VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Fernando Brito: ‘Omissão criminosa da Chevron-Texaco, cumplicidade escandalosa da mídia’

20 de novembro de 2011 às 17h55

por Conceição Lemes

No dia 10 de novembro, quinta-feira, a Agência Estado publicou esta nota:

“A unidade brasileira da petroleira norte-americana Chevron-Texaco informou que está trabalhando para conter um vazamento no campo Frade, na Bacia de Campos. “O vazamento se deve a uma rachadura no solo do oceano. É um fenômeno natural”, disse Heloisa Marcondes, porta-voz da Chevron-Texaco Brasil.

O campo de Frade, operado pela petroleira estadunidense Chevron-Texaco, fica a 350 km do Rio de Janeiro. O acidente, sabe-se só agora,  aconteceu na segunda-feira, 7 de novembro. A Agência Nacional de Petróleo (ANP) tomou conhecimento no dia 9, mas só o tornou público no dia 10. O primeiro alerta público foi dado pelo Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro) ainda na quarta-feira, 9.

Nos dias 11, 12, 13, 14 e 15, a mídia se limitou a reproduzir as notas oficiais da Chevron-Texaco e da Agência Nacional de Petróleo (ANP). E, ainda assim, em matérias pequenas, em pé de página, escondidas. Nenhuma cobrança maior. Aliás, nenhum grande veículo se empenhou para saber o tamanho e a causa do vazamento.

O jornalista Fernando Brito, do blog Tijolaço, do deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ), não engoliu a versão da empresa e desde o dia 11 começou, solitariamente, a questioná-la. De lá até hoje foram 21 artigos, denunciando o desastre ambiental, o comportamento da mídia e as mentiras da Chevron-Texaco.

“Desde o princípio, achei algumas coisas estranhas, a começar pelo fato de que não houve um tratamento escandaloso do assunto pela mídia, como certamente haveria se o campo em questão fosse operado pela Petrobras”, ironiza Fernando Brito.  “Ah, se fosse a Petrobras, já no dia 11, até os peixes do oceano estariam dando declarações contra a empresa.”

“Além disso, a Chevron-Texaco demorou a admitir o problema e, quando o fez, foi por uma nota marota, dizendo que se tinha detectado o vazamento ‘entre o campo de Frade e o de Roncador – que é operado pela Petrobras”, prossegue Brito. “Na verdade, o problema se deu bem próximo de uma de suas plataformas de perfuração, a Sedco706, da Transocean, a mesma proprietária da Deepwater Horizon, que provocou o acidente no Golfo do México.”

No dia 15, a Polícia Federal entrou no caso e a expectativa era de que a mídia não varreria mais para debaixo do tapete o óleo derramado. Realmente, não deu mais para a grande imprensa ignorar. Porém, não foi a fundo nas circunstâncias que o causaram, apesar de ter todas as condições e facilidades para fazê-lo.

A Sedco 706, plataforma de perfuração da mesma empresa do acidente do Golfo, nas proximidades da qual ocorreu o acidente da Chevron

O Tijolaço “furou” toda a imprensa. Foi quem primeiro duvidou da história contada pela Chevron-Texaco de que o derramamento de petróleo no mar era “fenômeno natural” e se devia a uma falha geológica. Foi também quem, com base nos cálculos feitos pelo  geógrafo John Amos, do site SkyTruth, especializado em interpretação de foto de satélites com fins ambientais, alertou que o vazamento de petróleo no campo de Frade era muito maior do que a Chevron-Texaco afirmava. Foi ainda quem, ainda no dia 11 de novembro, levantou possibilidade de a empresa pretender fazer uma prospecção na camada do pré-sal , pelo fato de haver um pedido de perfuração até 5.200 metros, quando as ocorrências de petróleo em Frade se situam na faixa dos 2,5 mil metros abaixo do leito marinho.

Por isso, o Tijolaço começou a pedir que se apreendessem os diários de perfuração e os relatórios de cimentação, que mostram os locais e  a qualidade da vedação que se faz pelo lado externo da coluna de tubos do poço.

“É como um canudo [desses de doce] que você coloca numa tijela cheia de doce de coco molinho. Quando pressiona, o líquido sobe pelo canudo, mas também vaza pelo lado de fora dele. A cimentação, além de dar firmeza à coluna de tubos, faz essa vedação, de baixo para cima”, traduz Brito.  “Mas é um procedimento caro e toma tempo. Tempo, quando você tem uma sonda que custa centenas de milhares de dólares de aluguel diário, é dinheiro, e muito dinheiro. Lá no Golfo do México, a BP [British Petroleum], por economia, ‘pulou’ a verificação de uma dessas cimentações.”

Na última sexta-feira à noite, 18, ficou comprovado que Brito estava correto desde o começo, apesar de estar falando sozinho, contra a maré midiática. O presidente da Chevron-Texaco no Brasil, Charles Buck, revelou ao portal Energia Hoje que a empresa foi culpada pelo vazamento, por não aplicar técnicas adequadas de cimentação do revestimento da coluna de perfuração:

“O presidente da Chevron-Texaco no Brasil, George Buck, afirmou nesta sexta-feira (18/11) que a petroleira foi responsável pelo acidente que provocou o vazamento de óleo na última semana no campo de Frade, na Bacia de Campos. Segundo o executivo, a companhia subestimou a pressão do reservatório, provocando o acidente.

“É nossa culpa. Nós subestimamos a pressão do reservatório”, afirmou Buck. “O problema é que a pressão na formação foi maior do que a lama de perfuração poderia suportar. A modelagem do reservatório nos deu a informação incorreta sobre a pressão”.

“Um dia depois, a Petrobras informou à Chevron-Texaco que havia identificado uma mancha, confirmada na noite seguinte pela companhia norte-americana. A petroleira levou três dias para identificar o vazamento abaixo do revestimento e, no dia 13, fechar o poço com lama de perfuração de alta densidade. No dia 14, começou a cimentação”.

“A Chevron-Texaco cometeu erros técnicos básicos, perfurando uma extensão grande demais antes de nova cimentação. A razão principal desse erro é a redução de prazos e custos da operação”, denunciou Brito, nesse sábado, 19,  no Tijolaço. “Mas o erro mais grave, imperdoável, é que a Chevron-Texaco sabia a razão do vazamento desde o dia em que foram avistadas as manchas de óleo. Se é que não sabia antes, porque as manchas foram avistadas pelo pessoal da Petrobras e, aí, não dava mais para ter segredo.”

Em bom português: a grande imprensa “papou mosca”, de novo, num assunto de imensa gravidade. E a blogosfera, graças ao trabalho excelente, bem-feito,  do jornalista Fernando Brito, colocou a Chevron-Texaco no mapa da mídia brasileira. Leiam a seguir a íntegra da entrevista que fiz com ele.

Viomundo – Enquanto a mídia se limitava a reproduzir os releases da Chevron-Texaco e da ANP [Agência Nacional de Petróleo], você desde o início denunciou que a história do vazamento do poço  estava mal-contada. Alguma fonte o alertou para essa possibilidade? O que o levou, sozinho, ir contra a maré midiática?

Fernando Brito – Não tinha fonte privilegiada tampouco uma “gravação” caiu no meu colo (risos). O que eu fiz foi jornalismo. Apenas isso. Sou do tempo em que o jornalista não era a notícia, ele buscava a notícia, diferentemente do que acontece hoje, muitas vezes. Na hora em que li a nota da Agência Estado, fiz vários questionamentos. Fenda natural? De três mil metros de profundidade? Isso é coisa de filme de ficção. E como é que isso não apareceu nos estudos sísmicos e  ecossonográficos?

Já estava escrevendo, quando veio a notícia que a presidenta Dilma tinha mandado investigar. Pensei: aí tem, a presidenta não ia botar polícia com um derrame de “um baldinho” de óleo. Era o óbvio.

Mas não tinha ainda maiores informações. Então, registrei essa estranheza  e fiquei, essencialmente focado no tratamento mais do que discreto do assunto pela mídia brasileira. Porque, se o campo fosse operado pela Petrobras, já no primeiro dia, até os peixes do oceano estariam dando declarações contra a empresa. Aliás,  mesmo com o vazamento da Chevron-Texaco, o destaque nos jornais do dia 11 foi para a queda de 26% no lucro da Petrobras, mesmo sabendo que essa queda é essencialmente contábil, pela desvalorização cambial ocorrida desde agosto e que não se repetirá no último trimestre, dando à empresa um lucro recorde em sua história.

Como eu tinha muitas perguntas para as quais eu não tinha respostas, comecei a pesquisar no Google. Hoje em dia grande parte dos documentos vai parar na internet. Se os colegas souberem fazer as perguntas certas, vão descobrir muita coisa, muita mesmo.

Viomundo – Estranhou mais alguma coisa?

Fernando Brito – Várias. Primeira: a Chevron-Texaco  demorou para admitir o problema e, quando o fez, foi por uma nota marota, dizendo que havia sido detectado vazamento “entre o campo de Frade e o de Roncador – que é operado pela Petrobras –  quando, na verdade, ele se deu bem próximo de uma de suas plataformas de perfuração, a Sedco706, da  Transocean, a mesma proprietária da Deepwater Horizon, que provocou o acidente no Golfo do México.

Segunda: a história de que falha geológica seria a causa.  É improvável que falhas geológicas capazes de provocar um derramamento no mar não tivessem sido detectadas nos estudos sísmicos que precedem a perfuração.

Terceira: mesmo depois de a presidenta Dilma Rousseff ter determinado em 11 de novembro a investigação rigorosa do caso, a nossa imprensa, tão zelosa e meticulosa quando se trata da Petrobras, continuou a dar quase nenhuma importância ao caso da Chevron-Texaco, uma multinacional com boas relações com o senhor José Serra. Segundo o Wikileaks, lembra-se?, Serra havia prometido à senhora Patrícia Pradal, diretora de relações de governo da Chevron-Texaco, que iria rever a legislação brasileira do pré-sal.

Conversei sobre isso com o Brizola Neto e a gente decidiu mergulhar na história, com todos os riscos que isso trazia, porque nossos conhecimentos são, evidentemente, limitados.

Viomundo – E como descobriu que a plataforma Sedco 706, alugada pela Chevron-Texaco-Texaco para o campo de Frade, foi usada como “hotel marinho” para outra plataforma no Mar do Norte, em 1999?

Fernando Brito —  É o  Wall Street Journal que o diz, numa matéria de 2008.  Lá fiquei sabendo que a plataforma Sedco 706, que opera na área do acidente em Frade, tem hoje 35 anos de idade e que o equipamento “não era adequado para modernas perfurações em águas profundas. E não deveria ser utilizado mais para perfuração. Ela estava atracada no Mar do Norte, ligada a outro equipamento por uma passarela. Foi um quarto de dormir flutuante para os trabalhadores do petróleo, uma espécie de motel marinho”. Depois, sofreu um upgrade, que  a gente não sabe quanto teve de “guaribada”, porque o custo do aluguel dela – segundo o WSJ – ficou em 50% do que custa uma sonda de igual capacidade no mercado internacional.

Viomundo – Ontem, sábado, 19 de novembro, começou a circular a informação de que a Polícia Federal está  investigando se a Chevron-Texaco tentou atingir pré-sal, ao perfurar poço que vazou. Você, já no dia 11, levantou essa suspeita. Por quê?

Fernando Brito — No campo de Frade, um dos mais produtivos do Brasil, todas as ocorrências de petróleo estão  numa faixa – que os técnicos chamam de “play” — inferior a três mil metros.  Por que a Chevron-Texaco contratou uma sonda para perfurar até 7.600 metros de profundidade –  que é, em tese, mais cara – senão para chegar ao  pré-sal?

O registro de profundidade na ANP sugere que a empresa pretendia  prospectar a camada do pré-sal. E fica a pergunta se a Chevron-Texaco tinha ali estudos e equipamentos adequados para perfurar o pré-sal, como provavelmente pretendia fazer? Se isso tem ou não relação com o acidente é outra história. Não necessariamente tem. Mas é fácil de saber, com o diário de perfuração. É só ver o diâmetro do furo para saber o quão longe pretendiam ir.

Viomundo – Durante quantos dias a mídia praticamente ignorou o acidente no poço da Chevron-Texaco?

Fernando Brito – Cinco dias, 11 a 15 de novembro, quando então a Polícia Federal passou a investigar, aí não dava mais para esconder o óleo derramado embaixo do tapete.  Nesses dias, ou o assunto era ignorado pela mídia ou se reproduzia os press- releases da companhia.

“Chevron  mobiliza equipe global para conter vazamento”. Esse foi o título da matéria do Estadão no dia 13, reproduzida pela Exame (Abril), enquanto o G1, do grupo Globo, destacou: Frota de 17 navios tenta controlar mancha após vazamento no RJ

Ou seja, saiu o “Prêmio Esso de Jornalismo”, entrou o “Prêmio Chevron-Texaco” de cópia de press-releases. A falta de empenho da imprensa brasileira na apuração do acidente nos primeiros cinco dias foi um acinte ao jornalismo e ao interesse público.

Aliás, na primeira semana após o vazamento não havia uma ONG, um ambientalista, ninguém protestando, ninguém – além da presidenta Dilma – exigindo apuração completa do acidente.

Viomundo – Alguém da Chevron-Texaco falou sobre o acidente?

Fernando BritoNo primeiro dia, 10 de novembro, falou apenas Heloisa Marcondes, assessora de imprensa da Chevron-Texaco, e ainda falou besteira, dizendo que o vazamento era um “fenômeno natural”. Existir uma fenda marinha, em plena plataforma continental, capaz de, por si só, alcançar a profundidade de um depósito petrolífero não é natural, é , quando muito, sobrenatural.

Depois disso, somente nessa sexta-feira, dez dias após o problema vir a público, o presidente da Chevron-Texaco  no Brasil, senhor Charles Buck, subordinado ao senhor Ali Moshiri, presidente da empresa para a África e América Latina, deu uma entrevista coletiva. Até então, nenhum diretor da empresa havia dado entrevista. A empresa falou o tempo inteiro por meio de comunicados, reproduzidos fielmente pela mídia, sem qualquer aprofundamento ou dúvida.

O Energia Hoje, um site especializado registrou na sexta à noite, 18, com todas as letras que  Buck disse ser culpa da empresa o vazamento. O restante da mídia — acredite! —  omitiu esta declaração vital,  falou apenas num erro de cálculo.

Como assim, erro de cálculo? Alguém não sabia tabuada? Reduzir os pontos de cimentação é parte do cálculo de custos. Isso tem que ficar bem claro e deveriam ter sido ouvidos os engenheiros de petróleo para saber se é normal apenas uma cimentação num poço que já tinha 2.300 metros. Não houve, entre os 567 metros da primeira cimentação, nenhuma parada para colocação de sapatas intermediárias, quando da redução de diâmetro do furo, momento em que se faz a parada para cimentação e, depois, a análise de sua adequação?

É o oráculo de Houston falando aos pobres tupiniquins, incapazes de formular uma única pergunta. Veja, só na entrevista de Buck, finalmente, soubemos a que profundidade estava o poço! Houve uma cumplicidade escandalosa entre a nossa imprensa e a multinacional estadunidense. Tanto que, em determinado momento, eu perguntei: será que vamos ter que esperar que coloquem uma mensagem na garrafa, para que a nossa imprensa publique algo além de notas oficiais? (risos)

Curioso é que os colegas tenham ido perguntar sobre o vazamento à Petrobras, sócia minoritária e sem poder operacional sobre o campo.

Outra curiosidade: finalmente hoje,20 de novembro,  os sites dos grandes jornais publicam o que já tinha acontecido na sexta à noite, 18, e não quiseram publicar com todas as letras como o portal Energia Hoje: a Chevron-Texaco assumiu ser a responsável, a culpada, pelo vazamento de petróleo no campo de Frade.

Viomundo – Como você chegou ao geógrafo John Amos, do site SkyTruth especializado em interpretação de foto de satélites com fins ambientais?

Fernando Brito – Na verdade, primeiro cheguei a estas duas fotos, publicadas pelo  SkyTruth, que registram em dois momentos o que é identificado como sendo a mancha de óleo provocada pelo vazamento no poço da Chevron-Texaco. Cheguei até elas no dia 14 pela dica do leitor Henrique, que foi mais eficiente que toda a imprensa brasileira reunida.

Viomundo – E como chegou ao próprio John Amos? Como conseguiu que ele fizesse os cálculos sobre o tamanho do vazamento?

Fernando BritoO deputado Brizola Neto enviou para Amos, pelo twitter, as coordenadas dos poços constantes do relatório oficial da ANP sobre as perfurações em andamento e concluídas. Amos, um ativista ambiental que mantém  há dez anos o site SkyTruth, trabalhou em cima delas e publicou esta imagem sobre a mancha causada pelo vazamento de petróleo do poço da Chevron-Texaco no campo de Frade, ao largo do Rio de Janeiro.

Junto com essa imagem, Amos postou a seguinte conclusão:

“A  imagem de satélite  MODIS / Aqua da NASA, acima, foi tirada há três dias. Ela mostra uma mancha de óleo aparente originária do local de perfuração e que se estende por 2.379 quilômetros quadrados (o extremo sul da mancha fica aprisionado em um redemoinho no sentido horário interessante nas correntes oceânicas). De 1 micron de espessura, representa um volume de 628 mil galões (14.954 barris) de petróleo.

Supondo que o vazamento começou ao meio-dia em 8 de novembro (24 horas antes de termos observá-lo em imagens de satélite), estimamos uma taxa de vazamento de pelo menos 157 mil galões (3.738 barris) por dia. Isso é mais de 10 vezes maior do que a estimativa da Chevron-Texaco de 330 barris por dia”.

Viomundo – A foto e conclusão foram publicadas por Amos exatamente quando?

Fernando Brito – A foto foi tirada pelo satélite da Nasa em 12 de novembro, sábado, e publicada no dia 15 com a conclusão. No dia 15, por sinal, a ANP finalmente divulgou que uma reunião de emergência realizada no dia 13, domingo (por que só veio a público na terça?), aprovou-se o plano de emergência apresentado pela Chevron-Texaco para deter o vazamento e que a diretora da ANP, Magda Chambriard, esteve na Sala de Emergência da Chevron-Texaco acompanhando os trabalhos para conter o vazamento.

