dinheiro num paraíso fiscal. A veja disse que o delegado Protogenes era um contraventor e espião. A veja Disse que Lula era chefe de quadrilha. Eu simpatizo com todos esses esses homens que vc chama de picareta. Nada do que a veja falou foi provado, o que você tem a dizer?

    Julio_De_Bem

    16/01/2012 - 04h19

    E detalhe, eles não deram explicações nenhuma…

    Erica C. H.

    11/01/2012 - 02h49

    Com essa polícia que a gente vê no Brasil, não só em SP, não tenho como não ficar do lado da mulher.

    Marcio H Silva

    11/01/2012 - 04h04

    Quer dizer que você acha normal um delegado bater em qualquer pessoa que adentre a delegacia?
    Ele não tem outros meios civilizados e legais, até porque é uma autoridade, de acalmar uma pessoa em seus domínios?

    Julio_De_Bem

    11/01/2012 - 13h51

    quem falou isso maluco? Fumou capim?

    Romanelli

    11/01/2012 - 05h18

    por favor amigo ..por favor ..vamos nos ater AGORA somente ao relato

    se assim, e o que não é NADA difícil de se imaginar, ainda mais quando vc é um COMUM neste BRASIL inconsequente

    Mesmo que diante de um tremendo dum marginal, JAMAIS o delegado ou qq autoridade deve agredir a um cidadão, eu disse CIDADÃO, não importando credo, cor, status ou religião, muito menos região e/ou partido política a que ele esta momentaneamente submetido

    ..mas pensar que aqui temos até lei que os diferenciam e os protegem em demasia, e "nos obriga" a conviver com a dissidia deste espírito de corpo sem medida ..fica difícil

    ..o máximo que se espera para casos aonde haja até agressão física contra o policial é que o mesmo se defenda passando-lhe a algema ..inclusive pra proteger a vida e preservar as condições físicas do própria contraventor ..aliás, é pra isso que foram treinados e são pagos do que me lembro, não ?

    abrá

    Alvaro Tadeu Silva

    11/01/2012 - 08h08

    Hitler também tinha o outro lado da História. Ele "só" queria eugenizar a humanidade…

    Joselito

    11/01/2012 - 13h55

    A polícia brasileira (talves calcada na impunidade de seus membros) tem uma péssima imagem. Qualquer fato, verdadeiro ou não, contra policiais, será sempre visto como verdade pelo povo, que não é bobo, e sabe como a polícia age, principalmente quando se trata de "PPP´s."

    Horridus Bendegó

    13/01/2012 - 17h59

    Os dados dos autores das agressões

    Moto/modelo 2008/2009
    JTA/Suzuki AN 125
    Cor Prata
    Combústivel gasolina
    BOQ 1574
    chassis 9BGKT08GRSC304016
    Proprietário – Moisés dos Santos

    Delegado agressor

    Mauro Fadul Kurban
    77º Distrito Policial de Santa Cecília
    Boletim de Ocorrência na Corregedoria de polícia Civil nº 11/2012

    Agora, os acusados podem se pronunciar.

    Luiz Carlos de Moraes e Silva
    irmão da vítima

Marcio H Silva

10/01/2012 - 21h23

Dois ítens que tem que ser modificados na Lei:
Desacato de autoridade e ofensa a funcionário público no exercício da função.
Não tem nenhuma lei específica para proteger o outro lado.
Está muito longe de nossas autoridades entender a diferença entre cidadão e contribuinte neste país.

Responder

    Lidiany

    10/01/2012 - 21h53

    Sou funcionária pública concordo plenamente com vc, por diversas vezes tenho vontade de soltar o verbo. Muitos servidores(as) se aproveitam dessa lei pra tirar onde com a nossa cara, parece que depois que assume o cargo passa a ser da nobreza, tenho nojo…

    Erica C. H.

    11/01/2012 - 03h42

    falou tudo…

beattrice

10/01/2012 - 21h16

E com esa ficamos como?
Essa polícia é a civil, nem é a militar não.

