VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

André Caramante: PMs da Rocam matam homem com as mãos para o alto e de costas, na zona Sul de SP; veja o vídeo

14 de fevereiro de 2017 às 23h46

rocam perseguição

David da Silva, à esquerda na imagem, estava com as mãos para o alto quando foi baleado por soldado da Rocam, na zona sul de SP – Imagem: Reprodução

PMs da Rocam matam homem com as mãos para o alto e de costas. Veja o vídeo

por André Caramante, na Ponte Jornalismo, 14/02/17

Imagens de uma câmera de segurança instalada na rua Eide Morena, no bairro Cidade Ademar (zona sul de São Paulo), são investigadas e utilizadas para desmontar a possível farsa armadas por três PMs para tentar justificar a morte de um homem baleado quando estava com as mãos para o alto, correndo e de costas para os militares.

Os dois PMs envolvidos na morte de David Barbosa da Silva são integrantes da Rocam (Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas) da 4ª Companhia do 22º Batalhão, sediado na zona sul da capital de São Paulo.

Pela versão dos PMs Gabriel Cassemiro Biagi, 23 anos, e Robert dos Santos Silva, 24, David Silva “era um indivíduo em atitude suspeita” que caminhava pela rua Fanfula, na Cidade Ademar.

Ao perceber a aproximação das duas motos da Rocam, David “teria ficado nervoso”, ainda pela história narrada pelos dois PMs.

O PM Robert contou aos investigadores do caso que deu ordem para David Silva parar e erguer as mãos para ser abordado, mas ele não teria obedecido e também teria sacado uma arma que carregaria na cintura.

“Diante da iminente agressão [de David Silva]”, o PM Robert, segundo sua versão, sacou sua pistola .40 e atirou duas vezes contra David, que passou a correr na direção da rua Eide Morena.

Nesse trajeto, o PM Gabriel, também em sua moto, tomou a frente da perseguição contra David Silva. Novamente, ele teria desobedecido a ordem de parada e feito nova menção de sacar uma outra arma que estaria em sua cintura, ainda segundo os dois PMs narraram.

“O PM Biagi [Gabriel] diante da iminente ameaça, efetuou disparos contra o indivíduo, que caiu”, afirmou o soldado Robert à Polícia Civil, minutos após a suposta resistência à prisão seguida da morte de David Silva.

Com David Silva caído, o PM Gabriel teria se aproximado dele que, mesmo baleado, teria o empurrado e tentado evitar uma revista pessoal. Na cintura de David Silva, segundo os dois PMs, eles encontraram uma faca de cozinha. Um revólver de brinquedo também estaria com David, mas teria sido abandonado por ele durante a fuga.

Levado pelo Resgate do Corpo de Bombeiros para o Hospital da Pedreira, David Silva morreu.

Durante a investigação sobre a morte de David Silva, integrantes da Corregedoria (órgão fiscalizador) da PM localizaram as imagens da câmera de segurança que gravou parte da perseguição contra ele e passaram a colocar em dúvida a versão dos dois soldados da Rocam.

As imagens mostram David Silva correndo, logo após sair de trás de uma van. Ele estava com as duas mãos para o alto e de costas para os PMs. Quando David sai do enquadramento da câmera, é possível ver o soldado Gabriel empunhar sua pistola e atirar contra ele.

Nesta terça-feira (14/02), a Corregedoria da PM pediu à Justiça Militar a decretação da prisão dos dois PMs da Rocam, mas a Promotoria opinou pelo encaminhamento do caso para a Justiça comum.

O juiz José Álvaro Machado Marques, da 4ª Auditoria Militar, irá se manifestar sobre o envio do homicídio para o Tribunal do Júri nas próximas horas. Até lá, os dois PMs seguem presos administrativamente na Corregedoria da PM.

Gestão Geraldo Alckmin

A reportagem solicitou, nesta terça-feira (14/02), ao secretário da Segurança Pública da gestão de Geraldo Alckmin (PSDB), Mágino Alves Barbosa Filho, e ao comandante-geral da PM, coronel Ricardo Gambaroni, esclarecimentos sobre a morte de David Silva e entrevistas com os dois PMs (Gabriel e Robert) responsáveis pela morte de David Silva.

Até a publicação desta reportagem, a CDN Comunicação, empresa contratada por Alckmin para fazer a assessoria de imprensa da Segurança Pública, e Assessoria de Comunicação da PM, não se manifestaram. As mesmas assessorias de comunicação não atenderam também ao pedido de entrevista com um representante da Corregedoria da PM para que ele falasse sobre a morte de David Silva.

Às 20h16 desta terça-feira, a SSP, por meio da CDN Comunicação, enviou nota sobre a morte de David:

“A Corregedoria da PM informa que já havia aberto um IPM para investigar a ocorrência e um dos policiais que aparecem nas imagens já está preso administrativamente. O DHPP [Polícia Civil] também investiga a ocorrência por meio de inquérito policial. Um simulacro de arma de fogo e uma faca apresentados na delegacia foram encaminhados para perícia, assim como as armas dos policiais envolvidos”.

Leia também:

“Decisão de Gilmar sobre Lula ficará para a história como aberração jurídica para desestabilizar Dilma” 

temer e aposentadoria 5
17 - fev 1

Vagner Freitas: Reforma do Temer quer acabar com sua aposentadoria; reaja agora ou morra trabalhando

15 de março, dia nacional contra a reforma da previdência

Lava Jato janot 2
17 - fev 6

Nassif: A Procuradoria Geral da República atua para quebrar a Odebrecht

A que interesses realmente servem a Lava Jato e PGR servem?