O site Skytruth provou que o vazamento não era de “umas gotinhas” inofensivas mas provocava uma mancha imensa. Portanto, a Chevrou mentiu inicialmente sobre a dimensão do vazamento de petróleo.  O Skytruth, vale lembrar, foi um dos primeiros a anunciar a dimensão do vazamento do Golfo do México em 2010.

Viomundo — Num dos artigos de 14 de novembro, você disse que a mesma plataforma Sedco 706 estava perfurando três poços simultaneamente no campo de Frade. Como assim, três poços ao mesmo tempo?

Fernando Brito – É que a Chevron-Texaco, para fazer economia, está fazendo perfurações “de batelada”. Isto é, cava uma seção de um poço, tampa, cava a seção inicial de outro, faz o mesmo e vai para um terceiro, para voltar, na mesma sequência, para cada fase posterior de perfuração. Isso está registrado no Estudo de Impacto Ambiental apresentado pela empresa e que o Ibama coloca na internet.

Não tenho condições técnicas de afirmar se isso agrega risco, porque o equipamento de perfuração é retirado e movido. O que eu posso dizer é que, nos mapas da ANP, não encontrei nenhuma outra petroleira que use este método. Também que até o momento a Chevron-Texaco não disse em qual dos três poços ocorreu o problema.

Viomundo – A Chevron-Texaco estava usando mesmo 17 embarcações para conter o vazamento?

Fernando Brito – Não, pelo que disse o delegado Fábio Scliar, da Delegacia de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico da Polícia Federal. Em entrevista publicada pelo G1 em 16 de novembro, o delegado Scliar afirmou:

“(…)técnicos da PF estiveram na plataforma nesta quinta-feira (15) e encontraram divergências sobre o que foi informado pela Chevron-Texaco sobre o vazamento. Entre elas estão a quantidade de navios que recolhem o óleo no local (a empresa afirmou que são 17 e a PF encontrou apenas um, de acordo com o delegado), o tempo para a selagem do poço e o tamanho da mancha de óleo. “Eles disseram que a mancha vem diminuindo e ela vem aumentando”.

Engraçado que ninguém perguntou à empresa quais eram os barcos. Se ela tivesse dito que eram 50, daria  no mesmo.

Viomundo – No dia 15, o vazamento do poço da Chevron-Texaco virou caso de polícia, passando a ser investigado pela Polícia Federal. E a mídia, como passou a agir?

Fernando Brito — Com a entrada da Polícia Federal no assunto, o escândalo do vazamento de petróleo começou a aparecer. E, com ele, as dimensões da mancha de vergonha que cobriu a grande imprensa brasileira.

Aliás, cada vez mais acontecem coisas estranhas neste caso do vazamento de petróleo no poço da Chevron-Texaco, no Campo de Frade. No dia 16, o Jornal Nacional da Rede Globo publicou uma extensa matéria sobre o assunto.

Ouviu o delegado Fabio Scliar, titular da Delegacia de Meio Ambiente da Polícia Federal, dizendo que investiga a possibilidade de que tenha havido erro na perfuração. Ouviu o geógrafo John Amos, da SkyTruth, que revelou – como havia antecipado três dias antes ao Tijolaço – que o vazamento podia ser dez vezes maior que o anunciado, e cobria uma área maior que o município do Rio de Janeiro.

Contava que a empresa responsável pela perfuração da Chevron-Texaco, a Transocean, era a mesma que perfurava o poço que causou o acidente no Golfo do México. A matéria terminava com um sobrevôo da área, em um avião da Chevron-Texaco, na companhia do diretor de meio-ambiente da empresa, que não quis gravar entrevista, mas disse ao repórter que a quantidade de óleo que vazava “era muito pequena”.

Estranhamente, porém, a matéria que foi colocada no site do Jornal Nacional foi cortada. Na verdade, decepada.Dos quatro minutos originais, ficaram dois. O delegado, o ambientalista, a foto de satélite com a mancha e a comparação com a área do Rio de Janeiro foram para o lixo.

Não dá para entender o que aconteceu. Não pode ser o tamanho do vídeo, porque a reportagem sobre o depoimento de Lupi [Carlos Lupi, ministro do Trabalho] teve quatro minutos e está lá, na íntegra.

Será que “alguém” se distraiu e só viu a matéria depois de ir ao ar? E aí, furioso, mandou cortar os hereges que ousaram colocar um delegado e um ambientalista dizendo que uma petroleira americana pode ter culpa no cartório por um grande desastre ambiental.

Por sorte, a gente estava gravando o JN com uma câmera manual, e postamos os dois  vídeos. O “decepado” e o trecho que eliminado do original.

Edição cortada na internet

E o trecho que foi eliminado do original veiculado pelo JN na TV

Viomundo – Ontem, eu li no Tijolaço o que você observou um pouco antes, ou seja, que a  Chevron-Texaco  assumiu a responsabilidade pelo vazamento. O que aconteceu finalmente? Já se sabe que poço estava perfurando e a que profundidade?

Fernando Brito – Você leu no Tijolaço, porque a imprensa continuou derivando para assuntos laterais. Ontem, quis até reproduzir a imagem da home da Folha, para mostrar que essa notícia havia saído no “pé” da página. Era tão no pé, mas tão no pé que nem reduzindo a página ao mínimo e virando a tela do computador para  poder caputrar uma extensão maior dava para reproduzir.

O senhor Charles Buck, presidente Chevron-Texaco no Brasil  falou o que quis, sem ser perguntado de nada. Não explicou porque o imenso intervalo de cimentação. Não foi perguntado se os outros poços da Chevron-Texaco têm um intervalo tão grande de vedação. Não foi perguntado sobre se há outras perfurações da Chevron-Texaco na área, como registra a ANP.

Sobretudo, não foi perguntado sobre a razão, uma vez que houve o “kick” – que é uma elevação de pressão e a subida de óleo ou gás pela coluna de perfuração – no dia 7  de novembro, a empresa só tornou isso público na noite do dia 18. Aliás, no mesmo dia, a empresa soltou uma nota dizendo que “reitera que não houve vazamento na cabeça do poço”.

Claro, ali tem um sistema que impede vazamento do que vem pelo tubo. Do que vai por fora do tudo, é a cimentação que veda. A cimentação que ela sabia estar muito distante do ponto onde a cabeça da sonda perfurava. E isso tem uma básica razão: redução de prazos e custos da operação.

Mas, no meu entender, o erro mais grave, imperdoável, é o fato de que a Chevron-Texaco sabia a razão do vazamento – a narrativa do presidente da empresa mostra claramente isso –, desde o dia em que foram avistadas as manchas de óleo. Se é que não sabia antes, porque as manchas foram avistadas pelo pessoal da Petrobras e, aí, não dava mais para ter segredo.

Em outras palavras. Houve um erro técnico que deve ser avaliado pelos peritos. Mas há um crime indiscutível de omissão de informações – com a  indulgência da nossa mídia – crime que é imperdoável, porque evidencia má-fé.

Viomundo – O que mais te marcou nessa cobertura?

Fernando Brito – A dupla ética de nossa imprensa. E o seu despreparo, que somado à marotice política, desvia o assunto. O tema agora é o “despreparo” do país para a exploração de petróleo no mar. Isso é uma mentira deslavada, que se prova com um só argumento: temos mais de 30 anos de exploração marinha e nunca houve um grande acidente, apesar de termos milhares de poços perfurados. O acidente da Petrobras na Baía da Guanabara foi num duto, não num poço. Grave, gravíssimo, porque se deu em águas abrigadas e junto do litoral. Mas vazamento em duto tem limite, o limite do que o duto contém, depois de fechadas as válvulas. No leito oceânico o limite, em tese, pode ser o da jazida de petróleo inteira.

Falam que não existe plano de emergência nacional, mas que plano pode funcionar se a empresa que está lá esconde o vazamento? Se os técnicos da Petrobras não tivessem visto o vazamento, quando íamos saber que existia? A Chevron-Texaco sabia do “kick” e que não havia revestimento de cimento na coluna senão bem na superfície. Sabia que tinha subido petróleo e ficou na moita, torcendo para ele não permear a camada superior do solo.

Mas eu concordo que não temos fiscalização, porque a ANP é valente com a Petrobras e ronrona quando se trata de outras petroleiras. Nem sempre por má-fé, mas também por saber que as multinacionais têm aqueles privilégios “Daniel Dantas”: nada de algemas, por favor.

Mas sabe qual é a maior fiscalização possível? É a imprensa. Você viu que, depois que ela entrou no assunto, mal ou bem, tudo se esclareceu. Um desastre destes custa milhões de indenização e muitos milhões mais em imagem. Aliás, tem de ficar claro que Chevron é Texaco.

Como cidadão, eu estou feliz que o vazamento tenha parado. Como profissional, tenho vergonha de termos ficado parados por tanto tempo.

E pior, cedendo à manipulação política e, agora, caminhando no sentido errado. Nós temos segurança, e boa, na perfuração de petróleo. Muito maior, aliás, do que a de países desenvolvidos, como provou o vazamento do Golfo. E temos porque a Petrobras investe muito, em lugar de colocar o lucro “uber alles”, acima de tudo. Mas a nossa elite obturada reclama, porque as outras petroleiras dão mais lucro e, portanto, são mais eficientes. Ninguém associa isso ao fato de a Chevron-Texaco economizar no cimento e ter por lá um robô cegueta, que não viu nada, ao ponto de a Petrobras ter emprestado os seus, para socorrê-la.

Mas está aí um bom mote para a nossa imprensa “defensora da segurança”. Que tal a empresa que for negligente como  a Chevron-Texaco perder a concessão do campo? Taí uma boa campanha para a mídia, tão zelosa.

PS do Viomundo: Para ler todos os artigos que o Tijolaço fez o assunto, clique AQUI.

Leia também:

Fernanda Giannasi: Ações em Turim e Bruxelas estão mudando o rumo da impunidade

Kaline Fávero: As doenças respiratórias e o uso de agrotóxicos

 

243 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Brasil: Multa Máxima Após Silêncio Sobre Derramamento de Petróleo da Chevron · Global Voices em Português

09/12/2011 - 09h14

[…] errado com a cobertura convencional que foi dada pela imprensa, foi explicado mais tarde, em uma entrevista para o blog Vi O mundo: Primeira: a Chevron-Texaco  demorou para admitir o problema e, quando o […]

Responder

Brezila : Onitra Faratampony Taorian’ny Fahanginana Momba Ilay Fiparitahan-tsolika An-dranomasina An’ny Chevron · Global Voices teny Malagasy

04/12/2011 - 14h12

[…] lahatsoratra 25 ahitana fanambarana tao anatin'ny roa herinandro fotsiny. Nolazainy tao aminà fanadihadiana iray [pt] tao amin'ny bilaogy  Vi O mundo ireo marika izay nampiseho fa misy zavatra tsy mety […]

Responder

Brasil: Sanción máxima para Chevron tras su silencio sobre el vertido de crudo - Global Voices

30/11/2011 - 12h32

[…] un mal presagio sobre la cobertura de los medios de comunicación lo explica más adelante en una entrevista [pt] para el blog Vi O mundo: Primeira: a Chevron-Texaco  demorou para admitir o problema e, […]

Responder

Brasile: Fuoriuscita di petrolio in una piattaforma di Chevron Texaco. · Global Voices in Italiano

27/11/2011 - 21h08

[…] cercando di gettare luce sul caso, con 25 post di denuncia in solo due settimane. In un'intervista per il blog Vi O Mundo, ha spiegato cosa gli era sembrato un segno che ci fosse qualcosa di […]

Responder

francisco.latorre

25/11/2011 - 22h08

'se fosse a Petrobras, já no dia 11, até os peixes do oceano estariam dando declarações contra a empresa.'

..

Responder

Marat

23/11/2011 - 07h20

No fim das contas eles não perderão nenhuma regalia. Vão apenas pagar uma multinha que em nada afetará seus lucros, vão receber um tapinha nas costas e ganharão outros enormes quinhões aqui no Brasil. Será muito semelhante com o que ocorreu com os assassinos do Legacy, que estão curtindo a vida adoidados!

Responder

Brazil: Maximum Fine After Silence on Chevron’s Oil Spill · Global Voices

23/11/2011 - 00h11

[…] he saw as signs that something was wrong with the mainstream coverage was later explained in an interview [pt] for the blog Vi O mundo: Primeira: a Chevron-Texaco  demorou para admitir o problema e, […]

Responder

Cândido Grzybowski: O petróleo é nosso. Mas, para quê? | Viomundo - O que você não vê na mídia

23/11/2011 - 00h08

[…] Blogueiro colocou Chevron no mapa da mídia […]

Responder

Marat

22/11/2011 - 21h25

O mais tragicômico foi a Eliana Castanheira da folha-lixo pagar um pau para os EEUU e dizer que o vazamento não foi tão ruim quanto o que ocorreu no Alasca, e que não devemos deixar aflorar o sentimento antiestadunidense… Essa turma certamente ganha uma grana do consulado dos EEUU. Não é possível ser tão sabujo assim à toa…

Responder

    Fabio_Passos

    22/11/2011 - 22h12

    Esta direita neoliberal e entreguista é muito ruim.
    São caricatos.

    <img src=http://www.conversaafiada.com.br/wp-content/uploads/2011/11/charge-bessinha_cegos.jpg>

    Adilson

    23/11/2011 - 11h25

    Pois é Marat, realmente inacreditável essa senhora…Esse argumento é parecido com o que eles usam pra falar que a ditadura no Brasil não matou tanta gente como em outros países. Chega a ser um assinte.

Rogério

22/11/2011 - 20h44

Grande tento da blogosfera que pensa o Brasil pela ótica dos interesses do país e dos brasileiros, a realização dessa matéria pela Conceição Lemes. Mostra o que é Jornalismo investigativo de primeira qualidade e o que uma bela entrevista sobre um belo trabaljo jornalístico.
Fernando Brito, com sua longa kilometragem de bom jornalista e o jovem deputado Brizola Neto, que vem demonstrando grande seriedade e talento político, fazem uma dupla de grande força e coragem e tocam o Tijolaço com muito brilho. Merecem portanto ter seus trabalhos enaltecidos e detalhados.
Longa vida ao trabalho político-jornalístico do Tijolaço e do Viomundo!

Responder

    Marat

    23/11/2011 - 07h19

    Pena que o PIG não aprenda!!!

Adilson

22/11/2011 - 20h41

Uau! Parabéns ao Fernando Brito e ao VIOMUNDO por essa excelente entrevista!

O autor está certíssimo: Esse caso da Chevron-Texaco vai entrar pra história como o episódio em que "UMA IMENSA MANCHA DE VERGONHA" cobriu a grande mídia brasileira

Responder

Luís

22/11/2011 - 20h32

Uma excelente aliança essa do jovem deputado Brizola e o velho jornalista Fernando Brito, que foi assessor de imprensa do velho Brizola deu no animado blog Tijolaço.
O Tijolaço tem sido um blog de boas lutas e muita originalidade,pelo fato mesmo de ser da responsabilidade de um político combativo e atuante que tem apresentado excelentes projetos e defendido nobres causas nesses quase cinco anos em que está na Câmara dos Deputados.
Brizola Neto,com seus 33 anos, é hoje uma grande esperança para nós cariocas e fluminenses,que vemos nosso Estado de RJ tão mal de políticos nos últimos 15 anos. E acho que a ação dele interessa não só a nós do RJ mas a todos os brasileiros pelo que vejo nos comentários do Tijolaço.
O blog Tijolaço já vai para dois anos de existência e tem já muita história pra contar. Acompanho com entusiasmo o trabalho do Tijolaço e as atividades do jovem Deputado Brizola Neto e do jornalista Fernando Brito ,uma dupla entrosada que merece todo o incentivo dado pelos bons blogueiros.

Responder

Antonio

22/11/2011 - 19h12

Tem que mandar esses pilantras embora. Eles não estão nem aí com o desastre ambiental. Mas antes de ir embora, eles têm que limpar o mar brasileiro, todinho – bando de picaretas (se o negócio deles é o risco, eles que enfiem o risco na malona e vão embora, pois senão outros vão nos tratar como de terceira categoria, como a Chevron de fato está fazendo). Queriam era roubar petróleo do Pré-Sal. Será que daria certo? Se desse, então a Petrobrás tem que fiscalizar todos os concessionários, sob pena dos metralhas levarem o Pré-Sal como outro óleo qualquer.

Responder

FrancoAtirador

22/11/2011 - 16h17

.
.
MENSAGEM DE DILMA VANA ROUSSEFF,
PRESIDENTA DA REPÚBLICA DO BRASIL

Às Companhias Petrolíferas Estrangeiras,
em especial, à norte-americana Chevron-Texaco:

"Quer vir para cá, operar no Brasil? Venha!

Mas tem que trabalhar sério, com rigor!

É preciso deixar claro que aqui as regras são sérias e servem para todos!

Não dá para operar no Brasil e fazer o que quiser!

Não faremos nada fora da lei.

Mas, dentro da lei, tudo será feito com rigor!"

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/dilma-po

Responder

Jader Martins

22/11/2011 - 11h58

Em referência ao vazamento de óleo ocorrido em Campo do Frade, na Bacia de Campos, empresa Chevron, este como muitos outros, causará impacto nos ecossistemas marinhos, mas o dano ambiental só será percebido em médio prazo.

A Hydro Clean Indústria e Comércio Ltda, auxilia empresas de todo o país no cumprimento de condutas legais para o meio ambiente, evitando agressões ambientais, através dos seus produtos para absorção de óleo, petróleo e derivados, ou seja, a linha OIL SORB.

Diante do exposto, apresentamos o OIL SAMPLER , único equipamento capaz de retirar amostras de óleo da superfície da água com precisão e através do conhecimento da área atingida, determinar a quantidade de óleo derramado .