Responder

Horridus Bendegó

10/01/2012 - 21h09

A minha irmã AMS – vítima da violência acima descrita – teve uma experiência pessoal aterrorizadora, típica dos piores filmes de horror.

Foi espancada DUAS vezes por dois covardes em dois momentos diferentes no mesmo dia de domingo, 08/01/2012!

No primeiro, por um motoqueiro que a acusou de ter raspado em sua moto num semáforo da Av. Pacaembu. Forte, típico badboy cabeça de camarão, a agrediu verbalmente, a chamando de piranha, puta, vagabunda, retirou violentamente as chaves do contato do carro de AMS; e depois a agrediu covardemente na frente de vários frentistas de um posto de gasolina, dizendo que se chamava Adolf Hitler e que odiava pretos, gays e nordestinos! Quando minha irmã resolveu enfrentar o valentão (ela, em seguida ao ato de ter suas chaves subtraídas, também retirou as chaves da moto do gorila). Apanhou com socos, esganadura e tapas. Foi ao chão e ficou sob o domínio do troglodita que a esmurrava. O covarde só parou e fugiu quando alguém anunciou que chamara a polícia.

Segundo momento: Depois de chegar numa delegacia para registrar a queixa, um bandido sob a máscara de Delegado, isso mesmo, DELEGADO DE PLANTÃO, ao se ver reclamado pelo péssimo atendimento dispensado a minha irmã, a chamou de drogada e filha da puta! (minha irmã, que toma medicamento contra sintomas de pânico, havia tomado um tranquilizante após o choque da agressão, até pq não conseguia nem dirigir até a delegacia, pedindo ajuda de um taxista) Ao retrucar a agressão verbal, (disse que se ele a chamava de filha da puta, estava dando-lhe o direito de lhe dispensar o mesmo tratamento, chamando-o então de delegado filho da puta) Levou UM TAPA NA CARA QUE A PROSTROU AO CHÃO!!! FOI ALGEMADA; AUTUADA POR DESACATO À AUTORIDADE E LEVADA PARA UMA CELA ONDE FICOU POR TODA A NOITE!

Revoltante não só pelo fato de ter sido contra uma irmã, mas por ser a regra nas diversas delegacias policiais desse malfadado país, onde negros e pobres são tratados aos modos da pior perversão! (Continua sim, a prática sistemática de tortura nas delegacias policiais brasileiras – AMS presenciou violência contra um rapaz que estaba detido)

E revolta-me mais ainda, e envergonha-me muito mais, precisar ser amigo de algumas pessoas influentes e conhecidas para ter a certeza de que o ocorrido não ficará "por isso mesmo", como acontece com a maioria das vítimas de abuso policial, discriminação e violência desse país, por não terem a quem recorrer, nem condições financeiras a alcançar a Justiça.

Responder

    Aline C Pavia

    10/01/2012 - 22h56

    Lamento profundamente isso ter acontecido com vocês.
    Mas sinceramente, aqui neste estado, a cloaca do Brasil, não me surpreende.
    Aqui tem rodeio de gordas na UNESP. Aqui tem uma moça quase linchada por um vestido curto cor-de-rosa choque. Aqui tem Mayara Petruso. Aqui tem espancamento de homossexuais na paulista. Aqui tem "gente diferenciada". Aqui tem reitor da USP capacho da ditadura. Aqui tem PM com 18 estrelas no brasão "honrando" momentos terríveis, dolorosos, constrangedores, de nossa história. Aqui tivemos um movimento separatista em 1932 que saiu derrotado e mesmo assim se fez um feriado para ele. Aqui temos faculdades públicas que recusam ENEM, ENADE e cotas raciais. Aqui se privatizam leitos públicos de hospitais. E um longo et coetera.
    E está descendo a ladeira, com os troféus indo para Big Brother Brasil e Mulheres Ricas. Só tende a piorar. E não se sabe o que há por vir. Depois da "limpa" na Cracolândia, a cloaca paulista é capaz de tudo.

