VIOMUNDO

MP quer saber como empresa de amigo de João Dória, envolvida na “máfia da merenda”, conseguiu novos contratos de R$ 20 mi com o governo Alckmin. Sem licitação

14 de janeiro de 2016 às 19h22

Nadai e Dória 1

Sérgio de Nadai e o pré-candidato a prefeito pelo PSDB, João Doria, são parceiros em entidade empresarial 

MP

A caixa-preta da merenda paulista

O Estado empenhou R$ 42 milhões em contratos sem licitação

Investigação apura contratos milionários do Estado com empresário denunciado

por Henrique Beirangê, publicado emCartaCapital, 14/01/2016 11h38

Em junho do ano passado, o Tribunal de Contas do Estado de São Paulo apontou uma série de irregularidades na gestão da merenda escolar durante a apresentação do relatório final sobre as contas de 2014 do governador Geraldo Alckmin.

Segundo a Corte, os problemas vão desde o processo de fiscalização na compra e distribuição da comida para os alunos até mesmo as condições de higiene das cozinhas nas escolas.

Em torno de 15% dos colégios as panelas ficam no chão, em outros 29% os alimentos estavam guardados fora da geladeira e em 16% não havia certificado de desratização ou desinsetização.

Não bastassem os problemas sanitários, a má gestão da merenda escolar vem de longa data no estado. Em 2000, ainda no governo de Mario Covas, a aquisição de comida para as escolas virou alvo do Ministério Público e do TCE por conta da proximidade do então governador com o empresário Sérgio de Nadai, dono das empresas De Nadai Alimentação e Convida Alimentação.

Amigos de longa data, De Nadai viu o capital de sua empresa explodir, passando de 197 mil reais para 4 milhões, entre 1995 e 2001, durante o governo do amigo.

A empresa De Nadai detinha vários contratos para fornecimento de alimentação em presídios estaduais e levou parte deles sem licitação, devido a situações “emergenciais”.

Em um dos relatórios do TCE da época, o conselheiro Antonio Roque Citadini afirmava: “Parece que o governo força situações de emergência”.

O tempo passou e a empresa de Sérgio ganhou corpo, expandindo sua atividade para diversos municípios de São Paulo e outros estados.

Em 2009, uma investigação mostrou que parte do faturamento da empresa vinha de esquemas de corrupção e cartel envolvendo um negócio que pode ter movimentado cerca de 100 milhões de reais em propinas. A investigação esbarrou até mesmo no cunhado do governador  Geraldo Alckmin, Paulo César Ribeiro.

O irmão de Lu Alckmin foi apontado pelo Ministério Público como o responsável por direcionar os contratos em benefício da Verdurama, uma das empresas envolvidas no cartel do qual participava a Convida. De acordo com a investigação, Ribeiro atuaria na prefeitura de Pindamonhangaba, cidade natal de Alckmin.

Sérgio foi denunciado juntamente com outros empresários. Agora o MP quer saber como uma empresa envolvida na chamada “máfia da merenda” conseguiu novos contratos com a Secretaria de Educação de São Paulo, entre 2013 e 2015, que somam 20 milhões de reais.

A Convida também tem contratos com a Secretaria de Planejamento e Gestão. Foram adquiridos, em 2015, 13 milhões de reais para o fornecimento de refeições em hospitais do estado e outro contrato de cerca de 3 milhões com a Secretaria da Saúde na rubrica “alimentação preparada”.

Contabilizando-se todos os departamentos, só no ano passado foram vendidos 29 milhões para o governo do estado. De 2011 a 2015, a empresa vendeu 75 milhões de reais em gêneros alimentícios ao Estado, período que sucede à investigação da máfia da merenda.

Os contratos estão em nome da Convida Alimentação, empresa em nome de Sérgio de Nadai e familiares. A companhia mantém o mesmo endereço da De Nadai Alimentação, também pertencente à família do empresário e diretamente envolvida com o escândalo da máfia da merenda.

Segundo a investigação, o cartel de empresas teria funcionado entre as gestões Marta Suplicy, José Serra e Gilberto Kassab, na capital paulista, e em outros 57 municípios e dois estados.

Sérgio de Nadai é frequentador de festas beneficentes e amigo próximo de um tucano ilustre, o empresário e pré-candidato a prefeito por São Paulo João Doria Jr.

Os dois são vistos juntos frequentemente em eventos sociais e ambos trabalham no Lide, grupo empresarial encabeçado por Doria que tem entre os objetivos “difundir e fortalecer os princípios éticos da governança corporativa no Brasil”.

Uma das estrelas do Lide no ano passado foi o juiz Sergio Moro, que comanda a Operação Lava Jato. O magistrado foi o principal convidado do grupo de empresários em um almoço-debate em setembro do ano passado.

Outra linha de investigação que o Ministério Público pretende seguir trata das sucessivas aquisições de merenda na rede estadual sem o emprego de licitações. Entre 2013 e 2015, de acordo com dados do Sistema de Informações Gerenciais da Execução Orçamentária, foram empenhados perto de 42 milhões de reais em contratos sem licitação.