Portanto, convidamos a conhecer um pouco mais sobre a nossa gama de produtos/equipamentos, visitando o nosso site http://www.hydroclean.com.br

e links do you tube: http://www.youtube.com/watch?v=9ydmPKIkqlw

Atenciosamente,

Jader Martins

Responder

GilTeixeira

22/11/2011 - 11h36

acabei de ler no Tijolaço:

A Chevron está na marca do pênalti

Do site de O Globo, hoje:

– As melhores práticas internacionais não foram observadas e houve falsidade de informação. Não houve informação on-line e precisa à agência, o que prejudicou o trabalho. A ANP não foi tratada de forma correta pela Chevron – afirmou Haroldo Lima, após reunião comandada pela presidente Dilma Rousseff com a presença dos ministros Edison Lobão (Minas e Energia), Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Celso Amorim (Defesa), além de técnicos.

– A empresa atuou em completa violação ao contrato de concessão e à própria legislação brasileira – reforçou Magda Chambriard, diretora da ANP, em relação à omissão de informações ao órgão regulador.(…)

Magda Chambriard considerou “inaceitável” o fato de a empresa ter fornecido imagens editadas à agência.

-Tivemos de ir até o local para fazer as imagens e ter noção do problema real – afirmou.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, também criticou a Chevron pelas informações imprecisas.

– A empresa diz que tem 16 barcos e a gente vai a campo e vê que há três ou quatro – afirma. – Para o governo brasileiro é inaceitável qualquer empresa que forneça qualquer informação que não condiga com a verdade – acrescentou.

Precisa mais?

Multar a Chevron é correto, mas não basta. Até porque ela vai pagar a multa com o dinheiro do nosso próprio petróleo, que sai dali direto para a exportação.

Entre janeiro e julho deste ano, o a Chevron Brasil (?) Upstream Frade Ltda. exportou US$ 802 milhões, segundo os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. E vinha exportando cada vez mais, porque só no mês de julho deste ano foram US$ 204 milhões, contra zero do mês de julho de 2010.

Responder

damastor dagobé

22/11/2011 - 11h31

plano estrategico para conter vazamentos, punição de agencias reguladoras, soberania nacional…sempre que vejo essas quimeras escritas e pessoas que acreditam em tais coisas me lembro do onibus 171, o do sequestro, e pascacios na televisão pedindo "atiradores de elite" para a bater o criminoso…no fundo é tudo a mesma coisa…pessoas que confundem coisas dos filmes com a realidade, meninos de apartamento cuja vida é o condominio de luxo, shopping e a escola segregada..nada sabem do mundo de verdade e pensam que Rambo e Sachwarzzeneger são policiais de verdade prontos para saltar de helicoptero e salva-los dos pobres, do mal…

Responder

GilTeixeira

22/11/2011 - 11h29

Hoje cruzei com um personagem do meu bairro que não via há meses, ele tem um fiat 147 recortado e o utiliza pra recolher recicláveis pelas ruas do bairro, comentei que fazia tempo que ele não passava pela rua pra recolher os recicláveis que deixo na porta de casa em dia de lixeiro."É que sua rua é ladeira, seu moço. Minha bichinha num guenta." Fui embora com uma associação quase automática na cabeça: A "Bichinha" do seu Zezinho é como a plataforma da Chevron: ela desmonta se ameaçar com um percurso maior que 10 km.

Responder

Vazamento na Bacia de Campos – Os bastidores de um encobrimento « Afauna Natal

22/11/2011 - 11h01

[…] Viomundo, de Luis Carlos Azenha e Conceição Lemes, generoso como sempre, ouviu-nos sobre o trabalho deste […]

Responder

a lesma lerda

22/11/2011 - 09h53

os ditos blogs progressistas repetem as mesmas besteiras que o tal PIG que tanto criticam: chamam latifundiários de "ruralistas" e acreditam em multas de órgãos ambientais. De todas as multas aplicadas por tais entidades nem 3% são pagas…esse carnaval só serve pra advogado ganhar rios de dinheiro..governo, partidos de esquerda, policia, agencia controladoras fazem de conta que cumpriram sua obrigação, não acontece nada com ninguém… exatamente como quando um cruel assassino, poderoso, é condenado pq estuprou e matou sua empregada por exemplo: é condenado a 30 anos, a família da vitima se diz satisfeita pq "justiça foi feita", advogados e juízes ficam ainda mais ricos, o assassino chega em casa, livre, antes da família da vitima..e todos, menos a vitima, ficam felizes para sempre.

Responder

Mário SF Alves

22/11/2011 - 09h25

Para quem esperava pela pomposa e embemática BLITZ do JN no Ar, ou no Mar, sei lá, confesso que foi frustrante. Sem JN no Mar, o que veio a público foi, sim, como sempre, uma visão enviesada (distorcida/tendenciosa) "dando destaque nos jornais do dia 11 foi para a queda de 26% no lucro da Petrobras, mesmo sabendo que essa queda é essencialmente contábil, pela desvalorização cambial ocorrida desde agosto e que não se repetirá no último trimestre, dando à empresa um lucro recorde em sua história.", como se constata na entrevista.

Responder

niveo campos e souza

22/11/2011 - 07h57

Azenha,
Vejo, pelo menos, tres cenários :

1 – Prestígio e competência da Petrobrás lá nas alturas,
2 – Melhor é por esta empresa Chevron para fora do Brasil,
3 – De quebra, leva junto a imprensa fajuta e espertalhona junto com estes maus brasileiros que sempre
beijaram e lamberam as mãos dos colonizadores, para náo dizer coisa pior.

Niveo Campos e Souza

Responder

FrancoAtirador

22/11/2011 - 01h47

<img src="http://www.tijolaco.com/wp-content/uploads/2011/11/FORA.jpg"&gt;

Responder

    Fabio_Passos

    22/11/2011 - 22h15

    Gostei !

betinho2

22/11/2011 - 01h34

Sobre a reporcajem da Globo, que foi parcialmente cortada no vídeo postado no site, ele só passou na íntegra nos estados que seguem o horário de Brasília. No Mato Grosso e Mato Grosso do Sul (eu estava lá) e possivelmente nos outros estados com horário diferenciado, em que o JN é gravado e passado uma hora mais tarde, a Globo e suas afiliadas passaram a "tesoura" antes de ir ao ar.

Responder

betinho2

22/11/2011 - 01h27

Alguem sabe informar desde quando o blog do Álvaro Botox está fora do ar?
Passei o dia tentando acessar, para ver o que a vestal tinha a dizer sobre a Chevron, já que é "especialista" em PetrobraX.
Extratégicamente meteu cadeado no blog e se escafedeu. Com isso os 5 aspones pagos com nosso dinheiro, que lá estão para fazer a babação, tiraram folga.

Responder

FrancoAtirador

22/11/2011 - 01h26

.
.
A Chevron está na marca do pênalti

Por Fernando Brito, no Tijolaço do Brizola Neto

Do site de O Globo, hoje:

– As melhores práticas internacionais não foram observadas e houve falsidade de informação. Não houve informação on-line e precisa à agência, o que prejudicou o trabalho. A ANP não foi tratada de forma correta pela Chevron – afirmou Haroldo Lima, após reunião comandada pela presidente Dilma Rousseff com a presença dos ministros Edison Lobão (Minas e Energia), Izabella Teixeira (Meio Ambiente) e Celso Amorim (Defesa), além de técnicos.

– A empresa atuou em completa violação ao contrato de concessão e à própria legislação brasileira – reforçou Magda Chambriard, diretora da ANP, em relação à omissão de informações ao órgão regulador.(…)

Magda Chambriard considerou “inaceitável” o fato de a empresa ter fornecido imagens editadas à agência.

-Tivemos de ir até o local para fazer as imagens e ter noção do problema real – afirmou.

A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, também criticou a Chevron pelas informações imprecisas.

– A empresa diz que tem 16 barcos e a gente vai a campo e vê que há três ou quatro – afirma. – Para o governo brasileiro é inaceitável qualquer empresa que forneça qualquer informação que não condiga com a verdade – acrescentou.

Precisa mais?

Multar a Chevron é correto, mas não basta. Até porque ela vai pagar a multa com o dinheiro do nosso próprio petróleo, que sai dali direto para a exportação.

Entre janeiro e julho deste ano, o a Chevron Brasil (?) Upstream Frade Ltda. exportou US$ 802 milhões, segundo os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. E vinha exportando cada vez mais, porque só no mês de julho deste ano foram US$ 204 milhões, contra zero do mês de julho de 2010.

http://www.tijolaco.com/a-chevron-esta-na-marca-d

Responder

FrancoAtirador

22/11/2011 - 01h14

.
.
21/11/2011 – 20h02
Chevron pode ser proibida da participar da exploração do pré-sal, segundo presidente da ANP

Brasília – A empresa petrolífera norte-americana Chevron pode ser proibida de participar da exploração de petróleo na camada pré-sal por causa do vazamento no Campo de Frade, na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro, segundo a Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

A Chevron apresentou um plano à ANP para explorar o petróleo do pré-sal, que deve ser analisado pela diretoria da agência ainda nesta quarta-feira (23). Com o acidente ambiental no litoral fluminense, a situação da empresa para conseguir aval do órgão regulador ficou complicada, segundo o diretor-geral da ANP, Haroldo Lima.

A imagem da Chevron perante o governo, ressaltou Haroldo Lima, ficou ainda mais desgastada porque a empresa omitiu para a ANP que não tinha no país equipamento considerado chave para estancar o vazamento e enviou fotos e vídeos com imagens editadas sobre a extensão do vazamento. Por isso, a agência reguladora abriu dois processos administrativos contra a petrolífera, que podem resultar na aplicação de multas no valor de R$ 100 milhões.

Dependendo do resultado da reunião da diretoria da ANP, a Chevron também pode ser rebaixada, ou seja, deixar de ser considerada operadora de categoria A, classificação que lhe dá autorização para explorar em águas profundas, como é o caso do pré-sal, segundo Haroldo Lima.

“Ela [Chevron] incorreu em um erro sério que pode prejudicar esse segundo intento [explorar o pré-sal]”, disse Haroldo Lima. “Se não for aceito [o projeto do pré-sal], é um fato grave. Uma operadora A, na área de concessão dela, não ter altura de receber autorização para perfurar até o horizonte do pré-sal”, assinalou o presidente da ANP.

Perguntado se a empresa pode ser proibida de atuar no Brasil por causa do vazamento, Haroldo Lima informou que a ANP ainda não examinou essa questão.

A subsidiária brasileira da petrolífera Chevron calcula que 2,4 mil barris de petróleo (381,6 mil litros) vazaram no Campo de Frade, na Bacia de Campos. O acidente ambiental foi detectado no último dia 8 por funcionários da Petrobras. Eles repassaram a informação à petrolífera norte-americana.

Reportagem: Carolina Pimentel
Edição: João Carlos Rodrigues
Agência Brasil

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-11-2

Responder

FrancoAtirador

22/11/2011 - 01h11

.
.
CHEVRON-TEXACO SOB SUSPEITA DE SONEGAÇÃO FISCAL E EVASÃO DE DIVISAS

Rio de Janeiro – A Polícia Federal (PF) começa a ouvir na quarta-feira (23) os depoimentos de funcionários e executivos da Chevron no inquérito que apura o vazamento de petróleo no Campo de Frade, na Bacia de Campos.

De acordo com o titular da Delegacia do Meio Ambiente e Patrimônio Histórico da PF, Fábio Scliar, a empresa pode ser indiciada duas vezes por crime ambiental, caso fiquem comprovada a responsabilidade no vazamento do óleo e no uso de técnicas, para a contenção do petróleo, que agridem o meio ambiente, como o jateamento de areia para dispersar a mancha de óleo.

“O óleo aflorou para a superfície, prejudicando todo o ecossistema e a cadeia alimentar que ali vive. Se houver dispersantes químicos que provoquem a precipitação da mancha para o fundo do mar, isso configura outro crime de poluição, além do vazamento. O ponto principal é delimitar responsabilidades e saber quem foi responsável pelo vazamento. Isso só será possível ao fim dos depoimentos”.

O delegado disse ainda que está aguardando um laudo do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) sobre o volume que vazou e o tamanho da área atingida pelo óleo a fim de avaliar os erros cometidos pela Chevron.

Ele também investiga os indícios de descumprimento das condicionantes para a licença de operação e irregularidades na contratação de funcionários estrangeiros.

Segundo Scliar, existem denúncias de que trabalhadores da empresa recebem salários fora do Brasil, o que caracteriza crime de sonegação fiscal e evasão de divisas.

Reportagem: Douglas Corrêa
Edição: Aécio Amado
Agência Brasil

http://agenciabrasil.ebc.com.br/noticia/2011-11-2

Responder

FrancoAtirador

22/11/2011 - 00h48

.
.
De um Comentarista indignado no Blog do Nassif:

Anarfa Beto
seg, 21/11/2011 – 21:36

R$ 100 milhões é dinheiro de pinga para aquela súcia!

Deviam é ser proibidos de operar no Planeta todo, e as multas deveriam ser grandes o suficiente para obrigá-los a perfurar com um baldinho e uma colher de plástico.

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/anp-mult

Responder

    Morvan

    22/11/2011 - 09h04

    Bom dia.

    Imagina, FrancoAtirador, se o codinome do cidadão não fosse "Anarfa Beto "!
    Irônico. Muito bem postado.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    FrancoAtirador

    22/11/2011 - 16h27

    .
    .
    Pois é, Morvan. Já imaginou?

    Por outro lado, o Anarfa é mais sabido

    que muito Intelequituar, que tem por aí.

    Né, mermo?
    .
    .

    Morvan

    22/11/2011 - 19h18

    Boa noite.

    Sóoooo.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

AugustoJHoffmann

22/11/2011 - 00h30

Discordo sobre o silêncio da mídia, a globo, por exemplo, bem que tentou explicar. A estimativa do repórter-caroneiro no teco-teco da chevron, foi antológica. Afinal, porque não usaram aquela maquinha de calcular distância das barreiras, do galvão bueno? Era bem fácil.

Responder

FrancoAtirador

22/11/2011 - 00h28

.
.
18-08-2005 16:24

Nigéria: ChevronTexaco acusada de fraude fiscal

Lagos, 18/08 – Consultores da Comissão sobre os Crimes Financeiros e Econ¢micos da Nigéria (EFCC) acusam a companhia petrolífera norte-americana "ChevronTexaco" de fraude fiscal num montante de 10,8 biliões de nairas (mais de 73 milhões de dólares americanos), noticiou Quarta-feira a imprensa local.

Segundo a imprensa, os consultores da EFCC afirmam que a companhia norte-americana sobrefacturou desde 1995 as suas despesas correntes, incluindo as suas despesas para o desenvolvimento da comunidade, a fim de fugir ao fisco.

Por outro lado, a Câmara Baixa dos Representantes exigiu o esclarecimento do caso.

Os responsáveis da ChevronTexaco, citados Quarta-feira pela imprensa,declararam que as alegações eram "pouco claras".

Agência AngolaPress

Responder

    Marcio H Silva

    22/11/2011 - 00h45

    Eles pensam que o mundo é quintal deles.

    FrancoAtirador

    22/11/2011 - 00h54

    .
    .
    Por onde passam, deixam um rastro de óleo e safadeza.
    .
    .

Marcio H Silva

22/11/2011 - 00h21

.Como o petróleo vazou no RJ, mais uma notícia do RJ:
"Foram indiciados pela Polícia Federal (PF), os dois advogados presos com o traficante Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem. Apontado como chefe do tráfico da comunidade da Rocinha na Zona Sul do Rio, traficante foi transferido do Rio de Janeiro para Mato Grosso do Sul.
Luiz Carlos Azenha e Demóstenes Armando Dantas Cruz alegaram em depoimento na PF que transportavam o traficante no porta mala do carro, para que ele se entregasse no Distrito de Polícia da Gávea, também na Zona Sul.
Caso o Ministério Público denuncie os advogados à Justiça, eles podem pegar até oito anos e seis meses de prisão. Ambos permanecem presos.
De acordo com a PF, os magistrados chegaram a oferecer R$ 1 milhão para serem liberados."
Fonte: Blog do Sidnei Rezende.

Responder

SILOÉ-RJ

22/11/2011 - 00h01

Baseada nas informações do repórter investigativo Fernando Brito, e Franco Atirador.
Dá para avaliar que o objetivo não era só roubar o óleo do pré-sal.
O real objetivo era detonar com o poço posteriormente, em um momento mais adequado, quando já estivesse tudo muito bem preparado. Só que DEUS É BRASILEIRO, e os blogueiros também.
Daí, foram pegos com a boca na botija. E se faz necessário após perícia, um pronunciamento a nação.
Com manobras e conlúios por nós já bastante conhecidos, (VIDE P36, a maior plataforma de petróleo do mundo que afundou misteriosamente no governo FHC para facilitar a privatização). Iriam minando como já estavam fazendo, a PETROBRAS e o GOVERNO, e assim sorrateiramnte se apossar do petróleo.
Daí porque toda velha mídia, alguns políticos, ongs e juízes que já estão no bolso, se comportarem da maneira que se comportam.
VERDADEIROS VENDILHÕES DA PÁTRIA.

Responder

    Marcio H Silva

    22/11/2011 - 00h16

    Cara apoio isto tudo, principalmente o trabalho incansável do fernando Brito, no Tijolaço, só não entendo porque o Governo federal, na figura da Dilma ainda não veio a público fazer um pronunciamento.
    Um crime grave deste, com evidencias físicas ( petróleo no mar ) não pode ficar esperando laudo técnico dos órgãos competentes. Nesta hora Dilma tem que vir falar a Nação. Mostrar força perante os imperialistas e nossa midia vendilhã.
    Se aproximar mais do público e principalmente do seu eleitorado.
    Caraca, A Presidenta está muito longe das massas.

    Morvan

    22/11/2011 - 09h09

    Bom dia.
    Depende das massas a que vós vos referis, Marcio H Silva. Se ela for a algum destes programas fuleiragens, como o da Ana Maria Braga, ela, a Presidente, ficará "bem pertinho das massas".
    Ah, ah, ah.., Só assim.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

Rasec

21/11/2011 - 22h57

Caraca! O Tijolaço arrasou e o VioMundo ainda foi lá e detonou mais ainda com essa entrevista que será guardada nos anais do jornalismo da blogosfera!
Super Parabéns a todos!
Serviço de Utilidade Pública e Publicada!