    Fernando

    11/01/2012 - 07h54

    Como paulistano é com tristeza que concordo com tudo o que você disse.

    @Luirocha

    11/01/2012 - 08h15

    Perfeito!

    São Paulo é a cloaca do Brasil.

    Governado pelo taleban, para talebans.

    CLAUDIO LUIZ PESSUTI

    11/01/2012 - 11h29

    Bem, aparentemente aqui em Sao Paulo , os desmandos são denunciados e aparecem na mídia.Acho que aqui não temos o problema de outros estados em que o governo do estado financia diretamente os jornais , revistas e tv, onde os políticos que governam o estado são os donos dos meios de comunicação e não deixam noticias nenhuma sair sobre o estado.Nao existe este negocio de "cloaca paulista".Alias, o aumento da violência esta ocorrendo justamente em estados do nordeste, muitos deles com a participação de policiais.Preconceituoso o seu post.Estes casos a que você se referiu foram noticiados em rede nacional, por causa da importância de Sao Paulo, presença de mídia, etc.Outros casos , muito piores , não são noticiados em outros lugares.Alias, na Bahia, por exemplo, mudaram o nome de um aeroporto para colocar o nome do filho do ACM.No Rio de Janeiro, um comandante da pm mandou matar a juíza Patricia Amorim.E por ai vai.Por causa disso posso falar de "cloaca baiana", ou "cloaca carioca"?

    Edson

    11/01/2012 - 12h52

    Será? É só verificar os contratos da Secretaria da Educação com os Grupos Abril, Globo e Estadão e relacionar com as informações da imprensa paulista.

    Gerson S.

    11/01/2012 - 13h22

    Leia a namarianews e entenderá o que seja imprensa (PIG) COMPRADA. Somente na Secretaria de Educação, as compras de material didático são feitas exclusivamente com dispensa de licitação. E pasme você, revistas e jornais, do estadinho, da folha, globo, e abril. Mais de R$ 250.000.000,00. SEM LICITAÇÃO
    Se isso não é comprar imprensa, então me explique o que é isso.
    Assim, é claro, como é um governo tucano ( PRIVATARIA TUCANA) essa pseudo imprensa faz de conta que a policia de são paulo é a melhor do Brasil. São uns piadistas.
    Em tempo, seu sobrenome tem parentesco com o ex-Governador do Paraná??

    Carlos Roberto

    11/01/2012 - 12h42

    Aline, no dia em que o PT conseguir o governo do Estado chegaremos ao Paraíso (Pasolini)!

    beattrice

    11/01/2012 - 15h35

    O PT-SP anda de braços dados com o PSDB.
    A probabilidade de chegar ao governo só se dará no caso de uma alinaça entre ambos.
    Explícita ou não.

    leandro

    11/01/2012 - 13h14

    São Paulo e Rio são as vitrines do Brasil, tudo que se passa nessas capitais é notícia. A polícia baiana é hoje a mais violenta do Brasil e fora da imprensa da Bahia quase não se ouve nada. Ontem em Terezina a polícia baixou o pau em estudantes que protestavam contra aumento das tarifas de ônibus e olha que o governados é do PSB e o prefeito do PTB. Alagoas é o estado mais violento e imagine o que não é violencia policial por lá? Tem que se combater o abuso e a violência policial esquecendo a coloração partidária.

    Erica C. H.

    11/01/2012 - 02h53

    e assim aumenta os números da violência contra a mulher, não dá nem pra chamar a policia, peloamordedeus. Eu quero ir embora de Sâo Paulo, não aguento mais isso.

    Gerson Carneiro

    11/01/2012 - 03h16

    A realidade crua é a seguinte:

    – se é pobre tem esse tipo de tratamento (e ao adentrar a uma delegacia a praxis é a de que a pessoa é pobre até que prove o contrário);

    – se é rico acontece o que aconteceu no caso do delegado que foi exonerado e o juiz promovido a desembargador. Ou seja, o delegado passa a ser o pobre.

    Erica C. H.

