VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Brito: Moraes mentiu sobre Roraima; chacina foi guerra de facções e governadora pediu ajuda para presídios

06 de janeiro de 2017 às 21h10

alexandre de moraes dupla 2

Ministro da Justiça mentiu escandalosamente e tem de ser exonerado

por Fernando Brito, no Tijolaço, em 06/01/2017, sugestão de Emílio Lopez 

Ninguém me contou, eu mesmo vi e ouvi, na Globonews , Alexandre de Moraes dizer que a governadora de Roraima não havia pedido apoio do Governo Federal para o sistema prisional do Estado, mas para “a segurança pública”.

mentira 1Com todas as letras e a maior cara de pau.

Agora, surge o documento em que Suely Campos, expressamente, pede – e no final de novembro – em caráter de urgência apoio do governo federal, bem como da Força Nacional de Segurança “em virtude dos últimos acontecimentos no sistema prisional do Estado de Roraima”.

Nem com o dicionário do Michel Temer dá para ter outra interpretação diferente.

O texto está aí ao lado e é só clicar para ampliar.

Alexandre Moraes perdeu as condições morais de tratar de qualquer coisa com os estados da Federação.

Quem pode confiar nele, depois disso?

Ele é a bola da vez do Governo Temer.

clarin-destacou-em-seu-site-horror-no-brasil-um-outro-motim-_QPzyZbv

2ª mentira: vídeo desmente versão de que chacina não foi guerra de facções

por Fernando Brito, no Tijolaço, em 06/01/2017

Há uma segunda mentira evidente do ministro da Justiça, Alexandre Moraes: a de dizer que não houve origem no confronto de facções criminosas na chacina de Roraima.

Desta vez, quem o desmente é um vídeo horropilante , onde um dos presos exibe cadáveres e diz claramente que é uma vingança: “vocês não mandaram matar nossos irmãozinhos?, pergunta, enquanto exibe corpos ensanguentados pelo chão.

Por que Alexandre de Moraes vive repetindo que não há uma guerra de facções, quando todo mundo está vendo que há?

Todo o resto passou a ser secundário, mas posto abaixo o que estava escrevendo sobre o Plano Nacional de Segurança, que não durou nem algumas horas, porque ou o ministro vai-se embora ou não terá autoridade para implantar coisa alguma.

Plano nacional de Segurança começa por mudança mental, não com presídios

Há quanto tempo você ouve dizer que precisamos aumentar as penas ou tornar tal ou qual crime hediondo?

Adianta?

Alguém deixa de cometer crime porque a pena é um ou dois anos maior?

Mas nós estamos aplaudindo há anos o prende-prende-prende, que nestes últimos tempos teve como suas estrelas Sérgio Moro e a decisão do Supremo de mandar encarcerar antes do trânsito em julgado de sentenças.

Os 650 mil presos mostram que o Brasil não prende pouco e solta muito.

O Brasil prende muito e prende mal, justamente pela deformação mental de que prisão é a solução da criminalidade.

Não há investimento em educação e colocação dos jovens no mundo do trabalho.

Não há acompanhamento dos desvios de conduta – não “morais”, mas criminais – por falta de pessoal nas unidades educacionais de 2° grau, que se tornou uma necessidade evidente a qualquer um que trabalhe com educação de jovens.

Não há uma política de corregedorias policiais que reduza a promiscuidade entre policiais e criminosos, que é uma regra, não uma exceção.

Não há uma política judiciária que filtre a necessidade de encarceramento e acompanhe os que são liberados para cumprir medidas socioeducativas para que não reincidam nos mesmos crimes.

A “meta” de resolver o problema da superpopulação carcerária em 15% em dois anos é ridícula, porque temos 70% de superpopulação e reduzir 15% deste contingente significa reduzir em 10 mil o número de presos. Se temos 650 mil presos, dá pra vez como é risível achar que isso resolverá alguma coisa.

Sem contar que, segundo os dados da CPI do sistema carcerário, 25 mil pessoas entram nas cadeias por ano.

É preciso falar a verdade: não há dinheiro para fazer uma revolução na qualidade dos presídios.

Presídio é caríssimo e tem que ser feito, apenas, para promover o desmantelamento das organizações criminosas que lá se formam, frequentemente com a conivência de servidores ligados à custódia dos presos.

Ainda mais quando se ouviu o ministro da justiça dizer que “os recursos já estavam todos no Orçamento”.

Ora, sem dinheiro novo, não há plano de emergência nenhum, só o alinhamento de medidas de gestão previstas antes.

Nem como paliativo serve.

PS. Só que, agora, com a comprovação de que Moraes mentiu escandalosamente ao dizer que o Governo de Roraima não havia pedido ajuda para o sistema prisional, ele e seu plano já não têm importância alguma. Ou porque ele cai do Governo ou porque, se ficar, não tem moral para implementar coissíssima nenhuma.

PS do Viomundo: Em nota no final da tarde, o Ministério da Justiça admitiu que Alexandre de Moraes teve uma reunião com governadora Suely Campos em 11 de novembro e ela pediu ajuda para presídios.

Leia também:

Facão regional da Globo em repórter que criticou governador

 

4 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

09/01/2017 - 14h33

.
.
Curiosidade

Quando é que um Tucano diz a Verdade?
.
.

Responder

Luiz Carlos P. Oliveira

07/01/2017 - 11h05

Esse ministro é a cara desse governo: incompetente e mentiroso. Negar o que está escrito, con carimbo de protocolo e tudo? É muita cara de pau.

Responder

Roberto

07/01/2017 - 09h57

Estamos caminhando para a barbárie. Se alguém acha que as chacinas se limitarão aos presídios, é porque esqueceu das chacinas em SP.

Responder

Dilma Coelho

07/01/2017 - 09h35

Por que fotos desses bandidos do desgoverno, é propaganda tipo “falem mal mas falem de mim” ? Só de olhar a imagem desse sinistro da justiça, o tal de alexandre, dá vontade de vomitar. Por favor, usem charges ou caricatura, será mais suportável…
Não considero essa quadrilha que tomou o governo, quero saber é, o que podemos fazer para nos livrar dessas pestes.

Responder

Deixe uma resposta