Responder

Rafael

21/11/2011 - 21h52

Quero ver quando a Vejam Época vão fazer reportagem sobre o vazamento. Quem sabe um dia aparece uma capa de uma dessas revistas em tom alarmante, falando sobre a negligência. sobre a Chevron não ter seguido o procedimento de cimentação do poço e sobre a possibilidade de acessar o pré-sal.

Responder

Morvan

21/11/2011 - 21h50

Para quem pensou que desfaçatez teria limite, veja só a declaração do Presidente do PSDB, sobre a tentativa de roubo do Pré-sal, digo, vazamento da Chevron:

"… PSDB contina (Sic!) esperando uma declaração da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, sobre o vazamento de óleo na Bacia de Campos…..o acidente aconteceu há mais de 10 dias e só hoje a presidente Dilma convocou seus ministros para tomar conhecimento da situação……a impressão que fica é que o governo não tem controle sobre as empresas que exploram petróleo em nosso território……multar não repara o impacto ambiental. É preciso fiscalizar com rigor para saber em que condições essas empresas atuam."

É necessário muito óleo de peroba, para passar na cara deste azedume, deste bando de enfezados (literalmente!).

Se ele quisesse realmente saber alguma coisa, perguntasse ao José Chevron, digo, Serra; ou ao WikiLeaks, que foi quem tornou públicos os "entendimentos" entre o sr. José Serra e a Sra. Pradal (Chevron).

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 21h49

.
.
ESTA ENTREVISTA DO VIOMUNDO FOI UM TIJOLAÇO NA VELHA MÍDIA.
.
.

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 21h44

.
.
É RECOMENDÁVEL QUE O ARTIGO ABAIXO SEJA LIDO NO WC.

NÃO SENDO ASSIM,

MANTENHA UM PINICO E UMA ESCARRADEIRA AO LADO.

As oito famílias de banqueiros que controlam toda a riqueza mundial

Por Dean Henderson, no Resistir.Info, via Matéria Incógnita

OS SENHORES DA BANCA

Que a imprensa tradicional, com o advento da Internet mais conhecida como “velha mídia”, sempre defendeu a entrega do patrimônio e riquezas nacionais aos grandes grupos da banca internacional, não é novidade. Nem que para isto tenha que atentar contra a democracia. É fato e é histórico.

Da mesma forma que todos conhecem, por exemplo, as fortes ligações financeiras da Rede Globo com empresas multinacionais de petróleo. Donde se compreende o teor das análises de comentaristas da emissora, como Miriam Leitão, Carlos Alberto Sardenberg e Arnaldo Jabor, apenas para citar alguns.

Se assim é, imagine-se o papel deste e demais conglomerados midiáticos no esquema que você vai ler no fascinante primeiro capítulo de quatro ainda não disponíveis na Web. Ideologias à parte, alguma dúvida sobre a que tipo de senhores a “grande” imprensa serve para fazer a sua, a nossa cabeça?

O CARTEL DO FEDERAL RESERVE: AS OITO FAMÍLIAS

Os Quatro Cavaleiros da banca (Bank of America, JP Morgan Chase, Citigroup e Wells Fargo) são os donos dos Quatro Cavaleiros do Petróleo (Exxon Mobil, Royal Dutch/Shell, BP e Chevron Texaco); em sintonia com o Deutsche Bank, o BNP, o Barclays e outros monstros europeus das velhas fortunas.

Mas o seu monopólio sobre a economia global não se esgota no xadrez do petróleo.

http://www.materiaincognita.com.br/as-oito-famili
http://resistir.info/crise/henderson_01jun11_p.ht

Responder

    A. Bertrand

    22/11/2011 - 10h07

    Caro 'FrancoAtirador',
    realmente a matéria que você indicou é sinistra e vomitiva.
    Então, prepare outro penico e leia a outra matéria mais nova e estarrecedora. Eu nunca imaginei uma ganância tão abrangente e cruel dos banqueiros.
    Abs.

    Segue o link abaixo:
    http://www.materiaincognita.com.br/aumento-do-pre

    FrancoAtirador

    22/11/2011 - 13h08

    Pois é, meu caro A. Bertrand.

    Tá tudo dominado!

    Goldman Sachs: como criar uma crise e governar o mundo
    Muitos dos homens que fabricaram o desastre foram chamados agora para tomar as rédeas de postos chaves e com a missão de reparar, ao custo do bem estar da população, as consequências dos calotes que eles mesmos produziram. O banco de investimentos Goldman Sachs conseguiu uma façanha pouco frequente na história política mundial: colocar os seus homens na direção dos governos europeus e do banco que rege os destinos das políticas econômicas da União Europeia. Mario Draghi, o atual presidente do BC Europeu, Mario Monti, presidente do Conselho Italiano, Lukas Papademos, o novo primeiro ministro grego, todos pertencem à galáxia do Goldman Sachs.

    O dragão que protege os interesses de Wall Street conta com homens chave nos postos mais decisivos, e não só na Europa. Henry Paulson, ex presidente do Goldman Sachs, foi em seguida nomeado Secretário do Tesouro estadunidense, ao passo que William C. Dudley, outro alto funcionário do Goldman Sachs, é o atual presidente do Federal Reserve de Nova York. Mas o caso dos responsáveis europeus é mais paradigmático. A palma de ouro quem leva é Mario Draghi, o atual presidente do Banco Central Europeu, que foi vice presidente do Goldmann Sachs para a Europa entre os anos 2002 e 2005.

    Neste posto, Draghi teve um desempenho mais do que ambíguo. O título de seu cargo era “empresas e dívidas soberanas”. Precisamente nesse cargo Draghi teve como missão vender o produto incendiário “swap”. Este instrumento financeiro é um elemento determinante no ocultamento das dívidas soberanas, quer dizer, na maquiagem das contas gregas. Esse engodo foi a astúcia que permitiu que a Grécia se qualificasse para fazer parte da zona do euro. Tecnicamente e com o Goldmann Sachs como operador, tratou-se de então de transformar a dívida externa da Grécia numa dívida em euros. Com isso, a dívida grega desapareceu dos balanços negativos e o Goldmann Sachs ganhou uma vultuosa comissão.

    Depois, em 2006, o banco vendeu parte desse pacote de swaps ao principal banco comercial do país, o Banco Nacional da Grécia, dirigido por outro homem do Goldmann Sachs, Petros Christodoulos, ex trader do Goldmann Sachs e…atualmente diretor do organismo de gestão da dívida da Grécia, que o mesmo e os já mencionados contribuíram para primeiro mascarar e depois, incrementar. Mario Draghi tem um histórico pesado. O ex presidente da República italiana Francesco Cossiga acusou Draghi de ter favorecido o Goldmann Sachs em contratos importantes, quando Draghi era diretor do Tesouro e a Itália estava em pleno processo privatizador.

    Íntegra em:

    http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Arlene

21/11/2011 - 21h41

Nivaldo,

Servem para cabide de empregos.

Responder

Cleverton_Silva

21/11/2011 - 21h13

Este foi um primor de matéria jornalística. As palavras de Fernando Brito são um legado para os vários cursos de jornalismo pelo Brasil, mostrando como se comporta um profissional, contrapondo a cobertura raivosa e descaradamente parcial do pig e quase todos que ocupam as suas redações. A Chevron demonstrou a sua incompetência e o pig fingiu que não viu até que não teve como esconder. Perdeu o furo jornalístico, o mito de que neoliberais estadunidenses são excelentes g(j)estores e a oportunidade de demonstrar que tem utilidade pública.

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 21h10

.
.
SÓ P'RA LEMBRAR (2)

31/05/2011
Botafogo anuncia novo patrocínio para a manga da camisa

O Botafogo anunciou nesta terça-feira, na Sala de Imprensa Armando Nogueira, o novo patrocinador para as mangas do uniforme.

O Grupo Chevron, por meio de Texaco e Havoline (marca de óleo lubrificante que ficará estampada na camisa e em placas do Engenhão), é o novo parceiro comercial do clube, com contrato até o fim do ano, abrangendo o Campeonato Brasileiro e a Copa Sul-Americana.

A camisa já vai ser usada no sábado (4) no jogo contra o Ceará, às 18h30, no Estádio Presidente Vargas. Jogo esse que vai ter a volta do atacante argentino Herrera. No gol, vamos ter Renan, já que Jéfferson vai estar servindo à Seleção Brasileira.

<img src="http://1.bp.blogspot.com/-n192BVoBqqk/TeUD-Hm1yrI/AAAAAAAAFLI/sH9tWGup0_I/s1600/th_20110531113204.jpg"&gt;
Da esq. p/ a dir.: Marcelo Guimarães, diretor Comercial e de Marketing do Botafogo; o diretor da Chevron, Antônio Ennes; e o diretor executivo do Botafogo, Sérgio Landau; apresentam a camisa com o novo patrocínio da Havoline (Texaco) na manga.

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 21h06

.
.
SÓ P'RA LEMBRAR

26/01/2006
O melhor jogador do mundo torna-se garoto-propaganda da Texaco na América Latina e no Caribe.

As pessoas que entendem de carros confiam na marca Texaco e as pessoas que entendem de futebol confiam em Ronaldinho Gaúcho, reconhecido pela FIFA (Federação Internacional de Futebol) como o "Melhor Jogador do Mundo" pelo segundo ano consecutivo.
O talento excepcional de Ronaldinho como atleta inspirou a Chevron da América Latina a escolher a estrela da equipe do Barcelona F. C. e da seleção brasileira da Copa do Mundo como imagem promocional dos produtos Texaco na América Latina e Caribe.

"Se existe alguém que entende de qualidade e desempenho é o Ronaldinho Gaúcho", declarou Glenn Johnson, diretor de Marketing para a Chevron na América Latina. "Por isso, não pudemos pensar em figura mais carismática e confiável para falar sobre o desempenho continuo dos produtos da Texaco que Ronaldinho Gaúcho. Ele reúne todas as qualidades que queremos associar aos nossos produtos".

De acordo com o contrato, Ronaldinho será a estrela das campanhas de publicidade e promoções da Texaco, promovendo as características de desempenho continuo, tecnologia de ponta, alta qualidade e confiabilidade dos seus produtos.

"Sou muito seletivo em relação às marcas com as quais me associo", comentou Ronaldinho Gaúcho. "Por isso, a decisão por uma parceria com uma marca altamente reconhecida e confiável como a Texaco foi fácil. No entanto, o desafio é que os produtos da Texaco são sinônimo de desempenho duradouro…. e isso significa que preciso manter um alto nível de desempenho em todas as partidas que jogar!"

Desde sua estréia, aos 17 anos, na primeira divisão do Grêmio de Porto Alegre, Ronaldo de Assis Moreira revelou qualidades inigualáveis. Estes atributos ajudaram o Brasil a ganhar o Campeonato Mundial da Juventude Sub 17, em 1997, e o apontaram como o melhor jogador do campeonato.

Dois anos no Paris Saint Germain serviram como plataforma para a decolagem da estrela na Europa. Mas, foram o Barcelona – clube onde ingressou em agosto de 2003 – e a Copa do Mundo de 2002 na Coréia/Japão, da qual o Brasil se tornou campeão mundial, que o consagraram como uma superestrela mundial.

Ronaldinho Gaúcho também foi eleito pela União Européia de Futebol como o "Melhor Jogador" pelo terceiro ano seguido e recebeu a "Bola de Ouro" da revista francesa Football Magazine. Assim como Ronaldinho brilha no campo, marcando cada jogada com seu sorriso característico, os produtos Texaco brilham sob outra estrela, proporcionando desempenho consistente a cada quilômetro rodado.

http://www.adnews.com.br/publicidade/25127.html

"Quando avaliamos nossas alianças estratégicas, escolhemos aquelas que melhor combinam com as qualidades de desempenho contínuo que distingue a marca Texaco, e que também tenham representatividade mundial na dose certa", comentou Alex Valderrama, Gerente Global de marca Texaco. "Por isso, a combinação entre Ronaldinho e Texaco é simplesmente perfeita!"

Responder

Paulo Roberto Souza

21/11/2011 - 21h00

O trágico nessa história toda não é o tratamento calhorda que nossa imprensa calhorda dá a esse acidente tão grave, mas o mais terrível é a absoluta inação da ANP, frente a uma ação escandalosa de desrespeito às normas a que estão submetidas, para empreender uma empreitada de altíssimo risco e que exige conhecimentos e tecnologias do mais alto padrão, empresas desqualificadas sobre todos os aspectos, inclusive eticamente. Quem sabe não está na hora de Presidenta Dilma colocar à frente da ANP, pessoas mais qualificadas tencnicamente e comprometidas verdadeiramente com essa área que é a mais importante para o desenvolvimento do Brasil: e exploração petrolífera.

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 20h34

.
.
Brazilian police probe Chevron oil spill

[youtube dGgvGwoBWkM http://www.youtube.com/watch?v=dGgvGwoBWkM youtube]

Al Jazeera's Gabriel Elizondo reports from Rio de Janeiro

Responder

    Fabio_Passos

    21/11/2011 - 21h06

    Se quiser saber sobre o desastre provocado pela Chevron no Brasil… confira o Tijolaço e a Al Jazzera.

    E jogue rede globo, quadrilha veja, estadão e fsp no lixo!

Maria Fulô

21/11/2011 - 20h18

Incrível a cara de pau dessa gente… Abordam a questão como um "acidente de trabalho", algo que pode acontecer a qualquer um, bla bla bla; tudo ao contrário do que fariam se a responsabilidade fosse da Petrobrás. Alguém ainda tem alguma dúvida de quem banca essa mídia ordinária que temos no Brasil? Até quando vamos permitir que essa gente desinforme e deseduque nossa população? Já passou da hora de acabar com essa verdadeira conspiração à céu aberto contra os legítimos interesses do Brasil…

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 20h09

.
.
Chevron tentou roubar o pré-sal?

No Blog do Miro

A Chevron tentou alcançar a camada de petróleo do pré-sal?

Há suspeitas que sim, o que configuraria um grave crime e justificaria atitudes mais duras e soberanas do Brasil contra a multinacional. Segundo o noticiário, a Agência Nacional do Petróleo (ANP) já discute internamente essa possibilidade e não descarta a ação criminosa.

PF não descarta a hipótese

Segundo o sítio Brasil 247, “especialistas da ANP suspeitam de que o emprego pela Chevron de uma sonda com capacidade para perfurar até 7.600 metros, quando o petróleo em Frade aparece a menos da metade dessa profundidade, é um indicativo de que a companhia poderia estar burlando seu plano de prospecção do campo”.

A Polícia Federal também confirmou que já investiga a hipótese. O delegado Fábio Scliar, titular da Delegacia de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico e responsável pelo inquérito, disse que “uma das hipóteses com as quais trabalhamos é a de que o acidente pode ter ocorrido pelo fato da empresa ter perfurado além dos limites permitidos”.

Um atentato à soberania nacional

A PF investiga ainda a suspeita de que a Chevron empregue estrangeiros em situação irregular no país. Segundo Fábio Scliar, há indícios de que até pessoas que não deram entrada oficialmente no Brasil estejam trabalhando em plataformas no litoral brasileiro. “Trata-se de um ilícito administrativo, de algo sério. Se isso for comprovado e esses estrangeiros estiverem recebendo salários no exterior, por exemplo, já se configura crime de sonegação fiscal e de sonegação previdenciária”.

A Chevron tem quatro poços autorizados no campo de Frade. Um está concluído e os outros três estão em fase de perfuração, em lâminas d’água que variam entre 1.184 metros e 1.276 metros de profundidade. Caso seja confirmada a tentativa da empresa de alcançar as áreas do pré-sal, além do grave crime ambiental, a Chevron poderá ser acusada de atentado à soberania nacional.

Íntegra em:

http://altamiroborges.blogspot.com/2011/11/chevro

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 19h57

.
.
Uma terra devastada pela Chevron-Texaco

Por Eduardo Seidl, de Shushufindi (Equador), no BDF*

Daniel Guaramac é um dos pais de família que teve de abandonar sua terra em Shushufindi (povoado da província de Sucumbíos, no Equador).
O motivo: a contaminação causada pela extração de petróleo na Estação Aguarico pela transnacional estadunidense Chevron-Texaco.
A mudança de residência não foi a única conseqüência da ação da companhia. Os 8 filhos de Guaramac e sua esposa sofrem de enfermidades causadas pela contaminação por petróleo cru e por águas de formação (subproduto da extração). Feridas na pele, problemas estomacais, cardíacos, dores de cabeça. Sua esposa já teve 4 abortos e um filho morto aos 5 anos, vítima também da ação da transnacional. Luciano Vicente era seu nome. Certo dia, o garoto caminhava pela beira de um riacho, escorregou, acabou caindo na água e ingeriu um pouco de petróleo cru. Depois de 6 meses, faleceu.
Daniel Guaramac semeava mamão e tinha porcos em seu terreno. Perdeu 10 cabeças de gado, 10 cavalos, algumas centenas de galinhas. O café que plantava não produz mais.
Antes de sair de Shushufindi, Guaramac trabalhava como auxiliar de cozinha na empresa OKC, que pertencia à Chevron-Texaco. Um dia chegando em casa, seu terreno estava tomado pelo petróleo. Teve que nadar até a porta, segurando a comida que trazia acima da cabeça. "Eu pensei que minha esposa estava afogada no petróleo, mas felizmente ela estava bem". Não pôde ir trabalhar durante 5 dias, ilhado dentro de sua casa. Quando chegou à empresa, lhe despediram. "Eu não quero ficar reclamando para que não digam que eu sou contra as companhias; eu apenas estou reivindicando o direito ao meu trabalho", explica. Segundo ele, em nenhum momento a empresa fez recomendações sobre os males causados pela contaminação.
Terror negro
Perto de onde vivia a família de Guaramac, a transnacional Chevron-Texaco construiu e operou uma estação que explorou o petróleo da região entre os anos 1974 e 1990. Ali eram separados o óleo cru, a água de formação e o gás natural em 10 poços.
Segundo a Frente de Defesa da Amazônia (FDA), nesse período de 26 anos, a transnacional extraiu mais de 47 milhões de barris de óleo cru, quase 12 milhões de água de formação e queimou ao ar livre cerca de 10 milhões de pés cúbicos de gás. A água de formação, altamente tóxica, vertia diretamente a riachos que desembocam no rio Aguarico, que atravessa o território habitado pelas comunidades indígenas Siona e Secoya. Os moradores sofrem hoje de diversas enfermidades como conseqüência.
Esse rio é a única fonte de água para consumo das pessoas, animais e plantações. Essas populações originárias tiveram seu território reduzido, foram obrigadas a mudar seus costumes de vida e de alimentação.
"Os rios eram petróleo puro"
A tragédia da família de Daniel Guaramac não é uma história isolada na região de Shushufindi (na província de Sucumbíos, no Equador). Wuilmo Moreto, que trabalha como professor em uma escola na margem do Rio Napo, por exemplo, sofre de enfermidades há 10 anos e teve que sair de lá em busca de trabalho. Sua pele ficou extremamente sensível como efeito colateral dos medicamentos que usou. Moreto gasta mais da metade do seu salário mensal com remédios. "Aqui, não há nenhuma medida de prevenção porque ninguém faz nada por ninguém, tudo gira em torno do dinheiro e do petróleo."
Já Alberto Mendonza chegou em Shushufindi ainda criança e não sabia da Chevron-Texaco. Lembra que caminhava pelos rios que eram puro "petróleo cru". Os pescados e outros animais morriam. Toda sua família trabalhava com agricultura, mas hoje nada se produz. "Eu não deixo meus filhos soltos e os proíbo de brincar em certos lugares. Tenho de privá-los da liberdade que tínhamos porque senão podem se contaminar."
A jovem Carmen Perez, de 24 anos, também trabalhava com agricultura, pescava e caçava alguns animais na mata. "Hoje, não há como subsistir. Nos deixaram apenas com o prejuízo. E o pior é que eles (a Chevron-Techaco) dizem que nossa região não está contaminada. Mas vocês podem ver que estamos todos com doenças. Não temos onde pedir ajuda porque não há remédio para as enfermidades daqui do Oriente". Hoje, as poucas pessoas que continuam vivendo no Shushufindi bebem água de poços artesianos, mesmo sem análises que atestem que é boa para o consumo.