    11/01/2012 - 03h39

    Fez muito bem em denunciar, isso não pode ficar assim. Eu não contenho as lágrimas, de dor,, de humilhação, de revolta, parece que foi comigo, diga pra sua irmã que ela não está sozinha. Isso me revoltou tanto, mais tanto que minha vontade é botar a boca no mundo pra denunciar essa corja lazarenta, FDP (desculpe a expressão mas a ocasião requer) e sem coração que está dirigindo SP. afff

    maria do carmo

    11/01/2012 - 09h05

    PREZADO HORRIDUS BENDEGO, Adolf Hitler Imaginem deve ter baixa estima, e pisou nas calcinhas,
    fugiu quando chamaram a policia, bateu em mulher, covarde sem berco e sem Deus.Quanto ao delegado
    perdeu a razao, se e que tinha quando agrediu e pior registrou o boletim de ocorrencia pela manha.
    Subestimou a vitima, as aparencias enganam.

    spin.Sergio

    11/01/2012 - 10h18

    Amigo….vc deve divulgar o nome deste delegado…para todos saber quem é esta figura covarde, quem sabe contrager ele diante da familia, amigos e conhecidos….este merece..abç

    Horridus Bendegó

    11/01/2012 - 10h43

    Logo será publicada aqui uma cópia da queixa à Corregedoria de Polícia Civil.

Luiz

10/01/2012 - 21h01

O que esses policiais despreparados fazem é desdém com a boa civilidade. São tão pobres que necessitam derrubar outros para se sentirem por cima. Miseráveis, de espírito.

Responder

Elaine

10/01/2012 - 20h57

Covardes!!!!!…………Eu tenho nojo deste país!……Sinto vergonha de morar neste país!….A autoridade policial que deveria nos dar proteção contra bandidos, são piores que eles!!!!!………..bando de machistas, fascistas, trogloditas!!!!!!!!!!…Bando de covardes e Filhos da Puta!!!!!!!!!!!!…………JUSTIÇA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

    Zamora

    11/01/2012 - 12h50

    Elaine não odeie o país, pos ele é também vítima da tucanagem e seus asseclas PIGosos.
    Ame-o e jamais o deixe…

Davi Lemos

10/01/2012 - 20h57

Como disse Hélio Luz, a policia serve para fazer a defesa da elite. Não tem que se surpreender com uma situação dessas, é pra isso que foi criada. Será que dessa vez os reaças vão culpar a vítima?

[youtube eW1y3fmWDqw http://www.youtube.com/watch?v=eW1y3fmWDqw youtube]

Responder

Edu Pereira

10/01/2012 - 20h43

Até quando vamos tolerar essa estória de "desacato"?? Desacato é um delegado desse, mal preparado e relativamente bem remunerado com nosso dinheiro vir falar o que quer e ouvir o que não quer. Vai pra casa de consciência tranquila, enche a cara e provavelmente bate na mulher!!!! Covarde!!!!

Responder

José Figueiredo

10/01/2012 - 20h33

Meu Deus!!! O que está acontecendo em São Paulo. Praticamente todos os dias se ouve dos desmandos, descasos e abusos cometidos por autoridades policiais. E o Estado responsável direto por todos os absurdos cometidos contra cidadãos que deveriam proteger e respeitar, é um dos primeiros a incentivar estas praticas de violência moral e psicológica(caso cracolândia). Até quando as autoridades eleitas por voto popular vão tratar a sociedade como se fosse um regime de coronéis a moda da escravatura, a qual só se imperava uma realidade, da força, medo e castigos violentos.
Solidarizo com a vitima mencionada, e com tantas outras que por medo e outro motivos não denunciam esta pratica desumana que está acontecendo frequentemente, e sem a punição necessária no estado de São Paulo!

Responder

    jbmartins

    10/01/2012 - 23h15

    Amigo o que acontece em SP, é a politica da Elite onde ha uma discriminação dos Pobres, Pretos, Nordestinos, vindo de cima, percebam que nos 25 anos vem sendo feito um trabalho com apoio da grande midia, Paulistas abram o olho mudem já por que esta ficando terrivel.