Além dos contratos suspeitos e os problemas de gerenciamento e sanitários, o Estado também precisa dar explicações a respeito da montanha de alimentos jogados no lixo todos os anos. Só em 2014 foram desperdiçados 25 mil quilos.

Os problemas detectados pelo TCE apontam que 91,43% das escolas costumam realizar alterações no cardápio por conta de produtos próximos à data de vencimento, itens deteriorados e atrasos na entrega. O levantamento do TCE mostra também que por volta de 34% das escolas nem sequer têm refeitório.

A precariedade da estrutura de ensino ficou anotada na parte final do relatório do TCE, evidenciando a falta de prioridade da educação no estado: “… destacou-se negativamente o estado de conservação de elevado percentual das escolas visitadas.

Desde itens de segurança (rede elétrica), passando por equipamentos de esporte (quadras e coberturas), até as salas de aula (rachaduras, ausência de janelas/vidros, mofo, goteira)”.

A Secretaria da Educação paulista informou que todas as contratações de serviços terceirizados para manipulação de alimentos de ensino seguem os trâmites legais exigidos.

Do total de contratos firmados pela Secretaria para fornecimento de merenda, 93% dos convênios não são da empresa Convida Alimentação, e mesmo as Diretorias Regionais de Ensino que mantém os serviços contratados da Convida possuem contrato com outras empresas. Como a Convida não possui qualquer tipo de penalização, pode participar de novos pregões.

Com relação ao desperdício de alimentos, o Estado informa ter identificado a falha de uma das empresas prestadoras de serviço de logística durante a estocagem de arroz. A empresa foi autuada, ressarciu o governo estadual e não presta mais serviços para as escolas.

Leia também:

Contra o Brasil de Fato, Aécio tenta a censura pelo bolso

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
nogueira
24 - jul 0

Souto Maior: Ministro diz que CLT precisa de “atualização”; leia-se aniquilação

Eufemismo para esconder a destruição dos direitos trabalhistas

Captura de Tela 2016-07-24 às 17.04.30
24 - jul 0

CartaCapital: Temer receia ter sido gravado por Eduardo Cunha

Próximo da guilhotina e da cassação

 

19 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Edivaldo

18/01/2016 - 19h31

Esses pessoal só pensa do bem, ou seja nos bens.

Responder

Antonio/Maceió

15/01/2016 - 14h49

Os tucanos são intocáveis. Com eles, para a grande mídia e para a justiça, nadai. Nada hay!

Responder

Celso Junqueira

15/01/2016 - 14h43

Já temos o merendão…

Responder

Mau

15/01/2016 - 10h08

O pessoal do PSDB podia cantar aquele funk das antigas “…Ta dominado Ta tudo dominado Ta dominado Ta tudo dominado…”

Responder

Moro

15/01/2016 - 10h04

Não vem ao caso.

Responder

Eduardo

15/01/2016 - 08h46

Esse Sérgio de Nadai tem algum parentesco com a família de Nadai que teve dois prefeitos tucanos em Americana/SP?
Zezinho de Nadai, pai, e o Diego filho, este fteve o mandato cassado por improbidade

Responder

Ligado

15/01/2016 - 08h31

Simples… Se faz uma licitação e entra em contato com todo mundo. Afastam-se os concorrentes ao ponto que o certame não é realizado. Tem-se que republicar o edital de licitação… ninguém vai mais uma vez. Por fim, fica a critério da Administração indicar uma empresa que se oferecer. Sai tudo “legalizado”.

Responder

Andre Marx

15/01/2016 - 04h59

Tucano envolvido em esquema de corrupção? Tucano paulista? Esquecemos isto porque não dará em nada!

Responder

Adilson

15/01/2016 - 04h43

A ‘Lava Jato’ revelou um triste fato ao país, qual seja: salvo raras exceções, para se tornar ou ser empresário de sucesso no Brasil o sujeito tem que ser bandido.

Responder

Roberto Locatelli

14/01/2016 - 21h47

Pode esquecer, não vai acontecer nada. Nossa “justiça” é apenas um departamento do PSDB.

Responder

    Nelson

    14/01/2016 - 22h31

    É isso aí Locatelli.

    O parlamentar ou governante que fizer o que o sistema capitalista manda pode se corromper à vontade que vai, com raríssimas exceções, sair sempre de “lombo liso”. O sistema providenciará para que:

    A mídia hegemônica divulgue apenas uma ou duas vezes o caso de corrupção em que ele se envolveu, “à boca pequena”, com pouca ênfase e depois “esqueça” o assunto;

    O Judiciário e os MPs façam de conta que estão combatendo a corrupção e acabem deixando o crime prescrever e o corrupto livre para continuar se corrompendo;

    A Polícia se sinta pouco animada em furungar mais sobre o caso.