*Reportagem publicada na edição 143 do jornal Brasil de Fato

http://www.brasildefato.com.br/node/3295

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 19h35

.
.
Vídeo submarino de trecho do vazamento da Chevron (dias 11 e 16.11.2011)

[youtube xu10oQHpEGc http://www.youtube.com/watch?v=xu10oQHpEGc youtube]

MUITO MAIS DO QUE UM CRIME AMBIENTAL GRAVÍSSIMO

A CIA. PETROLÍFERA NORTE-AMERICANA CHEVRON-TEXACO

COMETEU UM ATENTADO À SEGURANÇA NACIONAL DO BRASIL.
.
.

Responder

AugustoJHoffmann

21/11/2011 - 19h04

Discordo sobre o silêncio da mídia, a globo, por exemplo, bem que tentou explicar. A estimativa do repórter-caroneiro no teco-teco da chevron, foi antológica. Afinal, porque não usaram aquela maquinha de calcular distância das barreiras, do galvão bueno? Era bem fácil.

Cairam algumas máscaras inclusive, para a minha surpresa, sobre teorias conspiratórias a respeito de ONGs estrangeiras. Cadê o chororó, aquele mesmo da amazônia, índios, micos da mata atlântica e as borboletas do mato grosso? Pô!

Responder

Rafael

21/11/2011 - 18h23

Imprensa, ANP, políticos vários estão lambuzados com esse vazamento. ANP lerda como poucos, imprensa o pior, o que mais se sujou com esse vazamento, mostrou que além de sujo é corrupta. Podem ter certeza que essa atitude da imprensa não é à toa, não por questão ideológica, é por DINHEIRO, simplesmente por DINHEIRO.

Responder

Geysa Guimarães

21/11/2011 - 17h32

Acompanho este excepcional trabalho investigativo do Tijolaço e fico feliz por ele ter sido abordado aqui com igual magnitude.
A Chevron-amiga-do-serra sujou o pedaço mas tomou, junto com a imprensa amiga, um banho de JORNALISMO.
Parabéns mais uma vez à dupla BB (Brizola – Brito), e à querida Conceição Lemes.

Responder

    Maria Helena Correa

    22/11/2011 - 11h05

    Eu estava mesmo pensando nisto: o Fernando Britto merece o grande prêmio de reportagem de 2011. Ele poderia concorrer? Tem de ser indicado por um órgão da grande mídia, ou os blogueiros podem fazê-lo? Prá mim, já ganhou!

monge scéptico

21/11/2011 - 17h26

A ANP se alia ao PIG na "cobertura" a chevron, quase isentando-a de culpa pelo dedal
de petróleo derramado em nossas águas.
Nossa imprensa é o retrato da subserviência.

FOA chevron cerra o jênio fhc etc.

Responder

Marcelo Barros

21/11/2011 - 17h22

Não devemos e não podemos nos esquecer de que estas "concessões" para exploração de petróleo fazem parte do pacotaço que embrulhou o "presente de grego" que todos nós, povo desta grande Nação Brasileira, recebemos do sr. Fernando Henrique Cardoso e de seu desastrado (para falar o mínimo e não entrar em grandes polêmicas) governo. Isto precisa ser repetido à exaustão para que não nos esqueçamos de quem deu uma boa parte de nosso patrimônio de presente para os colonizadores de plantão, e só não deu mais porque não havia mais tempo. Creio que isto justifique em parte o silêncio do "bando dos quatro" da imprensa brasileira, pois eles não tem nada a ver com o Brasil. Fico a me perguntar, como o fez Castro Alves em seu magnífico Vozes d'Africa e que, pasmem, estudei no "ginásio" público no início dos anos 60, antes portanto do desmonte de nossa escola por estas mesmas forças:

"Deus, ó Deus, onde estás que não respondes?
Em que mundo, em que estrelas tu te escondes
embuçado nos céus?
Há dois mil anos te mandei meu grito
que embalde desde então corre o infinito
Onde estás, senhor Deus?"

Até quando vamos ter que clamar por um mínimo de honestidade e consequência destes senhores, que são concessionários de um patrimônio público (meios de comunicação), para que os usem com um mínimo de lisura, desprendimento e respeito aos seus lagítimos mandatários? "Onde estás senhor Deus"?
Parabéns pelo Post e parabéns ao Brito e ao Tijolaço. Parabéns! Muito Obrigado!

Responder

eugenio l da costa

21/11/2011 - 17h14

TANTO FAZ GLOBO OU PIG não sem quase o mais PIG….

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 17h10

.
.
DEPOIS QUE A VERDADE FOI ESCANCARADA

PELOS BLOGs TIJOLAÇO, NASSIF e VIOMUNDO,

A OLIGARQUIA MÁFIO-MIDIÁTICA A PUBLICA,

MAS ATRIBUI A FALSIFICAÇÃO DA NOTÍCIA

EXCLUSIVAMENTE À CHEVRON-TEXACO

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama) aplicou uma multa de R$ 50 milhões na petroleira Chevron, pelo vazamento de petróleo na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro.
Segundo o instituto, a empresa pode receber mais uma multa, de R$ 10 milhões, caso seja comprovado que houve falha no plano para conter o vazamento.
Além da multa do Ibama, a empresa deve receber mais duas multas da Agência Nacional do Petróleo (ANP).
O diretor da agência, Haroldo Lima, disse nesta segunda-feira (21) que a companhia pode inclusive ser proibida de operar no Brasil.
Segundo o diretor, até terça-feira (22) sai o relatório sobre o vazamento. Serão duas autuações, a primeira referente a omissão de informações por parte da empresa, e a segunda, referente ao não cumprimento do plano aprovado pela ANP de abandono do poço.
"A Chevron tinha informações que deveriam ser repassadas para a ANP, mas não o fez, e na parte final de implementação do plano, a companhia não tinha o equipamento adequado", disse Lima.
Executivos e engenheiros da companhia podem virar réus na Justiça com base no inquérito aberto na Polícia Federal do Rio.
Derramamento de petróleo na Bacia de Campos pode ser dez vezes maior
Além da Chevron, a TransOcean, empresa que perfurou o poço com a Chevron, também pode sofrer sanções. O secretário estadual de Meio Ambiente do Rio, Carlos Minc, disse que a TransOcean será descredenciada a atuar no Rio de Janeiro, e anunciou que fará um pedido para a proibição da empresa em todo território nacional.
Segundo Minc, o vazamento poderia ter sido evitado, e só ocorreu porque houve falha no estudo de geologia marinha e "erros crassos da TransOcean". Minc disse ainda que a Chevron é corresponsável pelos erros cometidos pelas companhias contratadas para a exploração de petróleo no local.
Valor baixo da multa
Além das multas da ANP e Ibama, o governo do Rio também estuda aplicar uma multa, de até R$ 30 milhões. Somadas, o valor total pode chegar a R$ 190 milhões.
o valor máximo previsto na legislação para cada multa, de R$ 50 milhões, foi considerado baixo pelo diretor-geral da agência reguladora. "Considero a autuação da ANP pequena", disse.
O secretário Carlos Minc também considera o valor máximo da multa baixo. "É o mesmo valor de 12 anos atrás", afirmou. "A multa deveria ser de R$ 116 milhões corrigidos." Segundo ele, boa parte do valor da multa será aplicada em parques estaduais e federais localizados no Estado.
Vazamento chegou a 3 mil barris
Segundo Haroldo Lima, o vazamento foi equivalente a um volume de 3 mil barris em oito dias. A área afetada é de cerca de 160 quilômetros quadrados.
No momento, dos 28 pontos monitorados pela ANP relacionados ao acidente, apenas um apresenta vazamento residual, segundo Lima.
"Em outros nove ainda existem algumas gotas saindo", disse, acrescentando que para a ANP a situação só é considerada controlada quando não houver mais nenhum grau de vazamento.
De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, o derramamento não é de grande porte, mas o caso foi agravado porque a companhia teria tentado enganar as autoridades e a opinião pública, ao divulgar versões que as vistorias indicam ser mentirosas.
Um exemplo é a primeira versão da Chevron, de que o petróleo vazou por falha geológica, sem influência da atuação da petroleira.
Já está comprovado pelo Ibama e pela ANP que problemas no poço originaram o derramamento do óleo no oceano.
Além das denúncias de negligência, a Polícia Federal investiga a hipótese que a Chevron pudesse estar tentando atingir os poços de petróleo do Pré-Sal, o que seria ilegal, já que a empresa não tinha autorização para explorar essa fonte de petróleo.
Dilma convoca reunião de emergência
Ainda nesta segunda-feira (21), a presidente Dilma Rousseff convocou uma reunião de emergência para tratar do caso com os ministros de Minas e Energia, Edison Lobão, da Defesa, Celso Amorim, e do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, além do comandante da Marinha, almirante Julio Soares de Moura Neto, e do diretor-geral da ANP, Haroldo Lima.
A reunião foi marcada a pedido da própria presidente, que vai cobrar explicações e informações sobre a punição a Chevron e as medidas para mitigar os danos do vazamento.

REDAÇÃO ÉPOCA, COM AGÊNCIA ESTADO
.
.
Multa Só Não Basta !

Cadeia para os Diretores da Petrolífera !

Proibição à Empresa de Operar no Brasil !

Expropriação do Patrimônio da Filial da Chevron!

#VazaChevron
#BoicoteTexaco
.
.

Responder

    SôniaG.

    22/11/2011 - 00h47

    Pois é, mas o BOECHART do jornal Band está muito bravo com o gov. pque só tomou providências agora."dEZ DIAS DEPOIS", DISSE. E eles que não fazem reportagem, não investem e 'substimaram' a m… de Chevron ainda acham ruim, espertamente, claro. Barriga, sempre as barrigas da imprensa. Ou omissão? Se fosse a Petrobrás, sem dúvida seria um 'escandâloooooooo.

    FrancoAtirador

    22/11/2011 - 02h06

    .
    .
    Eles são muito, mas muito mal-intencionados e mentirosos!!!

    11/11/2011 21h27 – Atualizado em 11/11/2011 21h34

    Dilma determina 'rigorosa apuração' de vazamento de óleo no RJ

    A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta sexta-feira (11) que determinou ao Ministério de Minas e Energia, à Agência Nacional de Petróleo (ANP) e à Marinha uma "rigorosa apuração" do vazamento de óleo ocorrido no campo de Frade, na bacia de Campos, na costa do Rio de Janeiro.

    A nota do Planalto reforçou que a presidente Dilma "determinou atenção redobrada e uma rigorosa apuração das causas do acidente, bem como de suas responsabilidades. Independentemente do tamanho do vazamento, o fato deve ser rigorosamente apurado".

    G1

    http://g1.globo.com/economia/noticia/2011/11/dilm

eugenio l da costa

21/11/2011 - 17h09

Por que o governador Cabral demorou a denunciar o vazamento da CHEVRON? Quanta corrupção no RIO, até a policia tem uma grande banda podre ,conforme costatou-se na prisão do NEM. Chevro-n-e-m?

Responder

José Bsb

21/11/2011 - 16h52

O Senado, enfim, discutirá o desastre ambiental provocado pela Chevron. Não, é claro, por iniciativa dos saltimbancos demotucanos. Aguardemos o desempenho dos impolutos oposicionistas frente aos representantes da empresa. Será que o impeto investigativo do Alvaro dias e asseclas so funciona contra a Petrobras? Talvez farão como a globo e dirão que a culpa é do país (leia-se governo petista) que não esta preparado para evitar o ocorrido. Enquanto ainda contabilizam o tamanho do estrago, o serra exibe sua inesgotável irreleância num artigo. O compromisso público desse sujeito com o país é exemplar.
A chevron e o metro paulista guardam tantas semelhanças…

Responder

    Bonifa

    23/11/2011 - 07h35

    Metendo a colher no seu comentário, diria que o país não estava preparado para evitar o ocorrido. Foi pego de surpresa quando o Fernando Henrique enfiou a Chevron goela abaixo dos brasileiros. Hoje, só resta arregaçar as mangas para desmontar mais este artefato deixado por quem minou o país inteiro, lá atrás.

Paulo

21/11/2011 - 16h30

Alguém tem aí o link para o videozinho das estrelas globais protestando contra esse crime ambiental perpetrado pela Chevron/Texaco??? Ah, não existe nenhum vídeo!?!?! Interessante, depois que assisti o vídeo/protesto contra Belo Monte, imaginei que eles estivessem preocupados com os aspectos ambientais que flagelam o país. Me enganei, então. Desculpe, foi mal!!!

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 15h55

.
.
#VazaChevron

#VAZA_EUNÃOSABIA

#VAZA_ JoãoPedroRicardoLucasJoséReinaldoAzevedoVilaeSilva

#VAZA_Klaus

#BoicoteTexaco
.
.

Responder

Morvan

21/11/2011 - 15h25

Boa tarde.

“O vazamento se deve a uma rachadura no solo do oceano. É um fenômeno natural”, disse Heloisa Marcondes, porta-voz da Chevron-Texaco Brasil.

Que este pessoalzinho é mesquinho, escroque e mau-caráter todos nós sabíamos. Agora, querer fazer todo mundo de besta, é o cúmulo.
Realmente, é muito natural. Perfurar além do acordado / licenciado, e utilizando material obsoleto, "arranjos", gambiarras, etc., é natural dar problema. Não é um fenômeno, mas é natural.

Filhos da $5ta! Estadunidenses. Opa, desculpe o pleonasmo.

:-(

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

    FrancoAtirador

    21/11/2011 - 16h20

    .
    .
    Boa, Morvan.

    O Jornalista Fernando Brito caracterizou bem:

    "Existir uma fenda marinha, em plena plataforma continental,
    capaz de, por si só, alcançar a profundidade de um depósito petrolífero
    não é natural, é , quando muito, sobrenatural."

    #BoicoteTexaco Se é Posto Texaco, Não Abasteço #VazaChevron
    .
    .

ratusnatus

21/11/2011 - 15h22

Que tal retomarmos a discussão sobre os ROYALTIES… :)

Responder

betinho2

21/11/2011 - 14h57

vron..vronnn…chevronnnn…vronn…demotunganos e PIg, embarquem na plataforma motel e vronn…vronnn…#vazachevron e cúmplices.

Responder

Maria C.

21/11/2011 - 14h48

Li por aí que a imprensa "só noticia". Sim, TODAS as empresas reguladoras são uma m*, deveriam ter sido fortalecidas por Lula e Dilma, mas também por seus antecessores, que delegaram muitos serviços e concessões a, desde operar porcamente em telefonia, como deixar explodir bueiros e vazar petróleo. O fato da regulação ser um lixo não isenta a cumplicidade da mídia em acobertar questões que são do interesse do público brasileiro, a quem ela também se propõe a prestar um serviço. Claro que regulamentar esse serviço ninguém quer, é censura até mesmo discutir. Mas pra derrubar ministro, convocar passeata, apoiar golpe de Estado, bradar que o povo "mude a história", ela sabe ser bastante ativa, né?

Responder

FrancoAtirador

21/11/2011 - 14h48

.
.
ADMIRÁVEL O TRABALHO JORNALÍSTICO DOS BLOGUEIROS PROGRESSISTAS.

É A MÍDIA ALTERNATIVA A SERVIÇO DO INTERESSE PÚBLICO BRASILEIRO

Já pensaram uma TV pública independente, como a NBR,
com uma equipe de jornalistas (com diploma e sem diploma)
como estes que fazem um trabalho praticamente solitário nos blogs ?
.
.

Responder

    SILOÉ-RJ

    21/11/2011 - 19h45

    Boa idéia, Franco!!!
    A semente já está lançada. É só colocar em debate e pedir ajuda e adesão aos orgãos competentes e das univercidades afins.

    FrancoAtirador

    22/11/2011 - 02h37

    .
    .
    Neste caso, SILOÉ-RJ,

    Não depende muito de debate ou de pedir ajuda,

    mas apenas de iniciativa da Empresa Brasil de Comunicação (EBC)

    que é a responsável por gerir o Sistema Público de Radiodifusão.
    http://www.ebc.com.br/empresa

    Mário SF Alves

    22/11/2011 - 23h23

    É Franco, eu também estou de acordo com a idéia que, além de tudo e – mais do que compensação pelos danos/impactos sociais causados pelo PiG – é uma bela de uma estratégia.