    Michael Lima

    10/01/2012 - 23h39

    São Paulo virou o maior ícone nacional do autoritarismo, do preconceito e da corrupção escondida (vide Privataria tucana). É bom lembrar do caso mal contado dos estudantes da USP (um aluno morreu lá dentro), lembrar de como os professores grevistas foram tratados no governo Serra e como estão "resolvendo" o caso da cracolândia (com bombas de borracha – como viciado deixasse de se drogar por ter apanhado. Como se a turma da cracolândia não fosse se reunir de novo). Até os policiais Civis, quando emgreve, foram rechassados pelos PMs. É absurdo total. É autoritarismo, preconceito e pq não dizer, incompetência (e esses caras ainda querem governar o Brasil).

    Abdula Aziz

    10/01/2012 - 23h48

    A pegunta é José: até quando o povo de São Paulo vai se sujeitar a esse cotidiano? Sou paulista e tomei a atitude de não mais morar neste estado e não me arrependo.

    riorevolta

    11/01/2012 - 01h38

    São Paulo é ainda o que sempre quis ser, o Alto Reinado do Tietê. Um lugar mágico onde o Antigo Regime ainda não caiu, não há república, não há direitos civis, só há os privilégios que o dinheiro pode comprar. E que se deixar por conta deles, restaura a escravidão em dois tempos.

    O que achar de um lugar que celebra com orgulho até hoje uma tentativa de insurreição contra o Estado Nacional, uma "revolução" (cof cof cof) altamente elitista e anti-republicana? E ainda, onde a PM ostenta datas comemorativas de golpes de estado, repressão e massacre à população? Onde o Golpe de 64 é chamado de Revolução.

    As vezes penso que até seria melhor para o Brasil deixar São Paulo viver seu sonho de se desligar do país. Deixar aquela praga proto-fascista apodrecer sozinha.

    @Luirocha

    11/01/2012 - 09h21

    Perfeito!

    Alexandre Felix

    11/01/2012 - 09h59

    Prezado.

    Sou paulista, filho de nordestinos como tantos outros paulistas…e cariocas também. A coisa está feia por aqui…bem feia. Mas ainda acredito numa solução…amor, justiça e verdade…resistiremos e colocaremos as coisas nos eixos…vai demorar um pouco, mas acredito nisso. Não nos exclua do Brasil, já fizemos tanto pelo país…tanto quanto nossos irmãos brasileiros de outros estados. Quem não é da elite daqui; a grande maioria; precisa de seu apoio. Gostaríamos de contar contigo. Grande abraço.

Marcelo

10/01/2012 - 20h29

O crime de racismo cometido contra a vitima cometido pelo motoboy é algo esperado , ja que em SP houve varios casos de racismo com violencia e até morte sem que houvesse punição adequada , isso sem duvida vai acontecer novamente se providencias não forem tomadas e os agressores não forem punidos . Ja o comportamento do "delegado de policia " é algo historico , infelizmente . Nossa policia não foi criada para atender as demandas do povo por segurança e justiça , foi criada para atender as demandas do Estado , mesmo que não sejam justas , foram, criados para promover a repressão e até hoje trabalham assim . Nosso problema não partidario ou ideologico , nosso problema é de paradigma .

Responder

Guilherme Souto

10/01/2012 - 20h23

Hora dessa o delegado já alegou que a mulher o desacatou, blábláblá…

Corporativismo miserável!!!

Responder

    will

    10/01/2012 - 20h42

    Com as cordialidades do desserviço de insegurança pública.

    fora psdb

    Leo

    12/01/2012 - 14h27

    Corporativismo só não é pior que o machismo… Não dá nem pra saber se o caso do delegado é de machismo ou de corporatismo. Enquanto os sexos forem tratados de maneira desigual (desigualdade real) em seus valores, a humanidade nunca evoluirá. Será que se fosse delegada a coisa seria a mesma?

Deixe uma resposta