 

15 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mariane

18/02/2017 - 14h24

O mais engraçado é o sensacionalismo de toda mídia.
Existe mais um vídeo que mostra o começo da ocorrência e garanto que se tiveram acesso a esse vídeo de segurança também tiveram do outro.
O indivíduo sai da cena quando o PM efetua os disparos. Algum de vocês estava lá pra saber o que aconteceu ?
Só pra esclarecer, o indivíduo estava drogado e no momento em que sai de cena coloca a mão na cintura. E se ele estava armando no primeiro momento (mesmo que com um simulacro o que é impossível saber até que se pegue na mão) o que vocês acham que ele deveria ter feito ? Ter pago pra ver e ser mais um PM que morre em função de profissão ?

Concordo que existem muitas falhas existentes no sistema principalmente da segurança pública e que a polícia militar tem um descrédito por isso. Entretanto esse sensacionalismo barato dá mídia só atrapalha processos investigativos.
Por trás de uma farda tem sempre um ser humano. Assim como por trás de um bandido.
Então vamos com calma né .. mais discernimento e bom senso por favor .
Ninguém aponta uma arma ou foge dá polícia sem mais nem menos.
Não acho de maneira alguma que a morte seja a solução para a criminalidade e mesmo o indivíduo que morreu nessa ocorrência já era reincidente e tento diversas passagens lamento a morte dele sim.. e desejo que ele encontre a paz em outro plano. Mas não acredito que os PMs devam pagar severamente pela sua morte. Existem excludentes dá ilicitude que só provam que eles estavam agindo em função de profissão.. legítima defesa num primeiro momento e estrito cumprimento do dever legal.
Precisamos de uma população e uma polícia que caminhem juntas. Não essa cultura de ódio aonde só quem perde é a sociedade.

Responder

Dilter Folha

18/02/2017 - 14h12

Vcs são loucos. Não dá para ver nada no video.
Ele pode ter baixado as mãos, sacado uma arma e tentado atirar nos PMS.
Quem não tem culpa no cartório, não foge da polícia.

Dilter
Brasil acima de tudo

Responder

josé carlos lima barbosa

17/02/2017 - 01h33

O abuso de autoridade está por toda parte. Está claro, como neste vídeo, porque policiais, juízes, promotores de justiça e jornalistas arregados são contra a Lei de Abuso de Autoridade. Basta ver quem morre na mão desses baba-ovos da rede globo. Qualquer cidadão pode ter um fim desses enquanto agirmos como coxinhas que vai pra rua lutar contra os próprios direitos.

Responder

Rogério Bezerra

15/02/2017 - 21h33

Auditoria Militar ? rarrarrrarara
Desde a Scuderie Le Cocq as polícias viraram grupos de extermínio!
É só…

Responder

twoprong

15/02/2017 - 19h26

Nem o país, nem a população, nem polícia nenhuma precisam de gente que atira pelas costas.

Responder

Bacellar

15/02/2017 - 12h55

O Brasil está virando um grande e sinistro abatedouro de gente; https://estudiotm.files.wordpress.com/2016/08/escaladaviolencia.jpg

Responder

    Conceição Lemes

    16/02/2017 - 11h23

    Bacellar, postei a tua charge.
    Vc prefere que a gente coloque JB ou João Bacellar?
    Abs e obrigada

    Bacellar

    16/02/2017 - 12h59

    João Bacellar, obrigado Conceição querida.

a.ali

15/02/2017 - 09h54

Bando de safados agem desse modo pela certeza de IMPUNIDADE…ai de nós TODOS!

Responder

Ricardo

15/02/2017 - 09h18

Não dá pra ver oq aconteceu por esse vídeo.
Chega de defender bandidagem.
Chega desse corregedor que antes de qualquer investigação já acusa a PM de assassina.
Polícia mandou parar, pare.
Simples.
Quem não deve não teme.

Responder

    Jeferson

    15/02/2017 - 14h22

    Bingo!

    lulipe

    15/02/2017 - 16h06

    Os esquerdopatas nunca gostaram de polícia, o cenário ideal pra eles é o que estava ocorrendo no ES, a barbárie rolando solta. Não é à toa que os índices de violência explodiram nesses 13 anos de governo do PT. Deixaram bilhões em caixa que poderiam ter sido utilizados na construção de novos presídios, mas não, pra eles quanto mais bandidos soltos melhor, afinal é tudo “mano”!!!

    Gerson

    15/02/2017 - 16h11

    O cara estava de mãos para cima e parando de correr e o soldado da primeira moto atirou sem mais nem menos, isso que dá para ver no vídeo, ou precisa desenhar?

    João de Paiva

    15/02/2017 - 16h14

    Você diz isso porque não é pobre, mestiço, negro, mulato, indígena e não mora na periferia de São Paulo, em uma das várias favelas da capital ou das cidades metropolitanas. Para um almofadinha da classe média é fácil repetir clichês como “quem não deve não teme”. Se você pertencesse a um desses estratos sociais, sempre excluídos, reprimidos e vítimas da violência policial e das chacinas e se alguém de sua família tivesse sido torturado ou assassinado pela PM paulista, duvido que escreveria essas bobagens.

    Maria Libia

    15/02/2017 - 16h30

    Que pena que nao e com voce ou alguem de sua familia.

Deixe uma resposta