FrancoAtirador

21/11/2011 - 14h32

.
.

"Em bom português: a grande imprensa 'papou mosca'

[ou melhor: fez seus leitores e espectadores de 'MOSCÕES'],

de novo…"

Responder

João Maria Fernades

21/11/2011 - 13h55

Pra variar a nossa porca-mídia fez exatamente o que a blogesfera previa (princialmente a Vênus Platinada e seus funcionários ambientalistas): silêncio sepulcral!!!

Só uma dica para o Viomundo: substituam no sub-título a palavra vazão (velocidade volumétrica de escoamento fluidos) por vazamento, melhor seria "grande vazamento", que foi realmente o que aconteceu e a mui amiga da Globo e de Zé Serra (a Chevron) tentou esconder o tempo todo.

Nota 1000 para Azenha e equipe, umas das melhores coberturas sobre o caso até agora.

Responder

dEMETRIUS

21/11/2011 - 13h37

agora a grande questã a todos os indignados do site: Quem aqui deixou de usar o carro por conta desse crime da Chevron contra o Brasil?
NINGUÉM!

Responder

    SILOÉ-RJ

    21/11/2011 - 19h47

    O que isso tem a ver com as calças???

    edv

    21/11/2011 - 23h04

    Será o Magnoli?!

    dEMETRIUS

    22/11/2011 - 15h13

    se você não faz ideia de onde vem o combustível do seu carro, como podemos conversar sobre a sua indignação?

    Leider_Lincoln

    22/11/2011 - 18h35

    E a Chevron-Texaco decerto é a única a fornecer combustível, não é mesmo, gênio?

    dEMETRIUS

    22/11/2011 - 18h48

    Petróleo é petróleo amigo, pra quem reclama de algo tão grande vocês estão com um pensamento bem limitado. Ou então me mostre uma forma melhor, no dia a dia, de não incentivar Chevrons a furarem poços de qualquer jeito para atender a demanda, ficar mais milionária e causarem mais vazamentos.

    Luiz Reis

    22/11/2011 - 08h00

    Que asneira é essa?

    Bonifa

    22/11/2011 - 17h28

    Mate-se primeiro. O exemplo poderá ser seguido.

Jair

21/11/2011 - 13h31

Multa aplicada pela ANP vai levar em consideração o derramamento de 330 barris/dia, muito aquém do calculado por John Amos, da Skytruth (3.738 barris/dia).
A ANP está se baseando no pronunciamento da Chevron/Texaco, para cálculo da multa?
http://g1.globo.com/economia/noticia/2011/11/anp-

Responder

Maria Libia

21/11/2011 - 13h13

Nós dos Blogs Sujos temos e devemos mostrar a nossa indignação para o Congresso,(o político que vc votou), a ,presidência da república (para que ela sinta-se fortalecida), a ANP e todas as organizações jornalísticas (rádio, TV, jornais, revistas). Devemos criar um APAGÃO EM TODAS ESSAS ESFERAS. Vejam que de todos os e-mails aqui colocados, só DUAS PESSOAS enviaram os seus protestos. SÓ DUAS PESSOAS. Estou muito desanimada com vcs.

Responder

    SILOÉ-RJ

    21/11/2011 - 20h05

    Maria Libia, mesmo a maioria não enviando emails para os políticos e o governo com certeza eles tomam conhecimento dos nossos protestos através de outras formas na internet, e principalmente dos blogs sujos que funcionam mais ou menos como um termômetro.
    De qualquer forma acho válida a sua sugestão e farei a minha parte.

Substantivo Plural » Blog Archive » Entrevista

21/11/2011 - 12h40

[…] aqui […]

Responder

Cássia

21/11/2011 - 12h27

Aqueles que acreditam que o Brasil não está preparado para explorar o pré-sal digo que SÓ o Brasil está pronto para extrair petróleo em águas profundas. São 35 anos de exploração do óleo e o primeiro acidente de grandes proporções provocado, ironicamente, por uma empresa estrangéria. Sugiro também a leitura do Projeto Nacional: http://blogprojetonacional.com.br/o-desastre-da-c

Responder

Fernando

21/11/2011 - 12h01

A vida de uma baleia no litoral fluminense vale mais que a de um bagre num rio amazônico?

Responder

    Aline C Pavia

    21/11/2011 - 13h16

    Primor de comentário. Sua estupidez merece um Nobel. Há 40 anos atrás pessoas como você achavam que Itaipu era o Armagedon.

    luiz reis

    22/11/2011 - 08h06

    heim?putz tem cada mala por aqui… vai dormir, filho, tenta começar de novo…

    Pedro1

    22/11/2011 - 13h22

    E um bagre vai morrer com uma inundação que, saliente-se, já ocorrer na época das cheias? Vai morrer como? Afogado?

    Bonifa

    22/11/2011 - 17h47

    Assisti a um programa desses da Discovery em que um belo jaú pescado no Rio Amazonas era mostrado para o mundo inteiro por um gringo pescador, estrela do programa, como sendo um peixe condenado à extinção por causa de uma suposta hidrelétrica que em futuro breve barraria o Rio (O Amazonas!) e impediria sua reprodução. O jaú, um bagre que pode alcançar 150 quilos, tem duas subspécies muito semelhantes, uma da bacia do Prata e outra da Amazônia. Nenhuma delas está de modo algum ameaçada e em São Paulo pode-se pescar quantos jaús se queira em inúmeros pesque-pagues espalhados pelo estado. Também não há chance alguma de fazer-se algum dia uma barragem no Rio Amazonas. Mesmo assim, qualquer barragem em qualquer rio brasileiro, não poria em perigo nenhuma espécie de peixe. Eles são disseminados igualmente e em alguns casos comumente, em todas estas duas gigantescas bacias hidrográficas, além da bacia do São Francisco. Neste fato que citamos, há apenas ignorância, há apenas descuido de pesquisa na produção do programa?

Arthos

21/11/2011 - 11h54

E o alegrinho governador do Rio que gosta de posar em foto com o Obama, não diz nada contra a empresa estadunidense que quis surrupiar o presal nas suas barbas?

Responder

EUNAOSABIA

21/11/2011 - 11h37

Pior de tudo que esse pobres coitados que emitem seus opinativos ensandecidos por aqui, ainda não sabem, ou fingem que não sabem, mas vão ter que pagar 15 milhões em multa que será aplicada a esta empresa que opera no Brasil com consentimento do governo de vocês que está 9 anos no poder… essa empresa só está aí porque o governo do PT permitiu e isso NAD tem a ver com o Serra… deixem de ser mentirosos tocadores de tuba.

Vai logo é se coçando rapaz, 15 milhões de reais em multa são vocês que vão pagar… parte que cabe a Petrobrás nesta lambança da Chevron.

Se esta empresa explora o petróleo brasileiro e é por ordem de Serra, é sinal que vocês são muito dos incompetentes mesmo, ou então quem manda no Brasil é o Serra…

15 milhões para pagar em multa e quero todo mundo pianhinho e pagando sem chiar…

Vocês não enganam é ninguém.

Responder

    adriana

    21/11/2011 - 14h20

    #vazachevron

    El Cid

    21/11/2011 - 18h00

    por esse "patriotismo exemplar", obrigado por mais uma participação…

    tsc.

    Rafael

    21/11/2011 - 18h16

    Rapaz a Chevron veio para o Brasil no governo fhc. Que conversa mais idiota essa que "nós" vamos pagar. Inventar fatos para defender uma petroleira americana e ainda tentar culpar a Petrobras é coisa de imbecil.

    EUNAOSABIA

    21/11/2011 - 18h42

    Procure de informar, talvez o imbecel não seja eu.

    Abraços.

    Obrigado.

    Leider_Lincoln

    21/11/2011 - 19h45

    Igual aquela história sua do "ataque palestino ao Hospital da ONU durante o massacre de Gaza", né, Richard? Você inventa, macaqueia e quem tem que provar que você está certo somos nós… Você não engana é ninguém!

    EUNAOSABIA

    22/11/2011 - 04h32

    Sou Mestre em economia por uma "universidade keynesiana".

    Deve ser a única no mundo, não é rapaz?? pobre diabo.

    Leider_Lincoln

    22/11/2011 - 18h37

    Eu sempre mostro o Link, Richard. É você que não, burrão! http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualiz

    mentalmente capaz

    22/11/2011 - 12h39

    você ficou tão preocupado em escrever o maior número de besteira no menor espaço possível, que acabou nem percebendo que vai pagar também. agora psiu aí.

mac

21/11/2011 - 11h32

Se fosse a Petrobras ,seria capa da Veja e cobertura 24 horas na Globo , marcha dos atores da Globo contra o pre-sal e propaganda para privatização no PSDB !!!!

Responder

SILOÉ-RJ

21/11/2011 - 11h24

E aí??? GOTA DE MERDA!!!
Onde está o manifesto contra Texaco, vocês são ambientalistas nacionalistas ou imperialistas???
Onde estão vocês??? Partido Verde, Marina Silva, Greenpeace.???
Já sei!!! Não podem abrir a boca porque a empresa é americana… acertei???
Senão… como é que fica o jabá nas eleições??? Né!!!

Responder

    Morvan

    22/11/2011 - 00h51

    Boa noite.

    Perfeita análise, SILOÉ-RJ.
    Muita gente que não acreditava na parcialidade da imprensa passou a vê-la como ela o é, bandida, parcial, venal, antipatriótica. Mas os mais expostos, são, sem qualquer dúvida, os "verdes". São verdes por serem como camaleões, mudando de acordo com a situação. GreenPeace, Marina Silva, Eliane Cantanhêde, James Cameron, o cineastazinho canadense, que adora se meter nos assuntos dos outros países, quando não está fazendo porcarias em celuloide, dentre outros, foram totalmente desnudados e e já não podem mais bancar os herois.
    Este episódio, malgrado os seus efeitos perversos para com o meio-ambiente, colocou a mídia sob forte exposição e revelou as reais motivações dos "verdes" (tão verdes quanto dólares)…

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

José BSB

21/11/2011 - 10h42

Espero que o governo brasileiro adote as providências necessárias para investigar e punir a empresa. E quem sabe até expulsa-lá do país. Aonde estão os saltimbancos da oposição que abriram uma CPI contra a Petrobrás? Por que não cobram explicações do presidente da empresa numa comissão no Congresso?
Como se explica a cumplicidade e omissão da midia na cobertura deste caso?

Responder

Klaus

21/11/2011 - 09h50

Tem mais coisa pra investigar neste caso da Chevron. Se eles tentaram alcançar o pré-sal sem autorização, como alguns dizem e a PF investiga, pra fazer isto, acredito, necessitariam de uma "broca" diferente da que se usa para extrair petróleo em águas não tão profundas. Quando da entrada destes aparelhos no país, por que não se questionou a empresa por estar usando este material de perfuranção que, pelo que sei, é muito mais caro o que se normalmente se usa. A pergunta é de leigo e posso estar falando besteira, mais do que normalmente…rs

Responder

Rafael

21/11/2011 - 09h44

Chevron é uma corruptora muito poderosa. Ano passado serra já combinava com dirigente da Chevron se eleito entregaria o pré-sal. Entã esse pessoal da Chevron financia muitos políticos e principalmente o PIG.
Seria interressante saber quais políticos receberam "doações", quais políticos foram financiados pela Chevron e procurar saber o que pensam sobre o vazamento da Chevron.
E a Marina Silva por está calada? Não vai protestar contra essa polucição? E o serra o que vai dizer? Essas pessoas sempre se manifestam sobre assintos que afetam o país e agora estão calados.

Responder

Os crimes dos corruptores impunes « Ficha Corrida

21/11/2011 - 09h32

[…] Fernando Brito: ‘Omissão criminosa da Chevron-Texaco, cumplicidade escandalosa da mídia’ | Vio… Sirva-se:Like this:LikeBe the first to like this post. Deixe um comentário […]

Responder

Tijolaço – O Blog do Brizola Neto » Blog Archive » Os bastidores de um encobrimento

21/11/2011 - 09h20

[…] Viomundo, de Luis Carlos Azenha e Conceição Lemes, generoso como sempre, ouviu-nos sobre o trabalho deste […]

Responder

leandro

21/11/2011 - 09h12

O derramamento de petróleo em curso na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro, pôs em evidência a ausência de um plano nacional para conter vazamentos de grandes proporções.

Em 2010, após o derramamento de óleo no Golfo do México – o maior do tipo já ocorrido na costa dos Estados Unidos –, o governo brasileiro prometeu avançar na criação do Plano Nacional de Contingência para Derramamento de Óleo, que preparasse a resposta emergencial do país a casos de vazamentos.

À época, representantes do Ministério do Meio Ambiente disseram, segundo a Agência Câmara, que pretendiam entregar um projeto ao Congresso Nacional ainda em meados de 2010.

Mais de um ano depois, porém, não há nenhum plano nacional em vigor para guiar a resposta ao vazamento em curso desde a semana passada no Campo de Frade, explorado pela multinacional Chevron.

Segundo a assessoria do Ministério do Meio Ambiente, o projeto está "quase concluído" e dependendo apenas de ajustes técnicos, no momento analisados pelo Ministério de Minas e Energia. Até o final de novembro deverá ser encaminhado para a Casa Civil. Só depois começaria a tramitar no Congresso. O teor do projeto não foi informado.

Responder

    Aline C Pavia

    21/11/2011 - 13h18

    Ou seja, a culpa é do Brasil.

    leandro

    21/11/2011 - 18h50

    Claro que não. A culpa é da empresa que falhou, mas isso não tira a falta de preparo com que nos antecipamos aos acidentes. Não só nessa area, em Angra dos Reis não se tem rotas de fuga no caso de acidentes nucleares e vão construir mais uma usina.

    Ana Giulia Zortea

    21/11/2011 - 19h50

    Leandro não podemos culpar o Brasil pelo erro da empresa americana. E mais uma coisa, isto não foi e não vai ser nunca um fenômeno natural como os representantes da empresa quiseram dizer, além do mais me parece que eles estavam querendo mais do que tinham direito, pelo que andam falando estavam tentando explorar o pré sal. Não entendo muito disso , o pouco que sei é o que ouço e leio nos jornais (pode ser que esteja falando bobagem). Mas quer saber, acho que nós brasileiros somos muito bobos em deixar uma empresa americana ou de qualquer lugar do mundo ser majoritária na exploração de nosso petróleo. Com certeza os EUA jamais deixariam isto acontecer com o petróleo deles.

    Aline C Pavia

    22/11/2011 - 10h16

    Beijo pra vc fofinha!!
    "Fico com a pureza da resposta das crianças"

    Ze Duarte

    21/11/2011 - 14h32

    Porque você sabe como se faz política no brasil: com garganta e com bravatas, mas com pouca ação. se promete muito, se criam reuniões, comissões, carguinhos para amigos, mas no final nada é feito

    P Pereira

    21/11/2011 - 21h50

    A BBC Brasil não gosta disso. Para copiar e colar é necessário colocar aspas e citar o autor do texto.

leandro

21/11/2011 - 08h31

Cabe ao governo dar uma multa exemplar, só isso. No golfo do Mexico a BP levou uma multa tão alta que teve que vender ativos para não quebrar. Aqui tão falando em 50 milhões de reais, isso é apenas 1% do que a Chevron investiu. Ficar cumpando a mídia é cortina de fumaça, a mídia não multa, quem multa é o governo e ele tem que fazer seu papel. Só isso.

Responder

Nivaldo

21/11/2011 - 08h15

Azenha.
A imprensa é o que é. Mas as Agências Reguladoras são governamentais. Seus Diretores são sabatinados pelo Congresso e tem garantia de emprego de 6 anos. Só saem dali se houver interferência do Executivo (como foi da ANAC) ou então por iniciativa do Congresso. Não entendo como a diretora da ANP, Magda Chambriard, ainda não foi chamada para dar explicações e até ser "solicitada" a pedir demissão. Esta coisa das Agências a Presidenta Dilma te que dar um jeito. Não há uma que se salva, todas são ruins mesmo. Sabemos que as Agências, criadas pelo FHC, (apenas uma no governo Lula) foram criadas APENAS para o processo de privatização. O governo LULA "enquadrou" politicamente, inclusive com nova regulamentação. Mas, se agora não servem nem para regularizar ou fiscalizar o sistema, porque então existem?

Responder

    helio

    21/11/2011 - 14h25

    Fogo no RABO das desreguladoras, agencias do inferno que só existem para proteger as empresas que deveriam fiscalizar e punir! EXTINCÃO das agencias desreguladoras, isso merece uma passeata!

    Aline C Pavia

    21/11/2011 - 15h27

    Estaríamos no tempo da talidomida ainda se não fosse a ANVISA.

    Maria C.

    21/11/2011 - 16h04

    Bem lembrado, Aline. A ANVISA deveria ser louvada pelo trabalho que faz. A propósito, onde denuncio traficantes de anorexígenos proibidos?

mquadros1

21/11/2011 - 06h46

O Tijolaço e o Brito merecem um prêmio de jornalismo. Certamente não será o prêmio de jornalismo que tem o nome de uma petroleira,

Responder

    Fabio_Passos

    21/11/2011 - 20h38

    Sem dúvida.

joaquim Varela

21/11/2011 - 01h50

Esse desastre ambiental se tornou uma PROVA DOCUMENTAL da defesa dos interesse estrangeiros, em detrimento dos interesses nacionais, realizada pelo PIG; em outras palavras, o desastre, mostra o PIG trabalhando pelo bem estar de povos estrangeiros e pelo desenvolvimento de países estrangeiros, quando por ser concessão pública, deveria buscar o bem estar do povo brasileiro e o desenvolvimento nacional.
É revoltante e bastante desanimador, sabermos que o governo brasileiro permite que uma concessão pública trabalhe a favor de interesses estrangeiros, em detrimento do bem estar e do crescimento do povo brasileiro.
Ora, se o PIG defende o interesse de empresa estrangeira em detrimento do interesse de empresa nacional, alem de utilizar uma concessão pública para fins ilícitos, tambem está AGINDO contra O DESENVOLVIMENTO NACIONAL, e portanto descumprindo a Constituição Federal,
Art 3º – Constitui objetivo fundamental da República Federativa do Brasil
II ) garantir o Desenvolvimento Nacional.

