Quer se bronzear de forma saudável? A doutora Soraia Aracele dá todas as dicas

Doutora Soraia Lozano: Mesmo usando filtro solar com fator 60, não se deve permanecer longos períodos ao sol

 

por Conceição Lemes

A luz solar é indispensável ao ser humano. Ajuda a prevenir osteoporose. Auxilia o tratamento de doenças, como psoríase, eczema e raquitismo. É também excelente “ferramenta” para enfrentar o estresse, pois leva o cérebro a produzir substâncias que melhoram o humor.

Em compensação, o sol em excesso, todos sabem, traz prejuízos à saúde. Pode causar queimaduras, envelhecimento precoce da cútis, com a formação de manchas, linhas de expressão e rugas, facilita a catarata, a  eclosão de crises de herpes e a instalação ou agravamento de lúpus eritematoso. A exposição exagerada e repetida ao sol é responsável pelo câncer mais frequente no Brasil – o de pele.

“Os prejuízos se devem à associação dos efeitos nocivos dos raios ultravioleta A e B (UVA e UVB) e dos infravermelhos”, explica a dermatologista Soraia Aracele Lozano,  médica da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). “Os malefícios de um potencializam os do outro. É possível, porém, ficar apenas com benefícios, expondo-se de forma saudável ao sol.”

É simples. A doutora Soraia Lozano ensina como.

Blog da Saúde – Quem precisa se proteger dos raios solares?

Soraia Lozano – Todos nós, independentemente de idade, sexo, etnia.

Blog da Saúde – Inclusive os afrodescendentes, certo?

Soraia Lozano  –  Com certeza. Muita gente acredita que os afrodescendentes podem tomar sol à vontade, pois não teriam risco de câncer de pele. É uma ideia falsa.  Os afrodescendentes têm, isto é verdade, menos risco devido à farta produção de melanina. É o pigmento fabricado pelos melanócitos [ células da pele] e que dá cor à pele e atua como filtro solar, prevenindo os danos causados pela radiação solar.

Blog da Saúde – Quem é mais suscetível ao câncer de pele?

Soraia Lozano – Seguramente as pessoas de pele e olhos claros, com cabelos loiros ou ruivos,  são mais suscetíveis; têm menor produção de melanina.

Blog da Saúde – Na prática, o que significa exposição saudável?

Soraia Lozano – Evite a exposição direta e prolongada ao sol entre 10h e 16h, quando os raios solares são mais intensos. É por volta de meio dia (13h, no horário de verão) que a radiação atinge seu pico. Use protetor solar na praia, na piscina, assim como ao praticar esporte ou trabalhar sob o sol. Procure lugares com sombra, sempre que possível. Ela protege você dos raios diretos do sol.

Blog da Saúde – Tendas e guarda-sóis funcionam? 

Soraia Lozano  –  As de nylon deixam passar 95% da radiação solar. Logo, não protegem quase nada. Já os feitos de algodão ou lona são mais efetivos: retêm 50% da radiação ultravioleta. Portanto ajudam, mas não dispensam as demais medidas preventivas, inclusive o uso de protetor solar. A luz solar, ao “bater” na areia, calçada, piso, água, reflete em você, provocando danos à sua pele.

Blog da Saúde – Quanto às roupas, o que recomenda?

Soraia Lozano – Vista roupas claras e leves. As cores claras refletem a luz solar, diminuindo a absorção dela pela sua pele. As feitas de algodão filtram melhor a radiação do que as de tecidos sintéticos. Nos dias com muito sol, proteja-se ainda com boné ou chapéu de abas largas, óculos escuros e camisa de manga longa.

Blog da Saúde – Agora, o filtro solar. Fala-se em fator de proteção solar (FPS) cada vez maior. Qual é o indicado?

Soraia Lozano – Varia de acordo com o tipo de pele e o nível de exposição. Normalmente, o fator 15 é suficiente para a maioria das pessoas, pois se sabe que filtra 94% da radiação ultravioleta. Já pessoas de pele e pele e olhos claros, cabelos loiros ou ruivos,devem utilizar fatores mais elevados. O ideal é um fator de proteção de 20 a 60. Aplique o protetor 30 minutos antes da exposição ao sol em todas as áreas do corpo descobertas, incluindo rosto, orelhas, pescoço, colo, dorso das mãos e braços.

Blog da Saúde – Tem gente que usa FPS 60, por exemplo, achando que pode ficar muito sol.

Soraia Lozano – É outra ideia falsa.  Mesmo usando filtro solar com fator 60, não se deve permanecer longos períodos ao sol.

Blog da Saúde  – Quanto tempo dura a proteção do filtro solar?

Soraia Lozano — O tempo é limitado. Há uma fórmula para calculá-lo, mas não é funcional. Na prática, reaplique a cada três ou quatro horas, durante a exposição solar. Também após entrar na água, praticar esportes ou suar muito. Já existem produtos “à prova de água”, que também devem ser reaplicados.