    Já o parlamentar ou governante que não fizer tudo como manda o sistema capitalista deve “colocar as barbas de molho”. Estorvo, o sistema estará permanentemente colocando-o em chicanas, embretando-o. Se ele se corromper, então não terá para que lado correr; ou se entrega de uma vez por todas ao sistema ou morre politicamente.

    Se ele não se corromper, nem assim estará a salvo, pois todo o esquema mídia-justiça-mp-polícia poderá ser colocado a pressioná-lo, incessantemente, chegando mesmo a acusá-lo e a condená-lo sem provas.

    Enfim, a quem ousa enfrentar o poderio do sistema capitalista, as chamas do inferno o esperam.

    bonobo de oliveira, severino

    15/01/2016 - 08h16

    O MP vai querer saber até receber aquele cala boca e acionar novamente aquela velha e eficiente “pasta errada” do Dr. De Grandis. E tudo voltará à mais lídima e perfeita ordem e legalidade em todas as as honradas instituições e gloriosas terras do Tucanistão.

Helena/S.André SP

14/01/2016 - 21h40

Sérgio de Nadai é daqui de S.André. Começou sua empresa fornecendo marmitex para os funcionários de várias empresas aqui da região do ABC paulista. Depois que ficou muito amigo de Mário Covas, conseguindo ser o fornecedor das chamadas “quentinhas” para os presídios do estado de SP, mudou sua empresa para a capital. Corre o boato aqui na região de que Sérgio de Nadai ficou riquíssimo com esse negócio de fornecer quentinhas para os presídios. Sabe por que? É por ganhar com o superfaturamento no fornecimento delas. Corroborando com esses boatos, saiu na revista Carta Capital, de 30.10.13, edição 772 uma reportagem sobre a corrupção que envolve o setor de fornecimento de comida aos presos. Diz que essa fonte de corrupção suga 2 bilhões de reais dos cofres públicos. Essa reportagem cita vários casos que ocorre no Brasil inteiro, mas não menciona esse caso em SP envolvendo Sérgio de Nadai e suas “quentinhas”. Que pena! Mas o jornalista aqui de Santo André, sr. Daniel LIma, que tem um site de notícias (www.capitalsocial.com.br) publicou no dia 24.10.2011 uma matéria intitulada “Máfia da Merenda leva De Nadai à beira de nocaute econômico”, onde ele explica com detalhes o envolvimento de Sérgio de Nadai nessa tramóia toda. Gozado que nessa matéria diz que De Nadai, depois que estourou esse escândalo da Máfia da merenda, começou a ser repelido no meio tucano, mas pelo visto ele já recuperou seu prestígio com o pessoal do PSDB, a ponto de conseguir novos contratos junto ao governo de SP. Que coisa!

Responder

Márcio Gaspar

14/01/2016 - 21h24

São Paulo é um feudo do PSDB, as relações são de suserania e vassalagem, e é assim que o PSDB acredita quem tem que ser no seu Regime Feudal, mas quando um vassalo, que sai um pouco da sua fidelidade de fé ao suserano por este não lhe ter protegido, quero dizer, provido. Então, começa a queimar no feudo alguns aliados como aviso ao suserano para não esquecer seu compromisso de fidelidade e fé(tem um vassalo no STF que leva isso muito a sério). Hoje, no jornal SPTV da Globo, em uma entrevista o Alckmin(Suserano) deu uma declaração sobre os protestos do MPL. Ele se acha tão seguro que SP é um feudo, que deu uma declaração no mesmo nível dos comentários de coxinhas espalhados pela internet, só faltou gritar: “Aqui é São Paulo!!! Paulista não se deixar enganar por esses protestos de esquerda!!!” Isso que dá pensar que está em um feudo e não enxergar o que é uma cidade, falta sair além dos muros do feudo e visitar as periferias de SP.

Responder

Mauricio Gomes

14/01/2016 - 21h02

Não vai acontecer nada, para variar. E quem ousar questionar essa roubalheira, terá que enfrentar a tropa de choque nazifascista do Führer do Tucanistão.

Responder

tiao

14/01/2016 - 20h33

Caro MP,isso tudo não vem ao caso…

Responder

Eduardo Albuquerque

14/01/2016 - 19h57

Tucanos transformaram SP num puteiro com patricinhas e peruas assumidas. De ambos os sexos.

Responder

Junior Leme

14/01/2016 - 19h36

A própria folha tucana noticiou nos anos 90, que o Sr. De Nadai havia ganho a licitação para fornecer marmitas nos presídios do Estado de SP, por uma diferença, acreditem, de um centavo a menos que o segundo colocado.
Claro que isso é apenas coincidência, que a amizade de longa data entre De Nadai e Covas, nada teve a ver com essa concorrência vencida por um centavo, pois evidentemente, tucanos são as pessoas mais honestas da face da terra, toda denúncia contra eles é pura ilação, corruptos mesmos são os políticos petistas.

Responder

Ferrão

14/01/2016 - 19h27

Esse João Dória é figurinha carimbada…

Responder

Deixe uma resposta