Responder

El Cid

21/11/2011 - 00h11

Foi pega em flagrante, porque não contava que o silêncio da imprensa é como a rocha que está sob o petróleo: quando a gente fura com persistência, a verdade explode e vaza.

Não fossem os blogs “sujos” a sujeira da chevron estaria ainda sob o manto protetor de uma mídia salafrária,subserviente e acima de tudo anti patriota.

Responder

    Fabio_Passos

    21/11/2011 - 20h43

    dependessemos de rede globo, quadrilha veja, estadão e fsp… saberíamos apenas o que seria divulgado em press releases da Chevron.

    EUNAOSABIA

    22/11/2011 - 04h30

    Tava estragada?

SILOÉ-RJ

21/11/2011 - 00h00

Parabéns!!! Aos blogueiros e comentaristas sempre atentos e vigilantes, por mais esse gol de placa.

Responder

fan_na

20/11/2011 - 23h52

Parabéns a todos que "mergulharam de cabeça" e divulgaram, insistentemente, antes do PIG. Ai se o Brazil cai em mãos de tucanos!!! Vai virar uma São Paulo da vida! 20 anos com esse bando por aqui. E só agora a Assembléia Legislativa está sendo questionada…

Responder

    helio

    21/11/2011 - 14h32

    A luta NÃO ACABOU, temos que pressionar a inepta ANP, o congresso e a INjustica para punir exemplarmente a VazaChevron com multa bilionaria e expulsão se a PF confirmar o canudinho no pré sal, antes disso não há vitória, temos que carcar o bolso da criminosa VazaChevron para que a Justica seja feita, e aproveitar e turbinar o boicote aos postos Texaco em todo o país!

    Aline C Pavia

    21/11/2011 - 19h44

    A turminha da ANP está lá desde FHC. Zylberstein e outros do mesmo naipe. "Engenheiros" que não sabem a diferença entre nafta e querosene.

Moacir Moreira

20/11/2011 - 23h42

Quem será o responsável por autorizar que empresa estrangeira explore poços de petróleo no Brasil, quando a Petrobrás foi criada justamente para esta finalidade?

Se isso é mais idéia de jerico do finado FHC e sua equipe de iluminados, é bom lembrar que o Lula e a Dilma estão mantendo a terceirização do Estado, fazendo da Presidenta não mais do que uma rainha da inglaterra, apenas uma figura bonita para aparecer no fantástico de vez em quando e puxar a orelha de ministro que pisar com o pé sujo onde ela estiver faxinando.

Responder

Hiroblues

20/11/2011 - 23h23

Chevron antes da PF entrar no caso: "Solta uma nota aí dizendo que vazou de uma falha geológica natural, os brasileiros nem vão perceber"
Chevron após a PF enfiar o dedo: "Assumimos o erro na concretagem"

Ou seja, antes era falha natural, agora é fato que estavam perfurando mais do que o permitido!
Pelo visto os gringos leram a cartilha dos corruptos brasileiros e mentem descaradamente! Cadeia neles! Ou será que assim como "nossos" corruptores vamos precisar de uma avalanche de provas para conseguir incriminar esses bandidos?

Isso é uma afronta à nossa soberania! igual ou pior do que o da Fifa!

Dá-lhe Dilma!
Parabéns ao jornalismo do Vi o Mundo!

Responder

Henry

20/11/2011 - 23h07

Uma vergonha esta Mídia Golpista do nosso país aparelhada com políticos corruptos tucanos e demos agora também da cobertura para piratas americanos roubarem o pre-sal.
Lei dos médios já! Polícia Federal nelles!!! Cadeia para os ladrões americanos! Expulsem esta empresa suja de nosso país!!!

Responder

Gerson Carneiro

20/11/2011 - 23h05

Curiosamente os artistas da Rede Globo que lançaram um vídeo contra a hidrelétrica de Monte Belo, dizendo-se preocupados com o meio ambiente, não se pronunciaram contra a Chevron. Gente especialista em construção de usina hidrelétrica como Maitê Proença, Cissa Guimarães, Marcos Palmeira e Juliana Paes.

E a Globo que participa do complô acusador do Ministro do Trabalho de pegar carona em avião particular, justamente a Globo, pegou carona em avião da Chevron para produzir a citada reportagem do Jornal Nacional.

Outra novidade para mim: descobri que é possível ser bloqueado no facebook. Como descobri? Fui à página do José Serra cobrar pronunciamento sobre a responsabilidade da Chevron, uma vez que segundo o Wikileakers, Serra era o candidato preferido da Chevron, chegando a manter diálogos secretos sobre o pré sal.

Horas depois, meu questionamento não aparecia mais na página do Serra no facebook e a possibilidade de comentar na referida página passou a aparecer desabilitada pra mim.

Só espero que depois dessa a Chevron não seja tratada pela Justiça brasileira, e especialmente pelo PIG, com a mesma gentileza que foram tratados os pilotos americanos, Joseph Lepore e Jan Paladino, responsáveis pela morte de 154 brasileiros.

<img src=http://www.pop.com.br/arquivos/l/leg/legacy170511/245463_legacyINTjpg.jpg>

Responder

    SILOÉ-RJ

    21/11/2011 - 01h31

    Éh!!! Gerson, o PIG ainda não se deu conta mesmo depois do "BOLINHA GATE"que:
    A Internet, com os blogs sujos,com seus jornalistas independentes, repórteres, e comentaristas, a rede de relacionamentos e sites de profissionais de todas áreas sempre alertas e vigilantes, diminuiu drasticamente seu poder de influência.
    Daí essa sequências de tiros no pé.

    Fabio_Passos

    21/11/2011 - 20h39

    Muito bem lembrado.
    Cadê os globais indignados diante deste desastre causado por uma transnacional que gasta os tubos em publicidade na rede globo?

    Fabio_Passos

    21/11/2011 - 21h03

    E agora essa: A rede globo colocou a culpa no Brasil !

    Nem parece verdade… leiam como a mídia-lixo-corporativa é asquerosa:

    "Chevron: Globo põe a culpa no Brasil" http://www.conversaafiada.com.br/pig/2011/11/21/c

    Mário SF Alves

    22/11/2011 - 23h48

    Ih!, cara, é mesmo. Inclusive, segundo me disseram, trata-se de plágio de um outro video estrelado pelo Leonardo de Caprio.

    Bonifa

    23/11/2011 - 08h05

    Mestre Gerson, dá muita tristeza ver esta rapaziada, alguns artistas muito queridos pelo povo, completamente submersos na bolha ideológica e autista da Globo.

    Marat

    23/11/2011 - 12h20

    SENSACIONAL Gérson!!!
    Nossos "especialistas" são um tanto quanto obtusos, não é mesmo? Ou seriam eles "obtu$o$"?

JORGE

20/11/2011 - 23h04

Azenha

Esse acidente foi "daqueles males que vem para o bem". Não fosse ele não tínhamos a prova literal de nossa mídia é uma grande vergonha nacional.

Se não foi comprada, no mínimo, demonstrou que até hoje curva e bate continência para os interesses dos Estados Unidos.

E mais, temos que ficar de olho na ANP., principalmente, fiscalizar essas empresas privadas que gostam de "economizar para maximizar lucros", pois foi muito lenta para reagir a um acidente dessas proporções?

Um abraço.

Responder

SILOÉ-RJ

20/11/2011 - 23h04

Paralelamente a essa tragédia, a "mídia" estava golpeando dioturnamente o ministro do trabalho Carlos Lupi
pra saber quem pagou ou não pagou o taxi AÉREO usado por ele anos atrás!!!
Golpe sujo,como sempre!!! diríamos nós.
Que nada!!! Isso foi só uma cortina de fumaça pra disfarçar o VERDADEIRO GOLPE SUBMARINO.

Responder

Jorge Zímbábue

20/11/2011 - 22h54

Este caso é crime contra o estado brasileiro. Isto é muito grave. É caso de cadeia prara os responsáveis pela tentativa de perfurar a camada pré-sal sem conhecimento do esatdo brasileiro e a CEVRON-TEXACO merece ser expulsa do país e pagar multa exemplar. Afinal, se somos um país, há soberania e esta foi atacada por todos os lados. Expõem as vísceras da cobiça internacional sobre o nosso petróleo. Vou mais além: essa riqueza tem que ser atrelada a uma defesa naval e aérea e nem mesmo a Petrobrás tem blindagem suficiente contra ataques à sua capacidade gestora, operacional e exploratória do pré-sal! A grande mídia (calhorda) espera só uma oportunidade para bombardiar a Petrobrás por todos os lados tentado rachar o casco da grande nau brasileira do petróleo e forçar a entrega gratuita das nossas riquezas. Monteiro Lobato extremece, onde quer que esteja, mas vergonha a todos nós brasileiros não falta. Precisamos nos mobilizar e gritar pelas ruas para mudar tudo!

Responder

Julio/Conatgem/MG

20/11/2011 - 22h52

Essa midiazinha lambe-botas me enoja e tambem os pseudos-ambientalistas.

Responder

SILOÉ-RJ

20/11/2011 - 22h47

Pior que a omissão foi a SABOTAGEM EM SI em conlúio com a DIREITA e a MÍDIA.
Das duas, uma:
Deixar que o vazamento tomasse proporções avassaladora para desestabilizar a Petróbras e o governo com relação ao que eles agora tanto enfatizam: A falta de preparo pra acidentes em águas mais profundas. Ou: Tentar sanar rapidinho, de qualquer jeito, sem ninguém perceber, para continuar no pário da disputa.
Daí a ausência nos noticiários do PIG do ocorrido por quase uma semana!!!
Onde é que estão os abnegados ambientalistas do movimento gota d'agua, alto xingú, humanos direitos etc… etc… que até agora não fizeram nenhum pronunciamento a respeito.
Será que eles ainda não tomaram conhecimento dos fatos, ou essa parte do meio ambiente não lhes interessam???

Responder

Silvio I

20/11/2011 - 22h41

Para mim a Chevron deve ser expulsa do Brasil.Ela estava intentando roubar petróleo do pré-sal.

Responder

Rafael

20/11/2011 - 22h16

Vale lembrar que há suspeita que a Chevron estava tentado atingir o pré-sal.

Responder

Marcio H Silva

20/11/2011 - 21h45

O pessoal da Chevron tem que responder por crimes ambientais, com sentenças duríssimas a ser aplicada pelo nosso Governo e Judiciário.
Nossos PIGs deverão responder pelo crime de antipatriotismo, traição, subserviência, propina e ser expulsos do país. Se querem servir aos gringos mudem-se para lá.

Responder

João-PR

20/11/2011 - 21h35

Quero saber qual a punição que a Chevron/Texaco vai sofrer!
Por mim, ela não operaria mais nem um poço artesiano no Brasil, muito menos exploração de petróleo em alto mar.
A coisa é séria. Não precisamos deles, são eles que precisam de nós.
Espero que a Presidente Dilma suspenda, até o fim das investigações, as operações da Chevron/Texaco na área de exploração de petróleo no Brasil.

Responder

    Leo V

    20/11/2011 - 22h13

    Vão dar umas multas pra eles, que, como já saiu até na grande mídia, pelos valores compensa a negligencia. E mesmo essas multas provavelmente não paragão, pois possuem bons adbogados e entrarão com um recurso atrás do outro com elas.

Alessandro

20/11/2011 - 21h32

Sempre ouvi que a imprensa do Brasil publicava 1/2 verdade.Mas agora acuada pelos acontecimentos publicar 1/5 de verdade já é demais.Necessitamos de marco regulatório para a imprensa já,doa a quem doer.

Responder

Lu_Witovisk

20/11/2011 - 21h10

Só esse episodio já é suficiente para a regulamentação da mídia. Prova mais que concreta pra "quem" o pig trabalha….

Responder

    Mário SF Alves

    23/11/2011 - 13h41

    Lu,
    O PiG não trabalha para ninguém. Na realidade, o PiG que temos hoje aqui no Brasil é mera extenção do grande PiG norte-americano. E mais, o PiG não tem limite e só se dá mal quando em países como a Inglaterra, por exemplo, põe os pés pelas mãos. Aí, seus donos são escorraçados, a exemplo do que aconteceu com o multimilionário testa-de-ferro do neo-liberalismo, Rupert Murdoch.
    Ah! Ia me esquecendo, na Argentina, de certo modo, também.

Regina Braga

20/11/2011 - 21h08

Nem vou comentar,já fiz no Tijolaço…Só quero elogiar ,vcs foram BRILHANTES( desculpe as maisc),MARAVILHOSOS, Muito ORGULHO.Parabéns,mil vezes.

Responder

    SILOÉ-RJ

    20/11/2011 - 23h45

    Idem, idem!!!

Roberto Locatelli

20/11/2011 - 21h04

Crime ambiental gravíssimo. Crime com tentativa de ocultação.

A Polícia Federal, com ajuda da Petrobras, tem que investigar se a Chevron estava tentando roubar (a palavra é essa mesmo) o pré-sal. Se confirmado, a empresa tem que ser expulsa do país, assim como seus postos de combustível.

Quanto às entidades ambientais (Greenpeace, por exemplo), elas se calaram, ou fizeram muito pouco diante da gravidade do vazamento.

A mídia rentista se mostrou extremamente serviçal ao Tio Sam. Primeiro, se fingiu de morta. Depois, quando não tinha mais como esconder o fato, reproduziu os comunicados da empresa criminosa. E, em seguida, foi pedir explicações… para a Petrobras!!

Espero que a presidenta Dilma não seja frouxa com a Chevron.

Responder

    SILOÉ-RJ

    20/11/2011 - 23h57

    Dessa vez os astros conspiraram a nosso favor.
    Além dos ventos levaram o óleo pra alto mar, diminuindo significativamente o desastre ecológico. Colocou na mesma bandeja a cabeça da mídia , da chevron e dos pseudos ambientalistas

    El Cid

    21/11/2011 - 00h02

    Roberto, curiosidade: você ou alguém ouviu ou leu algum comentário do "Zé Bolinha" sobre esse episódio da Chevron ?

    Roberto Locatelli

    21/11/2011 - 07h12

    Caramba, El Cid, boa pergunta! Não soube de nenhum comentário. Se alguém souber, poderia postar aqui.

    Não podemos nos esquecer de cobrar personagens públicos (Serra, Marina, Ciro Gomes, etc) sobre esses acontecimentos!! É preciso sempre questioná-los. Afinal, os três já deixaram claro que querem disputar a presidência. Então, queremos saber o que eles pensam sobre questões nacionais.

    Cleverton_Silva

    21/11/2011 - 21h29

    El Cid e [email protected], parece que o silêncio é a melhor resposta que os entreguistas têm para dar. Ferra no máximo dirá que esse vazamento é um "trololó de blogueiros sujos"

    FrancoAtirador

    21/11/2011 - 00h06

    .
    .
    É isso aí.

    Além disso, os diretores da empresa devem ser responsabilizados por crime ambiental.

    BOICOTE AOS POSTOS DE COMBUSTÍVEIS TEXACO !!!

    #BoicoteTexaco: Se é Texaco não abasteço.
    .
    .

Guilherme Souto

20/11/2011 - 21h03

Se fosse a Petrobras, mesmo que pequeno, o vazamento seria grande. No caso da inciativa privada, mesmo que grande, é pequeno.

Responder

Guilherme Souto

20/11/2011 - 20h48

Se fosse a Petrobras, mesmo que pequeno, o vazamento seria grande. Mas, no Brasil, quando é empresa privada, mesmo que grande, é pequeno… Qual a novidade?!

Responder

Jorge

20/11/2011 - 20h48

Mais uma matéria sobre este acidente devidamente compartilhada! Um escandalo, nossa sociedade precisa se indignar.

Responder

    helio

    20/11/2011 - 23h08

    #vazachevron!

    Morvan

    21/11/2011 - 10h10

    Bom dia.
    Que tal a Hash Tag "Vaza_Daqui,_Chevron"?

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    Julio Silveira

    21/11/2011 - 11h13

    Grande parte dos brasileiros vai achar que Chevron é algum carro da chevrolet, que vazou oleo do carter e será chamado para um recall. Poucos tem a sensibilidade para entender a proporção desse problema.

    Conceição Lemes

    21/11/2011 - 11h51

    kkkkkkkkkkkk, ótimo, Júlio. Obrigada por me fazer rir. abs

Klaus

20/11/2011 - 20h43

Além da grande mídia, Viomundo também deveria fazer um mea-culpa nesta questão. Quem acompanha o blog se lembrará que teve comentarista daqui alertando que o Tijolaço tava sozinho na apuração do caso e demorou para aparecer qualquer coisa por aqui, aliás, demorou mais do que na grande mídia.

Responder

    Conceição Lemes

    20/11/2011 - 21h39

    Klaus, nós estávamos trabalhando a questão da USP e não tínhamos pernas pra fazer tudo ao mesmo tempo, embora, claro, quiséssemos. O próprio Fernando Brito sabe disso. Conversamos a respeito. Tanto que fiz questão de abordar a questao em cima justamente do excelente trabalho que ele desenvolveu e dar-lhe todo o crédito. Questão de justiça. Optei pela história paralela do vazamento — seriam os bastidores –, pra não ficar na mesmice da mídia. Uma história que provavelmente nenhum outro veículo ira contar abs

    Marcio H Silva

    20/11/2011 - 21h43

    E eu divulguei o link desta matéria no facebook.
    Vamos em frente, em vez de ficar criticando o trabalho do blog.
    Divulgue nas suas páginas sociais.

    GilTeixeira

    21/11/2011 - 11h42

    Perfeito, Conceição. O Blog é trabalho de formiguinha cada uma seu quinhão!

    Rafael

    20/11/2011 - 22h15

    Vale lembrar que todas emissoras fizeram operação abafamento do caso, inclusive Record. Tem toda razão somente o Tijolaço acompanhhou.

