VIOMUNDO

30 deputados pedem a Janot que investigue relação de offshores com Globo e FHC

02 de março de 2016 às 19h19

Captura de Tela 2016-03-02 às 19.15.45

Deputados petistas pedem que Ministério Público Federal investigue relação de offshores com Rede Globo e FHC

do site do deputado

Nesta quarta-feira (2), os deputados Paulo Pimenta (PT-RS) e Wadih Damous (PT-RJ) protocolaram no Ministério Público Federal um pedido para que sejam feitas diversas investigações sobre as conexões entre a Rede Globo, a FIFA, o ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e offshores do Panamá que teriam sido utilizadas para cometer crimes contra o sistema financeiro, a ordem tributária e a administração pública.

O documento é subscrito por mais de 30 parlamentares.

Segundo Pimenta e Wadih, “há fortes indícios da prática de crimes como organização criminosa, lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores, sonegação fiscal, além de outras ações criminosas contra a administração pública, contra o sistema financeiro nacional e contra a ordem tributária”.

Na representação encaminhada ao MPF, Pimenta e Wadih Damous pedem que sejam investigadas e esclarecidas, entre outros, “a existência de eventuais bens da família Marinho em situação ilícita de ocultação patrimonial; as atividades das offshores vinculadas ao grupo Globo; e as relações entre a Globo, suas respectivas empresas e offshores e a FIFA”.

As offshores aparecem como proprietárias de uma mansão da família Marinho, construída ilegalmente em área de proteção ambiental na ilha de Paraty (RJ) e de um helicóptero também usado pela família Marinho, dona da Rede Globo.

Os parlamentares cobram esclarecimentos também quanto ao uso de uma empresa, a Brasif, utilizada por FHC para enviar 100 mil dólares a jornalista Mirian Dutra, com quem o ex-Presidente tucano tem um filho. Miriam Dutra trabalhou para a Globo por 25 anos.

Recentemente, Miriam contou que foi “exilada” na Europa pela Globo na década de 1990 para não prejudicar a imagem de FHC que seria candidato à presidência da República. Na época, FHC era casado com Ruth Cardoso.

A Brasif teria sido proprietária da Eurotrade Ltd, com sede nas Ilhas Cayman.

A Eurotrade Ltd. firmou, em 2002, contrato com a jornalista Miriam Dutra, como ela mesma afirmou à “Folha de São Paulo”, e como admitido em nota pela própria Brasif.

Segundo declarou Miriam Dutra à “Folha”, FHC usou essa empresa para “bancá-la no exterior”.

A Brasif teria sido beneficiada em licitações durante o governo FHC. Também existem indícios que a Brasif tenha operações relacionadas às mesmas offshores de origem panamenha.

Em outra entrevista, Miriam disse que o diretor de jornalismo da Globo Alberico de Souza Cruz a “ajudou a sair do Brasil”.

Ela sugere que Alberico ganhou concessão de TV em Minas Gerais como retribuição a esse favor que fez a FHC.

Miriam também contou que uma forma de retribuição do governo FHC à Globo por seu “exílio” na Europa foram os muitos financiamentos a juros baixos concedidos à emissora via BNDES.

Essa relação entre Globo e BDNES também foi incluída pelos deputados petistas no pedido de investigação ao MPF.

Na semana passada, o deputado Pimenta apresentou à imprensa um organograma demonstrando as conexões entre offshores/Globo/FHC e solicitou apuração por parte do Ministério da Justiça.

Um inquérito foi aberto pela Polícia Federal para investigar.

Leia também:

Como o genro de João Roberto Marinho assumiu o estádio de remo da Lagoa Rodrigo de Freitas

 

5 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

carlos

03/03/2016 - 12h47

O povo brasileiro pede para os orgãos da justiça brasileira, o mínimo de critério na apuração dos fatos se nós fossemos citar aqui quantas injustiças e abusos são cometidos, vamos passar a noite inteira falando , o que queremos da justiça brasileira é isso que eu não me canso de dizer, isenção autonomia.

Responder

carlos

03/03/2016 - 12h29

Sr. Rodrigo Janot, qual é o seu critério de denuncia? Por exemplo qual é a diferença entre o caso do deputado Anibal Gomes PMDB (ce) e o caso deputado Carlos Sampaio PSDB (sp) DOAÇÃO NÃO DECLARADA, QUAL O CRIME SONEGAÇÃO SIMPLES ASSIM.

Responder

carlos

03/03/2016 - 09h31

Eu sempre digo não existe crime perfeito, a rede globo de sonegação, se beneficiou de forma ilícita da ingenuidade do povo brasileiro digo isso sem querer ser dono do voto de ninguém, e sem querer ser aqui a palmatória do mundoo que eles não sabiam era que tinham deixado as digitais, com suposta funcionaria deles que diz inclusive que tem toda documentação guardada em cofre bancário, que se espera não seja o HSBC, porque esse é triangulo que liga FHC, ou seja: offshores, Globo e HSBC.

Responder

Deixe uma resposta