VIOMUNDO

Lula: “Eles não sabiam que eu era vocês, que representava o sonho de milhões de pessoas”

04 de março de 2016 às 22h31

Ato pró-Lula nos bancário sp

LULA EM SP

Sucesso do meu governo foi levar ao Planalto aprendizado das ruas

Ex-presidente discursa durante 1h20 na quadra do Sindicato dos Bancários, em São Paulo, faz retrospectiva de seu governo e chega a chorar durante o discurso em dia histórico da luta política no país

por Helder Lima e Vitor Nuzzi, da RBA publicado 04/03/2016 21:47

São Paulo – “O sucesso do meu governo foi levar para o Palácio do Planalto o aprendizado das ruas”, disse o ex-presidente Lula durante plenária da Frente Brasil Popular e movimentos sociais na quadra do Sindicato dos Bancários. “Aconteceu algo grave, que jamais poderia ter acontecido: eu virei o melhor presidente que o país já teve. Mas, mais importante, eu passei a ser o melhor presidente do começo do século 21 no mundo inteiro (…) Como pode naquele país considerado uma república de bananas acontecer isso?”

Lula lembrou quando tirou o país da pressão do Fundo Monetário Internacional (FMI) e levou à retomada do crescimento econômico com distribuição de renda. “Como pode um presidente fazer uma política que gerou 22 milhões de empregos?”, indagou. Também lembrou ser o presidente que mais fez universidades e escolas técnicas no país. “FHC não escreveu isso nos livros dele, pois eles acreditavam no meu fracasso”.

“Só que eles não sabiam que eu era vocês, que eu representava o sonho de milhões de pessoas acalentado durante anos”, afirmou. “Eles não tinham noção de que um presidente poderia receber hansenianos, catadores de papeis, e conceder aposentadorias”.

“Quando eu cheguei na presidência um catador de papel disse que agradecia o fato de ter entrado no Palácio do Planalto uma única vez na vida”, afirmou chorando, e aclamado pelo público. “Essas coisas mudam a história deste país, o panorama deste país”. “Aprendemos que era possível construir uma nova lógica para a sociedade brasileira. E as pessoas perceberam que o Palácio era delas. “E foi com esse comportamento que tivemos a coragem revolucionária de eleger uma mulher que durante 3,5 anos foi torturada, na época da ditadura militar”.

“Eu tenho orgulho de ser metalúrgico, mas era tratado como machista, e tive a primazia de eleger uma mulher para a presidência do país. Lula foi interrompido pelo coro do público: “No meu país, eu boto fé, porque ele é governado por mulher”.

Lula também disse que a eleição de 2014 foi a mais difícil que já houve no país. “Nunca vi uma pessoa tão agredida quanto a Dilma. Eu descobri que o preconceito contra a mulher era mais grave do que o preconceito contra mim. A elite, que a gente chama de coxinha, o preconceito deles é de tal magnitude que não conseguem aceitar. Neste país, a mulher conquistou o voto em 1927 em Mossoró. Fomos o último país a acabar com a escravidão. Mulher sempre foi tratada como objeto de cama e mesa”, disse o ex-presidente. No discurso, Lula também criticou a grande mídia. “Precisamos criar um sistema de comunicação que envolva todos nós”, afirmou.

Veja também:

Assista ao discurso de Lula depois de ser ouvido pela PF

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
nogueira
24 - jul 0

Souto Maior: Ministro diz que CLT precisa de “atualização”; leia-se aniquilação

Eufemismo para esconder a destruição dos direitos trabalhistas

Captura de Tela 2016-07-24 às 17.04.30
24 - jul 0

CartaCapital: Temer receia ter sido gravado por Eduardo Cunha

Próximo da guilhotina e da cassação

 

6 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Adelmo

05/03/2016 - 11h07

Lula está de volta, eles não sabem o que fizeram. Estou triste com o que fizeram com Lula, mas tinha de acontecer, o povo precisava ser lembrado de quem ele foi! Dia 04/03/2016 vai ser lembrado como o dia da virada, o dia que o verdadeiro povo brasileiro acordou, aquele que não passa mais fome, aquele que não morre antes se aposentar , aquele que o filho mesmo sendo pobre pode estudar numa universidade federal, aquele que tem uma casa para morar (Minha Casa minha vida), aquele que pode sonhar com dias melhores! Que venham as eleições presidenciais!!!

Responder

Rogerio

05/03/2016 - 07h42

Viva LULA. LULA 2018 e 2022.

Responder

Claudia Garcia

05/03/2016 - 00h40

Ontem Lula era um septuagenário, curtindo sua vidinha de ex-presidente. Hoje eu vi na coletiva de imprensa um garoto de vinte anos, com sangue nos olhos, doido pra voltar pra briga!!! Valeu, Juiz Moro: seu espetaculozinho midiatico trouxe de volta o Lula combativo e reacendeu a militância que estava adormecida!

Responder

    Isnaldo Francisco da Silva

    05/03/2016 - 09h41

    Moro deu um tiro. Não no próprio pé. Na própria cabeça. E garantiu o que já se esperava do povo brasileiro: a vitória de Lula nas eleições de 2018.

Deixe uma resposta