    Roberto Locatelli

    21/11/2011 - 00h35

    A equipe do VioMundo é o Azenha e a Conceição. Não dá pra fazer tudo. Sei disso porque também tenho sites.

    Ainda não temos retorno financeiro suficiente para alimentar os blogs 8 horas por dia, todos os dias.

Jorge

20/11/2011 - 20h43

Ainda nao entendi como isso ainda não virou um escândalo nacional! Já comprtilhei tres materias sobre este na minha página do FB, lemnrando meus amigos de como ninguem fala sobre este desastre, a mídia prefere falar sobre outras coisas menos importantes.

Responder

lando carlos

20/11/2011 - 20h42

a culpa e unica e esclusiva da presidenta dilma que e a chefe de estado , e aceita a omissaõ da imprenssa brasileira, e da anp.

Responder

    Maria Libia

    21/11/2011 - 13h01

    lando carlos, Não é não. A culpa de todos os que se sente brasileiros e não enchem o congresso, a presidencia, os jornais e tvs., enviando e-mails protestando e mostrando a força que tem os blogs sujos. Hoje mesmo enviei para O Jornal Gente (ou da Tosse), mencionando o fato que em 2 horas de programa jornalisticos não houve nem uma palavra sobre a Chevron, mas Contra o Ministério Público de S.Paulo por que parou a obra do MetroSP, piadas de mau gosto contra o Ministro da Educação Fernando Hadad, e chamando os jovens de NY de vagabundos, isso foi feito por pseudos jornalistas contra os verdadeiros brasileiros. EU FIZ ISSO, MAS UMA ANDORINHA NÃO FAZ VERÃO E PRECISO DE PESSOAS QUE QUEIRAM TB TOMAR UMA ATITUDE CLARA E MOSTRAR A SUA INSATISFAÇÃO.

    Leider_Lincoln

    21/11/2011 - 13h21

    Você é um gênio da lógica e da gramática, cidadão!

niveo campos e souza

20/11/2011 - 20h36

Imprensinha vendida e adestrada.

Niveo Campos e Souza

Responder

Eduardo Raio X

20/11/2011 - 20h26

Este malandros e safados dessa empresa quis dar um caô em toda nação, jogando para por debaixo do tapete sua lambança e sujeira. E a nossa imprensa golpista dá uma de EUNAOSABIA?!?!

Responder

edv

20/11/2011 - 20h25

Indulgência é muita educação do título.
A palavra é CUMPLICIDADE!

Responder

    helio

    20/11/2011 - 23h09

    Imprensa maldita!

    Morvan

    21/11/2011 - 10h09

    Bom dia.
    Isso mesmo, Helio.
    Imprensita de mierda. Imprensita marrom.

    :-)

    Morvan, Usuário Linux #433640.

    Conceição Lemes

    20/11/2011 - 23h21

    Valeu, Edv. A pedidos, mudamos. O próprio Fernando usou os dois termos em textos distintos. Obrigada. abs

    edv

    21/11/2011 - 21h54

    Sabemos todos de sua ótima educação e gentileza, Conceição.
    Abs

Maurício

20/11/2011 - 19h56

Jornais como O GLOBO, FOLHA DE SÃO PAULO, ESTADO DE SÃO PAULO, JB e similares não servem nem para ser usados como papel higiênico: é hemorróida na certa. Já a mídia eletrônica é outra bosta.

Vacine-se contra essas famílias de vigaristas que controlam toda a rede de informação (exceto a internet) no Brasil.

Portanto, não gaste o seu dinheiro e seu tempo de maneira tão estúpida. MÍDIA VAGABUNDA!

Responder

Morvan

20/11/2011 - 19h47

Boa noite.

Saudações corinthianas. Cada vez mais campeão.

O grande problema é que a mídia brasileira tem dois motivos fortes para silenciar sobre o caso.
Primeiro, a mídia brasileira só fala mal do Brasil. Dos seus alter-egos, jamais. Segundo, que falar mal da Texaco [Chevron] é falar mal da herdeira; expor o caso Texaco / Chevron é o mesmo que abrir um dossiê contra o grande doador da Petrobrás, o Padim Cerra, ou para os íntimos, Zé Torquemada. Quem tiver dúvida, procure o assunto (sugiro o Google!) Chevron / José Serra / WikiLeaks.
A grita tinha de vir mesmo era dos Blogues a ainda teria de ser via Blogues não-alinhados, se é que me entendem.
Parabéns ao ViOmundo pela bela reportagem, por sinal, extremamente esclarecedora, e muitas congratulações ao pessoal do Tijolaço, que não mordeu a ísca da versão da empresa nem do conluio contra o Brasil (para os íntimos, PIG).

:-)

Morvan, Usuário Linux #433640.

Responder

benevenuto nadal

20/11/2011 - 19h37

É bem provável que estejamos, mais uma vez fazendo papel de idiotas perante os "interesses estadunidenses", algumas reportagens deixam bem à mostra a possibilidade de a empresa estadunidense ter tentado, ou já ter acessados o pré-sal, e se não fosse o "providencial" vazamento, eles não estariam, a caminho, ou já explornando irregularmente o pré-sal? Quem iria fiscalizar? Quando, e se iria ser descoberto?
Sabemos todos que a nossa grande imprensa de massa, é completamente subserviente aos interesses de países ricos contra o Brasil… Como já dizia o ministro Ricúpero ao reporter da globo: "o que é ruím a gente esconde, e o que é bom a gente fatura", Isso é o que a nossa mídia de massa faz em tempo integral no Brasil, E nossas autoridades constituidas fazem o que para mudar isso? Nada?
Conforme essa reportagem, a empreiteira contratada para esse "trabalho", é a mesma que causou o "mega desastre no golfo do México, e no entanto ela continua operando na maior tranquilidade, em países com leis "frouxas", e fiscalizações, ao que se vê inesistentes.
Se esse tipo de "acidente" tivesse sido provocado pela Petrobrás, com certeza já teria sido transformado em catástrofe pela mídia mercenária, do brasil. Agora se fosse a petrobrás que tivesse provocado esse tipo de "acidente" no litoral dos EUA, com certeza a Petrobrás estaria proibida de operar em qualquer lugar do mundo.
Todos nós sabemos que isso tudo em breves dias, vira em nada, como ao que parece, virou o acidente no golfo do México, e as mesmas empresas continuarão operando, sem nenhuma fiscalozação, e com grandes probabilidades de provocarem acidentes, ou violações muito piores.
Mas eu quero deixar só uma interrogação, para que todos possamos refletir:
Temos em Brasília, 513 deputados federais, 81 senadores, um STF, e todo o aparato do Executivo… E nossa única proteção contra todos os inimigos continua sendo, ao que parece, apenas uma… Deus… Grande abraço.

Responder

    Maria Libia

    21/11/2011 - 13h05

    bENEVENUTO -"Faça que eu te ajudarei"- Faça vc que Deus já fez a parte dele fazendo minar o petróleo.

Lucas Vila

20/11/2011 - 19h09

"Chevron assume 'total responsabilidade' por vazamento no Rio"

http://economia.estadao.com.br/noticias/economia,…

O que mais voces querem?

Pregar os donos da empresa numa cruz?

Responder

    m cruz

    20/11/2011 - 20h01

    Você leu integralmente a reportagem acima? Depois de tudo escancarado é que se diz assumir responsabilidades. assim até eu! E já viu/leu como essa empresa assume as "responsabilidades" pelos danos do petróleo indígena no Peru/Equador?

    helio

    20/11/2011 - 23h07

    E assumiu a culpa 10 DEZ DIAS DEPOIS do vazamento, permaneceu muda e soberba por DEZ DIAS!

    #vazachevron!

    Maxwell

    20/11/2011 - 20h21

    Vejamos… custear totalmente e imediatamente a limpeza da área atingida, fechar os vazamentos, responder na justiça pela omissão e pelo crime ambiental, responder ao inquérito da Polícia federal… acho que pra começar já tá bom.

    Otto

    20/11/2011 - 20h49

    Eles só assumiram depois da cagada consumada. Multa bilionária neles! E yankes go home do nosso petróleo!

    Marcelo Sant'Anna

    20/11/2011 - 20h58

    Talvez menos hipocrisia dos formadores de opinião. Dois pesos e duas medidas sempre, não dá pra aturar.

    luiz pinheiro

    20/11/2011 - 21h09

    Assumiu só de boca, Lucas. A Chevron está o tempo todo querendo esconder/minimizar seu crime. E mais grave é que tudo indica que ela queria mesmo era "puxar" petróleo da área do pré-sal, o que constitui violação de contrato e brutal agressão direta contra a soberania nacional.

    SILOÉ-RJ

    20/11/2011 - 23h44

    Assume a parte já evidenciada, a que não dá pra fugir.
    Ainda tem muta lama preta sem ser petróleo, nesse poço.

    SILOÉ-RJ

    21/11/2011 - 01h53

    É POUCO!!! Muito pouco para uma SABOTAGEM como essa.
    Se não tivéssemos o vento a nosso favor essa mancha de óleo contaminaria várias praias do litoral fluminense.

    Claudio Martinez

    21/11/2011 - 09h21

    É, né? Os coitadinhos dos donos da Chevron, já foram penalizados demais, né? Pobrezinhos!
    Quem sabe a gente acolhe eles com todo o carinho, até eles se acalmarem, no PF Hilton?
    E depois, bora pro presídio!
    Os caras tão mexendo com um produto altamente tóxico com esse grau de irresponsabilidade na costa da região mais populosa do país, e ainda tavam tentando explorar uma reserva que não é pra eles explorarem!
    Isso é um crime tão grande que não tem uma tipificação específica, o MP vai ter que usar uma combinação enorme de artigos pra enquadrar essa tragédia.
    Pra mim, tem que dar cadeia, multa estratosférica e cassação de todas as concessões no país.
    Mas crucificar, realmente, é demais.

    Jorge A.

    21/11/2011 - 09h48

    A Chevrom suja, esconde, mente e desrespeita regras.Mais de uma semana depois ela ¨assume ¨. OBAAAA, parabéns para ela. E fica tudo por isso mesmo.

    mfs

    21/11/2011 - 09h49

    Você me convenceu: só se a Petrobrás for privatizada, de preferência vendida para a Chevron, é que o Brasil vai melhorar. Aí sim, acabarão os acidentes e os encobrimentos. Que pena que o Serra não foi eleito presidente!

    Paulo Roberto

    21/11/2011 - 11h21

    Lucas Vila, não perca tempo por aqui, volte para a sua Veja. Lá vc vai encontrar matérias do seu gosto e estilo, nobre vira-latas.

    EUNAOSABIA

    21/11/2011 - 11h39

    Quem vai ter que arcar com parte dessa multa é a Petrobrás, e alguns coitados pedindo "multa bilionária""..

    E onde se lê Petrobras, leia-se, "povo brasileiro".

    São uns coitados mesmo.

    Leider_Lincoln

    21/11/2011 - 13h11

    Ah, então quando ela ia ser vendida, o dinheiro da privatização seria distribuída entre o que você lê como povo brasileiro, Richard? Mas você gosta mesmo de falar m., não?

    Leider_Lincoln

    21/11/2011 - 13h20

    http://www.conversaafiada.com.br/politica/2010/12

    Mário SF Alves

    22/11/2011 - 23h01

    A isso dá-se o nome de "refrescar as idéias"!

    Leider_Lincoln

    21/11/2011 - 13h34

    http://starviewer.wordpress.com/2011/11/18/maxima

    Mário SF Alves

    22/11/2011 - 23h08

    Já é sintoma do estresse de material, Leider.

    Luís

    22/11/2011 - 08h38

    Oh, nossa. Ele se preocupa com o povo. Meu Deus. Que exemplo de altruísmo.

    Pena que quando os seus coleguinhas deram as estatais durante o processo da privataria, eles não pensaram no povo. Sequer consultou esse povo ao qual você se preocupa tanto.

    Como diz um certo babaca que frequenta aqui o site, você não engana é ninguém.

    Arthos

    21/11/2011 - 11h43

    Lucão, bem que o safardelo merecia… com o estrago que esse incompetente de marca maior está fazendo, só você, generoso coração estadunidense, para poupá-lo… e que se lixe o Brasil.

    Rodrigo Falcon

    21/11/2011 - 11h52

    Que triste constatação…leu, fingiu défice de compreensão e ainda por pura conivência deforma e ignora sua gravidade para incensar as corporações midiáticas como "perpetuadoras fieis da verdade".
    Leu direitinho a cartilha. Já pode pleitear o cargo do outrora bom jornalista Sérgio Dávila.
    Tá aí, mais um "homem de bem"!

    Leider_Lincoln

    21/11/2011 - 13h12

    Nove novo, Richard?

    Rodrigo Falcon

    21/11/2011 - 19h21

    Caraca, o tal do Lucas é o EUNAOSABIA Richard!
    Agora uma simples pergunta: o que o sr. Richard acrescenta ao viomundo?

    #VAZA_EUNAOSABIA

    Leider_Lincoln

    21/11/2011 - 19h42

    É assim que ele opera: usa um nome até o desgaste não poder ser mais consertado (Dvorak, Ubaldo, Henderson de Souza, Paulo Amaral, Suzana Alves, Carmem Leporace…. ), enchendo a paciência e pentelhando. Depois, muda de nick, mas ainda usando o antigo, para fazer uma "transição suave" e poder encher o saco de mais gente, novamente…

    Cleverton_Silva

    21/11/2011 - 22h13

    Não, Lucas. Queremos tatuar nas testas dos executivos da Chevron: "incompetentes aspirantes a surrupiadores do Pré-Sal".

    Luiz Reis

    22/11/2011 - 08h02

    Não, não é possível ter alguém tão ignóbil! Você deve estar sendo irônico, eu não acredito que ainda exista esse tipo de idiota na rede… bom, existe sim… e meu comentário não é ofensivo, esse idiota é um termo médico…

    Luiz

    22/11/2011 - 08h38

    Esse cidadão ou é AMERICANO ou só assiste a MADRASTA GLOBO, se fosse a Petrobras, a mídia nojenta desse país ia fazer a festa, ia pedir até a saída da presidenta.

Marat

20/11/2011 - 19h05

Mais uma grande vergonha: O Império do IV Reich apronta mais uma das suas e nossa pobre e venal impren$$$a, devidamente "subsidiada" pelos pilantras, cala-se. Eita mundinho podre!

Responder

FrancoAtirador

20/11/2011 - 19h01

.
.
Marco da mídia: "falta ousadia ao governo Dilma", diz ministro de Lula

Para Paulo Vannuchi, que chefiou Direitos Humanos no segundo mandato do ex-presidente, debate sobre comunicação é 'urgente' e vai definir se país 'seguirá avançando ou irá retroceder'.

“A batalha da comunicação terá que passar por uma ousadia que não esteve presente no governo Lula e nem no da Dilma, até agora. Mas, se não ousarmos, não venceremos”, disse Vannuchi. “O debate sobre as comunicações é o ponto nodal que irá definir se o Brasil seguirá avançando ou se irá retroceder.”

Segundo Vanucchi, para que o Congresso possa aprovar um novo marco regulatório contra oposições sabidamente existentes, o governo deveria apresentar uma proposta que evite certas armadilhas. Por exemplo: não propor nada que lembre “controle social” da mídia, conceito que alimenta a acusação de que se trata de censura disfarçada.

Por Najla Passos, na Carta Maior

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMos

Responder

Julio Silveira

20/11/2011 - 18h51

É o que tenho dito, eles, em defesa da ideologia neoliberal e do colonismo cultural, ocultam crimes, cometem crimes, fazem qualquer coisa.
Imaginem se fosse a Petrobras, seria aquele griteiro de que o governo não tem ingerência sobre a estatal,… que é casa da mãe Joana…, entre outras possiveis perolas, como já nos acostumamos a ver. Mas somente agora depois de muita grita e que começa a pipocar informações sobre a extensão desse crime ambiental, que estavbam abafando com mão de gato. Ir contra principios que lhes favorem de jeito nenhum, nem que o prejudicado seja o rico Brasil. Enquanto eles, enricam.

Responder

nelson

20/11/2011 - 18h49

Os colunistas amestrados da veja não deram nenhuma nota sobre o vazamento,são jornalistas éticos de um lado só,não estão preocupados com o Brasil e sim com os clientes da revista(texaco),se fosse a Petrobrás já estariam pregando a privatização da mesma,e esta turma da direita ainda quer voltar ao poder,nunca nais.

Responder

yacov

20/11/2011 - 18h44

Deboche!!! Essa empresa não é confiável e tem que ser EXPULSA do país. A nossa dignidade asssim o exige. Bye Bye Chevron!!

“O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na glObo é um braZil para TOLOS”

Responder

    Julio Silveira

    20/11/2011 - 19h52

    Assim tu mata o Cerra do coração. Imagina como fica a arrecadação para a próxima campanha.

FrancoAtirador

20/11/2011 - 18h32

.
.
Jornalista entrevistando Jornalista
só pode dar excelente Entrevista!
.
.
E o crime "campeando" na Bacia
e a Máfia Midiática não noticia !
.
.
<img src="http://www.tijolaco.com/wp-content/uploads/2011/11/duasversoes.jpg"&gt;
O vazamento de verdade e a "pesca de sardinhas" da Chevron.
Imagem e versão aceitas sem contestar

Responder

erivaldo

20/11/2011 - 18h28

Tomei conhecimento desse facto por meio do blog b Tijolaço, do deputado federal Brizola Neto (PDT-RJ) Achei estranho a grande mídia não o divugar o tamanho problema. Por que será que quando há grandes interesse em jogo (interesse da multinacional Chevron-Texaco)a nossa mídia optar por cautela, mas quando se trata de divulgar malfeitos no governo não se respeita a presunção da inocência dos denuciados?

Responder

Fernando Brito: “Omissão criminosa da Chevron-Texaco, com indulgência da nossa imprensa” | Viomundo – O que você não vê na mídia | DESCONSTRUINDO O PIG NA WEB

20/11/2011 - 18h11

[…] Fernando Brito: “Omissão criminosa da Chevron-Texaco, com indulgência da nossa imprensa” | Vio…. […]

Responder

Deixe uma resposta