Blog da Saúde — Protetores solares com fator 30, 60 exigem reaplicação?

Soraia Lozano – Sim. Portanto, se usá-los, reaplique a cada três ou quatro horas. Igualmente após entrar na água, se exercitar ou transpirar muito.

Blog da Saúde – Em dia de mormaço é preciso usar protetor solar?

Soraia Lozano – Sim. Embora a “ausência” de sol atenue a radiação ultravioleta, a neblina quente e úmida, resultante de forte calor, é suficiente para produzir queimaduras. Ou seja, o mormaço apenas mascara a falta de sol aparente. Portanto, para se proteger realmente, use, sim, protetor solar, mesmo que só tenha mormaço.

Blog da Saúde – Quando usar filtro solar? 

Soraia Lozano  – Sempre que frequentar piscina, praia, rio ou cachoeira. Também se trabalhar ao ar livre – como carteiros, garis, salva-vidas e vendedores; sair para caminhar ou resolver assuntos em dias ensolarados. É importante levar consigo o filtro para reaplicação, se necessário.

Blog da Saúde – O filtro solar previne todos os tipos de câncer de pele?

Soraia Lozano – Previne a imensa maioria. Vou explicar. A pele é dividida em camadas. O tipo de câncer depende da camada afetada. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), do Ministério da Saúde, os mais frequentes são o carcinoma basocelular, responsável por 70% dos diagnósticos de câncer de pele, e o carcinoma epidermoide (ou espinocelular), com 25% dos casos. Felizmente, o filtro solar previne ambos…

Blog da Saúde – E o melanoma?

Soraia Lozano – O melanoma, não. Ele corresponde a 4% dos casos de câncer de pele no Brasil. É o mais agressivo, com alto risco de se espalhar para outros órgãos, através dos gânglios linfáticos, provocar metástase e ser fatal. Quanto mais cedo forem o diagnóstico e o tratamento do câncer de pele, menor o risco de mutilações e maior a probabilidade de cura.

Blog da Saúde – O melanoma é mais freqüente em quem?

Soraia Lozano  – Nas pessoas de pele clara, mas podem se formar também em negros, mulatos, indígenas.  Na maioria das vezes manifesta-se por lesão pigmentada que surge do nada ou da transformação de uma pinta que o indivíduo tem desde o nascimento. Atenção, portanto, às pintas, perebas, manchas. Mudou de cor, tamanho e sensibilidade, corra para remover.

Blog da Saúde — A exposição excessiva ao sol faz realmente mal em todas as idades?

Soraia Lozano – Seguramente , do bebê ao idoso. Embora os efeitos nocivos dos raios solares sobre a pele se manifestem principalmente a partir dos 40 anos, eles se acumulam ao longo da vida.

Blog da Saúde – A partir de quantos meses, os bebês podem se expor diretamente ao sol?

Soraia Lozano – Só depois dos 6 meses. Antes, não devem – de modo algum!  Seus melanócitos ainda não funcionam.

Blog da Saúde – Algumas leitoras talvez murmurando:  “Ah, mas eu adoro me bronzear. Bem queimada fico linda…

Soraia Lozano – Realmente, você fica mais bonita agora, mas, no futuro, a sua pele envelhecerá mais depressa, as rugas e as manchas serão mais precoces. Pense nisso. Proteja sua pele dos raios solares. Evite torrar-se ao sol.

Blog da Saúde — Doutora, para finalizar, alguns leitores — principalmente mulheres —  certamente gostariam de fazer mais esta pergunta à senhora: as câmaras de bronzeamento artificial, proibidas desde o final de 2011,  causam mesmo danos à saúde?

Soraia Lozano — A resposta é sim! Há anos se sabe que os raios emitidos pelas câmaras de bronzeamento artificial podem causar queimaduras, envelhecimento precoce da cútis, com a formação de manchas, linhas de expressão e rugas, e câncer de pele.

Aliás, em julho de 2011, a IARC, Agência Internacional para a Pesquisa sobre o Câncer, órgão vinculado à Organização Mundial de Saúde (OMS) elevou o risco das cabines de bronzeamento artificial: de causa provável para causa concreta de tumores de pele. A IARC concluiu que o uso delas antes dos 35 anos de idade aumenta em 75% o risco de melanoma, o tipo mais perigoso de câncer de pele.

Mesmo assim, muitas clínicas de estética do país anunciavam que suas máquinas lançavam apenas raios ultravioleta A – a radiação UVA – e não causavam danos. Uma propaganda enganosa, pois não existem cabines que emitam apenas UVA. Todas lançam os UVB também. Os UVB, aliás, são os que dão a cor dourada à pele. Fique longe delas